Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Chiquinho"

Copinha, eleição e salários em pauta no Riograndense

02 de julho de 2012 8

A diretoria do Riograndense está envolvida com pelo menos três temas importantes no momento: a participação ou não na Copa Hélio Dourado, a eleição presidencial e do Conselho Deliberativo, em 9 de julho, e a quitação dos salários do elenco que disputou a Divisão de Acesso 2012. Estes são alguns assuntos na pauta da reunião da diretoria marcada para a noite desta segunda-feira, na Churrascaria Bovinu’s.

A Federação Gaúcha de Futebol (FGF) deu um prazo até esta terça-feira para a confirmação da disputa da Copa Hélio Dourado, a Copinha, que começa em 5 de agosto. Portanto, os dirigentes do Riograndense precisam tomar a decisão quanto à possibilidade de manter o futebol em atividade no segundo semestre.

Caso a opção seja entrar em campo na Copinha, alguns atletas já manifestam interesse em permanecer. É o caso do meia Chiquinho, que aguarda pelo contato da diretoria e quer ficar.

- Existem vários jogadores em Santa Maria que querem permanecer e fazer uma grande campanha na Copinha. Espero que a direção veja isso, que há jogadores aqui que podem chegar longe na competição – afirma Chiquinho.

Antes de encaminhar um acerto, o meia e seus colegas de Divisão de Acesso aguardam pelo pagamento dos 22 dias trabalhados em junho, cujo vencimento está marcado para 10 de julho. Chiquinho não esconde o descontentamento por ter recebido em atraso o salário de maio, principalmente, porque os atletas da cidade receberam depois dos de fora. No entanto, a expectativa agora é receber o que resta e, quem sabe, permanecer no Estádio dos Eucaliptos durante a Copinha.

No Riograndense ainda há incerteza quanto a quem comandará o clube a partir de 9 de julho, já que o atual presidente, Dilson Siqueira, descarta a permanência no cargo. Alguns nomes podem ser indicados pelos conselheiros.

Riograndense goleia o Passo Fundo nos Eucaliptos

30 de maio de 2012 14

A primeira vitória do Riograndense na segunda fase da Divisão de Acesso veio na tarde desta quarta-feria. E com direito a goleada. Diante de um Passo Fundo, que chegou na vice-liderança do Grupo 3 e com os experientes Barão e Sandro Sotilli, o Periquito aplicou 3 a 0 no Estádio dos Eucaliptos e chegou a cinco pontos.

Mesmo diante de forte marcação, o capitão Chiquinho foi decisivo

Com mudanças no esquema tático (do 4-4-2 para o 3-5-2), o Riograndense foi superior nos dois tempos. O Passo Fundo teve as duas primeiras tentativas, no começo, mas depois se encolheu. Apesar das dificuldades de tramar jogadas em função do gramado prejudicado pela chuvarada da véspera, o Periquito arriscou nos chutes da entrada da área.

O primeiro gol saiu aos 45 minutos, em jogada trabalhada pelo meio. Chiquinho, em grande atuação, deu passe para Thiago Corrêa, que deixou a bola escapar. Na disputa pela bola, na área, o zagueiro Vágner tocou para as redes. O placar foi ampliado logo aos três minutos do segundo tempo. Chiquinho trabalhou a bola com Thiago Corrêa e lançou para Tiago Duarte. O atacante tocou na saída do goleiro Souza. A bola bateu na trave e, no rebote, David fez 2 a 0.

David na comemoração do seu gol, o segundo contra o Passo Fundo

A goleada foi completada aos 26 minutos. Tiago Duarte aproveitou escanteio da esquerda e tocou para o gol. O Riograndense jogou com Guilherme Costella; Reinaldo, Alex Silveira e Sandro Müller; Thiago Corrêa (João Cléber), Odair, Rangel, Chiquinho e Dênio; David (Maurício Medeiros) e Tiago Duarte (Marcão). O próximo jogo do time esmeraldino será no próximo domingo, às 18h, contra o Brasil-Pe, no Estádio Bento Freitas.

