Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de julho 2015

Ronda Charrua busca tri-campeonato no Feggart

25 de julho de 2015 3

Eles chegam no Festival Gaúcho e Gastronômico de Arte e Tradição (Feggart) atrás do terceiro troféu. Depois de ganhar, em 1990, o extinto Festival Gaúcho de Arte e Tradição (Fegart) e em 2013 o Encontro de Arte e Tradição Gaúcha (Enart), o CTG Ronda Charrua busca este final de semana, em Farroupilha, uma espécie de tri-campeonato.

O grupo vai encenar a coreografia Um certo capitão Rodrigo, baseada numa passagem de O Tempo e O Vento, de Erico Verissimo. Encenada em 2012 no Enart, ela traz o romance entre Bibiana Terra e capitão Rodrigo, e a briga com Bento Amaral, com a  famosa passagem onde o capitão escreve a letra inicial do próprio nome na face de Bento.

alberto nogueira divulgação

Foto: Alberto Nogueira. Divulgação

Nos palcos de Santa Cruz do Sul, a apresentação marcou uma nova fase do Ronda, que montou o cenário na própria arquibancada e fez parte da encenação junto ao público. Desde 2010, as coreografias do grupo são baseadas em passagens históricas com peleias e guerras.

estampa da tradição fotografia

Foto: Estampa da Tradição Fotografia, Divulgação

— Sabemos da responsabilidade que é dançar em Farroupilha e queremos fazer uma apresentação bem especial para o público. É uma emoção difícil de explicar — afirmou Suelen.

No ensaio, eles fizeram um registro especialmente para o blog.

IMG_3559

Foto: Arquivo pessoal, Divulgação

Os CTGs da região no Feggart:

CTG Sinuelo – Caxias do Sul
CTG Ronda Charrua – Farroupilha
CTG Última Tropeada – Guaporé
CTG Heróis Farroupilha – Caxias do Sul
CTG Herdeiros da Tradição – Caxias do Sul
CTG Aldeia Farroupilha – Farroupilha
CTG Estipe Gaúcha – Guaporé
CTG Campo dos Bugres – Caxias do Sul
GTCN Velha Carreta – Caxias do Sul
CTG Trilha Serrana – Carlos Barbosa

AGENDE-SE
O que: Festival Gaúcho e Gastronômico de Arte e Tradição (Feggart)
Quando: 24 a 26 de julho
Onde: Parque Cinquentenário, em Farroupilha
Ingressos: R$5 (criança de até sete anos não paga)
Estacionamento: R$ 10
Informações: www.feggart.com.br

Campeã do Fegart de 90 veste mesmo vestido 25 anos depois

25 de julho de 2015 0

Há lembranças que o tempo não apaga. Elenice Girelli guarda o vestido amarelo com fitas mimosas usado em 1990, quando foi campeã com o CTG Ronda Charrua do antigo Festival Gaúcho de Arte e Tradição (Fegart), que ocorreu entre 1985 e 1996, em Farroupilha.

Vinte e cinco anos depois, aos 41 anos, Elenice mostra que o vestido ainda serve! Naquela época, as coreografia tinham mais sarandeio de prendas (movimento com a saia ou o vestido) e sapateio dos peões, ao invés das encenações coreográficas que marcam os festivais hoje.  Veja ela em 90 e atualmente!

reprodução

Foto: Arquivo pessoal, Divulgação

porthus junior

Foto: Porthus Junior, Divulgação

O Fegart deu origem ao que hoje é o Encontro de Arte e Tradição Gaúcha (Enart), que ocorre anualmente em Santa Cruz do Sul. Para comemorar os 80 anos de Farroupilha, a cidade trouxe em 2015 o Festival Gaúcho e Gastronômico de Arte e Tradição (Feggart), batizado de edição de ouro. O evento tem mobilizado a comunidade da cidade, como dançarinos da década de 80 e 90 do festival.

Conheça a invernada da Serra que ganhou o Fegart em 90

24 de julho de 2015 0

Este registro é histórico: esta é a invernada do CTG Ronda Charrua, de Farroupilha, que em 1990 tornou-se campeã do antigo Festival Gaúcho de Arte e Tradição (Fegart), que ocorreu entre 1985 e 1996, em Farroupilha.

