Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

O Sal da Terra

18 de abril de 2014 27

“Vós sois o sal da terra”, disse Jesus no Sermão da Montanha. “Vós sois a luz do mundo”, enfatizou, e era para os seres humanos que falava. Para nós.
Nós somos o sal da terra.

Mas não vou em frente antes de falar do meu medo. Tenho medo de religiões e ideologias, porque umas e outras são matéria de fé. São dogma. No momento em que você se torna dogmático, você tem um lado e do seu lado está o Bem, enquanto o Mal está do lado de lá. Pessoas mataram e morreram, matam e morrem por causa de religiões e ideologias. Além do mais, aquelas certezas tantas e tão sólidas fazem com que as pessoas deixem de pensar. Não precisa, já está tudo pensado, basta seguir o prescrito e dividir o mundo em dois hemisférios, sem ponderações: aqui estão os certos, lá estão os errados.

Dito isso, que fique claro: não estou falando do Jesus religioso, nesta Sexta-Feira Santa; não estou falando do Jesus cristão. Estou falando de um dos mais revolucionários filósofos morais da História, e da peça central do seu pensamento, que foi aquele Sermão.

A filosofia de Jesus é tão inovadora que nenhuma de suas igrejas compreendeu ou aplicou o seu principal ensinamento. Ninguém entendeu essa passagem:
“Não oponhais resistência ao mau; se alguém te bater na face direita, oferece-lhe também a outra. E se alguém quiser pleitear contigo para te tirar a túnica dá-lhe também a capa. (…) Amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem”.
Olhando assim, você pode achar humilhante tamanha resignação. Mas Jesus não está sugerindo submissão. Ele se põe acima disso. Está dizendo, simplesmente, que não vale a pena. Ou, como já disseram os Beatles, a vida é muito curta para perder tempo com brigas e confusões. Life is very short.

O Sermão da Montanha é surpreendente. O trecho do qual Erico Verissimo colheu o título de um de seus livros “olhai os lírios do campo”, é de rara sabedoria e de construção preciosa. Jesus dizia que o homem não deve se preocupar com acumulação de riquezas. Não deve se preocupar nem com seu sustento: “A cada dia basta o seu cuidado”. Que frase! O que ele queria dizer com isso? O mesmo que falou a respeito de brigas e confusões: que se preocupar não vale a pena. Ou, usando outro clássico dos Beatles, deixe estar. Let it be.

Mas não, não vou fazer uma exegese do Sermão da Montanha a partir dos Beatles. Não seria tão superficial. O Sermão da Montanha é profundo. Algumas nesgas dele você pode levar como regra. Como quando Jesus diz que cada um julga os outros com sua própria medida. Com essa sentença, ele diz o mais importante sobre a alma humana. Diz que o Mal é o que sai da boca do homem. E é.

Não são palavras santas. São palavras sábias. Mas, de todas elas, as que mais me intrigam foram as que citei lá em cima, na abertura do texto. Como o homem pode ser a luz do mundo, se há tanta crueldade, se pais que matam filhos, como se suspeita acerca daquele pai de Três Passos?

Vinha pensando nisso, vinha intrigado com isso toda a semana, até que, na quinta-feira, minha mulher me contou um caso prosaico. Ela é arquiteta. Naquele dia, havia ligado para o eletricista com quem trabalha, um homem muito sério, muito compenetrado. Assim que atendeu, ele se desculpou: não poderia falar, porque seu filho tinha caído na escola, machucara a boca e precisava ser levado ao hospital. E então, antes que ela conseguisse perguntar como estava o menino, aquele homem sisudo começou a chorar.

Ela me relatou essa história por telefone. Eu estava na redação. Desliguei com o coração apertado, pensando naquele pai, no quanto ele deve amar seu filho e em como devia estar sofrendo com o sofrimento do menino. E, ainda na redação, fechei os olhos e roguei em silêncio para que o pequeno estivesse bem, para que em breve os dois estejam de novo sorrindo, e pensei que é por causa de pais como esse, por causa de amores como esse que, sim, vós sois a luz do mundo. Vós sois o sal da terra.

Comentários (27)

  • Machiavellirs diz: 18 de abril de 2014

    O DIA DO ÍNDIO

    Amanhã, 19 de abril, é uma data superimportante: é Dia do Índio. Também é Dia do Exército Brasileiro e Dia do Santo Expedito, o santo que ensina você a fazer o bem rapidamente (expedito=rápido, ligeiro), sem maiores delongas.

    Aliás, Santo Expedito era um soldado romano que se converteu ao catolicismo. Sua imagem mostra que ele tem na mão direita uma cruz onde está escrita a palavra latina “Hodie” (hoje, em português). Mostra, também, que ele está pisando sob um corvo — que representa o mal — expelindo um grunhido “cras” (amanhã, em português), indicando que ele, o mal, quer transferir o bem para amanhã, para depois de amanhã, etecetera e tal. Bem, mas isso é outra história porque, hoje…

    Hoje eu quero falar sobre os índios do Brasil, que, amanhã, têm a sua data no calendário oficial.