Riograndense sobra em campo e goleia o Riopardense

07 de março de 2012 17

O Riograndense começou em grande estilo a caminhada dentro de casa na Divisão de Acesso do Campeonato Gaúcho. Depois do empate no clássico Rio-Nal na Baixada, o time esmeraldino goleou o Riopardense no Estádio dos Eucaliptos. Na tarde desta quarta-feira, os cerca de 300 torcedores que compareceram, segundo estimativa do BOE, viram mais uma atuação convincente que culminou nos 4 a 0 construídos ainda no primeiro tempo.

Com a opção do técnico Tiago Nunes em sacar o atacante Maurício Medeiros do time titular para a entrada do meia João Cléber, o Periquito jogou no esquema tático 4-2-3-1. E a decisão surtiu efeito. O trio Chiquinho-Dênio-João Cléber, comandado pelo primeiro, foi responsável pelas principais jogadas criadas no primeiro tempo.

O meia Chiquinho (com a bola) voltou a ser um dos destaques do time do Riograndense

O primeiro gol saiu cedo, o que desconcertou o Riopardense, do técnico Leco. Chiquinho bateu escanteio na cabeça de Rangel, aos cinco minutos. O volante cabeceou na pequena área para abrir o placar. Mais dois minutos e, em jogada combinada pela esquerda, o lateral Elton Macaé cruzou na medida para o centroavante Kelson finalizar e ampliar.

Jogadores do time da casa comemoram com a torcida um dos gols do Periquito

A articulação dinâmica do Riograndense seguiu envolvendo o adversário. Prova do contraste dos dois times foi a parada para os jogadores se refrescarem, em função do calor intenso, aos 25 minutos. Os jogadores do Periquito chegaram à casamata para receber orientações de Tiago Nunes em meio às palmas da torcida. Do outro lado, o técnico Leco gritava com os jogadores, indignado pela atuação apática. Na sequência do primeiro tempo, o panorama não mudou. Thiago Saraçol foi expulso aos 40 minutos, e o Peixe, como é conhecido o Riopardense, afundou.

Em mais duas jogadas bem trabalhadas, veio a goleada antes do intervalo. João Cléber recebeu na área e chutou com categoria no canto direito, aos 43 minutos, para fazer o terceiro gol. O quarto veio aos 44, em cruzamento de Dênio, do lado esquerdo. Kelson teve paciência, esperou o goleiro se passar da bola, e só deu um toque para estufar as redes.

Com a vitória assegurada, o Riograndense só administrou no segundo tempo. Foi hora de poupar jogadores. Chiquinho, por exemplo, saiu no intervalo, o que diminuiu o ritmo do time. Mas o time teve maturidade para manter os 4 a 0 até o fim. O Riograndense jogou com Goico; Maurício Pizzi, Alex Silveira, Reinaldo e Elton Macaé; Rangel (Rafael Pelezinho), Edu Silva, Dênio, Chiquinho (Juninho Oliveira) e João Cléber (David); Kelson.

Pela terceira rodada, o Riograndense terá pela frente o Brasil-Pe no domingo, às 19h, no Estádio Bento Freitas.

Veja os gols do Rio-Nal pela estreia da Divisão de Acesso

05 de março de 2012 0

Não foi ao Estádio Presidente Vargas no domingo e ainda não conferiu os gols do Rio-Nal? Então veja abaixo as quatro vezes em que as redes foram balançadas no empate em 2 a 2 do clássico. O vídeo é da TV Inter-SM, um projeto em desenvolvimento pelo clube. Na abertura da Divisão de Acesso, Leandro Fernandes fez 1 a 0 para o Inter-SM. Kelson e Darzoni (contra, após finalização de Chiquinho que bateu na trave) marcaram os gols da virada esmeraldina. Vainer, no fim do jogo, decretou o empate.

Jogão e empate no Rio-Nal 254

04 de março de 2012 56

Inter-SM e Riograndense protagonizaram um grande jogo na estreia pela Divisão de Acesso do Campeonato Gaúcho. O Rio-Nal 254, disputado na tarde deste domingo no Estádio Presidente Vargas, acabou empatado em 2 a 2. O time esmeraldino deu a arrancada no ano do centenário com uma boa atuação, mesmo tendo ficado boa parte do segundo tempo com um a menos. Jogou mais, mas não superou o alvirrubro, que teve determinação para suprir a ausência de alguns jogadores.

