Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

O cão negro da depressão

29 de junho de 2015 17

Um grande amor não vai fazer você feliz. Ao contrário, talvez o torne um miserável dependente.

As delícias da carne também não. Você pode se entregar ao deleite de todos os prazeres mundanos, todos os dias, sem sentir um minuto de alegria.

Fama? Se fama desse alívio à alma, Marilyn Monroe e Robin Williams não teriam se suicidado, e Michael Jackson jamais teria se tornado branco e triste.
Realizações? Que homem pode ter realizado façanha mais grandiosa do que Churchill, que salvou a civilização? E, ainda assim, ele sofria, e chamava a depressão de seu “cão negro”.

Dinheiro, quem sabe? Homens matam e morrem por dinheiro. Então, como se explica a vida do atormentado Howard Hughes, um dos seres humanos mais ricos de seu tempo, produtor de filmes de sucesso, considerado o maior aviador do mundo, conquistador das mulheres mais desejadas do cinema, como a volátil Ava Gardner e a lânguida Katharine Hepburn? Hughes era tudo o que todos queriam ser, e morreu solitário e louco, temendo germes invisíveis como se fossem feras famintas.

O que faz uma pessoa ser feliz não é nada que está fora dela. Não é nem o que ela é. O que faz uma pessoa feliz é o que ela tem por dentro.

***

Ontem, recebi um comovente e-mail sobre esse tema. É de um bom amigo, um ótimo jornalista que, devido aos seus problemas pessoais, está meio que na penumbra da profissão. Ele prefere não se identificar, porque diz existir preconceito contra a doença da infelicidade.

Nesse e-mail, meu amigo pede que eu escreva a respeito do mal de espírito que o aflige, para, talvez, fazer com que as pessoas pensem a respeito. Preferi dar-lhe voz direta. Gostei do que escreveu, da forma como escreveu, e acho que há nesse pequeno depoimento força suficiente para provocar uma reflexão. Eis:

“Meu!
Um dia desses, quando nem mesmo um esquilo te açular a imaginação, pensa nos bipolares. Não com a graça que o anedotário empresta ao tema. Não com o falso jargão que tenta mimetizar o sujeito que pode oscilar de humor de vez por outra. Não. Falo da doença. Dessas que te levam ao precipício da morte, quando a fase é depressiva. Dessas que te carregam para situações de perigo. É uma doença infame. Vive-se, sempre, à espreita de duas sombras, euforia ou depressão. Por vezes, em ciclos diários. Um estrago sem fim. Não sobram relacionamentos. Não sobram estabilidades de emprego. Restam uns poucos, bem poucos, amigos. Há dias em que o fim de noite é o único aconchego, porque a dor costuma ser amenizada pelo silêncio do escuro. Não há genialidade póstuma que valha uma doença degenerativa. Van Gogh seria rico e feliz, e com as duas orelhas, se não fosse depressivo. Outros tantos teriam visto quão lindo é o sol. Mas, na depressão, tudo fica embotado. Pensa nisso. Tens palavras e sensibilidade para chamar a atenção para esse mal. Faz isso!”

Está feito.

Comentários (17)

  • Machiavellirs diz: 29 de junho de 2015

    A DEPRESSÃO DO DUNGA, A VIROSE E O ECO NO PT

    Pois o Dunga disse que “foi um ótimo aprendizado para as eliminatórias” o Brasil perder a Copa América. Ou seja, por mais que eu pense, não consigo entender isso. Em outras palavras o Dunga quer dizer que o ser humano precisa apanhar para aprender ou, em outras palavras, a gente tem que sofrer para aprender!

    Do jeito que a coisa vai o Dunga está se especializando em dizer imbecilidades. Acho que anda meio depressivo. Em uma semaninha só, já disse duas coisas imbecis, ou seja, aquela que o afrodescendente gosta de apanhar e mais essa agora. É por causa dessas e outras é que o Umberto Eco veio ecoando imbecilidades, que eu falo mais abaixo.

    ——————-

    O Dunga também disse que vários jogadores pegaram virose. Pois eu acho que isso é uma desculpa que confirma a depressão do Dunga. Então o botão Number One da braguilha da minha calça Diesel, aproveitando a deixa, veio com essa:

    - Machi, acho que os jogadores do Brasil se desclassificaram porque pegaram virose nos pés!

