Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

O que você vai escrever na sua faixa?

16 de janeiro de 2011 29

Há um fenômeno que se dá na Orla com curiosa intensidade: a quantidade de faixas e bandeiras em frente às casas particulares.

Em toda quadra há uma faixa apregoando o sucesso de algum jovem no vestibular:

“Carolzinha. Administração!”

“Diego. Bicho. Direito!”

“Fê. Comunicação! PUC!”

Por que essa façanha específica merece ser apregoada e outras não?

O Jurandir finalmente ganha uma promoção, vai lá e divide com a Humanidade:

“Jurandir. Subgerente! 30% de aumento!”

Ou o Ilson bate seus próprios recordes na natação e festeja:

“Ilson! 50 metros em 30 segundos!”

Por que não o Paulo, que enfim conquistou a Bruna, anunciar na plenitude das maiúsculas:

“PAULO! PRIMEIRO BEIJO EM BRUNA! PAIXÃO AVASSALADORA! CASAMENTO À VISTA!”

A mesma coisa se dá com as bandeiras. Há enormes estandartes do Grêmio e do Inter tremulando em mastros plantados nos jardins das casas de Xangri-lá, Capão e Atlântida, bem como pelo litoral afora. É como se os veranistas gritassem: “Sou MUITO gremista!” “Sou MUITO colorado!”. Uma profissão de fé. Mas por que não algo do tipo:

“Gosto de ler livros de mistério!” (Essa bandeira seria hasteada na frente da casa da minha amiga Eleonora Rizzo, se ela fosse uma praiana e não a “noir” genuína que é).

Ou então: “Não me convidem para ver comédia romântica!”

Ou quem sabe: “Nunca mais comi canjica!”

Ou simplesmente: “Tenho saudade das nossas rodas de chope de sexta no Quincho!”

O certo é que os citadinos, discretos nos meses frios e ostensivos nos quentes, quando se deslocam da urbe sisuda para as amenidades do litoral, o certo é que os citadinos são tomados de violenta necessidade de se expressar. Há que se aproveitar tamanha ânsia. Falta, apenas, que os citadinos, transformados em praianos, descubram como a vida é vasta, como é variada. Só mais um pouco de ousadia, sim senhor, e nossa Orla ficará muito mais divertida.

Letras na areia

O Wilson Pippi, de Santo Ângelo, não derrama letras pela areia. Porque ele lê à beira da piscina de sua casa em Atlântida, sorvendo espumante da Serra em taças altíssimas, beliscando pequenos nacos de copa e queijo da Colônia, pescando pistaches de um potinho de vidro. Mas como a areia não fica longe, dista, se muito, a 50 metros da confortável cadeira de pano do Pippi, valem suas indicações para essa despretensiosa seção.

Pois o Pippi leu dois livros nesses primeiros dias da nova década: Honoráveis Bandidos, do jornalista investigativo Palmério Dória, sobre as façanhas escusas de José Sarney no Senado e na Presidência, e Os Ossos de Deus, do italiano Leonardo Gori, esse mais um livro no estilo Código Da Vinci. Dan Brown, definitivamente, fez escola.

Jô da praia

Nome: Crismare Poeta

Idade: 37 anos

Cidade:
Imbé

Praia: Imbé

Time: Grêmio

Hobby: Pegar sol



Comentários (29)

  • Daniel Aço diz: 16 de janeiro de 2011

    Se estivesse na praia, os seguintes dizeres enfeitariam meu chalé:

    “Daniel, eterno leitor e desempregado de carreira, pede silêncio. Faça motim em frente à casa de políticos, advogados e dirigentes esportivos.”

    Outrossim, para que o domingo seja mais praiano, diria o que lerás abaixo.

    Em Defesa do Livro de Papel-Jornal

    Nos últimos dois anos, em razão da possibilidade de trocar livros com leitores do Brasil, li mais de centena e meia de livros. Se tivesse de comprá-los, confesso que não chegaria a isso. É um absurdo o preço dos livros no país, e olhe, sejamos honestos, creio que a situação para se comprar melhorou muito, tanto pela popularização dos livros de bolso quanto pela relativa melhor renda dos destemidos leitores.

    De todo modo, é uma pilantragem não haver livros baratíssimos feitos com papel-jornal reciclável. Sim, deveria existir esta opção: edições inteiras, incluindo os melhores títulos, feitas a papel-jornal! Não me importaria de ler tais obras. Quem quisesse, naturalmente, que pagasse a mais para adquirir livros bonitinhos que lhe durassem somente os dias de sua leitura e a vida sepulcral do volume na prateleira.

