Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Festival tenta salvar o Taliesyn!

03 de abril de 2012 9

Divulgação

Cinco anos frequentando o Taliesyn e só há apenas dois meses que eu troquei algumas palavras e cordiais cumprimentos com o Johnny Hell, um dos proprietários. Sujeito peculiar, boa gente, nada afeito a arroubos, pelo contrário, está sempre sossegado no seu canto, empunhando o canecão, inclusive quando está cochilando no balcão. O “Talys” é a sua imagem e semelhança: o recanto do roqueiro. Nunca vi o Johnny reclamar de nada, por isso fiquei surpreso quando eu soube que o bar está prestes a fechar as portas. A única trincheira tolerante ao rock na cidade sucumbe às intempéries financeiras. Falta dinheiro para honrar os alugueis e até as contas de luz. O nosso GBGB agora conta com a solidariedade daqueles a quem ele nunca faltou, seja para unir laços matrimoniais, musicais, entorpecer os ouvidos, afogar as mágoas e a abstinência sexual nas doses de “viagra” em conserva. Sem contar as sessões de terapia em grupo gratuitas sob as marquises da Rua Fernando Machado.

Um grupo de frequentadores e apoiadores já se mobilizou e organizou um festival: o S.O.S. Taliesyn. Ao longo do mês, bandas da cidade abrirão mão de cachês e custos para tocar no espaço, em noites cujas rendas serão destinadas integralmente para estabilizar as finanças do bar e assim garantir a sua continuidade. A largada será sexta-feira com as bandas Efeito Lavanda, Motel Overdose, Golden Jivers e Apicultores Clandestinos. Não esperamos menos que a lotação. Músico e idealizador da Matinê do Rock _ projeto que nasceu e venceu no Taliesyn_ convocou a malta e está aceitando adesões pelo seu Facebook e pelo e-mail: domingoslongo@gmail. A intimação não se restringe só as bandas: produtores, artistas de teatro, cineastas e todo o microcosmo cultural da cidade estão em crédito com o Talys.
A iniciativa é louvável, mas eu incluiria como “bônus” uma consultoria do Sebrae.

Comentários (9)

  • Candy diz: 3 de abril de 2012

    Estabelecimento de rock ou não deve no mínimo respeitar o cliente. Tentei ir uma vez apenas e fui expulsa sem nem poder entrar. Nunca mais passei nem na frente. Este então deve ser um dos motivos. Nunca me senti tão mal, acho que não devo ser rockeira o suficiente para ser frequentadora. O meu marido que tem 15 anos de estrada no rock de Floripa também foi barrado sem o mínimo de educação. Depois ficam se lamentando.

  • Duda Silva diz: 3 de abril de 2012

    A última frase falou tudo. Porquê boas intenções não são o bastante.

  • Joe Love diz: 3 de abril de 2012

    Foi expulsa? Como assim? O Taliesyn é um “barzín” aconchegante, pacato e tremendamente honesto.
    Um lugar admirável no centro de Floripa onde se pode ouvir o mais puro rock and roll degustando uma das excelentes cervejas da casa.
    O que pode ter acontecido (o mais provável) é que há uma lotação máxima permitida para que haja exatamente esse aconchego. Por isso é bom sempre chegar cedo. Em torno das 20:00hs.

  • sundays diz: 3 de abril de 2012

    candy, não tem como vc ter sido expulsa se nem entrou na bodega, e se vc não entrou era porque o bar estava lotado ou estava fechando. O bar é pequeno, isso acontece para a segurança de clientes como eu e vc.

  • winegar diz: 3 de abril de 2012

    Sou frequentador assíduo, e estarei lá na tentativa de ajudar.
    O bar é fantástico e tenho muitas histórias boas e recordações que gostaria que permanecessem por lá, ao contrário de muitos outros Rockbars de floripa que fecharam. A propósito, idéia do Sebrae é boa viu..
    No caso da Candy, é uam pena, mas acho que estava lotado ou ja era muito tarde (ou os dois). Vale uma nova tentativa.
    Abs

  • Gigante diz: 3 de abril de 2012

    Realmente, o Taliesyn é o ultimo lugar da grande Florianópolis onde você pode escutar o bom rock, sem frescuras nem elitismo. Alguns devem pensar : “tem o john bull, que também é do rock”, mas o jb não passa de um el divino levemente tematizado. Nada supera o ambiente underground do taliesyn, as doses caprichadas que o chinês ou a Paula nos servem, e todo o acolhimento daquele bar.

  • renato sa diz: 3 de abril de 2012

    Plano de negócios, é chato, é, mas mais chato é ter que fechar as portas.
    Plano de marketing, é chato (eu gosto), para muitos é, mas necessário.
    Planejamento financeiro e planilha de custos, é chato, é, mas é fundamental pra qqr empresa, pequena ou grande, burocrática ou rockeira!

    Torcemos para que um dos redutos rockeiros da cidade continue!

  • Moisés diz: 4 de abril de 2012

    Tentei várias vezes contactar o proprietário para tentar tocar lá. Tentei e-mail, telefone e até o twitter… Se o cara nem consegue responder um contato, aí fica difícil não deixar falir…

  • robson diz: 4 de abril de 2012

    SOU O DONO DO BAR.
    Fico extremamente feliz com Marquinhos e Domingos e Patotas interessadas em nos ajudar.
    O Marcos sempre foi fantástico e os roqueiros da ilha nem se fala. Meu estabelecimento sempre se esforçou para manter a qualidade como bar de rock. Qualidade esta equilibrada no ponto ótimo do underground. Mas o resgate do centro com sua revitalização é de extrema importância. O Taliesyn fechará? Claro que não. Eu sou um Playboy, não dependo financeiramente deste Éden boêmio, o Robson estará bem, ficarei naquele bar mesmo vazio sem em um único momento forçar a barra mantendo-o por birra ou recalque, ele será mantido por amor e por trabalho e deve ser esse amor e esse trabalho que chamam atenção e comovem pessoas amigas e honestas que nos prestam essas cordiais demonstrações de carinho e sensibilidade conosco e com nosso taliesyn…
    OBRIGADO A TODOS….

Envie seu Comentário