Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Paul "roqueiro" foi o destaque da noite na Ressacada

26 de abril de 2012 8


Foto: Charles Guerra



Nenhum show é igual ao outro, diz o chavão relembrado por músicos e produtores. Às vezes, a frase ganha mais sentido. A noite de quarta-feira foi marcante até mesmo para aqueles que assistiram a shows da turnê anterior de Paul McCartney, a Up and Coming, e a atual (On the Run).

O artista demonstrou estar curtindo a energia do público da Ressacada, arriscando improvisações valiosas e se comportando de maneira mais informal que a comum.

Tanto que a sequência do set list original foi quebrada em dois momentos do show. Após Eleanor Rigby, Paul improvisou a sapeca Ram On, o que não é exatamente raro, mas realçou sua faceta “violeiro de fogueira”. Logo depois, sentido o clamor do público por mais incursões pelo território beatle, improvisou com a banda um trecho de Yellow Submarine.

- Vocês querem um pouco de Ringo? Vamos tocar um pouco de Ringo – comentou, lembrando que o baterista dos Beatles cantou a versão clássica da música.

No segundo bis, McCartney homenageou o nascimento do filho de um casal de sua equipe de produção, na Inglaterra. O menino recebeu o nome de Nathaniel, e saudando o recém-nascido a banda atacou com uma versão fantástica sua Birthday, rockão dos tempos do Álbum Branco (1968). Não foi por acaso um dos momentos memoráveis das quase três horas de música.

A apresentação em Florianópolis teve dessas contradições que iluminam a trajetória dos ídolos. Embora números clássicos tenham sido entoados em uníssono pela multidão, como Yesterday, Hey Jude e Let it Be, foi com os rocks mais pegados que o clima esquentou. All My Loving, The Night Before, Day Tripper e I Saw Her Standing There mostraram fato do qual nos esquecemos vez ou outra: Paul McCarntey é um roqueiro.

E aí, concordam?

Comentários (8)

  • Thereza Rampinelli diz: 26 de abril de 2012

    Olá equipe fantástica! Marquei um encontro de trabalho, em Curitiba, na 4a feira para estrategicamente logo em seguida assistir ao show do meu grande ídolo: Paul. Desde a infância era paixonada por ele, imaginava: qdo eu crescer ela vai se casar comigo, mas apareceu a Linda e fiquei para trás. Coisas de infância. Um dos sonhos realizados: vi Paul, ouvi Paul. Não era chuva ontem a noite.Os anjos e arcanjos emocionados choravam com tamanha emoção ao ver o público cantando as canções. E eu ainda dei depoiemto para a RBS e foi trasmitida a tarde e a noite!!! Amo Floripa. Como faço para obter o link ou o gravação para trasmitir aos meu alunos de Comunicação Empresarial, da UFJF , em Juiz de Fora/MG. Quero postar, se possível, no meu blog e site http://www.therezarampinelli.com. Ficarei na ilha até dia 31, meu celular (32) 9977 4400 ou 3234-2147.Valeu!!! Thereza.

  • Mariângela Silveira Senna diz: 26 de abril de 2012

    O schow foi MARAVILHOOOOSOOOOO. Foi fantástico, mas não se podee deixar e anotar que a volta foi terrível. Não tinha quem organizasse as filas para pegar os ônibus pra os bolsões. Houve momentos em que pensei que haveria um catastrofe, que iria morrer gente, tamanho o empurra empurra e as pessoas sendo espremidas naquelas “mangueiras” que fizeram para tentar controlar a filha. O espetáculo acabou as 24:20 e nós conseguimos pegar um onibus até o bolsão 5, onde estava o nosso carro, as 02:45. E a chuva na cabeça. Isso precisa ser melhor organizado. Quanto ao Paul nenhum retoque. Ele estava melhor do qu nuca

  • Orivalda Silva diz: 26 de abril de 2012

    Voce disse tudo! Muitos conhecem, da vasta obra de McCartney somente as baladinhas pop-rock que estouraram no mundo nos anos setenta, mas o lado mais legal do ex-beatle (eterno pra nós) é exatamente o lado roqueiro que ele expunha maravilhosamente quando cantava com Lennon, George e Ringo nos Beatles. Os momentos mais memoráveis do show foram exatamente os em que ele tomava anatiga guitarra dos velhos tempos da banda e mandava um rock caprichado!!!. Inesquecível. Vi shows das duas ultimas tournes dele e faria repeteco!!!….

  • Orivalda Silva diz: 26 de abril de 2012

    Voce disse tudo! Muitos conhecem, da vasta obra de McCartney, somente as baladinhas pop-rock que estouraram no mundo nos anos setenta, mas o lado mais legal do ex-beatle (eterno pra nós) é exatamente o lado roqueiro que ele expunha maravilhosamente quando cantava com Lennon, George e Ringo nos Beatles. E do tempo em ele cantava com Linda e os Wings. Os momentos mais memoráveis do show foram exatamente os em que ele tomava a antiga guitarra dos velhos tempos da banda e mandava um rock caprichado!!!. Inesquecível. Vi shows das duas ultimas tournes dele e faria repeteco!!!….

  • Berloque Gomes diz: 26 de abril de 2012

    Com certeza, mô quirido!

  • Cristiano Magnabosco diz: 26 de abril de 2012

    Por que não há cobertura da desorganização no final do show, onde as pessoas ficaram sob chuva forte por mais de 3 horas???

    Cadê a dita “imparcialidade” da RBS????

  • daniel diz: 26 de abril de 2012

    Com certeza, é isso aí ta coberto de razão , Paul foi, é e e sempre será um rockeiro, e com certeza um dos melhores, se não o melhor que já existiu!!!

  • Luiz Flávio Tonolli diz: 27 de abril de 2012

    Foi puro Rock n Roll, original, marcante, pulsante. Além da simpatia, os companheiros da banda em ótima performace. Enfim, foi inesquecível.

Envie seu Comentário