Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Uma causa para viver

19 de junho de 2015 11

Gastei um bom dinheiro para comprar a autobiografia do Malcolm X, escrita em colaboração com Alex Haley, o autor de Negras raízes. Custou caro, porque não encontrava o livro em lugar algum. Mas valeu a pena. Malcolm X viveu uma vida cinematográfica, e Haley soube imortalizá-la em papel. Ainda vou escrever mais sobre esse livro.

Por ora, quero me deter nos últimos acontecimentos. Um em especial: a história ilustrativa daquela líder de uma entidade de defesa dos afro-americanos, que é branca de leite e se fez passar por negra.

O caso dessa moça é curioso. Nas fotos e nos filmes da adolescência, ela aparece loira como uma Xuxa. Para transformar-se em negra, passou por um processo de escurecimento da pele e encrespou os cabelos até ficarem ao estilo black power.
Rachel, esse o nome dela, Rachel é meio que o oposto de Michael Jackson, que nasceu com cabelo duro, nariz batatudo e pele negra, e morreu com cabelo ondulado, nariz fino e pele esbranquiçada. Ela é o contrário, também, do atacante Carlos Alberto, do Fluminense, um mulato que, antes de entrar em campo, no começo do século 20, tapava o rosto de talco a fim de parecer branco. As torcidas adversárias, debochadas, gritavam das arquibancadas: “Pó de arroz! Pó de arroz!”. Era uma tentativa de constranger Carlos Alberto e envergonhar o Fluminense, mas, como sói acontecer no futebol, a torcida do Flu incorporou o apelido e ele virou símbolo do clube.

Um dos maiores jogadores do futebol brasileiro em todos os tempos, o lendário centroavante Friedenreich, que, dizem, marcou mil gols, fazia algo parecido. Fried era filho de um alemão com uma negra brasileira. Para desmanchar o cabelo pixaim, untava a cabeça de óleo no vestiário e consumia horas diante do espelho, espichando os fios.

Esses exemplos bem mostram como os negros eram discriminados no Brasil, após a abolição da escravatura. O racismo era “natural”, pode-se dizer. Depois, a discriminação racial misturou-se com a discriminação social. O negro pobre e o branco pobre sofrem juntos, no Brasil, e pelo sofrimento acabaram por atingir certa igualdade.

Mas esse é tema para outra crônica. Agora me ocupo de Rachel. Ela tem irmãos adotivos negros, provavelmente testemunhou o preconceito. Não havia nada, porém, que a forçasse a experimentá-lo em pessoa. Portanto, ela quis viver a discriminação, quis tornar-se negra e, mais, decidiu dedicar sua vida ao combate ao racismo.

Não creio que Rachel tenha feito isso para colher qualquer vantagem material. Ela decerto é sincera em sua atuação. E é isso que é o mais interessante: as pessoas estão sempre em busca de um sentido para suas vidas. Uma causa, uma única causa, se elevada, pode elevar também aquele que combate por ela. Bater-se contra o preconceito é bonito. Rachel, de certa forma, é um símbolo deste nosso tempo de pessoas que estão sempre à procura: à procura de um amor, de uma ideologia, de uma paixão, de uma bandeira, até de um ódio, tanto faz. É preciso haver uma razão para se estar por aqui, respirando debaixo do sol.

Comentários (11)

  • Roberto Nunes diz: 19 de junho de 2015

    O idealismo pode ser válido desde que honesto. Os idealistas em geral mentem, forçam tipo assim por exemplo:
    Querem aumentar a quantidade de gente da cor parda, então branco que vai fazer carteira de identidade, já tascam pardo na carteira do cara e pronto. E fica assim.

    A estatísticas são burladas, mentirosas ou distorcidas… por exemplo:
    estatística mostras que 90% das pessoas que morrem na guerra do tráfico são jovens… (Isto é claro né) o mesmo q dizer, 90% dos motoqueiro q morrem são jovens… É claro que é, não são os velhos que andam de moto.

    Mas se a pessoa é idealista e age bem e honestamente, pra estes eu bato palmas.

  • Gustavo Soares diz: 19 de junho de 2015

    Caro David Coimbra,

    Sou negro e ativista em relação a causas raciais e lido com o preconceito diariamente nesse país hipócrita chamado Brasil. Com relaçao a atitude de Rachel é um verdadeiro “tapa” no preconceito racial é a busca interna dessa moça de auto reconhecimento , como ser humano . Só uma observação quanto ao que foi dito, quando o sr cita: O negro pobre e o branco pobre sofrem juntos, no Brasil, e pelo sofrimento acabaram por atingir certa igualdade. Afirmo que isso não é verdade, pense você em uma situação hipotética. Dois rapazes vão ao um restaurante considerado de elite , ambos pobres , mas primeiro entre o branco e 10 minutos após entre o negro, pergunto quem deles tem a maior probabilidade de barrado na porta ? Tenho certeza que eu e você sabemos a resposta, então primeiro vem o racismo depois o social, não caminham juntos. Sou Graduado e pós graduado tenho duas engenharias no meu currículo e sempre que entro em um ambiente que em tese não deveria estar ali por ser negro , sou olhado de cima a baixo. Então só sabe quem vive isso na pele. Por conta disso que Rachel vai viver na pele literalmente isso é igualdade.