A tendência sobre a escalação do Periquito se confirmou. O técnico Tiago Nunes escalou os mesmos 11 jogadores que vinham atuando na pré-temporada. Já o técnico Sérgio Savian, como era esperado, teve de improvisar em função dos desfalques. Ele abriu mão do 4-5-1 pelo 3-4-3 (com Enzo e Fabiano Veiga pelas pontas e o estreante Lucas Campos centralizado).

Darzoni, que poderia jogar como volante, voltou a ser o zagueiro pela esquerda. O zagueiro Diego Borges, em sua estreia, foi volante. Mas o problema no primeiro tempo foi o lado direito. O lateral Tecko foi vetado pelo departamento médico e coube ao volante Rossi quebrar o galho naquele setor. E o Riograndense soube aproveitar, com o seu lado esquerdo forte e entrosado. O capitão Chiquinho municiou as subidas do meia Dênio e do lateral-esquerdo Elton Macaé no primeiro tempo, comandado pelo Periquito. Mas Bastos, goleiro do Inter-SM, foi decisivo em duas defesas importantes.

O desequilíbrio em favor do time da casa veio na expulsão do volante Odair, do Riograndense. Ele atingiu o atacante Leandro Fernandes, aos 13 minutos do segundo tempo, e foi mais cedo para o vestiário. Aos 18, o mesmo Leandro Fernandes recebeu livre na área e tocou na saída de Goico para abrir o placar.

Volante Odair (de verde), do Riograndense, foi expulso por esse lance

Foi então que o Riograndense mostrou ser aguerrido. O meia João Cléber, que havia substituído Dênio, deu um passe açucarado para Kelson, que precisou de um toque para tirar Bastos da jogada e outro para empurrar a bola para o gol: 1 a 1, aos 34 minutos.

Centroavante Kelson teve frieza para tirar o goleiro Bastos da jogada e deixar tudo igual: 1 a 1

Mais três minutos, e Chiquinho acertou belo chute da entrada da área. A bola bateu na trave e, na volta, o zagueiro Darzoni não evitou o desvio contra o próprio patrimônio. Virada esmeraldina. Sem se dar por vencido, o Inter-SM mostrou poder de reação. Quando a derrota parecia certa, Vainer recebeu na área, aos 48, e chutou forte no canto direito. O jogão acabou empatado na Baixada.

Vainer (com os braços erguidos) marcou aos 48 do segundo tempo e definiu o placar

O Inter-SM jogou o clássico com Bastos; Morelli, Xavier e Darzoni; Rossi, Rogério Patrola, Diego Borges e Vainer; Enzo (Michel), Fabiano Veiga (Marcos Vinicius) e Lucas Campos (Leandro Fernandes). Já o Riograndense teve Goico; Maurício Pizzi, Alex Silveira, Reinaldo e Elton Macaé; Odair, Rangel, Dênio (João Cléber) e Chiquinho; Maurício Medeiros (Edu Silva) e Kelson (Rafael Pelezinho).

Riograndense vence amistoso fora de casa contra o Panambi: 2 a 1

17 de fevereiro de 2012 4

A preparação do Riograndense para a Série B do Gauchão 2012, a Divisão de Acesso, teve sequência na noite desta sexta-feira. E desta vez o time treinado por Tiago Nunes venceu o Panambi por 2 a 1, na casa do adversário, o Estádio João Marimon Júnior. No primeiro amistoso, as equipes haviam empatado em 1 a 1, no Estádio dos Eucaliptos.

Foi a oportunidade para o técnico esmeraldino avaliar as alterações no time titular que testou durante a semana. Conforme havia adiantado nos últimos dias, Tiago mandou o time a campo com o zagueiro Reinaldo, o volante Odair (de atuação elogiada) e o meia Dênio. Pela primeira vez na pré-temporada, o Periquito manteve quase a mesma formação na maioria do tempo. Foram promovidas menos substituições em Panambi.

