Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Catarinense cria cerveja probiótica

22 de julho de 2011 5

A crença de que cerveja é assunto masculino diminui a cada renovação da imagem da bebida. A jovem moça da foto é um exemplo disso. Dona de uma carreira acadêmica dedicada à bebida, ela hoje estuda a área de engenharia metabólica para leveduras cervejeiras. Amanda Felipe Reitenbach, de Florianópolis, é mestre cervejeira e doutoranda em Engenharia Química. Aos 27 anos, é autora de uma ousada pesquisa – com o apoio da empresa Heineken, Amanda desenvolveu uma cerveja probiótica, que traz benefícios ao organismo.

Os produtos probióticos (como alguns iogurtes) contêm organismos vivos que fazem bem à saúde e atuam no trato intestinal. Ainda em fase de testes, por enquanto não há previsão para lançar a cerveja comercialmente.

Em Blumenau, Amanda coordena o curso de técnico cervejeiro da Uniasselvi, procurado por muitos produtores caseiros de cerveja que buscam profissionalização. A segunda turma do curso abre em agosto e está com as inscrições abertas.

Confira a entrevista com a mestre cervejeira:

Quando nasceu o interesse pela fabricação de cerveja?

Desde cedo, na minha família já tinha quem trabalhava com cerveja. Quando entrei na faculdade, me apaixonei pela parte de fermentação e comecei a fazer projetos nesta área, fiz estágios em indústria cervejeira.

Qual é a relação da Heineken com a pesquisa?
Foi uma parceria. Eles me forneceram a parte do mosto, eu trazia para o laboratório em Florianópolis e aqui eu fazia a parte de fermentação. Mas a matéria-prima é a mesma com que eles trabalham. É uma cerveja pilsen, bem semelhante a uma cerveja comercial.

O objetivo era oferecer uma bebida mais saudável?

Quando eu decidi trabalhar com cerveja, pensei que queria fazer uma coisa que fosse inédita. A gente tem toda essa ligação com produtos funcionais, mas ainda não existia nada com origem vegetal, somente de origem animal, como os iogurtes probióticos.

Esta inciativa é inédita?

Sim. Há no mundo cervejas com características funcionais, mas está é a primeira com leveduras probióticas.

Toda cerveja tem levedura?

Sim, mas geralmente a levedura não está mais ativa porque a cerveja passa pelo processo de pasteurização, que deixa a levedura inativa. O diferencial do que a gente criou é que a levedura estaria na forma viva, que é o que traz os benefícios para o organismo.

Por ser probiótico, o consumo deve ser reduzido?
A indicação para todo alimento probiótico é de 200ml por dia. Além disso, o álcool em excesso também é prejudicial à saúde. Não é porque tem uma levedura que faz bem que vai poder abusar da bebida.

* Publicado na coluna Dedo de Moça desta sexta.

Comente

comentários

Comentários (5)

  • Carlos André diz: 22 de julho de 2011

    Muito interessante a matéria, inclusive essa moça é o sonho de qualquer rapaz que quer casar.

  • Gabriel diz: 22 de julho de 2011

    e é solteira essa moça? casar com uma mestre cervejeira é sonho de consumo hein?

  • Roberto diz: 22 de julho de 2011

    Combinação perfeita esta.Cerveja e mulher,parabéns pra ela.
    Além de ser linda.

  • WALDIR diz: 24 de julho de 2011

    SÓ PODIA SER DO VALE DO ITAJAI POR AQUI SÓ TEM GENTE INTELIGENTE,E AGORA OS OUTROS ESTADOS VÃO PAGAR A CERVEJA A PREÇO DE OURO .PARABENS AMANDA ISTO SO VEM A CORROBORAR DE QUE TEMOS GRANDES INVENTORES, NÃO É POR ACASO QUE AS MAIORES FESTAS DE CERVEJA ESTÃO NO ESTADO.

  • Adalberto diz: 24 de julho de 2011

    Mulher bonita, inteligente e que ainda fabrica cerveja, eu não sabia que isso existia…

Envie seu Comentário