  • Marcelo Imortal diz: 19 de junho de 2015

    Baita texto, David.

    Serve tanto para informar quanto para refletir, parabéns.

    E Roberto Nunes, ótima colocação sobre nossa tendência histórica de distorcer os fatos, os números, em prol dos nossos argumentos ou para levar vantagem.

    E estatística é como o biquine, mostra tudo menos o essencial.

    E antes que eu me esqueça: ainda discutir o racismo em pleno século XXI só mostra o quanto ainda somos tacanhos e involuídos.

    Definitivamente somos um projeto da natureza, belicoso e mesquinho, que não deu certo…

  • marcelo 1968 diz: 19 de junho de 2015

    hum……..

    razão?

    não acho que isso a torne uma farsante – a caracterização em sí – por outro lado ao esconder a transformação não a torna um exemplo de honestidade né…
    mas a luta o ideal contra o racismo,,,não ..não a luta de todos não é contra o racismo é contra a INTOLERÂNCIA………quando vamos acordar…enquanto a esquerda vai odiar a direita, nunca teremos uma terceira via…e quando centro, os moderados perdem quase todos perdem, menos a INTOLERÂNCIA.

    combater a intolerância
    é um belo motivo, é uma bela razão, é um amor, no caso maior pois é a todos todos né.

    mas não consigo.. não consigo ainda tolerar maduro, estado islâmico, os republicanos donos das industrias de arma americana, não consigo tolerar a ostentação venha ela da direita ou da esquerda vip, não consigo tolerar o descalabro, não consigo tolerar o direito de fazer qualquer coisa em nome de lutas das minorias, não consigo tolerar esses xiitas com essa farsa que nos consome, nos corrói a cada dia, as mentiras horrendas estapafúrdias…..insustentáveis…..enfim

    estou quase intolerante com a minha tolerância, mesmo que ela esteja no nível 0,0000001 % o mais baixo possível..

    o que houve com a esquerda?
    o que houve com seu politicamente correto?
    o que houve com o fazer o que é certo?
    o que houve com seu senso de julgamento?
    o que há com a razão da esquerda de seus pensadores?ditadura venezula- estado islâmico?chaves- maduro?
    o que há ?
    o que HÁ no PODER que a tudo corrompe?

    povo?
    nunca foi tão ordináriamente abandonado e enganado.
    desvio bilionários do dinheiro do povo, .. teu;….meu ..seu ..do pardo-do branco- do negro, do hetero – do homo – do que não optou ainda – do bisexual a minoria da minoria – do direita, de esquerda, do moderado – do nervoso – do calmo – do alheio- do engajado do aleijado-do mister -da musa- da creche- da escola-do pronatec-di vigilante-do imprudente- do colorado-do gremista- da puritana – do lascívo eh……eh…..para na melhor das hipóteses a legalidade de santinhos em campanha, mas do povo…

    povo….esse mesmo que perde o emprego, que não tem transporte, nem educação por conta de greve que atende a interesses……do povo….não não do povo….que não tem nem poder de compra mas está nos aeroportos viajando de avião…é deve o povo estar viajando mesmo…há muito, muito, tempo.

    o povo parece me ensinar a ser tolerante.

    ou gado…sei lá

    mas tolerância é nossa grande batalha….é o que nos transformará de homens em humanos, em humanidade (relendo tive que fazer uma piada humanidade de esquerda…não esqueça….rsrsrs)

    para inspiração

    “A lei de ouro do comportamento é a tolerância mútua, já que nunca pensaremos todos da mesma maneira, já que nunca veremos senão uma parte da verdade e sob ângulos diversos.”
    Mahatma Gandhi

    “Aprendi o silêncio com os faladores, a tolerância com os intolerantes, a bondade com os maldosos; e, por estranho que pareça, sou grato a esses professores”.
    Khalil Gibran

    o que HÁ no PODER que a tudo corrompe ?

