Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

A foto perfeita

24 de junho de 2011 0

Não há como negar. Uma bela foto de comida desperta imediatamente apetites e até desejos de compra e torna livros e cardápios mais atrativos. Transformar um prato de comida em uma imagem que beira a perfeição é o trabalho do chef Heiko Grabolle e do fotógrafo Michel Téo Sin. Com a empresa Fotografia de Comida, com sede em Florianópolis, eles produzem imagens para embalagens de produtos, livros e revistas e ministram workshops pelo país sobre o assunto — o próximo será na capital catarinense, dia 9 de julho.

Grabolle, alemão radicado no Brasil, trabalha como food stylist (algo como estilista de alimentos) na produção das imagens _ o objetivo é deixar o alimento com o aspecto perfeito para o clique.
A perfeição, claro, tem seus truques e é conquistada minuciosamente. Uma xícara de café com uma bela espuma, por exemplo, pode custar três, quatro horas para a produção. O chef Grabolle conversou com a coluna sobre o mercado e dá dicas para iniciantes, confira abaixo.


Workshop Fotografia de Comida _ No Majestic Palace Hotel, em Florianópolis. Dia 9 de julho, sábado, das 9h ao meio-dia e das 13h30min às 18h30min, por R$ 450. Pré-requisito: noções básicas de fotografia e/ou culinária. Informações e inscrições: fotografiadecomida.com.br

Foto: Michel Téo Sin/Divulgação

Entrevista: Heiko Grabolle, chef e food stylist

O visual das fotos de comida evoluiu muito nos últimos anos. Este é um movimento recente?
Grabolle -
A fotografia de comida e o food stylist como profissão no Brasil ainda são muito novos, tem pouca gente que trabalha com isso. Antigamente havia muito a ideia da mentira, a foto era muito diferente do produto da embalagem. Nos últimos cinco a 10 anos, as empresas grandes descobriram que investir na embalagem atrai mais o consumidor. O Photoshop também é um diferencial, mas a gente procura fazer o melhor trabalho no produto. Quanto mais se investe na qualidade de produção, melhor.

Há blogueiros de gastronomia, fotógrafos por hobby, que se destacam nesta área. Como você vê este trabalho?
Grabolle -
Acho que o mercado no Brasil está crescendo muito nesta área. Muita coisa vem de hobby, depois às vezes vira uma profissão. Isso ajuda no crescimento nacional. Quanto mais pessoas estiverem escrevendo e fotografando bem, maior será a concorrência para as revistas.

Que dicas você daria para blogueiros e para quem gosta de fotografar os pratos que produz, que fazem como hobby?
Grabolle -
Um bom investimento na iluminação — pode ser luz natural, mas tem que ter condições climáticas perfeitas —, aprender técnicas básicas sobre como preparar comida e boa escolha de louças e ambientações.

* Publicado na coluna Dedo de Moça desta sexta.

Comente

comentários

Envie seu Comentário