    Alguém objetaria, todavia, que o escritor perderia dinheiro. Ora, desde quando o escritor ganha alguma coisa neste país? Com raríssimas exceções, a verdade é que os escritores desempenham outras funções que lhes dão o sustento. Quem ganha é o mercado ganancioso. O escritor até ganharia mais com livros de papel-jornal à medida que vendesse a rodo seus livros.

    Espiritual e culturalmente falando, adquirir livros é o melhor investimento possível. Financeiramente, porém, o pior. Tente vender um volume e veja a miséria que lhe propõem pagar. Num quadro assim, estejas certo, você se sentirá com cara de palhaço.

    Por fim, pergunto: você já pensou em comprar um livro de papel-jornal, feito com material ecologicamente sustentável e pelo valor de um refrigerante?

    Sonhar não custa nada. Pelo menos, acredite, até chegar a fatura.

  • Nahim diz: 16 de janeiro de 2011

    Boa essa de livro de Papel-Jornal, realmenteo preço dos livros são fora da realidade, e pensar que sugerem que a leitura seria o caminho para a transformação da sociedade, com esses valores, só seoptarmos por ler livros de barriga vazia, kkk…

    Eu também seria um adepto do livro de Papel-Jornal!!!
    PS.: Não gostava muito dos e-books, porém já estou me acostumando com a ideia, dói menos no bolso!!!

  • Nahim diz: 16 de janeiro de 2011

    Boa essa de livro de Papel-Jornal, realmente o preço dos livros são fora da realidade, e pensar que sugerem que a leitura seria o caminho para a transformação da sociedade, com esses valores, só se optarmos por ler livros de barriga vazia, kkk…

    Eu também seria um adepto do livro de Papel-Jornal!!!

    PS.: Não gostava muito dos e-books, porém já estou me acostumando com a ideia, dói menos no bolso!!!

  • Joao Osvaldo diz: 16 de janeiro de 2011

    Já escrevi, moro em Porto Belo/SC. e não poderia deixar de homenagear a nossa querida cidade do Alegrete, pois de todas as terras, essa é a que possui o chão mais amado, sagrado desde dos tempos farroupilha. Por isso, uma faixa com uma frase do Canto Alegrete … Não me perguntes onde fica o Alegrte, segue o rumo do teu próprio coração, é a revelência e demostração de amor à cidade, pena não poder enviar a foto como prova. Somos como passários que pulam de galho em galho na grande árvore da vida, mas sempre temos, um ninho que nos conchega,e este, fica na árvore origem. Jamais deveremos esquecer a nossa cidade mãe.

  • Joao Osvaldo diz: 16 de janeiro de 2011

    Autorizo corrigir a palavra errada ” passários” para o certo ” passáros” pois erro de digitação – Obrigado

  • Wagner diz: 16 de janeiro de 2011

    FAIXA, ABOBADICE

    Sempre achei esta coisa de faixa uma babaquice… e, podem notar, a maioria é de quem passa naquelas faculdades que é só ter grana para pagar o curso, que está passado… o pessoal que passa nas quentes não é muito de faixa…

    … podem pensar que é recalque meu, não é… estudei na MELHOR UNIVERSIDADE do Rio Grande, um curso que não vou falar, pois estaria abrindo uma faixa aqui no blog, estaria me contradizendo…

    No dia da minha aprovação, estava em Capão e já havia avisado na chegada… “ podem acompanhar, meu nome deve estar na lista, mas, depois, nada de faixa, nada de me pintarem, que fique entre nós”… claro, festa saiu, lógico, um “churrasquinho” de uns cinco dias seguidos …

    Só de ter citado isto, para justificar porque sou contra faixa, já achei constrangedor… mas…

    Acho isto algo, digamos, pedante… nos blogs da internet, seguidamente um escreve, sou isto, sou aquilo, tentando, talvez, serem mais valorizados… que importância tem a profissão do sujeito aqui?… interessa são suas idéias…

    Bandeiras dos times acho legal… as vezes, quando dou uma volta na praia, conto as camisetas, sempre o Azenha ganha… no verão de 2007, Inter recém Campeão do Mundo, incrivelmente, contava mais camisetas azenhas… é, os caras são metidos…

    _____________-
    DAVID PARA DE BICHICE

    Várias vezes em conversas ouço..”aquele David Coimbra é veado”… sempre rebato… ”não é não, ele tem aquele estilo meio NERD, meio padreco, mas não é bichona..”

    Agora, tu, colocando foto de macho, me dificulta tua defesa…

    Boa, a foto de hoje…tôh falando da mulher!… deve ser tua amiga… acho…

  • ronaldo diz: 16 de janeiro de 2011

    Eu particularmente, para meus queridos amigos NUNCA esquecerem, colocaria na faixa:
    “MAMBEMEBE, meu amor, meu amorzinho, eu te amo meu querido”.
    Hoje 33 dias do maior FIASCO, VEXAME da história do futebol mundial.