O Fegart deu origem ao que hoje é o Encontro de Arte e Tradição Gaúcha (Enart), que ocorre anualmente em Santa Cruz do Sul. Para comemorar os 80 anos de Farroupilha, a cidade trouxe em 2015 o Festival Gaúcho e Gastronômico de Arte e Tradição (Feggart), batizado de edição de ouro. O evento tem mobilizado a comunidade da cidade, como dançarinos da década de 80 e 90 do festival.

00b07c64

Foto: Arquivo pessoal, Divulgação

AGENDE-SE
O que: Festival Gaúcho e Gastronômico de Arte e Tradição (Feggart)
Quando: 24 a 26 de julho
Onde: Parque Cinquentenário, em Farroupilha
Ingressos: R$5 (criança de até sete anos não paga)
Estacionamento: R$ 10
Informações: www.feggart.com.br

 

Leilão de Coberturas de Crioulos ocorre em Caxias

22 de julho de 2015 0

O Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos dos Vinhedos organiza para o dia 31 de julho, em Caxias do Sul, o seu Leilão de Coberturas da raça Crioula.

Além do leilão, o público tem mais dois atrativos: um jantar e um show com Joca Martins.

O valor arrecadado no remate será investido no fomento da raça na região. Os ingressos são limitados e estão disponíveis junto aos membros do Núcleo. O investimento será de R$ 40 para ingresso no jantar – é possível escolher entre comida campeira ou italiana.

Informações: (54) 9112.3703

IMG_6365

 

Programação:

20h – Jantar

21h – Leilão

22h30min – Show com Joca Martins

Patrão de CTG baleado em assalto posta mensagem em rede social

21 de julho de 2015 0

Henio Vallandro, patrão do CTG Rancho da Saudade, de Cachoeirinha, agradeceu aos amigos pelas orações para a sua recuperação. A mensagem foi postada no perfil do Facebook de Vallandro.Ele foi baleado no domingo durante uma tentativa de assalto na Costa do Ipiranga, em Gravataí.

Vallandro estava de carro e ao tentar fugir dos criminosos acabou sendo atingido no tórax. Ele está internado no Hospital Dom João Becker, em Gravataí.

Força, patrão!

Sem título

Turistas aprendem a fazer chimarrão em Gramado

21 de julho de 2015 0

O turista que vai a Gramado desfruta um pouquinho das tradições gaúchas com a Escola do Mate.

Durante todas as quintas-feiras de julho, das 11h às 12h, uma equipe do Parque Gaúcho está a postos na Praça das Etnias, no centro de Gramado, mostrando aos visitantes o hábito mais popular dos gaúchos.

A escola resgata a origem da erva-mate e apresenta os benefícios e as curiosidades do mate gaúcho. Os visitantes aprendem a preparar e degustar o chimarrão.

A aula show apresenta a receita de mate doce com leite, uma variação do mate que foi muito tradicional na região do pampa, principalmente, nos meses mais frios.

– A interação do público tem sido excelente. A maioria desconhece a bebida. Além de degustar, aprendem sobre a história e o preparo desta tradicional bebida que demonstra a hospitalidade do povo gaúcho – afirma Fernanda Valente de Souza, responsável técnica do parque.

 Caroline Zanchi divulgação

Foto:  Caroline Zanchi, Divulgação

 

Confira o que tu verás no Feggart!

20 de julho de 2015 0

Tem tudo para ser mesmo uma edição de ouro, como foi batizado o Festival Gaúcho e Gastronômico de Arte e Tradição (Feggart) que comemora os 80 anos de Farroupilha na próxima semana, entre os dias 24 e 26 de julho.

O festival também volta à própria origem, relembrando o antigo Fegart, que deu procedência ao que hoje é o maior festival de arte amadora da América Latina, o Encontro de Arte e Tradição Gaúcha (Enart).

As tradições gaúchas – danças e modalidades individuais – são o que movem o evento, no Parque Cinquentenário.

