Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

A primeira de todas as guerras

24 de fevereiro de 2010 38

Mas como foi que derrotamos os neanderthais? Profundo mistério. Eles tinham tudo para nos vencer. Nós, que digo, somos os sapiens sapiens, os “homens duplamente sábios”. Verdade que fomos nós mesmos que nos demos esse nome, mas, enfim, talvez mereçamos. Afinal, só nós sobramos dentre todas as espécies de homos, os pitecos, os erectus, os habilis e tantos mais. Logo, se o critério for a evolução de resultados, somos mesmo duplamente sábios.

Só que bater os pitecos, os habilis, os erectus e outros que tais foi barbada. Alguns se erguiam a pouco mais de metro de altura, a maioria possuía uns cerebrinhos deste tamanho e, o principal, nenhum deles desenvolveu a mais eficiente de todas as ferramentas humanas: a linguagem. Mas com os neanderthais era diferente.

Um neanderthal, imagine um vindo em sua direção: 1m65cm de altura, forte, retaco, compacto como um buldogue, uns 100 quilos de músculos poderosos e ossos sólidos. A pele leitosa – peles claras absorvem melhor os raios de sol, providencial para quem vive em lugares frios como a Alemanha, onde foi descoberto o primeiro esqueleto neanderthal, mas um problema se você precisa viver a vida praiana sob uma canícula de 40°C e não tem sempre à mão o protetor fator 60.

Esse neanderthal que avança com resolução ameaçadora para você, ele talvez leve à mão um instrumento cortante de sua lavra – ele é engenhoso, ele constrói. E o mais relevante: cientistas especulam que sabia falar.

No entanto, mesmo com todos esses equipamentos, o neanderthal sumiu. Por 70 mil anos, conviveu conosco – os outros homos já haviam se esvanescido na poeira dos milênios. Éramos nós e eles. Importante: o neanderthal não foi nosso antepassado. Era, simplesmente, diferente. Outro tipo de homem, que não foi absorvido; foi extinto.

Direta ou indiretamente, seja pela guerra, seja pela consumpção de recursos vitais, nós, sapiens sapiens, exterminamos os neanderthais. Há mais ou menos 280 ou 290 séculos que não se tem notícia do neanderthal, o que é um nada em termos de tempo biológico.

Como conseguimos?

Direi.

Foram as nossas fêmeas.

Os neanderthais eram muito mais masculinos do que nós. Um neanderthal, o que ele fazia era sair em bandos de machos para caçar, pescar, arrastar as fêmeas pelos cabelos, pegá-las no colo, jogá-las no solo e fazer delas mulher. O neanderthal não arava a terra, não acumulava e não constituía família. Um neanderthal aproveitava o dia, não se preocupava com o futuro, não meditava sobre a existência, não se angustiava.

O neanderthal era um homem como um homem deve ser.

Um neanderthal jamais iria ao analista “para se conhecer melhor”. Um neanderthal, se lesse Virginia Wolf, ficaria mareado. Um neanderthal não beberia clericot.

Nós, os sapiens sapiens, por que fazemos tudo isso? Por causa das mulheres sapiens sapiens. As neanderthais decerto adoravam sexo melequento e grupal, no lodo dos rios, no alto dos cômoros, na imensidão da savana. As sapiens sapiens é evidente que não. O que as sapiens sapiens queriam era criar os filhos. Para isso precisavam constituir famílias. Para isso precisavam domesticar os machos.

E elas o fizeram.

Impingiram-nos as facilidades da criação dos animais para o abate, dispensando assim as divertidas e perigosas caçadas; inventaram a agricultura, terminando com os alegres deslocamentos por serras, praias e florestas; fundaram a Civilização, e nos deram as cidades para nos distrair.

Tudo isso elas planejaram, mas havia ainda um obstáculo a ser transposto: o neanderthal. A liberdade máscula de um neanderthal era um péssimo exemplo, como se ele fosse uma espécie de solteiro das idades primevas. Um neanderthal, como um solteiro atual, urgia ser eliminado. Assim, as mulheres sapiens sapiens incitaram os homens sapiens sapiens a se organizar para acabar com os neanderthais. Bem armados, bem nutridos, unidos e articulados, os sapiens sapiens liquidaram com os neanderthais e a vida masculina sobre a Terra.

Hoje, o que nos resta?

O futebol.

