Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Um homem amado

24 de outubro de 2015 13

Conheci cachorros chamados Nero. Cachorros antigos. Todos já falecidos, suponho. As pessoas botavam o nome de Nero nos cachorros como espécie de desagravo aos cristãos supliciados por ele. Nero tinha péssima fama entre os cristãos. Tem ainda. Porque os culpou pelo incêndio de Roma e porque, durante seu reinado, foram executados Pedro e Paulo.

Pedro, você sabe, foi a pedra sobre a qual Jesus construiu sua igreja, e Paulo foi arquiteto, engenheiro e decorador da obra. Pedro morreu crucificado de cabeça para baixo, numa cruz em forma de xis. Paulo, decapitado.

Todos os apóstolos, com exceção de João, tiveram fim violento. Uns foram apedrejados, outros acabaram chicoteados, crucificados, apunhalados… Foi por isso que, em certa passagem do Novo Testamento, Jesus disse que não vinha trazer a paz, mas a espada. Ele se referia, exatamente, aos apóstolos. Era para eles que falava, prevendo os sacrifícios que os discípulos passariam por pregar em seu nome. Já li cada interpretação torta acerca desse episódio…

De qualquer maneira, o que dizia é que Nero goza de péssima imagem devido à sua implicância com os cristãos e porque três historiadores se empenharam em difamá-lo: Suetônio, Cássio Dio e Tácito. Muito do que sabemos sobre Nero se deve a eles, só que nem tudo que sabemos é verdade.

Por exemplo: é certo que Nero mandou matar a própria mãe, a pérfida Agripina, mas também é certo que ele NÃO estava tocando cítara no telhado do seu palácio enquanto Roma ardia em chamas.

Nero foi vítima da mídia burguesa. A elite branca não gostava dele. Os pobres, sim. Porque Nero seguia alegremente a política que Juvenal denominou de “panem et circenses”, pão e circo. Quando ele morreu, tornou-se o que o rei dom Sebastião foi para os portugueses. Os romanos suspiravam esperando pelo seu retorno nos braços do povo. Corria uma lenda de que ele continuava vivo, e vários Neros se apresentaram como se fossem o imperador. A crença na volta de Nero vicejou pelo menos depois de 20 anos de sua morte. Um dos impostores, um homem chamado Terêncio Máximo, era parecidíssimo com ele. Andava igual, falava igual e até cantava igual, tocando harpa e tudo mais. Terêncio teve a ousadia de reivindicar a coroa, então usada por Tito, chegou a firmar um pacto com os partas, tradicionais inimigos dos romanos, mas foi descoberto e executado.

Veja que estou falando de Nero, uma espécie de Hitler da antiguidade, tão infame que seu nome era posto nos cães como vingança por suas maldades. Nero foi amado, quem diria? E o foi porque dava ao povo o que o povo queria, quer e para sempre quererá. O povo está pouco se importando para governos austeros, para responsabilidade fiscal ou para quem administra pensando no futuro.

Liberdade? É um luxo.

Igualdade? Não precisa tanto.

Precisa é ter comida na mesa, um lugar onde morar e uma cervejinha para beber com os amigos no sábado. A popularidade do governo anda baixa? Basta aquecer a economia. Ninguém tem de ser bom presidente, se tiver um bom ministro da Fazenda.

 

Comentários (13)

  • carlitos diz: 24 de outubro de 2015

    David, vamos falar da “Lei de Gérson”, na política. Quero saber qual o patrimônio das seguintes pessoas, ANTES e DEPOIS de se transformarem em políticos profissionais: Lula, Dilma, Zé Dirceu, Palocci, Lulinha, Erenice. No RS: Olívio, Tarso, Marco Maia, Paim. Feito o “levantamento”, poderemos acrescentar mais algumas CENTENAS de nomes, a fim de sabermos como está sendo feita a “distribuição de renda” entre os brasileiros…

  • Machiavellirs diz: 24 de outubro de 2015

    LIBERDADE? IGUALDADE?

    Eu perguntei para meu pai: Pai, você tinha liberdade na época da ditadura militar de 1964? Ele me respondeu:

    - Tinha Machi! Aliás tinha mais liberdade naquela época do que a liberdade que tenho agora. Naquela época eu andava para lá e para cá sem medo dos bandidos. Aliás, naquela época nunca fui assaltado! Hoje, já fui assaltado 3 vezes, sendo que em um desses assaltos me roubaram o automóvel. Tua mãe, coitada, foi assaltada duas vezes lá no centro e, nas duas, roubaram a bolsa dela.

    - E os políticos corruptos da época?