Meia Chiquinho (com a bola) marcou o gol da vitória esmeraldina, nos minutos finais

Se no jogo do Estádio dos Eucaliptos os visitantes surpreenderam e saíram na frente, nesta sexta-feira foi a vez de o Riograndense revidar na mesma moeda. Aos 10 minutos do primeiro tempo, Kelson disputou com a defesa e a bola sobrou para o atacante Maurício Medeiros chutar da entrada da área: 1 a 0.

Liderando o placar, o time esmeraldino conseguiu controlar a partida. Goico só foi exigido nos minutos finais da primeira etapa. O equilíbrio permaneceu até que o Panambi chegou ao empate, aos 21 minutos do segundo tempo.
O meia Renato, que chegou a estar acertado com o Riograndense, em 2011, e com o Inter-SM, neste ano, mas desistiu nas duas oportunidades, sofreu pênalti cometido por Maurício Pizzi. O mesmo Renato, que havia desperdiçado uma cobrança defendida por Goico no amistoso dos Eucaliptos, deixou para o lateral André. E ele marcou o gol.

A partida parecia se encaminhar para o empate, mas Chiquinho se encarregou de garantir a vitória esmeraldina. Em jogada de João Cléber, aos 41 minutos, o meia acertou um chute no ângulo para fazer 2 a 1. Ainda sobrou tempo para ânimos acirrados, no estilo da Divisão de Acesso. Pouco depois do gol da vitória, João Cléber foi expulso por falta em Renato. No último minuto, o Riograndense teve a segunda expulsão. O zagueiro Alex Silveira levou o segundo cartão amarelo e também saiu de campo mais cedo.

O Riograndense jogou com Goico; Maurício Pizzi (Edu Silva), Reinaldo, Alex Silveira e Elton Macaé; Odair, Rangel, Dênio (João Cléber) e Chiquinho (Rafael Pelezinho); Maurício Medeiros (David) e Kelson (Marcão). O clube agora tenta fechar um jogo-treino contra uma equipe amadora da região na próxima quarta-feira, às 17h, nos Eucaliptos.

Riograndense só contratará Alemão e Hyroshi se tiver verba extra

08 de janeiro de 2012 0

Para contar com Fábio Alemão e Hyroshi, que não ficarão no Inter-SM, o Riograndense não mudará a política adotada pela diretoria e precisará de uma verba extra, possivelmente vinda de patrocínios ou parcerias. O que não é tão simples. É só lembrar da dificuldade em encontrar quem bancasse os salários do centroavante Alê Menezes, que acabou não vindo para a Série B 2012. Logo que ficaram sabendo da desistência do Inter-SM, Fábio Alemão e Hyroshi entraram em contato com o Riograndense, clube que já defenderam, para sinalizar um possível retorno aos Eucaliptos. Como o Periquito já havia tentado contratar a dupla no começo da montagem do elenco – são nomes que agradam à comissão técnica –, nenhuma das negociações pode ser descartada. Só que tudo depende de recursos financeiros, pois o orçamento para o futebol atingiu o limite e o grupo de jogadores para o começo da pré-temporada está formado. Também é possível que o clube opte por contar com apenas um deles, se quiser fazer alguma contratação. Nesse caso, haveria mais chances de trazer Fábio Alemão, que financeiramente sairia mais em conta do que o meia-atacante Hyroshi. Além disso, seria mais útil trazer uma opção para o atacante, pois a meia já conta com quatro nomes: Juninho Oliveira, Dênio, Chiquinho e João Cléber.

Riograndense começa exames clínicos com os reforços da casa

07 de dezembro de 2011 0

A bateria de exames clínicos a que o elenco do Riograndense será submetido antes da pré-temporada começou nesta quarta-feira. E os primeiros a serem escolhidos foram os atletas da cidade. Pela manhã, o volante Rangel, o meia Chiquinho e o atacante Maurício Medeiros foram avaliados pelo diretor médico esmeraldino, Márcio Rubin.

O trio passou por testes clínicos e será encaminhado a outras atividades nos próximos dias. Estão previstas avaliações fisioterapêuticas, fisiológicas, nutricionais e odontológicas. Este mesmo processo será orientado para o restante do elenco. Os próximos atletas da lista devem fazer os testes clínicos na próxima quarta-feira. A preferência será por jogadores que residam em Santa Maria.

