Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Sala de Redação

31 de janeiro de 2013 8

Ouça o Sala de Redação desta quinta-feira.

Comentários (8)

  • LUIS MARIANO MAZZINI NIEDERAUER diz: 31 de janeiro de 2013

    CARO JORNALISTA
    DAVID

    Tenho o prazer em manter este contato, como grande Gremista, fico muito triste e frustrado quando vejo o jornalista Keny Braga, com seus comentarios sempre ofensivos e de pouco caso quando se trata de Gremio, quer comparar o Renan com o Marcelo isto é uma das mais piadas, alias, escolheu a profissão errada,pouco entende de futebol, nem mesmos os colorados compreende seus comentarios, Quero lembrar este Senhor refresgar a memoria que o MARCELO em 2006, ganhou o Gauchão dentro do Beiro-Rio fechando o gol, é um bom goleiros mas tem estrela, coisa que este goleiro do Inter que esta no Goias hoje não tem. E o zaqueiro do NH, vez mais uma vez Argentino no chão, foi o melhor lance que vi, melhor que a vitoria do Gremio.

    Um cordial Abraço

    LUIS MARIANO
    Bagé/RS cidade vizinha do Keny

  • Bruno Costa diz: 31 de janeiro de 2013

    David,
    A questão da avalanche está recebendo um tratamento absurdo.
    Para mim existe uma questão técnica: em condições normais a comemoração pode causar mais danos que qualquer outra comemoração? Pois tropeços e pequenas quedas ocorrem em quaisquer comemorações, logo a pergunta é: existe risco de esmagamento de alguém contra o muro ou que alguém seja pisoteado?
    Até ontem eu nunca havia visto alguém saindo ferido da comemoração, tanto nas poucas vezes que estive no meio dela, quanto nas inúmeras vezes que a vi no estádio e pela tv.
    Quando estive nela, me pareceu impossível cair, visto que a aglomeração funciona como um ônibus ou boate lotada: os tropeços são corrigidos pelas pessoas que se amotoam a sua volta.
    A prova disso: nunca vi ninguém ser retirado de lá ferido. Nunca vi a imprensa apresentar matéria sobre feridos.
    Os primeiros feridos que eu vi em 7 anos foram os 6 de ontem, todos feridos pela combinação mureta idiota + fosso medieval.
    Por sinal, a única coisa que mata em estádio além de decisão nas penalidades e queda do anel superior é o maldito fosso! Que acabem com aquilo. É preferível que o idiota invada, corra nu e seja preso, com o clube se encrencando, do que ele morra naquele mecanismo medieval.
    Voltando, precisa-se apurar se realmente houveram feridos nesses anos e a imprensa passou batida. Caso sim, não há discussão: acaba-se com a comemoração.
    Caso não, tudo não passa da vontade do MP e dos bombeiros de dizer que seis feridos sem gravidade graças ao fosso e à mureta justificam o alarde idiota de quem deveria estar vigilante em inferninhos e templos religiosos com a engenharia dos porquinhos que não usavam tijolos…
    Essa turma por sinal liberou a comemoração, e agora diz que não concordava. Se não concordava, não podia liberar. Alegam que sofreram pressão… Bem, se liberaram por isso, prevaricaram por covardia.
    Questão técnica é preto no branco: ou tem condições, ou não tem!
    Se tinha, é por que alguém deu embasamento técnico furado, no caso algum engenheiro que projeta umamureta que cai no 3º jogo, sem entortar ou rachar para avisar de sua falta de estrutura. Cai do nada, e cai por inteiro, mostrando a absoluta incapacidade de quem projetou ela para o fim específico de suportar o ato que a derrubou.
    Esse sujeito é o culpado.
    O engenheiro que, para não tirar a visão das duas fileiras, fez uma grade de metal, onde no Olímpico figurava um muro de concreto reforçado.
    O muro rompeu e jogou as pessoas num fosso que não deveria estar ali.
    E quem vai ser punido? A torcida, pois os bombeiros não tem condições técnicas de dizer o que é seguro e o que não é, o que provou esse incidente em setor LIBERADO por eles, então na dúvida vão proibir.
    MAis: a torcida mais jovem e/ou mais pobre, pois o setor mais barato vai no mínimo diminuir ainda mais, isso senão acabar de vez.
    Ou prova-se que a comemoração por si só machucou pessoas nesses anos que passaram, ou faça-se um muro adequado, tal qual empíricamente se fez no olímpico.
    Fosse eu o sujeito dos bombeiros, na inspeção eu teria dito: “Mas se no olímpico tiveram que reforçar o concreto, pq aqui a mureta é de metal?!?”
    “Para não tirar a visão dos dois primeiros degraus”…
    “Bem, ou vcs tiram a visão dos dois primeiros degraus, ou vcs perdem muito mais espaço colcocando cadeiras, pois o muro precisa ser igual ao do olímpico, de preferência com material emborrachado por dentro”
    Mas é muito difícil seguir aquilo que vinha dando certo.
    Bem como fiscalizar amparado em critérios científicos.
    O certo é ir chutando, e se a coisa ficar preta, proíbe ao invés de trabalhar para fazer certo.
    E dá-lhe Brasil, aonde os pobres vão ter que desistir de vez do futebol.
    Aonde seis feridos sem gravidade num incidente num setor de 10 mil pessoas onde o muro cai é culpa da torcida, da direção do clube, da imprensa, de quem gosta de futebol e não do pessoal responsável pela parte técnica, seja elaboração ou fiscalização…

  • Lucas diz: 31 de janeiro de 2013

    VIVAAA A NOVA INTERFACE!!!!
    FUNCIONA ATÉ NO MEU IPOD!