    - Todos na cadeia, Machi! Uma maravilha!

    - E comida?

    - Comíamos muito bem…lembra? Churrasco de picanha e ovelha todos os domingos!

    - E o circo do futebol?

    - O Brasil foi campeão do mundo em 1970 com a melhor seleção de futebol que já apareceu por aqui. O Pelé, o Tostão. o Gerson e o Jairzinho estavam no auge… e, de lambuja, tinha o Everaldo, do nosso Grêmio!

  • Marcelo Dalcin diz: 24 de outubro de 2015

    Meu cachorro se chama Nero. É um vira latas preto como a noite mais escura. Por isso o nome. Nero é negro em italiano. Ele tem 10kg, pelo curto e liso, e como o imperador homônimo é amado por muitos à sua volta. Impressiona pelo sono que sente e também pela alegria que expressa em seus gestos e carinhos. É um bom cão, e para mim, o melhor.

  • Lucas diz: 24 de outubro de 2015

    Nossa…
    Como pode alguém ter tanta clareza do que está acontecendo.
    Pena que quem vai para política e tem o mesmo pensamento que tu tens, acaba sendo corrompido e apenas entra no jogo.
    São várias propostas de reformas e, quando chega lá, acaba fazendo parte de mais uma engrenagem de um sistema que nada faz para efetuar as reformas que os países ricos já tiveram que passar. Apenas articulam a forma de como ficar mais tempo ganhando bons salários e vida boa.
    Será que isso tem solução?

  • Benedito diz: 24 de outubro de 2015

    Se até um sujeito que matou a própria mãe entra para a história como um homem bom, imaginem como foi e é o mundo.
    Se ser bom é tirar de quem trabalha para dar aos vagabundos (foi o que, na verdade, o texto quer dizer) essa bondade não deveria existir, pois trata-se de roubo.
    Comida na mesa, um lugar para morar e uma cerveja, é preciso que alguém trabalhe para isso. Pode ser o próprio consumidor ou pode ser qualquer um, desde que tenha um governante que lhe dê essas condições. Pode ser até mediante pagamento com o voto.
    Mas, não deixa de ser roubo. E roubo, pelo que eu sei, é crime. E quem pratica crime deve ir para a cadeia.

  • Roberto Nunes diz: 24 de outubro de 2015

    Existem pessoas, muitas até bem renomadas, que dizem que Jesus nunca teria existido…

    Pergunto então, por que será que estas pessoas que conviveram com Jesus, que foram mortas brutalmente por isso… Por que eles morreriam assim se fosse para uma mentira que eles mesmos tinham inventado?

    …. :roll:

    A História quase sempre é escrita pela Elite, e normalmente a favor do governo, então é escrita de um ponto de vista, normalmente, torto.

    Toda a história tem diversos ponto de vista, por exemplo:
    Se vê a história do Lincoln escrita pelo norte, ele é o melhor presidente q o EUA já teve…
    Se vê a história do Lincoln escrita pelo sul, é o presidente que atacava, as cidades cheio de mulheres e crianças, pois os homens estavam na guerra… Os exércitos incendiavam e matavam pilhavam, estupravam mulheres e crianças, cidades, fazendas e tudo que encontrasse pela frente eram dizimados…
    Se vê Lincoln escrito pela Elite, foi propulsor do progresso…

    Se vê Lincoln escrito pelo pobre, foi o presidente que transformou a nação mais pungente do mundo em mais pobre… E apesar de governar por 4 anos, deixou seu rastros de doenças, pobrezas e mortes e banditismo, e tanta gente amputadas esmolado, que levou pelo menos 80 90 anos para voltar a posição que estiveram a quase um século antes… Pra eles foi o pior presidente que existiu.

    A Economia:
    Se o povo tem dinheiro para comprar… É pq ganha bem…
    Se o povo ganha bem, gasta bem…então a indústria, comércio, etc progride bem…
    Se o povo ganha bem e gasta bem … os impostos crescem…
    Existe alguém que não goste de uma economia saudável?

  • MARRETA diz: 24 de outubro de 2015

    Sério que vc acha que a aposição do nome Nero em cachorros tem o objetivo o “desagravo aos cristãos supliciados” por Nero?

    No Brasil, um país em que o povo é assombrosamente “culto e ilustrado”?

    Pois eu aposto um boi contra um bife que 90% dos que batizaram assim os guaipecas acham que Nero foi um centroavante do São José, que ficou marcado por ter errado um pênalti (cometido pelo zagueiro Calígula) no jogo final do campeonato citadino de 1953; 0,5% ensinarão que Nero é um aplicativo de gravação de DVDs e os 0,5% restantes dirão que tiraram o nome duma página do feicebuque.