    ——————-

    Pois eu acho que o Umberto, o Eco, aquele italiano que escreveu o “Nome da rosa” se rendeu ou aderiu ao fascismo que, como vocês sabem, foi o “movimento político e filosófico ou regime (como o estabelecido por Benito Mussolini na Itália, em 1922), que faz prevalecer os conceitos de nação e raça sobre os valores individuais e que é representado por um governo autocrático, centralizado na figura de um ditador”. (Essa definição está no Google)

    Pois agora o Eco disse, na Universidade de Torino, que “a internet dá voz a uma multidão de imbecis”. (http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/a-conspiracao-dos-imbecis). Pois eu, igual ao Sócrates, pergunto: isso é ou não é a ideia de um velho decrépito e depressivo que tem no seu íntimo o desejo de continuar ditando – como uns e outros que existem por aqui – o que deve e o que não deve ser dito na internet, situação que retrata, aliás, “ipsis litteris”, a filosofia do fascismo?

    Ora, pois uma das finalidades da internet é exatamente essa: permitir que as pessoas se manifestem da forma que melhor entenderem sobre este ou aquele assunto. Ou seja, não é preciso que um cara seja um gênio, nem uma pessoa formada na UFRGS, para dizer, por exemplo, no blog do David, que o Brasil é o país que possui poderes, tipo Executivo, Legislativo e Judiciário, que estão entre os mais corruptos do mundo, não é verdade? E o Eco, pelo que se vê, não quer que essa multidão de imbecis e depressivos, entre eles o Machi e o Dunga, digam suas imbecilidades na Internet, não é verdade?

    Ora, Eco, essa tua manifestação parece ser exatamente a coisa que o PT está querendo implantar no Brasil inteiro para continuar no poder exercendo livremente seu lado mensaleiro, petroleiro e lavajateiro.

    É muito feio isso, seu Eco…eco…eco…eco…eco…eco…eco…eco…eco…

  • josé oneide diz: 29 de junho de 2015

    se tu publicares meu comment, é provável que eu seja veementemente criticado, contrariado e chamado de ignorante e ultrapassado. mas se conheço pessoas realmente felizes, são as que vivem na simplicidade, no conforto de uma familia e com clara gratidão pelo que possui. é preciso saber distinguir conforto de futilidade. satisfação de necessidades é uma coisa, ostentação e potentosidade é outra muito diferente. nunca vi morrer mal. pessoas que vivem na paz, no conforto da simplicidade e principalmente, que respeitam e amam a um ser superior, que muitos Chamam de Deus, mas que na verdade é apenas uma energia cósmica e que nos cobra o que devemos, e nos devolve o que temos direito.

  • Jairo Ctba. diz: 29 de junho de 2015

    Quando jovem achava que depressão era coisa de gente desocupada, que não tinha nada para fazer. Faz tempo que não penso mais assim. E isto aconteceu quando eu é que fiquei depressivo. Foram poucos dias, mas lembro bem que se alguém me dissesse que meu filho tinha sofrido um acidente e se machucado, e outro dissesse que nosso bolão tinha sido o ganhador da mega sena da virada, as duas notícias seriam recebidas da mesma forma: com absoluta indiferença.
    Como seu amigo disse, David, eu também só me sentia menos triste de noite, no silêncio da minha casa.
    Como você, também acho que felicidade não depende de ser famoso, poderoso, rico, mas de estar bem consigo, saber que faz uma boa obra, que é querido pelos amigos, que, se falecesse hoje, muitos sentiriam sua falta.
    Tive sorte que minha depressão foi bem leve, como veio, se foi. Mas ela pode ser bem mais pesada para muitos, chegando, muitas vezes, ao suicídio. Assim, para aqueles que estão ´doentes da alma´, procurem ajuda médica e que Deus os abençoe, permitindo que se recuperem e retornem à vida normal.
    Mudando um pouco de assunto, na capa da ZH consta que o Lula, aproveitando a ida da Dilma aos EUA, fará hoje, em Brasília, uma reunião com o PT para discutir a situação política do país. Como se sabe que o Brahma não viaja de avião comercial, fica a pergunta: qual empreiteira que emprestou um jatinho para o homem ir à Capital?

  • Tiago Lopes diz: 29 de junho de 2015

    Tenho familiares próximos com bipolaridade. Sei o quanto essa doença é horrível, mas esse seu amigo não toma lítio, ou pelo menos não toma na dosagem recomendada. Essa doença tem controle, sim. Mas o seu amigo prefere se entregar do que simplesmente ingerir uns 8 comprimidos por dia.

