Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Preciso transformar um perfil em uma página no Facebook: e agora?

Por desconhecimento ou uma convicção equivocada, você pode ter criado um perfil para sua marca no Facebook em vez de uma página. Vale repetir que o Facebook determina em sua política que apenas pessoas reais podem ter perfis.

O que isso significa? Que marcas, personagens e, enfim, quaisquer outras coisas que não sejam pessoas reais devem ter páginas nesta rede social. Mesmo pessoas públicas e celebridades podem ter páginas – deixando seus perfis mais reservados, apenas para as interações com seus amigos e familiares.

O próprio Mark Zuckerberg, dono do site, tem um perfil pessoal em facebook.com/zuck e uma página pública em facebook.com/markzuckerberg. Nos perfis, você tem o número máximo de 5 mil amigos. As páginas não têm amigos, elas são “curtidas” – e o número de pessoas que podem curtir é ilimitado.

Então vamos lá: você já sabe que precisa transformar seu perfil em página, e agora? Bem, a primeira coisa que você precisa saber é que todas as páginas são administradas por pessoas. O recomendável, portanto, é que todos que antes acessavam este perfil para atualizá-lo tenham seus próprios perfis no Facebook. Em uma empresa, não é recomendável que se crie um perfil “genérico” para que todos possam ter acesso à página: cada pessoa responsável pela página pode ser incluída como administradora da página. Por que? Por dois motivos principais:

1. Se você criar um perfil fake chamado “Minha marca” para atualizar a página “Minha marca”, isso vai causar uma confusão para os usuários que quiserem se relacionar com a sua marca no Facebook: por engano, eles podem acabar enviando um pedido de amizado ao perfil, enquanto o correto seria eles curtirem a página.

2. Se o perfil fake for por algum motivo cancelado pelo Facebook e ele for o único administrador da página, a página vai morrer junto.

Bem, então já sabemos que você vai precisar ter um perfil verdadeiro de uma pessoa verdadeira para administrar sua nova página. Minha recomendação: o primeiro passo na hora de converter seu perfil para a página é ter certeza que você, a pessoa de verdade que vai administrar a página, é amiga do perfil que depois vai virar página. Soa confuso? Mas é simples: digamos que eu, Barbara Nickel, cuide do perfil “Minha marca”. Antes de convertê-lo em uma página, eu vou conferir se eu sou amiga do perfil “Minha marca”. Se eu não for, vou me adicionar. Esta etapa não é uma premissa indispensável do Facebook, é apenas uma recomendação minha.

Feito isso, você vai fazer login no Facebook com o perfil que vai virar página e acessar este link. O que você vai ver é o site que permite a conversão de perfil em página. Alguns avisos importantes aparecem ali:

1. Esse processo é irreversível

2. Você vai perder todas as fotos a histórico de postagem no mural. O que fica? Sua foto de perfil será mantida e seus amigos serão convertidos em pessoas que curtem a página.

Neste momento, você também vai escolher a categoria da sua página de acordo com as opções oferecidas. Esse item podem ser alterado posteriormente, então não é preciso se preocupar muito. Depois de escolher, o Facebook vai novamente avisar que o processo é irreversível e pedir a senha do perfil para confirmar a opção. Vá em frente.

Se você já havia criado algum endereço específico para o seu perfil, ele será mantido. Vamos voltar ao meu exemplo hipotético. Se eu tivesse criado o endereço www.facebook.com/minhamarca, este passará a ser o endereço da minha página. Ou seja, não muda.

Se o seu perfil recebia atualizações automáticas via feed, será necessário configurá-lo novamente. Na verdade, todas as configurações precisarão ser feitas novamente: lembre-se que apenas sua foto de perfil e seus amigos vieram junto com esta migração.

A primeira tela que você vai ver depois que o processo terminar, será o seu mural e ele estará vazio.  Pode ser que demore um pouco para todos os amigos aparecerem ali como pessoas que curtem a página, tenha paciência. Enquanto isso, clique em “Editar página” para fazer todas as configurações e comece a brincadeira:

- Inclua informações básicas sobre a página/negócio: data de fundação, descrição, endereço, telefone, e-mail, site…

- Defina quem pode publicar no mural: o mural pode ser configurado para receber apenas posts da página ou ficar aberto para que qualquer um publique. Estas configurações são definidas em “Gerenciar permissões”.

- Faça o primeiro post no mural! Você vai ver que não é diferente de publicar como perfil.

Mas por que eu havia sugerido que, antes do processo, você se tornasse amigo do perfil a ser convertido? Agora esta página pode ser gerenciada por mais de um administrador, e é bom que seja. Para definir quem são as pessoas que têm poder de administrar a página, clique em “editar página” e depois em “gerenciar administradores”.

Em páginas que já nasceram como páginas, um administrador pode incluir qualquer amigo como administrador em uma página. Nestes processos de conversão, no entanto, eu não consegui fazer isso. Tive que seguir outro caminho: acessar a página e clicar logo abaixo do número, em “pessoas que curtiram isso”. A janela vai exibir os nomes dos antigos amigos e oferecer a possibilidade de torná-los administradores. Escolha seu próprio perfil pessoal e clique em “Tornar administrador”.

Depois de fazer isso, você poderá fazer login com seu perfil pessoal, acessar a página e atualizá-la. Como você já é administrador, poderá também incluir outros administradores.

Uma das vantagens de ter uma página é que agora você poderá usar em seu site aquela caixinha de widget chamada “Like Box”, que sugere que o visitante curta sua página. Quando ele está logado, aparecem ali os seus amigos que já curtem a página. É uma eficiente forma de divulgação, bem mais efetiva que uma chamadinha fria do tipo “Curta nossa página no Facebook”. Para criar estes widgets, basta acessar http://developers.facebook.com/plugins, mas o passo a passo eu vou deixar a próxima :)