11022580_345313855664197_6614005863929032272_o

AGENDE-SE

O que: Festival Gaúcho e Gastronômico de Arte e Tradição

Quando: 24 a 26 de julho

Onde: Parque Cinquentenário, em Farroupilha

SHOWS E BAILES

Dia 24 – sexta

21h – show com Luiz Carlos Borges e Grupo

Dia 25 – sábado

19h – show com Robison Boeira e Grupo

23h – Baile com Tchê Guri (R$ 25 elas e R$ 30 eles)

Dia 26 – domingo

17h30min – show com César Oliveira e Rogério Melo (antes do resultado)

imigrantes2

Foto: Gabriel Lain

O QUE VOCÊ VERÁ

Provas artísticas – É o que move o Feggart. As competições são de danças tradicionais (categoria adulta), chula, declamação (feminino e masculino), gaita ponto (masculino e feminino), gaita tecla (masculino e feminino), intérprete solista (masculino), intérprete solista feminino e trova

Multifeira - A Multifeira Potencialidades do Sul traz setores do comércio, indústria e serviços, como calçados, artesanato e confecções, de vários municípios do Estado

Salão Gastronômico - Deverá ser o ponto de encontro dos participantes, expositores, compradores e visitantes, que vão desfrutar da culinária rio-grandense

O CTG Rincão da Lealdade, de Caxias do Sul, atual campeão do Rodeio Internacional de Vacaria, se apresentará na sexta, dia 24, às 21h30min

O concurso de danças tradicionais começa na sexta e segue no sábado. Os classificados dançam no domingo. Os concursos de modalidades individuais ocorrem sábado e domingo.

Na TV: TV FEGGART, que vai transmitir online tudo o que estiver acontecendo no evento, ao vivo, com qualidade full hd. Além disso, a TVCOM irá fazer a transmissão da grande final no domingo, com início previsto para as 8h

Acomodação: 17 entidades de Farroupilha cederão seus espaços para alojar 26 das mais de 80 entidades tradicionalistas participantes do festival

Desafio Farroupilha: O Feggart receberá o Desafio Farroupilha, reality campeiro em que César Oliveira & Rogério Melo buscam um novo talento da música gauchesca

 

Comece o dia com Jéssica Thomé

16 de julho de 2015 0

Vamos começar esta quinta-feira com uma boa música? Nossa Gente, que dá nome ao novo CD de Jéssica Thomé. São 12 músicas, todas instrumentais, sendo sete de autoria própria. A inspiração são as vivências serranas e o anseio de ver a música regional valorizada.

Em redes sociais, Érlon Péricles comemora prêmio no Ronco do Bugio

14 de julho de 2015 0

Nas redes sociais, o músico Érlon Péricles comemorou o prêmio no  Ronco do Bugio, em São Francisco de Paula. Serrano e Costeiro, de autoria dele e de Hermes Regis Lopes e Reginaldo Silva, ganhou o primeiro lugar no festival que ocorreu neste final de semana. Péricles escreveu:

“24 Ronco do Bugio! Gracias por mais uma Vitória! Primeiro lugar na parceria com HERMES LOPEZ e interpretação do grande JORGE FREITAS! SERRANO E COSTEIRO ainda contou com a colaboração dos amigos MARCELINHO FREITAS, GUILHERME GOULART e CRISTIANO QUEVEDO!”

24º RONCO DO BUGIO

1º Lugar: Serrano e Costeiro
De: Hermes Regis Lopes, Reginaldo Silva  e Érlon Péricles
Interpretação: Jorge Freitas

Sem título

Foto: Arquivo pessoa, Divulgação

2º Lugar: Cantando o Rio Grande Com Voz de Bugio
De: Milton Cezar Hoff e Jones Andrei Vieira
Interpretação: Jones Andrei Vieira e Leomar Ferráz

3º Lugar: Sonoridade Serrana
De: Adão Quevedo
Interpretação: Lú Schiavo

Música Mais Popular: Com a Cara do Rio Grande
De: Dionísio Costa e Jardel Borba
Com: Jardel Borba e Grupo Brasil de Bombacha

Melhor Arranjo: Pras Noites de Ronda
De: Jones Andrei Vieira e Eduardo Correia
Com: Jones Andrei Vieira, Leomar Ferráz  e Grupo

Melhor Intérprete: Cristiano Quevedo

Melhor Instrumentista: Jones Andrei Vieira

3º RONCO DO BUGIOZINHO

1º Lugar: Gustavo Oliveira

2º Lugar: Mateus Reis Machado

3º Lugar: Thomas Machado

Lançamento: Livro conta a história de Cazuza Ferreira

13 de julho de 2015 0

Cazuza Ferreira parou no tempo. É o que dizem aqueles que visitam o distrito de São Francisco de Paula que hoje tem menos de 1.300 habitantes. Mas as casas de madeira, muitas sem pintura, e o antigo e imponente hotel da vila revelam o que foi, nas décadas de 40 a 60, um período próspero da localidade com o ciclo madeireiro.

