Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Ruínas históricas, outras ficarão, por Paulo Maluche

15 de janeiro de 2013 0

O Leprosário

No Balneário de Capri encontram-se as ruínas de um antigo leprosário, mandado construir pelo Imperador Dom Pedro II para servir de abrigo à hansenianos deportados do Rio de Janeiro e de outras regiões do litoral catarinense.

Depois da desativação do leprosário, o local ficou sem ser visitado por longo período, pois os moradores acreditavam que o bacilo da lepra pudesse contaminar as pessoas que ali chegassem.

Leprosário destruído pela ação do tempo.

O Cabecinha

Irrequieto, imperioso e desabusado,  Domingos Francisco Francisques, mais conhecido pela alcunha de “Cabecinha”, tornou-se o terror da vila de São Francisco do Sul, principalmente depois de ter sido nomeado, além de capitão-mor, que já o era desde 1686, locotenente, sesmeiro e procurador do Marquês de Cascais.

Acusado de cometer arbitrariedades e uma série de assassinatos e malvadezas, foi condenado à morte por enforcamento em praça pública. Sua cabeça salgada e exposta até que o tempo a consumisse. Mas a sentença nunca se concretizou, pois Cabecinha ao saber da sua condenação, embrenhou-se na mata e nunca mais se teve notícias dele.

Uns dos mais célebres crimes, deu-se quando um filho dele faleceu. Cabecinha queria que o corpo fosse enterrado em baixo do altar mor da matriz. Como o Vigário da Vila, o Frei Fernando, recusou-se a fazê-lo, Cabecinha mandou seus homens prenderem o vigário e lançá-lo em uma velha canoa fora da barra, com a maré vazante, provido apenas de uma porção de peixe seco.

Ruínas da casa do Cabecinha, figura sombria da história de São Chico.

O hotel dos italianos na Praia Grande

Hoje só restam as ruínas do início da obra. Construído para ser um hotel de nível internacional, agitou o turismo na ilha de São Chico. Por incidentes até hoje não bem esclarecidos, os empresários italianos abandonaram o empreendimento, encontrando-se parcialmente coberto pela areia das dunas.

Esta obra está dentro da demarcação do Parque Acaraí, desta forma foi decretada a eternidade das ruínas que, a bem da verdade, ficarão para gerações futuras contarem inúmeras histórias a respeito do fato.

Restos do hotel que começou a ser construído na Praia Grande.

Envie seu Comentário