  • atilalopes diz: 19 de junho de 2015

    Quanto MI,MI,MI…
    Não existe racismo no Brasil.
    O problema é que se você desconfia de um negro, olhando-o de cabo a rabo, automaticamente ele já se sente discriminado por ser negro.
    Se você olha um branco de cabo a rabo, ele automaticamente já se sente discriminado por ser pobre, ou parecer pobre.
    Eu sou branco, de classe média, mas me visto como uma pessoa pobre: Camisa surrada, bermudão surrado, mas confortável, e uma boa sandália nos pés, até por que o joanete não permite outra coisa. Em todos os lugares que entro, sou olhado de cabo a rabo, com desleixo e desconfiança. Não esquento a cabeça, pois sei que neste país onde pessoas são roubadas e assassinadas todos os dias e todas as horas, é natural que me olhem com desconfiança. Então, meus amigos, esse papo antigo e surrado de discriminação É BALELA! Ela está na cabeça de quem, de alguma forma, se sente inferior ao outro pela sua cor, raça, condição social ou credo. Seja no caso do negro ou do pobre, como citei acima.
    Aliás, no Brasil, você chamar alguém de pobre já é considerado uma baita discriminação. O certo é humilde. Se fosse falar que o sujeito é preto e favelado é uma BAITA discriminação…agora, se você disser “humilde da comunidade”…aí você é um defensor ferrenho das “minorias”, outro termo inventado que não se refere exatamente às minorias…até por que a população negra, pobre, favelada, ou qualquer outra minoria…não são minorias! São na verdade a grande maioria deste país…

  • Peter Peng diz: 19 de junho de 2015

    David, ela eh casada com preto e tem dois filhos. Tb se registrou como ambos preta e branca ao entrar na Universidade.

  • Xcake diz: 19 de junho de 2015

    Eu me lembro quando se discutia em 2014 a respeito a inflação. Falava-se em centro da meta de 4,5%. Então se dizia que ela estava acima disso, e os adeptos petistas ficavam furiosos, dizendo que era manipulação e invencionices da Globo e Veja.

    Agora vejo a manchete de que a inflação está em 8,8%. Isso seis, sete meses depois. Lastimável o estrago que o PT lega para a economia nestes 16 anos de governo. Que houve distribuição de renda através do Bolsa Família, via incremento do salário mínimo, até não se discute. Mas o X da questão é que isso vai redundar em algo apenas momentâneo, oportunista e de cunho meramente de fatura política. Pois veja-se: 1. A economia está esfacelada, com nossas industrias migrando suas plantas para o Paraguai a fim de fugir do custo Brasil; 2. A cada dia o desemprego vai aprofundar, o que vai significar aperto sobre os salários, pois quando a mão-de-obra ficou escassa, o salário aumentou (lei da oferta e procura), agora que está abundante, o processo vai se inverter, isso é mercado!

    O Governo distribuiu renda mas não tinha de fato base financeira para fazer isso, então a conta já está vindo para ser ajustada, e bem antes do que se esperava. Oh governinho de meia tigela este que esteve aí nestes 16 anos!

    Digo assim porque já estou em 2018, já que até lá nada se pode esperar. Eu queria saber onde estão o Luis com S, o Ismael e até o pobre do Kill, que ficou por aí abandonado para apagar a luz.

  • Manto Sagrado diz: 19 de junho de 2015

    David, dificilmente comento em seu blog (A não ser para zoar com o teu Grêmio) Mas me chamou atenção um comentário acima que ao entrar em um ambiente (Restaurante de luxo principalmente, mas pode ser em qualquer lugar), um branco e um negro pobre, o branco é atendido primeiro.
    Sou negro e creio ser de classe média, mas comigo isto não acontece pois entro de cabeça em pé, com passos firmes e peito estufado, com educação mas olhando nos olhos das pessoas, estudo o ambiente chego na minha mesa e me sento “confortavelmente”, você notou David sentar “confortavelmente”.
    Observem, o coitadinho, o pobrezinho, o negro ou branco pobre quando são humildes demais, alem de sofrerem na entrada e não saberem se posicionar, ainda não sabem nem se sentar em uma cadeira, sentam desconfortavelmente na pontinha da mesma se encolhendo todo.
    E digo David, não sei se represento bem e eles pensam “vai la que este não é pouca coisa….. é muita” (Risos) mas pra mim sempre fez a diferença.

  • Alberto diz: 19 de junho de 2015

    Não existem mais dúvidas que as ‘lamas’ envolvem Lula – Dilma – PT!

  • Xcake diz: 19 de junho de 2015

    A gente havia cansado de falar de Dilma, Lula e o PT. Talvez tenha sido um tempo que se deu, já que estava todo mundo saturado de tanto bater, martelar, e ninguém mais aguentava ser água mole em pedra dura, e jamais furar.

    Mas parece que a coisa agora está se prenunciando que vai voltar com força. Esta operação Erga Omnes não é uma Zelotes qualquer. Acho realmente que vai ferver de novo e algum caldo a de surgir. Que bom. Além de nós, ferrenhos combatentes do PT que somos, o partido que já acabou e não sabe, também deverão tornar a ser fichados os petralhas da rede social. Como vai ser bom bater em gato morto.

    Como mesmo se nomeava os petralhas pagos das redes sociais?? Alguém aí lembra? Poxa vida, era um termo bem legal!

  • Samuel Levy diz: 20 de junho de 2015

    Sentiu o golpe, xcakequinho? O x do problema é que somos vinho da mesma pipa…Mas, engarrafados se-pa-ra-da-men-te! Captou?

Envie seu Comentário