Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

10 anos sem George Harrison

29 de novembro de 2011 0

Há dez anos, no 29 de novembro de 2001, morria o beatle mais quieto, foi como o sujeito ficou conhecido. Mas George Harrison era muito mais que isso: de mascote do quarteto mais famoso da cultura ocidental, tornou-se um músico excelente – talvez o melhor da banda -, um curioso ativista pelas causas humanitárias – o que seria do Live Aid se não fosse o Concerto Para Bangladesh? – e um compositor que, se não tão bom quanto Lennon e McCartney, pelo menos responsável por algumas grandes músicas dos período final dos Beatles/início das carreiras solo.

Pouca gente se dá conta disso, mas os discos solos melhores produzidos dos ex-beatles são os de Harrison. Melhores inclusive que os de Paul (a sonoridade dos de John eram de uma crueza angustiante, e proposital).

A morte de George, levado por um tumor cerebral, também sepultou de vez um retorno dos Beatles. Gente próxima dos ex-integrantes acha que, se ele estivesse vivo e com boa saúde, a reaproximação dos tempos do Anthology fatalmente se estenderia para os palcos, senão para um álbum com material inédito. E mesmo sem George, ainda se especulava uma união dos filhos dele (Dhani) e de John (Sean, mesmo Julian) com Ringo e Paul para uma apresentação, ao menos.

Porém, os dois desfalques seriam gritantes demais para recriar o maior grupo da história do rock.


Envie seu Comentário