Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de junho 2012

Tropicália, O Filme

25 de junho de 2012 0


Diretor Marcelo Machado parte da premissa de que o Brasil já era global muito antes do termo se disseminar pelo mundo com o surgimento da internet. Seu argumento é infalível e recua até os anos 1960 com o movimento artístico que condensou estética musical, ativismo antropofágico e político-cultural e ousou contrapor o surto nacionalista vigente nas hostes da Música Popular Brasileira. O cineasta centra o foco do seu documentário na Tropicália, ebulição artística que apresentou ao país e ao mundo o barato de Tom Zé, Mutantes, Caetano Veloso, Gilberto Gil. Mas se fosse para sintetizar o que foi este movimento no campo da música basta um nome seminal: Rogério Duprat. O resto é a margarina!
Da mistura frenética de elementos da cultura nacional com os arranjos vindos do outro lado do atlântico (rock’n roll) e que chegou a ser tomada como heresia até por Elis Regina. O filme revitaliza como este cenário, no meio de um período político conturbado, e seus personagens ajudaram a forjar a natureza do pop nacional. Tropicália entra em circuito nacional em setembro e ficamos na torcida para que passe por aqui.



Exclusivo: Carlinhos Brown canta em guarani na saga de Tainá

25 de junho de 2012 0

Carlinhos Brown assina a música tema do longa-metragem Tainá _ A Origem, uma das produções nacionais com pré-estreia confirmada na Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis, que abre na sexta-feira. Tainá Coty Jurupari é cantada em tupi pelo compositor baiano, que concorreu ao Oscar este ano com a canção Real in Rio, composta em parceria com Sergio Mendes.

Tainá _ A Origem será exibido, sábado (30/06), às 16h, no Teatro Pedro Ivo. Programe-se por aqui.

Floripa Noise se despede falando sério (Não caia nessa!)

22 de junho de 2012 0

Depois de uma semana movimentando intensamente a agenda artística e musical da Capital o festival Floripa Noise encerra de maneira retumbante a edição desta no, substancialmente a maior da sua história.


Nunca o cenário da cultura independente nacional se viu tão bem representado em Floripa como nestes últimos sete dias, com shows (Graforréia Xilarmônica, Bonifrate, Efeito Lavanda, Os Legais, Violentango), exibições audiovisuais e lançamentos de nos projetos (Skrotes, Atomic Mambo All-Stars e Mapuche).

A agenda do derradeiro sábado abre espaço para reflexões e debates, em dois encontros de ideias a partir das 14h, na Célula Cultural:

* O primeiro discutirá Os Desafios da Carreira Artística no Cenário Contemporâneo, com Leo Bigode (da gravadora Monstro Discos), Márcio Pimenta (do portal Música SC e estúdio Pimenta) e os músicos Guilherme Zimmer e Sérgio Ugeda. A mediação ficará com o produtor Isaac Varzim.

* Na sequência, às 16h, haverá a dança das cadeiras e outra patota cerebral exercerá o ócio criativo debatendo o Jornalismo Musical: Rumos e Linguagens. Oráculos da imprensa sonora como os jornalilstas Irsael do Vale (do Fórum Música Brasil e com passagens pelos jornais O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo), Emerson Gasperin (revistas Bizz, Frente e o Estadão e Gazeta Mercantil) e o músico e produtor Eduardo XuXu vão discutir o papel da crítica e do jornalismo nas ditas “eras analógica e digital”, a difusão da informação, a distribuição da notícia e a circulação do produto cultural. Caberá a mim a tarefa de mediar esta gastança intensa de fosfato. Para os debates a entrada será franca!

* O Floripa Noise segue à noite, no mesmo espaço, para o encerramento ensurdecedor com os show das bandas Mechanics (GO), o fantástico Proyecto Gomez Casa (Argentina) e a dobradinha Cassim & Barbária com Manolo K. Deixará saudades. Entrada a R$ 15.



Agenda fim de festa do Taliesyn!

22 de junho de 2012 0

Assim ó: o fechamento do Taliesyn “começa” hoje (sexta), com a Matinê do Rock, mas vai até domingo, com a derradeira esbórnia do Karaokê do Rock. Zuleika Zimbábue passará a chave e vai tirar o capacho da entrada. Neste sábado, também haverá barulho. Poupem as baterias e o fígado, não regulem nada, porque depois de segunda só restará a saudade!