Maicon Damasceno2

Foto: Maicon Damasceno

Quem conta estas e outras particularidades de Cazuza é o escritor Batista Bossle nas 248 páginas do livro Cazuza Ferreira Tem História para Contar, que será lançado nesta terça-feira em Caxias do Sul.

As Cavalhadas, umas das tradições mais antigas do Estado e que simula a luta entre mouros (de vermelho) e cristãos (de azul), feitas no distrito, ganharam um capítulo dessas memórias. Mas a obra é também um registro do presente: a população atual se verá no dia a dia do distrito, nas casas, na lida do campo, e nos armazéns antigos.

roni rigon

Foto: Roni Rigon

Bossle é natural de Campestre do Tigre, localidade de Cazuza. Aquerenciado em Porto Belo (SC) há mais de 30 anos, os últimos três foram de incontáveis idas e vindas ao Estado para pesquisas do livro que incluíram visitas a cartórios, prefeituras e bibliotecas não só de São Francisco, mas também de Santo Antônio da Patrulha e Taquara, cidades que São Chico já pertenceu.

— A comunidade precisava de um registro de suas memórias — resume ele, simples e autêntico, como Cazuza Ferreira.

porthus junior

Foto: Porthus Junior

As curiosidades:

- Antes de ganhar o nome Cazuza Ferreira, o distrito era conhecido como “Capela do Lageado”. Por uma exigência legal do governo federal, a localidade teve de trocar de nome. O prefeito da época,  Coronel Alziro Torres, sem consulta popular, escolheu homenagear o doador das terras usadas como moeda de troca por outras melhores para a construção da vila, José Ferreira de Castilhos, cujo apelido era Cazuza Ferreira. Muitos não gostaram da troca e chamavam de “exibidos” aqueles que falavam o nome.

- Cazuza já teve até cinema. Atrás do conhecido Hotel Avenida (hoje Hotel do Campo),  foi construído um pavilhão todo de madeira, com mais de 100 lugares e com camarote: era o Cine Serrano. Entre os filmes que passaram estavam o Gordo e o Magro, Mazzaropi e Coração de Luto, com Teixeirinha. O Cine Serrano  fechou em 1968.

- De 1975 a 1976, Cazuza chegou a ter um jornalzinho: Horizontes de Cá, que terminou em sua 10ª edição, com 700 cópias e distribuição gratuita.

- As cartas: o livro traz um belo registro da troca de correspondências no início do século XX, escritas em letras bem desenhadas: “Nada de novo só se matou o Mário Pezzi, a cidade esteve três dias de luto, tudo fechado, escolas, comércio”, escreve um caxiense em 1936 para um morador de Cazuza.

- O preconceito em Cazuza Ferreira era evidente nos clubes sociais, as chamadas sociedades recreativas. Havia a Sociedade Recreativa Independência (a alta sociedade dos brancos), a Asa Branca, dos negros, e a dos amarelos (o amarelo era o agricultor queimado de sol e pobre).

- Uma das localidades de Cazuza, chamada Pinhão, tem apenas um morador.

- Tranquila sim, parada nunca: Os negócios em Cazuza andam de vento e popa. A procura de imóveis como casas, lotes e propriedades rurais cresceu consideravelmente nos últimos tempos, acredita-se que por causa das notícias da anexação a Caxias.

Maicon Damasceno

Foto: Maicon Damasceno

Lançamento

Terça-feira (14), às 16h, na Livraria do Maneco, em Caxias. Cazuza Ferreira Tem História para Contar, 248 páginas, R$ 39, Nova Letra Gráfica e Editora