Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 4 setembro 2009

Fala, Assis

04 de setembro de 2009 0

Irmão de Ronaldinho Gaúcho passou por Santa Maria na quinta-feira/Lauro Alves

O empresário Roberto de Assis Moreira, o Assis, irmão de Ronaldinho Gaúcho, esteve nesta quinta-feira em Santa Maria para tratar de uma parceria com a prefeitura envolvendo o Instituto Ronaldinho Gaúcho e a Academia de Futebol Ronaldinho Gaúcho. Entre uma reunião e outra, Assis conversou com o Diário sobre o Porto Alegre, clube do qual é presidente e que é a nova sensação do futebol gaúcho. Confira mais detalhes sobre o campeão da Série B do Gauchão de 2009.

Diário de Santa Maria - O acesso do Porto Alegre para Série A, com apenas três anos de existência, chegou a surpreender você?

Roberto de Assis Moreira - Para ser sincero, o meu projeto era de ter subido já no ano passado (o Porto Alegre ficou em 7º no octogonal final da Série B), mas acabou atrasando um pouco, até pelo processo de reestruturação física pelo qual estávamos passando. Fizemos isso, e agora estamos em um momento de maturidade muito importante, que é chegar na primeira divisão. Chegamos com força e vamos brigar de igual para igual com outros times. Respeitamos todos, mas nós vamos correr por fora para tentar surpreender.

Diário – O Porto Alegre já entra no Gauchão 2010 pensando em título?

Assis - Nós temos realmente a intenção de surpreender, a intenção de ser uma nova força no Rio Grande do Sul. O nosso grande trabalho agora é comprovar tudo aquilo que fizemos na Segundona, tudo aquilo que aprendemos na segunda divisão, e começar uma nova etapa na primeira divisão.

Diário – Dá para dizer que o Porto Alegre mudou um pouco a sua mentalidade de futebol em 2009, passando a investir mais em profissionais com uma certa rodagem no futebol gaúcho, como o técnico Lisca, o centroavante Adão e o goleiro Alexandre Marasca, por exemplo?

Assis - Eu acho quem em 2009 o Porto Alegre conseguiu uma equipe mais equilibrada. Em anos anteriores, nós tivemos treinadores como o Amauri (Knevitz), campeão no Paraná, e o próprio Beto Almeida, mas que chegaram em momentos difíceis. O Porto Alegre era um clube jovem, que precisava de mais um tempo para amadurecer e crescer. Foi um processo natural. A formação dessa comissão técnica, comandada pelo Lisca, e do projeto para esse ano e para os próximos três anos, foi que possibilitou encontrarmos um equilíbrio e jogadores para formar esse elenco competitivo. Porque não é fácil encontrar atletas para disputar uma competição, na qual a remuneração financeira não é mais elevada.

Diário – Quais são as ambições do Porto Alegre em nível nacional?

Assis - O projeto do Porto Alegre é, através da Copa Arthur Dallegrave, buscar uma vaga em uma competição nacional. E temos também Gauchão, no qual vamos buscar colocação e índice que possam nos colocar em uma competição nacional.

Diário – Quando poderemos ver o Porto Alegre em uma Série B ou até Série A do Brasileirão?

Assis - Seria uma presunção muito grande da minha parte, até uma falta de humildade, dizer uma data. Nós estamos crescendo e queremos ser uma boa surpresa. Não queremos criar uma expectativa antes da hora, mas uma coisa eu posso garantir: o nosso trabalho é sério e está sendo feito com muita qualidade.

Diário – Fora de campo, fala-se muito que o Porto Alegre tem um projeto grandioso de construir um estádio para sediar jogos da Copa de 2014. Esse é o seu plano mesmo?

Assis - A construção de um complexo do Porto Alegre é verdadeira, mas esse projeto não está vinculado à Copa do Mundo. Não tem nada disso. É um projeto do Porto Alegre. Nós respeitamos muito clubes como Grêmio e Internacional, que tem as suas estruturas e estão capacitados a receber seleções. Nós estamos criando algo novo, mas, claro, se houver necessidade de utilizar as nossas instalações, nós estaremos prontos.

Diário – E esse complexo será construído no Parque Lami?

Assis – Nós temos uma área de 48 hectares, que foi preparada para receber o estádio e toda a estrutura do centro de treinamento. Esse local é na Zona Sul de Porto Alegre, mas não é no Parque Lami. É em uma região onde teremos melhor acesso e que fica próxima à Restinga, uma comunidade que nós temos uma relação muito forte.

Postado por Ramiro Guimarães