    Quer apostar?

  • Xcake diz: 25 de outubro de 2015

    Por que o velho e bom Rio Grande ficou para trás

    É possível recuperar o tempo perdido? Claro que é.

    E é mais fácil e viável quando se está no fundo do poço. Igual fez o Inter a partir do início dos anos 2000. Igual fez o Grêmio após cair para a segundona em 1991 e está fazendo agora, depois de 15 anos sem títulos. O fundo do poço cria as condições propícias para a retomada a partir da ideia simples de que não é possível ficar pior do que já está.

    Mas o ideal mesmo é buscar analisar os erros cometidos e evitar de repeti-los. E a comparação também é importante. Comparar com quem foi o vencedor do campeonato. Veja o caso do Grêmio e Corinthians neste ano. Se nos debruçarmos nos dados de um e outro no campeonato, nas decisões de foram tomando, fica claríssimo onde um errou. E ainda mais claro, pois dá para comparar e ver que o outro fez justamente o contrário. Quanto vale a gente saber a receita para ser campeão brasileiro? Bem, agora que eu sei, parece uma coisa banal. Parece que todo mundo vai perceber fácil. Mas não é bem assim, pois depois que a gente perde uma partida de xadrez e vai refazer a jogada do xeque-mate sempre se torna ridículo de não tê-la percebido. Depois que colombo botou em pé o ovo, também.

    Vou dar duas pistas para a derrocada riograndense:

    1. Avaliem os governadores Catarinenses e Paranaenses de 1990 para cá:

    -1991 a 1995 – Vilson Kleinubing – PFL;
    -1995 a 1999 – Paulo Afonso Evangelista Vieira – PMDB;
    -1999 a 2003 – Esperidião Amin Elou Filho – PPB;
    -2003 a 2007 – Luis Henrique da Silveira – PMDB;
    -2007 a 2011 – Luiz Henrique da Silveira – PMDB;
    -2011 a 2015 – Raimundo Colombro – PSD;
    2015 a 2019 – Raimundo Colombro PSD;

    Agora relaciono os governadores neste período, no Paraná:

    -1991 a 1995 – Roberto Requião de Mello e Silva – PMDB;
    -1995 a 1999 – Jaime Lerner – PDT;
    -1999 a 2003 – Jaime Lerner – PFL;
    -2003 a 2007 – Roberto Requião de Mello e Silva – PMDB;
    -2007 a 2011 – Roberto Requião de Mello e Silva – PMDB;
    -2011 a 2015 – Carlos Alberto Richa – PSDB;
    -2015 a 2019 – Carlos Alberto Richa – PSDB;

    Notem, são 07 mandatos. E não há a sigla PT em nenhum deles. Isso pode validar-se em nada numa investigação mais profunda, mas é uma boa pista, não acham? O Rio Grande do Sul admitiu dos mandatos Petistas neste período. Isso é demais. Não há como as finanças resistirem.

    2. Minha mãe, carinhosamente, falava que o gaúcho é dado a fazer gauchadas.

    A grande gauchada dos gaúchos é serem afeitos a um caudilhismo. Creio que até mesmo em dado ressentimento de não terem o seu Peron. Não são todos, é certo. Há bravos gaúchos desbravando esse Brasil em todas as fronteiras. Talvez sejam bravos que saíram do torrão justamente por esta razão – a desilusão com a forma de resolver as coisas através da retórica de homens bravateiros. Mas eles amam a sua terra como sempre amaram. O que precisa é renovar a nossa mente a cada dia. E passar a atirar pedra em ídolos do passado que só legaram isso que está aí, um enorme déficit com o futuro. A gente tem que vasculhar internamente de vez em quando, e jogar fora o que há de ruim, sem ressentimento. Temos que rir de nossos erros. E jogar fora. Então, jogar fora o Brizola só vai fazer bem. Jogar fora o Getúlio, também. Então, joguem fora. E aproveitem, livrem-se de sujeitos igual ao Juremir Machado também. Não se pode admitir que dinossauros passeiem por aí, e entrem até na sua sala.

    Sou descendente de gaúcho, tomo chimarrão todo santo dia e torço por um dia daí.

  • Andre rodrigues diz: 25 de outubro de 2015

    So pra complementar, Pedro se recusou a morrer na cruz, pois não se achava digno de morrer como seu mestre, assim como André irmão de Pedro, também pediu a seus executores para morrer em uma cruz em x.