  • Lucas T. diz: 1 de fevereiro de 2013

    Concordo totalmente com o Bruno Costa. O Monumental, um estádio de 50 anos era muitíssimo seguro para a sua torcida e o show que dá a cada gol do seu time. Agora por marketismo e dinherama envolvida as pessoas decidem pela decisão mais fácil, PROIBIR. Eita palavrinha que, no Brasil, serve mais como uma desculpa pra empurrar um problema com a barriga ao invés de refletir sobre o mesmo e assim resolve-lo. Faço minhas as palavras as do Bruno: “Questão técnica é preto no branco: ou tem condições, ou não tem!”. A culpa é do(s) infelizes que projetaram tal espaço sem levar em consideração a que destinava seu uso. Fica a dica pra direção do Grêmio: Exija uma Arena pronta (lugar adequado para a torcida que participa da avalanche, gramado pronto, anéis viários e obras ao entorno finalizados e etc…) para assim poder entregar o Olímpico.

  • Alberto/Colorado diz: 1 de fevereiro de 2013

    Parece que para alguns que escreveram aqui a lição de S.M. não serviu p/ nada…

  • Caetano diz: 1 de fevereiro de 2013

    David, é inacreditável que depois do que ocorreu ontem na Arena, e da tragédia que ocorreu em Santa Maria no final de semana, ainda haja qualquer tipo de discussão com relação ao “jeitinho” que possa ser dado para a avalanche continuar acontecendo. Além de ser uma discussão irresponsável, é também absurda. Torcedor deve permanecer sentado, e ponto final. Ah, mas e a comemoração, que lindo que era…. Que coisa ridícula, irão esperar acontecer uma tragédia com mortes para se verificar que não é adequado, prudente, e responsável que torcedores comemorem descendo degraus correndo e empurrando uns aos outros ??? Já foi dado a oportunidade, e comprovou-se que a comemoração não é segura. Se aconteceu esses anos todos no Olímpico, agradeçam aos céus por isso. Mas chega !!!!

  • Felipe diz: 1 de fevereiro de 2013

    Caetano, não é questão de jeitinho, é só questão de segurança. Pelo teu raciocínio sobre a avalanche, vc fecharia todas as boates do mundo. Não precisa fechar, é só seguir normas de segurança.

    Na avalanche é a mesma coisa. Se há alguma forma de fazer com segurança, pq não fazer? Só um estudo sério pra dizer se é possível ou não.

  • Caetano diz: 1 de fevereiro de 2013

    Felipe, tu só podes estar de brincadeira, ou és mesmo um guri muito novo que não entende nada de nada ainda. Estudo sério para dizer se é possível ou não ? Tu não podes ter escrito isso. Não há estudo a respeito disso rapaz. É uma questão lógica, e óbvia. Espectadores devem assistir a jogos de futebol, voleibol, basquetebol, seja lá qual bol,…SENTADOS ! A comparação com uma boate foi ridícula. Seguir norma de segurança em um estádio de futebol, é justamente isso, torcedor deve torcer sentado, levantando-se em alguns momentos, e não descendo degraus em velocidade empurrando quem estiver a sua frente. Entendeu essa parte ? Ou você acha que existe algum “dispositivo” mágico para dar segurança a essa forma de torcer. Ora, tem apenas uma possibilidade de tentar amenizar os acidentes, talvez a Geral deva distribuir um capacete (daqueles usados no futebol americano) a cada um dos torcedores da avalanche, mais joelheiras, protetores para os dentes, cotoveleiras, etc. Ainda assim, não impediria os acidentes, somente reduziria um pouco os danos físicos dos torcedores.
    E antes que você pense que é um colorado que está dando pitaco, te garanto que não. Sou mais gremista que você, com toda certeza. Sou sócio há muitos e muitos anos. Acompanho todos os jogos do Grêmio no estádio ou na TV. Estava no Olímpico em 1983 na decisão contra o Penharol, e em muitas outros jogos. Portanto, não fiques com raiva do que escrevi, mas a questão segurança, implica diretamente em não correr riscos, ok ? A imagem negativa que o acontecimento de quarta-feira provocou, foi terrível para o Grêmio. Se acontecer algo semelhante novamente, as consequências serão muito piores, e certamente interditarão o estádio.
    Também acho a comemoração da avalanche bonita, porém, eu torço para o Grêmio e não para uma coreografia de parte da torcida.

Envie seu Comentário