Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Vá e Cante com o Peixonauta _ Promoção ENCERRADA!!!

12 de julho de 2012 18

*** O Resultado da promoção está no post do topo!

Eis aqui aquele prometido par de ingressos para o show Cante com o Peixonauta, domingo, às 16h, no Teatro Gov. Pedro Ivo, na Capital. O musical, que traz personagens da animação exibida pelo canal Discovery Kids que causou estardalhaço entre a molecada no Brasil e em outros países, encerra a Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis.

É pegar ou largar: basta citar nos comentários abaixo quais os filmes exibidos na primeira edição da Mostra em 2002. O primeiro a responder corretamente leva o mimo e fará a alegria do seu pimpolho.

Lembrando que a programação da Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis segue intensa. Informe-se por aqui.


E passarão os próximos 50 anos e as pedras continuarão rolando forte!

12 de julho de 2012 2

Não há mais dúvidas, inclusive para o próprio Mick Jagger, que este 12 de julho é sim o marco do jubileu de ouro da maior banda de rock em atividade. Sob a denominação The Rollin’ Stones (posteriormente adotaram o “Rolling” por sugestão da gravadora Decca), o trio que definiu o DNA do grupo formado por Jagger, Keith Richards e Brian Jones fez o seu debut em um palco de um club londrino no Verão de 1962.

O vocalista até ponderou que o ideal seria celebrar a partir da entrada do baterista Charles Watts, em janeiro de 1963, mas rendeu-se ao clamor histórico, tanto que a banda encomendou ao artista Shepard Fairey _ que notabilizou-se pelo pôster da campanha de Barack Obama à presidência dos EUA _ que repaginasse a mítica logomarca que surgiu pela primeira vez na capa erótica do álbum Stick Fingers, de 1971.


E por falar em disco e marca, o blog pediu a seus conselheiros que indicassem um disco e um stone de sua preferência. Particularmente eu fico com tudo da fase do mentor Brian Jones, principalmente o inspirado e psicodélico Aftermath, uma colossal colagem de arranjos, e obviamente que a pagação aqui será para ele, pois sua memória e contribuição são preciosas demais para ficarem relegadas àquelas discussões tolas de happy hour sobre a tal “maldição dos 27 anos”. É o mesmo que relacionar o Dia do Rock ao aniversário do Live Aid de 1985, que por sinal é amanhã.


No mais, a parceria entre Jagger/Richards foi tão marcante quanto Lennon/McCartney e Zico/Lico.

* Fabiano Moraes (editor do Variedades DC)

Meu álbum: Tattoo You. Alguns críticos dizem que foi o último grande álbum deles. Tanto faz. Pra mim, poderia ser o único, tamanha a genialidade.

O stone: Mick Jagger, porque ele é a cara, ou melhor, a boca da banda.


* Pedro Leite (coordenador de programação da rádio Itapema FM)

Meu álbum: Exile On Main Street. É o mais caótico e o que mais sintetiza a imagem que tenho não só dos Stones como também do verdadeiro rock’n’roll. Tumbling Dice é uma festa. Massa sonora compacta do início ao fim. E os vocais…as os vocais…

O stone: Mick Jagger


* Sérgio Negrão (músico e editor-chefe do Hora de Santa Catarina)

Meu álbum: Sou mais um discípulo do disco Exile on Main Street, a bíblia dos Stones gravada no ano em que nasci. Então, esse não conta. Destaco Black and Blue, de 1976. E dou três boas razões para que esse disco seja ouvido: a libertária Hot Stuff, o rockão Crazy Mama e a cruel Fool to Cry.


* Dorva Rezende (jornalista)

Meu álbum: Between the Buttons, por causa de Complicated.

O stone: O preferido é o Keith Richards, lógico, porque ele é o pai do Jack Sparrow.


* Domingos Longo (músico)

Meu álbum: Let it Bleed, porque o título (Deixe Sangrar) diz muito sobre o momento com o Brian Jones, tanto que é o ultimo suspiro dele na banda. Gimme Shelter e Monkey Man me fazem pensar que é o disco mais “pesado” dos Stones.