  • Aidyl Santos Peruchi diz: 16 de janeiro de 2011

    Capão da Canoa, eu te amo, mas conviver com a incompetência de seus políticos é duro de aguentar, lixo não funciona, segurança, não temos, trânsito caótico, a bela lagoa dos quadros está sendo invadida por Condomínios, não temos acesso a ela (só pedindo), Ginásio de esportes, estão trocando os vitrais coloridos, por vidros lisos nesta reforma, e, pasmem, os moradores próximos ao Baronda, exigiriram a derrubada do mesmo pela bagunça, marginais prostitutas, som alto, agora ficou pior, deixaram tudo aberto ao invés de proibirem o estacionamento naquele local, então ninguém aguenta o barulho. As filas Meu Deus as filas, claro isso não é culpa do poder Público, mas tente entrar no Nacional… sem falar no Procon que a Camara Municipal foi contra.

  • Denise diz: 16 de janeiro de 2011

    João Osvaldo
    A grafia correta não é “passários” nem “passáros”, é PÁSSAROS, é uma proparoxítona…ok?
    Muito bonita a Jô da praia, finalmente uma mulher com mais de 30 anos!!!!!

  • gabriela diz: 16 de janeiro de 2011

    Toda mulher brasileira por lei, deveria chegar aos 40 assim, uma Crismare na vida! Continua colocando fotos de homens sim! Se te chamam de gay por isso, o farão de qualquer jeito! Todo homem gostoso, inteligente, bem sucedido, é chamados pelos os outros de gay melhor que ser chamado de corno, filho da pu…( vc sabe, o homem xinga quando sente inveja) David Seu lindo…

  • gabriela diz: 16 de janeiro de 2011

    A minha faixa seria para meu vizinho que vai voltar pra cidade dele na fronteira entre SC e RS:

    “Por que me curou quando estava ferido
    Se hoje me deixa de novo com o coração partido?

    Curativos para este coração partido
    Quem vai entregar suas emoções?
    Quem vai me pedir que nunca o abandone?
    Quem vai me cobrir se esta noite fizer frio?
    Quem me vai curar o coração partido?
    Quem vai encher de primaveras este janeiro,
    E vai trazer a lua pra a gente brincar?
    Diga, se você for embora, diga meu bem
    Quem vai curar meu coração partido”?

    Colocaria um telão junto a faixa rolando esse video especialmente pra ele, essa seria minha homenagem, despedida ou apelo!
    http://www.youtube.com/watch?v=PWwEEf3G4qk&feature=related

  • gabriela diz: 16 de janeiro de 2011

    “Corazon partio” Alejandro Sanz – nossa música.

  • Machiavellirs diz: 16 de janeiro de 2011

    Amanhã, quando alguém ver uma faixa, numa praia qualquer aqui, na Região Sul, com com o seguinte dito ‘ A PARTIR DE HOJE ESTOU DE FÉRIAS”, saberá que, ali, Machiavelli estará gozando suas merecidas férias!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! E boto um monte de interjeições só para gozar e contrariar o Sant’Ana que é o maior chato do Extremo Sul do Continente!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Daniel Aço diz: 16 de janeiro de 2011

    Eu me esforço para elevar o nível do blog e a situação está cada vez pior. Além dos fanáticos de futebol, que outra coisa não vivem senão futebol e futebol, inclusive quando estão em núpcias com suas vítimas carnais, há os que usam o blog para ofender e supostamente defender o jornalista. Mais um pouco, vou-me embora de vez. Qual o índice de cérebros que frequenta este espaço? Um a cada vinte comentadores. É triste que um jornalista e escritor competente como o David Coimbra receba seus dividendos tendo que aturar tantas barbaridades. Ninguém comenta sobre coisas inteligentes e urgentes, como livros e tragédias humanas. Sobre futebol e asneiras diversas os comentários e as ofensas se amontoam. Falta pouco pra eu nunca mais voltar aqui. Falta pouco.

  • Enio Carlos diz: 16 de janeiro de 2011

    Lula, o maior enganador. Quem viver verá!

  • Machiavellirs diz: 16 de janeiro de 2011

    O Sant’Ana está salvo. Custei mas consegui encontrar um chato maior do que ele: o filósofo desempregado!!!

  • Daniel Aço diz: 16 de janeiro de 2011

    Desempregado ou não, filósofo ou não, importante é que tenho talento. Eu o Sant’Ana. E prova disso é o fato de sermos invejados.

