Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Caxias do Sul"

Show com Pirisca Grecco em Caxias

06 de maio de 2015 0

PROGRAME-SE

Show com Pirisca Grecco e La Comparsa Elétrica (Grupo Macuco antes e depois)
Quando: 7 de maio
Onde: Paiol Espaço Nativo
Horário: 22h
Ingressos:  Antecipados: Eles R$20 |Elas R$15 Mas hora:  Eles R$25 |Elas R$20
Pontos de venda: Sentinela da Tradição, Bolicho da Serra, Galpão do Tio Ci, Paiol Espaço Nativo
Informações: (54) 3213.1774 | (54) 9971.3085 (WHATCHÊSAPP)

11039837_818206761568566_3639549128203458041_n

Leitor critica Jó Arse por usar bombacha em eventos esportivos

13 de abril de 2015 8

A carta de um leitor questionando o uso da pilcha pelo secretário municipal de Esportes de Caxias do Sul, Jó Arse, rendeu várias manifestações nas redes sociais.

Arse é tradicionalista, ex-coordenador da 25ª RT e está sempre com os trajes gaúchos. O leitor também diz ter gosto pela cultura gaúcha.

A maioria sai em defesa de Arse, citando que a pilcha gaúcha é traje de honra e de uso preferencial, conforme a Lei 8.813/89. Outros dizem que a pilcha, como paletó e gravata, não é o mais adequado para jogos da mesma forma, por exemplo, que um abrigo não seria o ideal para usar em um CTG.

O que, na opinião do blog, vale questionar é o seguinte: por que essa “impressão” que só se pode usar pilcha em rodeios ou eventos tradicionalistas? Por que um gaúcho pilchado ainda causa tanto estranhamento? Por acaso deixa-se de ser tradicionalista fora das canchas de rodeio? E, numa tecla que o blog sempre bate, não é hora de pararmos de tratar a cultura gaúcha como algo à parte, que não pertencesse a todos?

E tu, vivente, o que acha?

IMG_4767

Vozes do Sul completa 20 anos com homenagens

13 de abril de 2015 0

VOZES DO SUL - Luiz Carlos Erbes, divulgação  (2)

Os 20 anos do  Vozes do Sul foram lembrados na última quarta na Câmara de Vereadores de Caxias, quando o grupo de canto foi homenageado. Em 1995, Heloisa Santini, diretora e professora da Academia Tryanon, convidou os alunos para formar um coral de músicas gauchescas.

Os participantes, sob a regência do maestro Felix Slaviero, abraçaram o desafio. No final do mesmo ano, o coral se tornou independente e passou a se chamar Grupo de Canto Vozes do Sul. As apresentações em escolas, missas crioulas, rodeios, atividades sociais públicas e privadas começaram a fazer parte da agenda.

Atualmente, o grupo conta com 25 integrantes, sendo presidido por Gentil Zanatta e regido pela maestrina Maristela Cordeiro. A parte instrumental está a cargo dos músicos Rafael Siqueira (gaita), Rogério Lorenzi e Adair Dutra (violão) e Vanderlei da Silva (pandeiro). A homenagem foi proposta pelo vereador Pedro Incerti/PDT e aprovada por unanimidade pelos parlamentares.

VOZES DO SUL - Luiz Carlos Erbes, divulgação  (1)

Fotos: Luiz Carlos Erbes, Divulgação

 

Campeões da artística do rodeio do Campo dos Bugres

18 de março de 2015 0

Confira os campeões das provas artísticas do rodeio do CTG Campo dos Bugres, que ocorreu neste final se semana, nos Pavilhões, em Caxias.

DANÇAS TRADICIONAIS

Mirim
1 CTG Chegando no Rancho
2 CTG Sinuelo
3 CTG Ronda Charrua

Juvenil
1 CTG Ronda Charrua
2 CTG Sinuelo
3 CTG Chegando no Rancho

Adulta
1 CTG Heróis Farroupilhas
2 CTG Ronda Charrua
3 CTG Herdeiros da Tradição

Veterana
1 GTCN Velha Carreta
2 CTG Sinuelo
3 CTG Chegando no Rancho

FESTIVAL DE DANÇAS FOLCLÓRICAS

Mirim
1 CTG Ronda Charrua
2 CTG Ronda Charrua
3 CTG Sinuelo

Juvenil
1 CTG Sinuelo
2 CTG Negrinho do Pastoreio
3 CTG Negrinho do Pastoreio

Adulta
1 CTG Ronda Charrua
2 CTG Herdeiros da Tradição
3 CTG Herdeiros da Tradição

Veterana
1 GTCN Velha Carreta

 

Campeões da campeira do rodeio do Campo dos Bugres

18 de março de 2015 0

Confira os campeões das provas campeiras do rodeio do CTG Campo dos Bugres, que ocorreu neste final de semana nos Pavilhões, em Caxias.

Modalidade Quarto de Milha
Luan da Silva
Luiz Paulo
Joelcio Andrade

Taça Cavalo Crioulo
Edivaldo Oliboni e Luiz Paulo
Lucas Vanas e Alam Ferraz
Lucas Vanas e Alam Ferraz

Modalidade de Coordenador e Ex Coordenador
Liandro Moreira
Jaime Pereira
Juarez Meneguzzi

Modalidade Laço Casal
Maicom Fortes e Tatiana
Valdecir Rankrape e Paola
Raniel Guaranha e Marcela Campos

Modalidade Veterano
Joao Florian
Agenor Velho

Modalidade Patronagem
Jorlei Ramos Sbersi Everton Matos
Ricardo Albuquerque Luiz Paulo
Luan Silva, Agnaldo Godoy

Modalidade laço Guri
Vinicius Soares
Joao Gabriel Soldera
Joao Vitor Gil

Modalidade dupla irmão
Eduardo e Germano Keller
Ailtom e Joelson Andrade
Rafael e Joao Gabriel Soldera

