Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Cris, a Fera - 14º capítulo

27 de novembro de 2007 33

Não podia mais adiar minha próxima execução. Por vários motivos. Tinha necessidade de agir. Como uma drogada em crise de abstinência, ansiava por experimentar mais uma vez aquela sensação de poder. Queria ver um homem morrendo aos meus pés. Queria subjugá-lo.

Verdade que subjugava a meu talante aquele pelintra do Paulo Germano, e isso, de alguma forma, fazia-me sentir bem. Era uma delícia humilhá-lo. Era excitante ver como podia reduzir um homem a algo menos do que um cão. Mas eu queria mais. Queria saber que podia acabar com a vida de um homem. O mesmo homem que se achava capaz de me violar saberia que eu era capaz de eliminá-lo desse Vale de Lágrimas.

Oh, como isso era bom!
Mas havia outra razão.
O dinheiro!

O vil metal.

Meu dinheiro estava acabando e simplesmente não sabia mais como pagaria o aluguel no mês seguinte. Decidi que de terça-feira não passaria.

Na terça à noite, vesti-me para matar. Minha minissaia não era uma minissaia; era um cinto. Minha blusa era leve. Diáfana, diriam os parnasianos. Não vesti sutiã. Não havia nada entre a pele dos meus seios e o tecido macio da blusa. Calcei sandálias de salto alto, com tiras trançadas até as canelas. Soltei os cabelos. Saí.

Perto da Calçada da Fama, ouvi um homem falar entre dentes, da janela de um carro:
— Deliciosa…

Era como me sentia. Deliciosa. Experimentava a brisa suave envolvendo minhas coxas nuas, meus braços, minhas ilhargas, e me excitava. Um leve formigamento nas virilhas me fazia ondular com muito mais manemolência. Os bicos dos meus seios estavam tão duros que me doíam.

Nessas condições, não precisei esperar muito. Os homens percebiam-me como se fossem cachorros cercando uma cadela no cio. Em quinze minutos, minha futura vítima falava ao meu lado. Falava e falava e se jactava e dizia que sabia muito e que era o bom. Eu sorria, como se estivesse muito encantada.

Era um otário perfeito. Chamava-se Éverton e se dava ares de rico. Esperava mesmo que fosse rico, para poder reabastecer minha conta bancária.
— Vamos ao meu apartamento? — ele convidava. — Moro sozinho numa casa em um condomínio da Zona Sul. Você vai adorar minha casa.
— Não sei… — vacilava, recostando-me na cadeira, passando a mão displicentemente pela toalha da mesa do bar.
— Podemos tomar umas champanhotas… — dizia.

Como os homens são previsíveis, meu Deus!

Depois de alguns minutos de fingimento, topei. Dei para ele a mesma desculpa que havia dado aos outros: disse que era casada, que ninguém nos poderia ver saindo juntos, que ele devia sair cinco minutos antes e me esperar na esquina.

Método. Eu estava adquirindo método. Fizemos o combinado. Ele saiu. Saí quinze minutos depois — resolvi atrasar-me para deixá-lo ainda mais ansioso.
Ondulei até a esquina. Ele estava lá, nervoso, caminhando de um lado para outro em frente ao carro, uma Mercedez negra.

Sorriu ao me ver. Quase esfregou as mãos de satisfação. Rebolei um pouco mais. Ele suspirou. Estava pronto. Prontinho. Eu adoraria degolar aquele canalha.
— Vamos? — abriu a porta da Mercedez.
— Vamos.

Ia subindo no carro, quando aquilo aconteceu. Uma desgraça. Uma verdadeira desgraça.


O que aconteceu?
O quê???
Saiba amanhã cedo, em mais um capítulo de… Cris, a Fera!!!

Postado por David

Comentários (33)

  • Francine diz: 27 de novembro de 2007

    ahhhh naaaaaooo.. de novo naoooo…
    eu vou ver é a novela das 8!

  • Patricia diz: 28 de novembro de 2007

    Oi!
    Não localizei manemolência no dicionário?
    É algum neologismo ou apenas um erro de digitação?
    Um abraço.

  • Juliana Rockembach Ângelo diz: 28 de novembro de 2007

    Ai Ai Ai David,essa história esta muito enrolada,parece que todos os dias eu lei o mesmo capítulo,mas mesmo assim eu te adoro.BEIJÃO ;)

  • Muller diz: 28 de novembro de 2007

    Caro David
    Os teus contos, quando longos, se repetem e perdem a criatividade. Quando curtos, sao otimos e surpreendentes.
    Um abraco

  • Morgana diz: 29 de novembro de 2007

    Patricia,
    Eu mandei todo texto que consta no Aurélio, mas só agora vi que só chegou o inicio…
    Daqui a pouco eu posto o resto!
    Abç

  • Patricia diz: 29 de novembro de 2007

    Ah Obrigada Morgana.
    Eu procurei, procurei e só achei malevolência. Mas confesso que não consultei o Aurelião. Valeu!!

  • Maurício Luft diz: 28 de novembro de 2007

    Bah David! Engata a segunda marcha nessa história. Quando parece que vai acaba não indo! hehe Abraços

  • juliana diz: 28 de novembro de 2007

    ahhh David vc tá enrolando com essa cris heim!!!!!!

  • Juliana diz: 28 de novembro de 2007

    Mas David, tu só descreve a Cris.. e esse Éverton aí? Camisa meio aberta mostrando parte do peitoral definido e marcando os bíceps, barriga tanquinho, perna de jogador de futebol, bunda durinha, bronzeado? Conta aí pras tuas leitoriiinhas né! :)

  • Ricardo diz: 28 de novembro de 2007

    Bah david… Agora tu vai matar o MRs. PI??? auhauhauhauha…. Tem que largar o Dudu nessa parada, estourar a cahmpanhota nela… ehehehhee

    Abração!!!