  • Jorge Serafim diz: 29 de junho de 2015

    Fiquei tão embevecido, que quero agradecer a oportunidade de ler este excelente texto, o qual é acompanhado de 3 comentários, também, de alto nível. Obrigado a todos!

  • João Agrário diz: 29 de junho de 2015

    É Davi

    Acho que o segredo da felicidade é se ocupar, fazer uma atividade.
    Nunca vi alguém triste lendo um bom livro, se exercitando ou comendo a velha.

    Quem tem uma vida cheia de tarefas e planos, não fica depressivo.

    Obviamente que é impossível levar a vida toda, 80 ou 100 anos, sempre ocupado. Em algum momento da nossa existência acabamos na penumbra, como teu amigo. E talvez seja até bom. Um período de reflexão triste nos amadurece. Só não pode durar mto.

  • Carlos diz: 29 de junho de 2015

    O remedio para a depressao é simples, basta ser famoso e nao fazer o que a midia quer que ela vai te encher tanto o saco que voce vai esquecer a pior depressao. Pode acreditar, nao tem mal que resista ao terror da midia.

  • Gustavo Koch diz: 29 de junho de 2015

    Bata na porta, sem ele te chamar; tire seu amigo querido de casa, sem outro motivo que convidá-lo para algo simples, algo que ele fazia antes sem pensar, com facilidade. Uma volta, um cigarro. Não espere que ele te ligue pedindo bis. Nunca, mas nunca mesmo, pense que uma vez basta. Tente incorporá-lo na sua própria rotina, sem o receio de se aproveitar do amigo em baixa. Ele vai te ajudar a ajudá-lo. Longe do Parcão, perto do Boston Common? Use Skype, Telegram e coisas-do-Google para bolar algo em comum. Ele deve amar sua inteligência acima da média, sua aguçada sensibilidade, mesmo discordando a torto e a direito. No meio de tudo, lembre que somente ele, enquanto tiver controle de si, pode se convencer da necessidade de tratamento. Lembre.

  • Renato Oliveira diz: 29 de junho de 2015

    Eu sempre pensei que essas coisas não felicidade ou uma vida melhor espiritualmente, basta notar que nós pessoas pobres ou não ricas temos nossas brigas com pessoas, amigos e familiares e quase nunca a causa é dinheiro.

  • Roberto Nunes diz: 29 de junho de 2015

    A Bipolaridade e a depressão são coisas diferentes, do qual, acho a pior a Depressão…

    A pessoa deprimida, precisa ser ajudada, pois ela própria, perde o ânimo a esperança, e fica super sensível, donde só vem em sua cabeça, tudo de ruim que ela já viveu, mesmo antes de nascer, e chora sozinha em um canto escondido… Precisa que alguém lhe pegue pela mão e a leve ou a ajude da maneira que puder, pois se depender dela, não se ajudará.

    Normalmente se arrepende mil vezes por ter nascido, preferiria ter nascido morto, mas não se mata… Os que se matam, são aquela que carregam consigo uma tremenda coragem. Pois pra se matar, precisa disto mesmo com depressão.

    Existem remédios sim, mas achar o remédio certo é um calvário, que leva muitos e muitos anos, e uma paciência, que o depressivo não tem. Muito dos remédios levam a pessoa a ser abobado e irresponsável, por isso muitas vezes outros se aproveitam para usurpar seu dinheiro sua poupança. Normalmente se aproveitam dos depressivos o jogando mais ainda no poço, e é muito mais comum dar em velhos.

    Assim como há poucos anos houve um remédio chamado ACOMPLIA, que era a salvação dos gordos mórbidos, pois tirava a gordura dos órgãos internos, barriga, etc… E realmente funcionava com 100% de precisão sem nenhum esforço qualquer, foi tirado de circulação, pq uma modelo tomou e disse que teve pensamentos de se matar. Tiraram o remédio condenando todos os gordos a morte lenta. Também assim fizeram com remédios que deixavam o depressivo feliz.
    O Ecstasy é um deles. O motivo deste remédio era fazer os depressivos felizes. E funcionava. Portanto, o proibiram.

  • Jonas Casca diz: 29 de junho de 2015

    Hello darkness, my old friend.