Modalidade Taça cidade
Marcelo Gil, Odair da Silva
Rodolfo Baldasso e Marcelo Toscan

Modalidade Laço Sênior
Jose de Sá
Jurandir Baldasso

Modalidade de Pai e Filho
Valdir Macedo e Filho

Modalidade de Pai e Piá
Marcelo Gil e Otavio Gil

Modalidade de Pai e Filha
Liandro Moreira e Luana Moreira
Edinei Gil e Silvia Gil
Claudio machado e Gleiser Machado

Modalidade Laço Prenda
Franciele Silva
Ines Machado

Modalidade de Laço Dupla
Força A(6 duplas)
1 Junior Leal e Pedro henrique
2 Aldori Santos e Jonatam Camargo
3 Jefersom Barbosa e Luan da Silva
4 Joao Francisco e Gabriel Almeida
5 Jeam Garcia, Claudio Andrade
6 Gustavo Rivarola, e Tobias Lima

Força B (6 duplas)
1 Daniel Furtado e Daniel F Filho
2 Joao Padilha e Ricardo Albuqerque
3 Felipe Carminati e Ezequiel Lazaretti
4 Luiz Henrique galvani e Felipe Reis
5 Lucas Vanaz e Alan Ferraz
6 Clauderlei Matos e Vinicius Rosa

Força C (7 armadas)
1 Alis dos Santos e Ademar de Lima
2 Pedro rosa e Clovis Godoi
3 Leandro Silva e Alemao
4 Marli Brito e Tainar Demore
5 Jenifer Matos e Chico Pereira
6 Pedro Luis e Emerson machado
7 Volmir Lima e Decio Gilber

Gineteada
Luan Gabardo
Paulo Renato Torena
Antonio Petin
Joao felipe Lima
Vagner silva

 

Família de laçadores

15 de março de 2015 0

Os irmãos Wagner da Costa, 31, e Cléber da Costa, 48 (direita), contavam com dois ajudantes – ou “atrapalhantes”, como disseram, para montar o acampamento: os laçadores de vaca parada Isadora, 8, e Augusto, 4. Os dois são filhos de Wagner.

jonas ramos

Foto: Jonas Ramos

Ferradores e laçadores

15 de março de 2015 0

Para ser ferrador, o primeiro passo é gostar de cavalo. Pelo menos é o que acreditam Júnior Moraes, 30, e Eleandro dos Santos, 43. Os dois largaram as antigas profissões -  de metalúrgico e motorista, respectivamente – para se dedicar aos animais. Júnior , que atua na nova profissão há um ano, recém formou-se como Técnico em Meio Ambiente.

- Eu comecei ferrando os meus cavalos, e dapi os amigos começaram a pedir. Aos poucos, fui transformando na minha profissão – diz Eleandro, ferrador há seis.

Gostar de cavalo é importante, mas é o primeiro passo: tanto Eleandro como Júnior fizeram cursos para seguir na profissão. No rodeio, os dois, também laçadores, estão a postos para atender aqueles que chegam no parque e precisam do serviço. Até domingo, estimam ferrar 50 cavalos.

felipe nyland

Foto: Felipe Nyland

Pereirinha, o laçador

14 de março de 2015 0

Hiago Pereira, 6 anos, treinava o tiro de laço  em vaca parada no Rodeio do Campo dos Bugres, nos Pavilhões. Apesar da idade, ela já disputa provas a cavalo, no laço Piá e Pai e Filho. Nos rodeios,  ganhou até um apelido: Pereirinha, e até arrisca contar o segredo de um laçador:

- É gostar e treinar todo dia – diz  o guri.

felipe nyland

Foto: Felipe Nyland

A vez do cavalo tobiano

14 de março de 2015 2

Renegado por muito tempo, o cavalo tobiano vem conquistando seu espaço e desmistificando o ditado de que “tobiano e oveiro só dão bom por descuido”.

Só ontem a coluna encontrou dois laçadores montados em cavalos de pelagem tobiana na prova de tiro de laço. Ezio Becker, 50, estava no Mattana Contraponto, um bagual de quatro anos que ele comprou com seis meses. Acertou as três armadas da prova.

jonas ramos

- Apesar de inteiro, o cavalo é calmo. Gosto da pelagem, por isso comprei.  Pode comprar que ele não nega – assegura Becker.

Outro laçador com animal tobiano era Cauã Silveira da Silva, 11. A égua Estrela, 12 anos, é uma quarto de milha e já foi campeã com o pai do guri.

A pelagem tobiana é facilmente reconhecida mesmo entre aqueles que não tem intimidade com a lida campeira. O pelo é formado por combinações bem definidas de manchas brancas e coloridas, como o negro e o colorado. Hoje as cabanhas vêm investindo na pelagem e no melhoramento genético.

jonas ramos

Fotos: Jonas Ramos

O sonho de ganhar rodeio

13 de março de 2015 0

Por vezes esquecidos, os homens que trabalham nos bastidores dos rodeios desempenham uma importante papel: são eles que cuidam do gado usado no tiro de laço. Conhecidos como “saca laços”, uma das funções é tirar das aspas o laço da rês quando ela entra do brete.

No rodeio do Campo dos Bugres, em Caxias, nos Pavilhões, esse trabalho é feito por Vinicios Maciel, 15 anos. Depois da escola, ela corre para a cancha. Não é só pelo dinheiro. Vinicios se criou no campo, conhece a lida e laça de vez em quando. O sonho do Vinicios é estar do outro lado da cancha:

- Quero comprar um cavalo e ganhar o rodeio do Campo dos Bugres, como meu tio – revela.

felipe nyland

Foto: Felipe Nyland