Rangel (de cinza), Chiquinho (de boné) e Maurício Medeiros (em pé) foram os primeiros atletas submetidos a exames clínicos

Nesta quarta-feira, o clube confirmou que o assessor de futebol Evandro Zamberlan será o patrono da temporada 2012, que marca o centenário esmeraldino, e lançou o novo site (www.riograndensefc.com.br).

Quanto a reforços, um volante e um meia devem ser anunciados nesta sexta-feira. O centroavante Alê Menezes segue em tratativas, mas ainda não fechou com o Riograndense.

Riograndense divulga mais uma nota de repúdio

25 de novembro de 2011 32

O Riograndense divulgou, nesta sexta-feira, uma segunda nota à imprensa repudiando o conteúdo de algumas entrevistas concedidas por dirigentes do Inter-SM no que diz respeito ao caso Chiquinho. Assinada pelo presidente Julio Cesar Ausani, a nota numerou sete tópicos. Confira abaixo a íntegra da nota:

O Riograndense Futebol Clube, por seu presidente, pelo segundo dia seguido é obrigado a se manifestar sobre o conteúdo de entrevistas concedidas por integrantes da diretoria do co-irmão, as quais contém referências inverídicas, injuriosas e injustas sobre a conduta negocial e ética do clube mais antigo do futebol santa-mariense, o que impõe os seguintes esclarecimentos e a advertência que seguem:
1- As declarações irrefletidas tornadas públicas na quarta-feira foram compreendidas dentro de um contexto emocional e superadas pela direçãodo Riograndense Futebol Clube, até porque absolutamente inverídicas em seu conteúdo e irrelevantes em sua forma de expressão chula e de baixo nível;
2 – No entanto, nesta quinta-feira, novamente foram veiculados comentários aos quais não se pode mais atribuir a ausência de reflexão e emocionalidade do momento em que proferidas, razão pela qual são repelidas com veemência por absolutamente inverídicas;
3 – Ao tentar atingir a imagem de colaborador do Riograndense Futebol Clube de forma a tisnar sua imagem e atribuir-lhe responsabilidade que não possui, os comentários transcenderam a antes referida emocionalidade e ausência de reflexão para atingir a sua honra subjetiva, visto que se trata de pessoa com conduta ilibada e que presta relevantes serviços ao esporte em sua já longa carreira, primeiro como árbitro de futebol pertencente aos quadros da CBF, por 12 anos, e atualmente como gerente de futebol;
4 – A referência aos negócios do Riograndense e seus compromissos é inadmissível pois ultrapassa os limites da boa convivência e do respeito que se deve ter pelos negócios particulares e pela vida das pessoas, já que ao tentar ligar o clube a supostas dívidas inadimplidas, o entrevistado tentou nivelar por baixo a direção do Riograndense com outros dirigentes de clubes de futebol que não honram os compromissos assumidos;
5 – O Riograndense Futebol Clube não reconhece quaisquer dívidas com ex-preparadores físicos, de goleiros ou treinadores, visto que realizou transação quando do encerramento da temporada e honrou seus compromissos, e eventuais parcelamentos feitos estão sendo honrados pelo clube por seus dirigentes;
6 – O Riograndense Futebol Clube reconhece, mais uma vez, o auxílio e a colaboração do co-irmão em datas passadas, com empréstimo de contratos, auxílio em seu preenchimento, empréstimo do Estádio Presidente Vargas para jogos e treinamentos, mas lembra que são sempre caminhos de duas mãos e que no passado o Riograndense emprestou lâmpadas e equipamentos que foram retirados de seu antigo sistema de iluminação, emprestou atletas sem quaisquer custos ao co-irmão, os quais inclusive foram pagos pelo Riograndense, razão pela qual entende incabíveis comentários feitos de forma hostil e que demonstram a total ignorância das boas relações que pautam a convivência dos clubes há muitos anos;
7- Entende o Riograndense Futebol Clube, por seu presidente, que está ultrapassado o limite de respeito e urbanidade que deve pautar a convivência, como já dito, de dois grandes clubes do futebol gaúcho, que fica a advertência de que novos comentários da mesma natureza não serão mais tratados através de notas pela imprensa mas sim na esfera da responsabilidade civil.