O stone: Mick Jagger é o cara, conseguiu durante anos lidar com os rompantes raivosos do keith e manter a banda viva!


* Cauê Marques (jornalista e repórter de Esportes do DC)

Meu álbum: Particularmente, sou apaixonado pelo Sticky Fingers, de 1971. Além da capa bem pensada (se eu não me engano a original tinha um zíper mesmo, de verdade, até hoje procuro uma dessas pelos sebos), é um disco que marca a melhor fase do Stones, no ápice da criatividade dos caras é o disco que antecede o incensado Exile on Main St..

O stone: Ron Wood. Antes de ser um stone ele já era f***!


* Rubens Herbst (editor da coluna/blog Orelhada, de A Notícia)

Meu álbum: Aftermath (1966) não está entre os meus favoritos, mas merece aplausos pela consistência da primeira coleção de canções integralmente assinada por Jagger e Richards, incluindo alguns clássicos da banda (Mother’s Little Helper, Lady Jane, Under my Thumb).

O stone: Keith Richards não é um mero guitarrista excepcional, mestre dos riffs e compositor abençoado. Keith é ‘O’ cara. Quem mais teria coragem de dar uma dura em Chuck Berry?

* André Seben (músico e jornalista)

Meu álbum: Disco: Beggar’s Banquet. É um clássico que foi a gênese do que os Stones seriam nos anos seguintes. Marca a ruptura definitiva da fase com Brian Jones e sedimenta o terreno para a banda se tornar a maior do mundo.

O stone: Keith Richards. Não há riffman como ele. Traduz nas cinco cordas de sua Telecaster as bases mais famosas da história do rock n’roll e é o porralouca perfeito em contraponto ao metodismo de Jagger.

* Emerson Gasperin (jornalista)

Meu álbum: Como os colegas já devem ter citado clássicos do quilate de Exile on Main Street, Sticky Fingers, Aftermath, Let it Bleed ou Beggar’s Banquet, eu fico com o modesto Black and Blue, por razões afetivas, cromáticas e por ser o único disco da banda que tenho.

O stone: Lucas Jagger _ bastardo, burguês e superpop.


Curinga da Santur surge no páreo da SOL

10 de julho de 2012 0

Em política todos dormem, porém nem sempre é possível acordar no cargo. Ainda que a cotação esteja favorável ao vice-prefeito de Florianópolis, João Batista Nunes, para assumir a Secretaria de Estado de Turismo Cultura e Esportes (SOL), um outro nome surgiu nas últimas horas: o “curinga” Valdir Walendowsky, atual presente da Santur. Até porque o Centro Administrativo teria interesse em seguir com um mandato tampão, até o final do ano para então dar cabo a uma ampla reforma no secretariado a partir de 2013.

Resta saber se João Batista estaria nos planos do governador Raimundo Colombo para seguir à frente da pasta ou se ficará para o próximo ano. Lembrando que Walendowsky se prestou ao mesmo propósito, quando assumiu interinamente a SOL no final do governo Luiz Henrique da Silveira e por duas vezes só na atual gestão. Leia mais na coluna Informe Político, amanhã, no DC.

Pai do samba doido na lembrança de Itajaí

10 de julho de 2012 0

O Festival de Música de Itajaí, em abril passado, foi o palco para uma das últimas apresentações do músico José Roberto Bertrami, com o trio Azymuth. E tinha que ser lá. O “pai do samba doido” morreu domingo, no Rio de Janeiro.

Péricles Prade reeleito para a ACL

10 de julho de 2012 0

Boa nova da semana é a reeleição do jurista, poeta e escritor Péricles Prade para a presidência da Academia Catarinense de Letras (ACL). A recondução do bravo foi sacramentada em sessão especial na noite de segunda-feira. A propósito, fica o convite para os leitores acessarem o vídeo da encenação da peça de formas animadas adaptada do conto O Hipnotizador, de autoria do imortal catarinense. O espetáculo é uma montagem dos alunos do Curso de Artes Cênicas da Udesc.