O futebol é o nosso consolo, o nosso refúgio em um tempo em que os homens escrevem sobre os próprios sentimentos e matam por amor. No futebol, os homens agem como os velhos neanderthais, como se ainda saíssem pela floresta para a feliz caçada ao mamute, como se só precisassem coletar quando tivessem fome, como se ninguém fosse de ninguém. O futebol é uma representação da vida gregária, perigosa e leal dos tempos imemoriais.

O futebol é um dos nossos escassos momentos de fuga da Civilização feminina.

Por isso é suspeita a invasão de mulheres no ambiente do futebol. Árbitras, bandeirinhas ou presidentas, ainda que suas pernas sejam longas e reluzentes, elas são perigosas. O que elas pretendem é a vigilância solerte dos últimos resquícios de um mundo que não existe mais. O mundo livre dos neanderthais.

Comentários (38)

  • Jorge diz: 24 de fevereiro de 2010

    David, não fomos nós que derrotamos os neanderthais. Eles se extinguiram por conta própria, talvez até pelas razões que citaste. E o futebol não tem nada, mas nada a ver com isso.

  • Ricardo NH diz: 24 de fevereiro de 2010

    Que belo texto David!
    Fazia tempo que eu não tinha um café da manhã tão agradável!
    Parabéns…

  • Vinicius Kirsch diz: 24 de fevereiro de 2010

    Sério Jorge???? Bah, que mentiroso esse David!
    Obrigado, Jorge, por nos elucidar com tais informações. Eu quase acreditei.

    Mas, enfim, achei demais o texto.

  • Gino diz: 24 de fevereiro de 2010

    Agora sim,cara! Pô, estavam muito chatos teus textos. Este tá bacana,igual aos anteriores a tua fase Nelson Rodrigues. Rsssssssssss

    abç, seu teu fã!

  • Alberto Iarto diz: 24 de fevereiro de 2010

    O nosso amigo jorge não deve ser um leitor muito assíduo teu. Bom, acertei, tu começou pela “domesticação” do homem, mas descordo de ti num ponto, tu descrevesse a mulher neandhertal como sendo atraente, pelo menos me senti atraído pela lama, pelo alto dos cômoros e etc.. mas, eu acho que era exatamente o contrário, mulher neandhertais com suas mandibulas largas, corpo atarracado e supra-ciliares proeminentes não deveriam ser lá muito atraentes, não ficariam bem de scarpins e escova progressiva. Aí está o ato falho da história, homo sapiens e o neandhertal não procriavam entre si! Isso não exime-os do sexo, imagina david, tu ter o corpo do Van Dame e belas sapiens-sapiensinhas a disposição, tendo a certeza de que se ela engravidar o homo sapiens que assumiria o rebento! Aí está o neandhertal perdeu o interesse pela sua parceira neandhertal, por isso até hoje, sapiens ou não somos escravos dela.. um abraço!

  • Carlos diz: 24 de fevereiro de 2010

    Muito bom David… Tu é o cara!

    O Jorge ali em cima não captou a essência do texto eu acho…

  • Fbrigo diz: 24 de fevereiro de 2010

    É mais ou menos o que dizes no teu livro. Mesmo dito em um tom “de brincadeira” e meio sem compromisso, querendo apenas entreter o leitor. Provavelmente foi alguma coisa destas que ocorreu.

  • Gabriel diz: 24 de fevereiro de 2010

    legal, mas já tinha lido tudo isso no Jogo de Damas.

  • Camila Victoria diz: 24 de fevereiro de 2010

    Não tenho nem palavras pra elogiar tamanha inteligencia. Adoro tudo o que você faz, tanto suas colunas quanto sua participação no pretinho básico. PARABÉNS e muito mais sucesso te adoroo!

  • Jerri Brunetto diz: 24 de fevereiro de 2010

    Ótimo texto David!! E concordo com o pessoal ai… esse Jorge não costuma ler mto seu blog, e não compreende mto das suas palavras…

  • Viviane Bervig diz: 24 de fevereiro de 2010

    Muito bom, David, parabéns pelo belo texto!
    A propósito, falem e pensem o que quiser, mas acho uma delííííícia a tua fase dita como Nelson Rodrigues dos pampas.

  • Alexandre Rocha diz: 24 de fevereiro de 2010

    David, parabéns pelo texto. Digno de David Coimbra. Teus textos seguem uma linha muito envolvente. Nada mais justo o sucesso e repercrussão! Abraço!