Julio Cesar Ausani
Presidente do Riograndense Futebol Clube

A polêmica em torno da contratação de Chiquinho pelo Riograndense

23 de novembro de 2011 62

O acerto de Chiquinho com o Riograndense foi recebido com indignação pela diretoria do Inter-SM. O vice de futebol, Paulo Brandt, não mediu palavras para criticar a decisão.

– Na verdade, a gente não contava com ele (Chiquinho) para este ano. Era mais um carinho que vínhamos fazendo, porque ele estava praticamente acertado com o Lajeadense para a Série A. Mas, como desistiu da proposta, ele me deu a palavra na semana passada de que assinaria com o Inter-SM. No fim, acabou confirmando o que o presidente (Mauro da Silva) estava me dizendo, de que é um cara perigoso, desagregador.

Indignado, Paulo Brandt soltou o verbo quanto à contratação de Chiquinho pelo Riograndense

Brandt ainda afirma que Chiquinho não agradava ao técnico Sérgio Savian, por ser considerado um jogador lento. Mesmo assim, o dirigente afirma ter sido o único a acreditar que o meia pudesse reencontrar o bom futebol na Baixada. E, diante do acerto com o Periquito, Brandt considera que o rival se atravessou na negociação.

– O Chiquinho está voltando para casa para jogar no Riograndense. Ele escolheu o chiqueiro em que vai jogar. Está em fim de carreira. Se viesse para o Inter-SM, também encerraria aqui a carreira dele. Acho que encerraria em um dos clubes ou jogaria na várzea daqui a uns dias, nos veteranos. E é o que vai acontecer – dispara Brandt.

Sem entrar em polêmica, o meia afirma que a negociação da dívida de R$ 8 mil não evoluiu como o esperado. A gota d’água teria sido uma suposta pressão dos dirigentes do Inter-SM para que o acordo fosse fechado logo. Já o gerente executivo do Riograndense, Renan Mobarack, nega que tenha havido interferência

– Em momento algum nos atravessamos na negociação com o Inter-SM. Muito pelo contrário, quem atravessou nossas tratativas com o (Sérgio) Savian, o Morelli, o Fábio Alemão e o Darzone foram eles.

O presidente do Periquito, Julio Cesar Ausani, divulgou uma nota à imprensa repudiando as críticas feitas por Brandt. Ausani afirmou que o clube sempre se pautou pela ética nas negociações. Confira a íntegra da nota:

“O Riograndense Futebol Clube, por seu presidente, em razão de comentários feitos em emissora de rádio local por dirigente do Inter -SM, referindo-se de forma desrespeitosa para com o clube de futebol profissional mais antigo de Santa Maria, vem dizer que repele com veemência tais comentários que apenas se prestam a diminuir a pessoa que os fez, reafirmando que sempre se pautou pela ética e pelo respeito nos negócios que realizou envolvendo a contratação de atletas para a temporada 2012.
Importante lembrar a respeito do atleta cuja contratação foi anunciada nesta quarta-feira que as negociações foram iniciadas no mês de setembro pelo gerente-executivo do clube e que, no momento em que o atleta manifestou que estava negociando com o Inter- SM, imediatamente as negociações com o Riograndense foram encerradas. Ademais, passado algum tempo, o Riograndense reiterou sua posição através de nota publicada esclarecendo que não participaria de leilão de atletas e desejou boa sorte ao atleta e ao clube que com ele negociava. As negociações somente foram retomadas na última sexta-feira quando o atleta procurou o Riograndense e se disse interessado em negociar em vista de ter encerrado as negociações com o co-irmão.
O atleta declarou publicamente tais fatos que são absolutamente verdadeiros.
Quanto às aleivosias dirigidas ao agora atleta do Riograndense, a carreira de sucesso e a postura pessoal do mesmo falam por si; certamente a melhor resposta será dada em campo.
Assim, considera-se encerrada a infeliz e inculta polêmica, reiterando que a relação construída ao longo de anos com o co-irmão, nas diversas presidências que lá passaram e ainda mais na atual, é de altíssimo nível e não serão pequenas atitudes irrefletidas que irão desfazer esse construtivo e respeitoso relacionamento.”

Presidente do Riograndense, Ausani repudiou declarações de Brandt