    Pois você quer ver os índios do Brasil? Quer? Então vá até à Rua 7 de setembro, em frente ao MPU – Ministério Público da União, aqui, em POA, que você verá os índios do Brasil vendendo palhas e outros quetais para a Páscoa, junto com seus indiozinhos e indiazinhas esfarrapados, para sobreviverem.

    Você acha justo isso? Você acha justo que os políticos cassados durante a ditadura militar sejam indenizados com polpudas somas do dinheiro dos impostos que pagamos? Se você acha justo isso, tudo bem! Nada contra!

    Mas e os índios, as índias, os indiozinhos e as indiazinhas que desfilam sua miséria bem na frente da calçada do MPU? Você acha justo isso? Você acha justo que eles, os verdadeiros donos do Brasil, tenham que desfilar suas misérias na frente da calçada do MPU?

    Sinceramente, eu não acho justo isso! Afinal fomos nós, os brancos civilizados, que viemos do primeiro mundo para surrupiar as terras que eram deles, as terras que eram dos índios da terra do pau brasil.

    Então, vem essa turma de políticos corruptos e demagogos que infestaram o Brasil nos últimos tempos, defenderem as vultosas indenizações dos companheiros cassados durante a ditadura e se esquecem de defenderem os esfarrapados índios, os verdadeiros donos desta terra em que se plantando tudo dá, conforme dizia o Pero Vaz de Caminha nas suas cartas idiotas que mandava para Portugal.

    Eu, se tivesse que escolher entre uma indenização para um político cassado que, normalmente, é um advogado, engenheiro ou coisa do tipo, e uma indenização para um índio, sem nenhuma qualificação, que teve sua terra brasilis surrupiada e que só é lembrado no dia 19 de abril, sou mais favorável à indenização do índio. E vocês?

    ___________________________________________

    TODO DIA ERA DIA DE ÍNDIO – Baby Consuelo

    https://www.youtube.com/watch?v=fDtaYgp_6XM

    Ver mais em: http://machiavellirs.blogspot.com.br/

  • ROGERIO MARTEN MACHADO diz: 18 de abril de 2014

    Comecei a Sexta da Paixão lendo um belo texto,eis minha reflexão para hoje.PARABÉNS DAVI!

    FELIZ PASCOA A TODOS!

  • Dilson diz: 18 de abril de 2014

    Um abraço, Davi!

  • pedro paulo diz: 18 de abril de 2014

    otima sua coluna, parabens

  • domingos diz: 18 de abril de 2014

    gostei dessa do DAVID COIMBRA, embora gremista enrustido…mandou bem

  • José Luis Terra diz: 18 de abril de 2014

    Não há como não se emocionar com a leitura deste artigo.
    Com invulgar sensibilidade, consegue lembrar que o que deve prevalecer é o amor e o bom exemplo e que, efetivamente, nós somos o sal da terra.
    Parabéns, David.

  • Machiavellirs diz: 18 de abril de 2014

    SEGREDOS

    Estava eu numa livraria quando, pela primeira vez, coloquei os olhos no “Cem anos de solidão”, do Gabriel Garcia Marquez.

    Já sabia quem era o Gabriel, porém nunca tinha lido livro algum dele. Então, como sempre faço, dei uma roubadinha na história ali mesmo, dentro da livraria.

    Quando vi que a história tratava de um casal de primos, parei, desviei o olhar para os lados, coloquei o livro de volta à prateleira e sai assobiando, olhando para o teto, disfarçando, como se nuncasequerjamais tivesse tocado no dito cujo livro.

    Seguinte: é que eu acho que as primas da gente podem ser comidas e tudo o mais. Porém, casar com elas, é outro departamento. É que o um dos lados bons que se tem ao se comer uma prima é o fato de que a sacanagem só fica entre ela e você ou vice versa. Ou seja, a sacanagem fica em segredo. Agora, se você casar com uma prima é evidente que o segredo foi pro saco, ou seja, termina, “c’est fini”, ou seja, todo mundo, familiares, amigos e preconceituosos como eu, ficará sabendo que você poderá comer a sua prima na hora que lhe der vontade. E convenhamos isso tem um pouco de cheiro de incesto, ou não?

    Então, confesso, nunca li o Gabriel Garcia Marquez. E a coisa piorou depois que eu fiquei sabendo que ele era amigo do Fidel Castro. Ora, acho que um escritor que se preze não deve ser amigo de ditador nenhum, não é verdade?

    Pronto, revelei o meus segredos! Estou livre!