  • Marlon diz: 28 de novembro de 2007

    Mais uma vez, gritos de SILVIAAAAAAAAAAAAA, o Paulo (mala) Germano de novo!!!! hahahaha, e vindo do outro lado Fetter e a policia! Fim do conto!
    ABraços!

  • Akata diz: 28 de novembro de 2007

    Mas Bah…que fera que nada essa Cris ta mais pra ovelhinha!
    Em 14º só conseguiu matar um e mesmo assim foi por impulso! Oh, David desenvolva a história, de mais emoção a essa vidinha pacata da Cris!!!
    bjuss

  • papito diz: 28 de novembro de 2007

    ta ficando repetitivo deivid…
    parece o gremio, nada nada e morre na beira da praia
    asuiEHAISuehIAUSehIUSHeiuASHeiuHASeuiHASIeuh

  • Cátia diz: 28 de novembro de 2007

    É o fetter chegando… ou será que ele já morreu??? Cadê o fetter?

  • Andrea diz: 28 de novembro de 2007

    Ah David, agora vc vai ter que se puxar mais na criatividade. Paulo Germano de novo não!!!!

  • Rodrigo diz: 28 de novembro de 2007

    estão muito curtos os capitulos…

  • Morgana diz: 29 de novembro de 2007

    Patricia, eu encontrei no Aurélio Buarque De Holanda Ferreira – 2º Edição Revista e Ampliada. Ai segue…
    Manemolência. [ De algum Mané Mole, personificação da moleza

  • Morgana diz: 28 de novembro de 2007

    NÃO JUDIA DAVID… JUDIA…

  • Ana Paula Schneider diz: 28 de novembro de 2007

    Provavelmente o Paulo Germano apareceu…hahahahahhahaha
    Abraços…

  • Carlos diz: 28 de novembro de 2007

    Gente, não é fácil escrever um capítulo diário. Estamos na era do imediatismo, “do pra ontem”. Apoveitemos este espaço, o do David, para relaxar, diminuir o ritmo estressante do dia-a-dia.

  • José Maria diz: 28 de novembro de 2007

    Mas o Fetter não havia sido esfaqueado? O sangue não jorrava no sofá? Cris poderia enriquecer como uma meretriz de luxo.Chega de morte.

  • Lilia diz: 28 de novembro de 2007

    Ô David!!! Cadê o capítulo de hoje, prometido ontem para “amanhã cedo”?

  • Estéfani diz: 28 de novembro de 2007

    Pelo visto a taipa do Paulo Germano vai aparecer e estragar tudo de novo…assim vamos querer que ele morra, pois isso permitiria que a Cris pudesse voltar a agir, que nada mais é o que todos nós esperamos A-N-S-I-O-S-A-M-E-N-T-E…

  • Luis Felipe Tusi diz: 27 de novembro de 2007

    “…vesti-me para matar. Minha minissaia não era uma minissaia; era um cinto. Minha blusa era leve. Diáfana, diriam os parnasianos. Não vesti sutiã. Não havia nada entre a pele dos meus seios e o tecido macio da blusa.” QUE DESCRIÇÃO DAVID!

  • Diego diz: 28 de novembro de 2007

    deixa ela matar mais um logo.

  • Marcelo Cabana diz: 27 de novembro de 2007

    Bah velho, assim não dá, sempre que estazinha vai, ela acaba voltando… vamu lá meu bruxo, to ansioso para o próximo! Abraço

  • Marcelo Cabana diz: 27 de novembro de 2007

    …mas uma coisa tenho que comentar, dos recados, 80% é de mina! Mazz ahh!!

  • Filipe diz: 27 de novembro de 2007

    Só pode ser o imbecil do Paulo Germano! To achando que o Paulo Germano vai aparecer e fazer o serviço pela Cris, morto de ciúmes que vai ficar… heaHEaheAHAEheah.

  • Cris diz: 28 de novembro de 2007

    David, essa descrição da Cris, tá mais pra funcionária de vida fácil (?) de alguma casa noturna da Voluntários e adjacências. A desgraça só pode ser o Paulo Germano berrando pela Silvia! Ganindo, ele se joga a seus pés e dirá que peça o que quiser, que lhe dará. Pedir, não. Mandar. O aço frio de seus olhos o mira e ela muda de idéia… O que fará?

  • Amanda diz: 28 de novembro de 2007

    se for o Paulo taipa Germano desisto da Cris…

    aaaa peloamordedeus david coimbra pare de pensar em paulaners geladinhas em bares da calçada da fama e escreva!!(se for bom , até te deixamos tomar uns chopinhos beeeem tirados)

    :P

  • Fernando S. Schlindwein diz: 29 de novembro de 2007

    “uma Mercedez negra”

    A marca de carro é Mercedes. Com `s`.

  • Vitoria diz: 28 de novembro de 2007

    Está ficando chato, um pouco monótono…poderia dar uma agilazada e alterar um pouco. Está perdendo a graça inicial!

  • Pri Sanches diz: 27 de novembro de 2007

    Davi c ta d palhaçada neh?!
    Tu diz que em instantes vai colocar, demora horrores e quando posta vem com este minúsculo capítulo.
    Pô Davizinho assim tu mata teus leitorinhos.

    Bjuuuu

Envie seu Comentário