Marcelo Camelo a caminho de Floripa

10 de julho de 2012 0


Pelo menos um hermano virá! Multi-instrimentista e compositor Marcelo Camelo se apresentará em Florianópolis, no dia 24 de agosto, no Teatro Gov. Pedro Ivo. O esperado show do rapaz foi confirmado agorinha há pouco pelo projeto Jurerê Jazz, que só neste ano já trouxe o The Police Andy Summers com Roberto Menescal (The United Kingdom of Ipanema) e Luis Fernando Verissimo com o Jazz 6.

Camelo retoma o périplo solo pelo país depois da bem-sucedida turnê nacional com a banda Los Hermanos. Os ingressos custarão R$ 70 (R$ 35 para meia-entrada).

A propósito, a cantora e partner de Camelo, Mallu Magalhães, também virá, só que mais adiante, para lançar Pitanga por aqui.

Yuksek - Off The Wall

09 de julho de 2012 0

Pô, singlezinho apaixonante esse do Yuksek!

John Frusciante revela aperitivo

09 de julho de 2012 0

John Frusciente prova mais uma vez que há vida inteligente for do Red Hot Chili Peppers _embora não se possa dizer o mesmo sobre a banda sem ele. Nesta nova jornada solo, o guitarrista anunciou dois trabalhos para este ano, começando pelo EP Letur-Lefr, um aperitivo um tanto ácido e delirante para o álbum PBX Funicular Intaglio Zone, a ser lançado em setembro. Cabe lembrar que o EP, com cinco faixas mucho locas, é um rescaldo de uma série de composições gravadas por Frusciante em 2010 e está soltinho na rede para baixar.

Letur-Lefr (tracklist)

* In Your Eyes

* 909 Day

* Glowe

* FM

* In My Light

João Batista Nunes assumirá a SOL

09 de julho de 2012 0


Entre amanhã e quarta-feira, o governador Raimundo Colombo deverá anunciar o ingresso do vice-prefeito da Capital João Batista Nunes ao seu colegiado. O tucano assumirá a Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte. A definição foi sacramentada durante um “conclave” neste domingo.
E assim, mesmo encantado por Angela Albino, o PSDB da Capital terá que deitar com César Souza Jr.
É, jamais esperem pelo melhor!


FCC lançará crowdfunding para agilizar reforma da Ponte

09 de julho de 2012 1


Às vésperas de lançar uma grande campanha publicitária para o projeto de restauração da Ponte Hercílio Luz, a Fundação Catarinense de Cultura (FCC) não contava com o marchand hollywoodiano do ator irlandês Colin Farrell. O astro desembarcará no Brasil nos próximos dias para divulgar o remake de O Vingador do Futuro mas confidenciou ao Fantástico, da Rede Globo, que deseja conhecer Florianópolis, “uma pequena ilha que tem uma ponte”.
O Ministério da Cultura autorizou no início do ano a captação, via renúncia fiscal pela Lei Rouanet, de R$ 64,5 milhões para as obras de reforma da Hercílio Luz. Até agora, pouco mais de meio milhão de reais pingou na conta aberta para o projeto, incluindo aí o primeiro e simbólico depósito do presidente da FCC Joceli de Souza. A Fundação pretende se valer de uma ferramenta muito comum hoje na internet para dirimir a burocracia: o crowdfunding. Trata-se de um sistema de financiamento colaborativo, que no caso do projeto da Hercílio Luz, contará com um sistema de acesso direto pelo site da FCC para os doadores, que emitirá as guias de comprovação do depósito. Assim evita-se que os interessados tenham que comparecer pessoalmente à entidade. A Fundação também publicará nos próximos dias uma cartilha para explicar o projeto e as formas de colaborar (tanto para pessoas físicas como jurídicas).