  • Wagner diz: 17 de janeiro de 2011

    Quanta baixaria…gay, corno e filho da puta… que criatura azeda… explica prah ela que é brincadeira, David…
    … ah!… e não estraga com foto de macho, ela que vá no Clube da Bolinha, lá as meninas postam bastante…

  • Wagner diz: 17 de janeiro de 2011

    Pois é Machiavellirs… e o sujeito é tão burro, que não se dá conta, que o próprio dono do blog escreve sobre coisas frugais, que dão graça à vida… burro e chato, é dose…

  • Machiavellirs diz: 17 de janeiro de 2011

    …então é um invejado talento desempregado! Fui! O mar, o trago e as Jôs me esperam!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • MAURO SERGIO diz: 17 de janeiro de 2011

    Sou contra essas faixas, principalmente de vestibular/faculdade. Grande coisa passar no vestibular?! Difícil mesmo é se manter… quem consegue, nem lembra de faixas. Nem tem tempo ou $.

    Mas, se fosse para colocar uma faixa, eu colocaria uma ao lado da Bandeira do Internacional, com os seguintes dizeres:
    “Perdi pro Mazembe e fui Terceiro do Mundo, sim! E tu, BI-REBAIXADO?” ou

    “Perdi pro Mazembe… Mas em B nunca fui!” ou

    “O David Coimbra é gremista… logo, um dia entrega!” ou, quem sabe, colocaria todas as faixas, uma ao lado da outra, ao redor da casa de praia… dava espaço para colocar uma assim:

    “Um dia quero ser inteligente como o D. Coimbra, o P. Sant’anna e o D. Aço” — Não chega a ser uma afirmação; está mais para um pedido milagroso.

  • rodrigo handal diz: 17 de janeiro de 2011

    ETERNAMENTE , OBRIGADO MAZEMBE!!

    VIDA LONGA KIDHIABA, KALIYTUKA E KABANGU

  • Marisa diz: 17 de janeiro de 2011

    “FÉRIAS, SEM RELÓGIO”, essa é a minha faixa a partir de hoje, para ninguém ousar cronometrar o meu tempo. Mas gostaria de ter uma faixa pra cada dia da semana, sei que custaria caro. Na faixa de segunda, por ex. “ADORO LASANHA”, uma faixa de quinta… uma de sexta com “TGIFRIDAY”… e assim vai…até lembrar que alguém não passou no vestibular lá pelo domingão: “ELES PASSARÃO…EU PASSARINHO.(MQ) “

  • Marco Antônio diz: 17 de janeiro de 2011

    Viva o Mazembe! Seria a faixa que eu colocaria.

    Faria uma outra, mais discreta, para colocar na varanda.

    Por favor! Salvem as professorinhas!

  • Matheus diz: 17 de janeiro de 2011

    …eis que o Império das Vaidades entra em rota de choque!!! Promessa de muita baixaria escrita de forma elegante, inteligente e sobre tudo criativa nos aguarda! Partindo do pressuposto que todo o ser (inteligente ou não) tem livre escolha, minha frase seria “politacamente correto é viver sem política alguma” , ou seja, se não gosta de faixas, não as leia, se ler, não reclame delas.

  • Gustavo diz: 17 de janeiro de 2011

    Eu colocaria: Liquidação de caixas de som na azenha.

    Também faria outra faixa com os seguintes dizeres: Assis 2 x 0 Segundinos.

  • Bruno diz: 17 de janeiro de 2011

    Como já fiz em outras ocasiões,colocaria uma placa com os dizeres: Não recebemos visitas
    foi o que bastou para afastar possíveis desafetos e parentes indesejados na casa da serra. Acredito que iria funcionar perfeitamente na praia.

  • PC, O PC diz: 17 de janeiro de 2011

    Aqui em ugna city, outro dia apareceu uma :
    - Fulano de tal , bixo manicure e pedicure 2009.
    h aha ha ha ha haah

  • Wagner diz: 17 de janeiro de 2011

    Não sou contra colocarem cartazes de aprovação em vestibular, desde que eu não tenha nada a ver, por mim tudo bem, uma babaquice a mais ou a menos, não faz diferença, até porque, os babacas também são parte da vida… “bem aventurados os pobres de espírito, pois deles é o reino dos céus”… tem algo assim néh?

    Mas teve uma faixa, melhor, um cartaz, que não esqueço… o autor foi inteligente e bem humorado… uma grande sacada…

    Era um jogo, não lembro quem jogava, domingo as quatro, transmitido ao vivo pelo Galvão Bueno…

    Antes do início filmavam a torcida e apareceu um cartaz, com as letras bem grandes, escrito “GALVÃO”… ele já se emperdigou, ficou todo bobo e falou..”olha o torcedor se manifestando! “… o câmera deu um zoom, quando aproximou bem, apareceu o que estava em letras pequenas abaixo do GALVÃO, “seu grande mala! “… o Bueno ficou sem palavras, sem saber o que fazer, largou “é a criatividade do torcedor”, todo sem graça… o cara azedou o domingo do Galvão…

Envie seu Comentário