Nosso organismo depende da Célula

22 de junho de 2012 2

Roberto Panarotto, sapiência dos alpes suínos, traz as suas impressões sobre o Floripa Noise, e isso inclui a apoteótica noite de abertura, a qual ele e a Repolho fizeram chover até bergamota no palco da Célula. Realmente foi lindo e mais lindo ainda é refletir sobre tudo (da dimensão deste festival e da importância da Célula como um espaço legítimo para a construção de uma agenda cultural para a cidade) através da lucidez da colonagem cibernética. O que o Roberto nos coloca a respeito da Célula é a impressão corrente entre artistas e o público de outras regiões, da admiração do espaço e da sua notória busca pela qualificação. Diante das querelas locais, nós da Ilha, não nos permitimos tirar essa névoa que nos possibilita fazer uma leitura necessária, consciente e imparcial sobre a relevância deste espaço para a sobrevivência da nossa produção cultural.

A Célula é um patrimônio, uma trincheira indispensável, que se qualifica, se moderniza, agrega outras frentes de atuação. Mas é feita por pessoas, que acertam, erram, apaixonam-se, brigam mas que estão firmes em seu propósito. Mestre como ele, Roberto Panarotto me traz velha lição do jornalismo: do necessário distanciamento para prover um exame de consciência necessário sobre o universo que me cerca de imediato. A Célula é tão fundamental quanto foi um dia o Underground, o já saudoso Taliesyn, o Blues Velvet, o novo Isla, o 1007, e outros que surgirão. Enfim, cada núcleo que, a sua maneira e com o seu público, ajuda a construir esse sensível tecido que mantém o organismo da combalida vida cultural alternativa da cidade ativo! É preciso refletir agora sob a luz da imparcialidade para que isso não se torne, em um futuro breve (bate na madeira), mais um lamento saudosista sobre mais uma gleba perdida da parte que nos cabia neste latifúndio.

A íntegra está no Agito com Balalau.

Quatro bandas. O primeiro dia da quarta edição do Floripa Noise. Um evento que vem consolidando Florianópolis no calendário dos grandes eventos/festivais de musica alternativa. E tem de tudo um pouco, artistas de   diferentes estilos e  partes do Brasil e da América Latina, com shows diários em diversos locais da cidade.

Célula

Antes de falar dos shows, é importante falar sobre o Célula. Bar que resiste bravamente, e com o passar dos anos vem se mostrando uma grande alternativa de espaço cultural em Florianópolis. A ultima vez que eu tinha ido ali foi num show da Mallu Magalhães (quando eu tinha uns 15 anos), e diga-se de passagem fui assaltado na saída… mas enfim… se antes o Célula era conhecido como o bar do Gastão da MTV, hoje o Célula virou um complexo cultural alternativo. É muito legal, ver que o espaço evoluiu e hoje, além da possibilidade de shows para 450 pessoas, ampliando para o dobro utilizando  a parte de trás, esta organizado para receber pequenas apresentações de teatro, dança, filmes… e também conta hoje com duas salas de ensaio muito bem equipadas para atender as bandas e artistas em geral. Muito legal a iniciativa de um grupo de pessoas (Xuxu, Alexei, Marcinho, Bruno, Elke e Andrei) que assumiu o local e de forma profissional tem feito a coisa acontecer.

Sounds in da City quer aquecer o próximo

22 de junho de 2012 0

Além de ser uma grande opção sonora e cultural aos domingos, esta edição do Sounds In Da City segue com a sua campanha do agasalho. O happening deste domingo na Beira-Mar continua com o seu posto de arrecadação de roupas.




O povo pediu: Skrotes de volta ao TAC no Floripa Noise

22 de junho de 2012 0


Em situações normais, aquela torturante melodia do caminhão que distribui gás de cozinha jamais soaria a você tão bem e admirável, tão contemporânea como uma divagação inspirada do maestro pop John Cage. Obra dos Skrotes, a banda instrumental de Floripa, notável por peripécias do gênero, como escaldar o cisne de Tchaikovsky no lago lisérgico dos sintetizadores para fazê-lo emergir na contemporaneidade.

O trio apresenta nesta sexta-feia, no Teatro Álvaro de Carvalho (TAC), dentro do projeto Floripa Noise, o resultado da sua nova alquimia funk/jazz/rock/pop/erudito/baião. O primeiro álbum Os Skrotes sai pela frente digital SIC Music (em breve aqui). A banda mais bacana da Ilha ao lado da sensação do cenário experimental argentino: Violentango.

O grupo portenho é responsável por virar a chave da música instrumental local, cunhando o gênero tango experimental contemporâneo. Para todos: uma viagem sem volta. O show será às 20h. Maiores detalhes por aqui:



Nem para gringo ver!

22 de junho de 2012 0


“Em Santa Catarina neste momento não encontro nenhum interesse em contrapartida, nem a lei estadual de cinema é viável pra isso e a Film Comission só existe no papel. Para um estado que tem o turismo como receita isso é vergonhoso. Espero que as entidades catarinenses cooperem com o governo para aprimorar os mecanismos de apoio.”