  • luciana diz: 24 de fevereiro de 2010

    Oi, David:
    não te preocupa: a intenção de vigilância é óbvia, afinal seguro morreu de velho. Mas a gente também sabe que a alma neanderthal de vocês precisa de um refresco…
    Parabéns, como sempre!

  • Flavio diz: 24 de fevereiro de 2010

    O amigo Jorge não será um neandhertal, por acaso?

  • alberto PoA diz: 24 de fevereiro de 2010

    David. Sensacional . Mas estes acontecimentos “historicos” , na verdade , mostram uma situação – que acho não foi percebida , é que as mulheres sapiens é eram verdadeiramente machos , porque para aguentar um homem tem que ser muito macho e isso fez toda a diferença . Imagina agentar um ser peludo , brabo , dedo destroncado sem muita comunicação e etc. Olha eu acho que tem que ser muito macho para aguentar isso , daí a diferença ; as nedertals não aguentavam seus homens e tanto é verdade que mandavam caçar e etc. o quanto mais longe melhor e as sapiens ao contrário traziam para si e o pior faziam lavagem cerebral ( imagina , isso naquela época) dizendo não por aí , tens que ser mais tranquilo , cuidar da familia e aí vai …..

  • Drix diz: 24 de fevereiro de 2010

    só falta dizer que só vocês tem direito a viver o futebol.
    por favor. vigilância de algumas, não todas.

    tu é bom e tudo mais, mas as vezes me irrita. tipo o Inter. mas as vezes me dá alegrias, tipo ontem.

    não curtiria um neanderthal, prefiro tu, david, com toda a tua audácia.

    belo post só nas frases belas sobre futebol e algo sobre neanderthal. pouco. odeio caras assim. e ainda existem nos noticiários (ou além). uma pena.

  • Gisele Bassani diz: 24 de fevereiro de 2010

    “No futebol, os homens agem como os velhos neanderthais, como se ainda saíssem pela floresta para a feliz caçada ao mamute, como se só precisassem coletar quando tivessem fome, como se ninguém fosse de ninguém.O futebol é uma REPRESENTAÇÃO da vida gregária, perigosa e leal dos tempos imemoriais.”

    Verdade pura e absoluta. O futebol representa a caçada em grupo, a correria pelo campo atrás do objetivo, a tentativa de cada indivíduo tentar mostrar-se superior em força e agilidade… tanto isso mexe com os instintos primevos do homem que alguns extrapolam na explosão de testosterona e partem para a agressão literal. E o Jorge ainda acha que futebol não tem nada a ver com a extinção dos neanderthais??

  • Diego diz: 24 de fevereiro de 2010

    Parabéns Jorge por abrir nossos olhos hehhehhe….quem sabe você deveria acompanhar as colunas do David mais seguidamente antes de se manifestar.

    ótima coluna…parabéns.

  • Joubert diz: 24 de fevereiro de 2010

    …no lodo dos rios, no alto dos cômoros, na imensidão da savana…
    Savana???
    Os neanderthais viviam na Europa!!

  • Júnior diz: 24 de fevereiro de 2010

    Grande Carradine,

    SOBERBO, MAGNÍFICO, RELUZENTE E ESPETACULAR (muito mais que o Wilson Mathias)!!! Este texto me fez entender porque eu odeio todas as esposas de amigos meus, já que continuo o único solteiro da trupe!!! Este Jorge deve ser professor de história, porque leitor teu com certeza ele não é…

  • CLEITON – GOIÂNIA diz: 24 de fevereiro de 2010

    David, que maravilha de texto! Muito obrigado pelos momentos de deleite ao ler as tuas palavras. Valeu, cara.

  • Marcos Leal diz: 24 de fevereiro de 2010

    Bom texto.
    Muitíssimo melhor que aquela bobagem das costas da Bel.

  • Ortunho Urtigão diz: 24 de fevereiro de 2010

    E os neanderthais perceberam tudo desde o início! E franziram os sobrolhos…

  • Patrícia Canoas diz: 24 de fevereiro de 2010

    Parabéns David! Eu li o “Jogo de Damas”, teu livro, portanto já conhecia, mas é sempre bom ler o que é bom! Ah, tb acho que o Sr. Jorge não captou nada do texto, desconhece ele da liberdade literária. Pobre ser… Grande abraço.