    (Sugestão para o Som de Sexta)

  • Carlos Alberto diz: 29 de junho de 2015

    “A felicidade é muito mais o estado de espírito do que as circunstâncias que te rodeiam”. Já ouvi isso. Mas, como ficar alheio às circunstâncias que nos rodeiam? Como encarar um desemprego, uma recessão, uma morte de alguém querido? Com sorriso no rosto? Mas, ai também já é uma outra doença. Quem aceita tudo de qualquer forma teria uma doença inversa à depressão. Estamos sendo roubados diariamente por governos e políticos corruptos, que se locupletam com o dinheiro conseguido através do nosso suor, e nós, morrendo na porta do SUS por falta de atendimento, passando fome, necessidades, não tendo segurança em andar pelas ruas, não tendo educação adequada para nossos filhos. Somos explorados por fornecedores inescrupulosos que, pasmem, usam o próprio código de defesa do consumidor para se safarem. Deveria se chama código de proteção ao fornecedor inescrupuloso. Como ficar alheio a tudo isso sem ter momentos de depressão, que às vezes perduram por dias, semanas, meses? Sinceramente, ser feliz depende, sim, das circunstâncias que te rodeiam. Se você não é doente depressivo, ainda ficará.

  • Jairo Vivian diz: 29 de junho de 2015

    Conheci um rapaz aproximadamente a uns 3 meses, com depressão pós suicídio. Explico: Ele tinha um relacionamento com uma mulher a 9 anos, e ela sei lá por que motivo, ou motivos para elas não faltam, resolveu acabar com tudo, e simplesmente mandou que pegasse suas coisas e saísse. Então um amigo de infância o acolheu e lhe deu as boas vindas. Já se passaram todo esse tempo e ele não consegue sair da caixinha preta (depressão) Tentou a morte, mas felizmente não aconteceu.
    Converso com ele umas duas vezes por semana, sempre na tentativa de elevar a auto estima, mas que doença miserável, ela não dá nem um pingo de esperança de uma melhora. Quando vou embora da casa dele, vou pra casa num bagaço, de tanto pra baixo que essa imundice deixa.
    Mas tenho uma boa notícia: Jesus disse; tende bom ânimo, porque Eu venci o mundo. E é nisso que nos asseguramos e prossigamos até o dia da vitória.
    Eu não entendo nada de psiquiatria, mas eu poderia afirmar que, sem Deus, ninguém consegue sair dessa caixa preta, ou quadrado.
    Deus abençoe

  • Francisco diz: 29 de junho de 2015

    É, prezado David…………….perseverar a saúde mental é a atitude mais importante que devemos tomar em nossas vidas………
    É tudo……mais importante que prestígio social , dinheiro e bens materiais. É, valorizar o amor, a amizade, a simplicidade, a natureza, os amigos e, ………….eliminando totalmente, sentimentos como inveja , poder, maldade e soberba.

    Importante, também , é conhecer as próprias limitações para combater as frustrações……… tão recorrentes na vida.

    Caro David………, quem possui uma imagem pública , necessita ser….. não plenamente equilibrado…………., mas ponderado em suas opiniões.
    É extremamente desagradável perder a compostura em público , seja em palestras, programas de rádio e televisão ou debates.

    Um deslize pode ser , tristemente definitivo, na profissão, nas amizades e junto ao público.
    E, ….. uma atitude impensada, …….se transforma em arrependimento , após a constatação das consequências que acarreta.

    A falta de equilíbrio emocional, nem sempre pode ser considerado uma doença, a não ser que isso seja uma tendência cotidiana.
    Será que em situações de crise , não seria prudente calar, parar e pensar?

    Um bom exemplo de hábito saudável, que flexibiliza as tensões diárias é o Pedro Ernesto que, mesmo sendo um excelente jornalista, mediador de programas de rádio e competente narrador de futebol etc., ………..ampliou o seu talento para a música e já gravou vários cds.
    O Nando Gross também possui talento musical.

    Taí………… exemplos a serem seguidos!

  • José Antônio diz: 30 de junho de 2015

    Ser feliz é amar o que se tem e o que se é. Não buscar no outro ou nas outras coisas, algo para preencher seu vazio existencial. Por isso, a máxima, mente sã, corpo são.

  • seguezio diz: 1 de julho de 2015

    eu sinceramente não sei se churchill salvou a humanidade……..não sou a favor da matança , e depois de acabarem com hitler os americanos judeus fizeram muito pior. e continuam fazendo.to enganado david?

  • seguezio diz: 1 de julho de 2015

    tomaram conta do dinheiro banqueiros, da mídia matam a vontade. mataram jesus e a 70 anos se fazem de vitima.para o mundo que eu quero descer. tu não óbvio.faz parte da mentira.meu mail ta escrito ai não tenho problema de discutir isso contigo.

Envie seu Comentário