    _____________________________

    SEGREDOS – Frejat

    https://www.youtube.com/watch?v=CIvXbYmH_WE

  • Silvia Skowronsky diz: 18 de abril de 2014

    Texto excelente sobre religião e ideologias, esclarece o efeito pernicioso de dividir o mundo em dois, bem e mal, ou esquerda e direita, lugares escassos para a grande diversidade humana. Farei minhas tuas palavras para pensar com liberdade e reflexões, claro. Abraço.

  • Luis Silva diz: 18 de abril de 2014

    Gostei da crônica. Muito oportuna para nossa meditação no dia de hoje. Tão pouco eu farei exegese do texto. Contribuirei, dizendo que a luz ilumina onde está. Portanto, para cumprir essa função, não pode ficar escondida. Jesus também disse isso. Ser luz do mundo, é dar (ou ser) exemplo. Bons exemplos, iluminando a vida social, como no caso citado, o desse pai que coloca a atenção ao filho ferido acima de qualquer outra coisa ou interesse.

  • Liege Tres diz: 18 de abril de 2014

    David,
    Critiquei duramente uma cronica tua, publicada em março de 2012, intitulada “Novas mães, novos pais”.
    A despeito disso, permaneci acompanhando tuas publicaçoes, pois sempre as reputei atuais e inteligentes. Devo registar, ainda, que talvez, à época, tenha feito o ” julgamento de um livro a partir de apenas uma pagina”…O fato é que tenho lido cronicas de tua autoria que mais que inteligentes – atributo incontestavel – revelam apurada sensibilidade diante dos fatos da vida bem como ímpar prospectividade! Concordando ou nao com o que dizes, gosto muito do que leio! Parabens pelo teu trabalho! Iluminada a tua crônica de hoje! Boa páscoa! Abraço, Liége

  • eron diz: 18 de abril de 2014

    Belo texto. Acrescentsria que Jesus dissr. ” Conhecrreis a verdade e a verdade vos libertará” e mais ” eu sou o caminho a verdade e a vida, ninguém vem ao pai a não ser por mim”. Abraços e Feliz Páscoa.

  • IDIOVANE AGNOLETTO diz: 18 de abril de 2014

    Sou mãe, e aos 18 anos fui agraciada por um anjo que veio para me escolher como mãe; meu esposo tinha 23 anos na época, éramos muito jovens, mas responsáveis. Hoje não sei o que seria de mim de(nós) sem essa linda criatura, cresci ao lado de um ser que cresceu junto comigo. Eu e meu esposo batalhamos muito na vida, continuamos batalhando. Então sobre o caso ocorrido, o que leva pessoas com a formação que tem cometer uma atrocidade dessas?!

  • Daniela Faber diz: 18 de abril de 2014

    Caro David, entendo o que sente. Cada vez que leio alguma notícia sobre pais que matam filhos, filhos que matam mães, bebês jogados em latas de lixo ao nascer, animais torturados por pessoas, tenho a sensação de que a humanidade está perdida, que o ser humano não tem mais compaixão, que o homem não sabe mais amar… mas aí vem outras notícias, de um irmão que doa um rim para o outro, gente que se une para arrecadar utensílios para uma família que perdeu tudo em um incêndio, animais resgatados por algum anônimo e me dou conta. Não!! A humanidade não está perdida! Da mesma forma que existem os maus, existe, sim, muita gente boa!!! Talvez até sejam a maioria!! O que precisamos é o exercício de percebê-las.
    Aproveito para desejar a você, sua família e a todos os leitorinhos de sua coluna uma Feliz Páscoa e que a nossa esperança na humanidade seja renovada!!!

  • Michael Miotto diz: 18 de abril de 2014

    Davi , tua interpretaçao da mensagem do sermão é equivocada. Sugiro pra ti e para os demais leitores o capitulo “a Torá do Messias” do livro Jesus de Nazaré ,do Bento XVI, primeiro volume. Isso mesmo , podem ler sem medo e sem preconceito , naow tem nada de dogmático nele. Outra , embora as inúmeras Igrejas cristãs Ele só fundou uma…e isso falando do ponto de vista histórico. De toda sorte , o texto é bonito ! Abs

  • Suzel diz: 18 de abril de 2014

    Estamos num Mundo que mata,num mundo sem compaixão,num mundo de rótulos e poses, onde está a coerência no que se diz com que se faz?.onde mais vale TER do que se SER.Pobreza total e penosa de alma.

  • Joel Cardoso diz: 18 de abril de 2014

    Texto muito bom! As palavras de Jesus são tão simples e ao memo tempo tão profundas, que a milenios confundem os intelectuais.Glórias a Deus.

  • Ernesto diz: 18 de abril de 2014

    Lindo texto David, ainda mais quando o todo poderoso é lembrado.
    Parabéns, feliz páscoa.