  • Catimba diz: 24 de fevereiro de 2010

    Hahahaha… tu é hilário, David! Apesar de ser machista em excesso foi um ótimo texto, dei muitas gargalhadas. Pena que o Jorge ali estragou a minha alegria, eu estava começando a achar que a tua história era verdade mas ele fez questão de explicar que era mentira… hehehe
    Ah… e te cuida por causa dessa frase “As neanderthais decerto adoravam sexo melequento e grupal, no lodo dos rios, no alto dos cômoros, na imensidão da savana”. Vai ter gente que vai vir te criticar dizendo que teu texto foi pornográfico!!!

  • Marisa Oliveira diz: 24 de fevereiro de 2010

    Mas que categoria!

  • Samuel Ritter diz: 24 de fevereiro de 2010

    A conclusão foi ótima e justificavel, mas a relação das mulheres com a extinção dos neanderthais forçou a amizade. Mas concordo que é um absurdo incentivar as mulheres a gostar de futebol. Sair com os amigos pra assistir aos jogos, ou pra jogar bola, é coisa pra homem, é nossa liberdade, é um momento nosso. Agora elas querem nos tirar isso. ATÉ ISSO!?!? Culpa dos patrocinadores e a imprensa que as estimulam a ir ao estádio. excelente iniciativa David!!!

  • claudio diz: 24 de fevereiro de 2010

    Genial guri !!!!. Sugiro ao Inter contratar jogadores neanderthais para sermos campeõs em todos os campeonatos. Querem a prova? Claudiomiro era um neanderthal. Abração David!!!

  • Paula diz: 24 de fevereiro de 2010

    Jogo de Damas… muito, muito bom…

  • Jorge diz: 24 de fevereiro de 2010

    Pessoal, peço mil desculpas. Realmente, levei o texto a sério e me enganei. Que mico, hehehe… Nunca tinho lido o David, não sabia que ele é um brincalhão.

  • Paulo diz: 24 de fevereiro de 2010

    e tudo isso começou com uma costela… imagine se fosse uma picanha… hehehe
    parabéns David!

  • Rodrigo Navajo diz: 24 de fevereiro de 2010

    Não sei se idiota é o Jorge ou os que entraram no blog para criticar o Jorge. No fundo acho que são todos os que criticaram o Jorge pois nitidamente ele foi irônico. Abraço idiotas.

  • Diego K. diz: 24 de fevereiro de 2010

    Continua assim David. Quanto menos tu escrever sobre futebol melhor.

  • Gisele Bassani diz: 25 de fevereiro de 2010

    Nem vou comentar quem é o verdadeiro idiota.

  • Tiago diz: 25 de fevereiro de 2010

    Ooooh Jorge, o David não é um brincalhão e sim o melhor cronista que temos na atualidade… mas tenho certeza que já li lgo a respeito no Jogo de Damas… mas vamos lá, estou ansioso para ver a sequencia dessa história… Tamo junto

  • Tiago Pedrazzi diz: 25 de fevereiro de 2010

    Pelo visto já há um simples Tiago por aqui.
    Muito bom o texto, pegou na veia do tema.
    Muito boa a sacada das mulheres, pois esta certo, como será que pensavam as neanderthais? Será que elas sentiam vontade de transar e transavam. E pronto.

    as Sapiens sapiens poderiam ser um pouco mais neanderthais.

    Esta na Hora de uma contrapartida nossa, devemos estudar os neanderthais.

  • Luciana Alexandria diz: 26 de fevereiro de 2010

    Bom dia David e a todos!

    Tenho certeza de conhecer alguns neanderthais (pelo menos nas atitudes – Fêmeas e Machos),
    contudo, vou continuar lendo, derrepente é impressão minha e realmente estão instintos.

    Abraço,

    até.

  • Larissa diz: 28 de fevereiro de 2010

    David, tbm sou leitoria assídua sua, e li tudo isso que escreveste no Jogo de Damas. mesmo assim acho muito legal essa sua forma de falar de mulheres. Porém, eu devo estar me tornando assídua DEMAIS, pois muitas coisas que você escreve, eu já li outras vezes nos seus livros (já li todos). E as vezes parece que você não tem assuntos novos. Mas AMO seus textos mesmo assim. beijios

Envie seu Comentário