Do cineasta gaúcho Henrique de Freitas Lima, relatando ao Fórum Audiovisual Mercosul, quinta-feira, no FAM, as dificuldades que encontra para obter apoio para gravar o seu filme em Santa Catarina.

O longa hermanos fala da viagem de dois irmãos argentinos pelo Brasil, sendo que das sete semanas de filmagens, cinco serão no Estado. O projeto foi um dos vencedores do edital de Coprodução Brasil/Argentina, da Ancine, de 2011. As gravações estão previstas para começar no final do ano.

Na mesma ocasião, o presidente da Agência Nacional de Cinema, Manoel Rangel, lançou  o segundo edital de coprodução Brasil-Argentina. Serão R$ 800 mil para bancar quatro filmes binacionais. O edital ficará aberto até 6 de agosto, no site www.ancine.gov.br/fomento/editais-fomento. Mas, como se percebe, o problema será captar.


Filme catarinense encerra FAM 2012

22 de junho de 2012 0


Tão arraigado na cultura local quanto o “manezismo”, o surf transcendeu a sua relação apenas com o esporte para solidificar-se como um estilo de vida. Com o perdão do trocadilho, mas surfando entre o universo lúdico e o contexto social o jornalista, diretor e roteirista Luciano Burin compôs um rico cenário sobre o surf no documentário Pegadas Salgadas.

Vencedor do Edital Catarinense de Cinema de 2009 e todo rodado na Ilha de Santa Catarina, o filme fará as honras do encerramento do 16º Florianópolis Audiovisual Mercosul, durante a Mostra de Longas, hoje à noite, no Centro de Cultura e Eventos da UFSC. A entrada é gratuita (veja programação aqui).

Pegadas Salgadas é o único catarinense a integrar a seleção de longas da maratona do FAM, que exibiu mais de 70 produções das Américas do Sul e Latina (obviamente inclui-se o Brasil) em oito dias de atividades.

Mas dividirá a noite com outro longa, Bonsái, drama do diretor Cristián Jiménez e adaptado da obra que leva o mesmo nome do escritor Alejandro Zambra. As exibições estão programadas para às 21h, logo após a cerimônia de encerramento onde serão conhecidos os destaques dos juris oficial e popular das mostras competitivas (Curtas Mercosul, Catarinense, Doc-FAM e Infanto-juvenil).

Carioca radicado na Capital, o diretor Luciano Burin vive a expectativa de estrear Pegadas Salgadas oficialmente na cidade que serviu de cenário e personagem para o longa. Até então, o longa só havia sido exibido no Lisbon Film Fest, em Lisboa (Portugal) no domingo passado. É portanto o seu lançamento nacional.

Blogueiro e repórter setorista de surf, Burin explica que, pelo projeto aprovado no Edital, Pegadas era para ser um média-metragem. Por conta própria, o diretor bancou a ampliação da duração, compondo um documentário em longa-metragem digital.
O filme traz dezenas depoimentos de personalidades emblemáticas _ entre pioneiros e atletas em atividade _ que ajudaram a consolidar a cultura e o negócio que projetaram Florianópolis para o mundo e colcoram a Ilha na rota de uma rentável indústria e a transformaram e uma grife de life style. De como uma geração mudou os modos e costumes de um povo em relação a marginalização de um esporte a sua aceitação e promoção.

Como a natureza do tema pede, imagens espetaculares e uma trilha sonora pontual e local (assinada pela banda ART Project, de Florianópolis) compõe a narrativa lúdica e movimentada, mas também avança para questões pontuais como a preservação do meio ambiente e os conflitos com o crescimento desordenado, o localismo frente a imigração, o impacto do esporte no turismo e como tudo isso influencia a sua prática. Pegadas Salgadas sairá do FAM para retornar à Europa, onde será exibido na França.


O Taliesyn vai fechar. Mil outras portas se abrirão!

21 de junho de 2012 1


Tinha que ser uma Matinê do Rock para fechar as portas do já pranteado Taliesyn Rock Bar, reduto do rock underground na Ilha. O imóvel que abriga o bar na Rua Fernando Machado, no Centro, mudou de mãos após uma contenda judicial e o novo proprietário pretende utilizá-lo para outros fins. Os atuais inquilinos resolveram então encerrar o projeto e marcaram para hoje, às 19h, a despedida com o devido e merecido barulho antes do silêncio definitivo. No serviço da derradeira as bandas Asshole Lions, Texugo na Greta, Sabiá Preto, Pornô de Bolso e Vera Fisher.