  • Vinícius diz: 18 de abril de 2014

    Querido David, somente pode ser sal da Terra e luz do mundo aquele que está ligado a Deus através da aceitação do sacrifício de Jesus Cristo. Somente assim pode receber em si o dom do Espírito Santo de Deus e receber Sua inspiração diariamente, a fim de que possa dar o sabor(ser sal) que nosso mundo tanto precisa. É o que consigo extrair da doutrina pregada pelo próprio Jesus, levada ao conhecimento do mundo através da Bíblia. É isso que eu penso, respeitando muito a opinião de todos. Um grande abraço e feliz páscoa.

  • carla valdez diz: 18 de abril de 2014

    Excelente texto David Coimbra…somos Sal da Terra e Luz do Mundo…que haja mais amor nós corações.. .Feliz Páscoa pra ti e tua família.

  • Renan diz: 18 de abril de 2014

    Que que adianta falar tanto se não resolve nada. Refletir do cara que fez isso, aquilo, catolicismo, isso é uma merda.

    Pleno século 21 e tem gente que tá de casinho com essa religiosidade de merda.

    Deus é outro, quando a pessoa encontra esse Senhor, aí ele entende os “Porques”.

  • Diego Werneck diz: 18 de abril de 2014

    legal !
    Adorei.

  • Andréa diz: 19 de abril de 2014

    Índios não precisam de mais terra. Índios não querem mais terra. Quem quer terra são os gananciosos líderes indígenas (índios ou não). Querem poder, querem manipular e obviamente ganhar dinheiro com isto. Moro na cidade onde há a maior população indígena do Brasil e sabem o que os índios querem ?? Ser cidadãos como nós, querem casas, roupas e empregos iguais aos nossos e querem uma carteira de identidade para provar que são brasileiros e não aquela da FUNAI. Nenhum cidadão destes vai voltar para o mato e viver da caça ou extrativismo. Projetos para agricultura ou pecuária não existe para esta população, nem subsídio para começar qualquer tipo de produção. Mas concordo contigo, é um absurdo estas indenizações aos “companheiros”.

  • Jeremias diz: 19 de abril de 2014

    Improvável que Jesus tenha feito e dito tudo isso, david.

    Jesus era um caipira analfabeto (como analfabeto eram quase todos da sua época) que seguia com devoção um profeta judeu chamado João Batista. Quando João Batista foi preso (e depois morto), Jesus assumiu seu lugar como pregador. Só isso e mais um pouco é que o sabemos com certeza desse período.

    Eu acredito que os contos envolvendo Jesus são uma combinação de vários pregadores (João Batista, Jesus, predecessores e sucessores). Mas o registro cristão (evangelhos) unificou tudo em torno de Jesus pois era mais simples e útil para a religião cristã se moldar em torno da figura de uma única liderança forte e carismática. É a hipótese mais plausível.

  • Dennis Mag diz: 19 de abril de 2014

    Aff..o gente melosa. Não precisa ser de religião alguma pra matar ou morrer pelos seus filhos. Tenho três meninos, que me ver louco? Faça mal a algum deles. Não sou sal da terra e nem luz de mundo algum. Até mesmo porque o sal da terra esteriliza a terra tornando-a improdutiva…esse JESUS era mesmo charlatão.

  • Daniel Falkoski diz: 20 de abril de 2014

    Ok David…eu não sei o que aconteceu com vc nos últimos 6 meses/1 ano…mas neste intervalo de tempo os seus textos tem ficados escandalosamente bons…não é que eu não gostasse dos textos anteriores, muuuito longe disto. Mas é que os atuais estão realmente diferentes…eles transmitem muita sensatez…vê-se que você refletiu antes de por as coisas no “papel”. E isto é coisa rara hoje dia…parabéns!

  • Rafael diz: 20 de abril de 2014

    Também sem querer fazer exegeses e análises mais profundas, é preciso ler o contexto das citações para não fazermos generalizações: no início do capítulo diz que Jesus se assentou “…aproximaram- se os seus discípulos; e ele passou a ensiná- los, dizendo: Bem- aventurados os humildes…”
    A quem eles estava ensinando? Aos seus discípulos. E o que é um discípulo? Um aluno, um aprendiz. Aquele que faz tudo o que o seu mestre faz e diz.
    Era para esses que Jesus disse: “Vós sois o sal da terra…” e “Vós sois a luz do mundo”, ou seja, sal da terra e luz do mundo é aquele que é um discípulo, aprendiz de Jesus, que entregou sua vida a Ele.
    Ele não estava se referindo a humanidade como um todo…
    Como dizia um antigo ditado judeu: “Cubram-se com a poeira dos pés de seu rabino”
    Abraço

  • Ronald Gomes diz: 21 de abril de 2014

    Davi, desta vez não vou dizer “Parabéns”. Vou dizer: “Muito Obrigado”.

Envie seu Comentário