  • Roberto Nunes diz: 25 de outubro de 2015

    XCake, pois pode-se medir o RS com os outros estados do Sul com parâmetros mais reais, vejo que o RS, por diversos mandatos só quiseram aumentar impostos, ao contrário dos outros estados, por exemplo imposto sobre eletricidade aqui, 30% no mínimo, nos estados vizinhos, o máximo é 12%…

    Por muitos mandatos, nunca tentaram desenvolver empresas, e sim persegui-las não as deixando respirar… Milhões de micro empresas foram fechadas quebradas por culpa dos governos do RS… Como por exemplo obrigou micros empresas a comprar impressoras fiscais, por R$ 10.000,00 cada uma, com objetivo nenhum…

    Hoje vc passa por uma Rua Riachuelo por exemplo, só vê lojas fechadas… Lojas que davam para o governo no mínimo R$ 10, R$ 20 mil de imposto cada uma.

    Uma lojinha destas quando quebra, leva tudo daquele empreendedor, ele fica com dívidas com governo e outras pelo resto da vida… E está morto como empreendedor, bem ao contrário por exemplo, dos Estados Unidos… Quem diria que Henry Ford antes de ter sucesso quebrou 3 empresas, e ficou dívidas mils com o governo? Quem diria que Tomas Edson antes do sucesso foi diversas vezes a falência? Isto aqui é impossível fazer, o empreendedor que foi a falência, é pior do que Marginal para o fisco e bancos…

    Outra coisa é que no RS ao contrário dos estados vizinhos, a população diminui, por razões óbvias, diminui a população mas as despesas sempre crescem, ao contrário dos estados vizinhos….

  • carla diz: 26 de outubro de 2015

    Pois é David, qualquer semelhança entre Nero e Lula terá sido mera coincidência?
    Bom lembrar que nos tempos de Brizola, Grupos Escolares eram abundantes. Não havia uma vila, cidadezinha, município ou o que quer que fosse, que não tivesse ao menos uma dessas escolas. E com ensino de qualidade, onde os professores ensinavam e os alunos os respeitavam. Saudades daquele tempo…

  • Xcake diz: 26 de outubro de 2015

    Sim, Roberto. É por aí. Esse êxodo que ocorre no RS é pelo motivo óbvio da ausência de oportunidades. Eu, por exemplo, estou em Joinville, e por aqui a população é majoritária de migrantes, sobretudo vindos do Paraná, mas também se vê muitos gaúchos. Tanto que há bares dedicados para os engajados tanto ao Grêmio quanto ao Inter. A população de Joinville deve ter aumentado 50% nos últimos 15 anos. Aumenta porque há oportunidades.

    O fato é que um governo precisa que entender que o melhor caminho para criar benefícios e bem-estar para uma população, é através de uma cadeia empresarial cada vez mais densa. Empresários de todo tipo – micros, médios e grandes.

    Esse é o ponto crucial que separa a visão petista do resto dos partidos de maior representação no Brasil. O PT entende que o empresário é um inimigo. A visão de governar petista sequer é uma visão de preponderância sobre a economia. A visão deles é de preponderância política – resume-se a um grande incremento de cargos comissionados, de aumentos salariais, de bolsas de todo o tipo, benefícios, direitos, etc. Mas de onde vem a receita de um estado para arcar com todos estes direitos que o PT gosta de cumprir? De uma economia pujante. Quanto mais fraca é economia de um estado, menor a arrecadação (já que a única fonte são os impostos). Menor a arrecadação, menores os benefícios que este estado consegue propiciar a sua população. Como eles não abrem mão de conceder estes benefícios (por motivo óbvio), eles aumentam os impostos. O aumento dos impostos, enfraquece a cadeia empresarial, pois fica mais fácil ir produzir em SC ou no PR.

    E por aí vai.

    É tão fácil de ver como funcionam as coisas. Eu não entendo o pessoal fazer tanta confusão. Só pode que agem de má fé.

    Veja o comentário que faz o Sr. Cláudio no texto de hoje do David, sobre “a questão do Enem”. Não dá para aceitar que exista uma cabeça que raciocine de forma tão tacanha.

  • carlitos diz: 31 de outubro de 2015

    Eu fiz um pedido , no dia 24, para que me informassem a respeito do patrimônio de algumas pessoas, ANTES e DEPOIS de se tornarem políticos profissionais. Não recebi resposta. Dizem que o Lula morava em um cômodo de 40 metros quadrados. Que o Palocci não tinha “onde cair morto”. Que o Olívio era contínuo do Banco do Estado. Que o Marco Maia e o Paim eram “chão de fábrica” de metalúrgicas. E por aí vai…É verdade?…

Envie seu Comentário