Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de dezembro 2009

Como ganhar grana nas férias

31 de dezembro de 2009 0

Jorge Ferrari, Capitala World, EFE
Ok, ok, não são férias totais, mas também não é torneio oficial. Na exibição em Abu Dhabi, o cara aparece, ganha uma boa grana e aquece para o circuito contra tenistas top.

Aí na foto, Roger Federer e Rafael Nadal trocam umas bolas para a publicidade e depois posam ao lado de Stanislas Wawrinka, Robin Soderling, Nikolay Davydenko e David Ferrer.

Sempre com pose de gente poderosa.

Postado por Rodrigo

Bookmark and Share

Fatos marcantes do tênis em 2009

31 de dezembro de 2009 0

O 15º Grand Slam de Federer, o momento do ano/EFE
Aos 45 do segundo tempo, a lista que faltava a este blog. Me arrependi de ter separado em fatos negativos e positivos as coisas que aconteceram neste ano. É tudo muito relativo. Mas aí estão, no último dia de 2009, os fatos marcantes do ano.

1 – 15 vezes Federer
A espera chegou ao fim em 2009. Após a conquista de Wimbledon, Fedex finalmente ultrapassou o então líder Pete Sampras no número de Grand Slams conquistados. Agora tem pelo menos 15 bons argumentos para ser considerado o melhor de todos os tempos

2 – A primeira vez de Federer em Roland Garros
Um pouco antes de Londres, o suíço aproveitou a queda de Nadal perante Soderling e faturou o Slam que faltava a sua coleção. Federer tem todos, agora – Aberto da Austrália (3), Roland Garros (1), Wimbledon (6) e Aberto dos Estados Unidos (5).

3 – Nadal vence o Aberto da Austrália em jogão contra Federer
O espanhol começou o ano voando e conquistou seu primeiro Aberto da Austrália, com grandes vitórias sobre Fernando Verdasco e Roger Federer na semifinal e na final. A decisão talvez tenha sido o jogo do ano.


4 – Nadal perde para Soderling em Roland Garros
O sueco resolveu jogar neste ano. A grande campanha no saibro francês deu fôlego para o rapaz entrar no top 10. Foi, ainda, um dos momentos definitivos do ano. Depois do torneio, Nadal tirou um tempo para cuidar de lesões.

5 – Kim Clijsters volta ao circuito e conquista o Aberto dos EUA
Clijsters conquistou todo mundo com seu jeito mãezona. Ainda ajudou a melhorar o nível do Aberto dos Estados Unidos. Deu gosto de torcer para alguém no tênis feminino. E Justine Henin vem aí.

6 – Del Potro confirma o que todos dizem e ganha o Aberto dos EUA
Delpo prometeu. Delpo subiu. Mas só em 2009 virou grande de verdade. Principalmente depois da vitória em cinco sets sobre Roger Federer no Aberto dos Estados Unidos. O argentino tem espaço para crescer. Pode pintar aí um novo número. Será que já em 2010?

7 – Bellucci sobe mais degraus
O jovem Thomaz já marcou seu lugar no tênis brasileiro após fechar o ano na 36ª posição do ranking mundial. Em 2009 fez final na Costa do Sauípe, ganhou seu primeiro título de alto nível, em Gstaad, e continuou apostando nos grandes torneios. Deu seus passinhos dentro de chaves fortes e venceu challengers. Criou expectativa. Como será 2010?

8 – Circuito cada vez mais equilibrado
Está certo que parte da culpa foi da lesão, mas Rafael Nadal chegou a cair para a terceira posição do ranking. Federer e Nadal perderam seu total domínio do circuito, coisa anunciada ainda em 2008. Del Potro faturou o Aberto dos Estados Unidos, Davydenko conquistou o ATP Finals, Murray ganhou dois Masters e três ATPs, Djokovic venceu um Masters e quatro ATPs, Soderling surpreendeu e fez final em RG, Roddick dificultou para Federer na decisão de Wimbledon…

9 – O grand willy de Federer no Aberto dos EUA
Uma jogada de gênio, numa semifinal de Grand Slam, contra um adversário respeitável como Djokovic. Até Federer falou que foi o melhor lance da carreira dele. E, bem, isso é muito…

10 – Karlovic faz 78 aces em um jogo
E o gigante ainda perdeu a partida para Radek Stepanek…

É isso. Discordam de alguma coisa? É só comentar!

Leia também:
>>> Os fatos negativos de 2009

Adicione o Deixadinha: Bookmark and Share

Postado por Rodrigo

Bookmark and Share

Olha quem está treinando para voltar...

30 de dezembro de 2009 0

Adam Smith, EFE
Sim, Justine Henin já está na Austrália treinando para seu esperado retorno às quadras. Ela vai jogar em Brisbane em janeiro. E o Aberto da Austrália vem aí. Surpresa à vista?

Postado por Rodrigo

Bookmark and Share

Feliz Natal do Deixadinha

25 de dezembro de 2009 0

Como se diz Feliz Natal em sérvio?/Che Chapman, EFE
O Deixadinha e a Aninha desejam um ótimo Natal para os leitores, que certamente queriam ser focas.

Postado por Rodrigo

Bookmark and Share

Quinto set - dicas para melhorar o tênis em 2010

24 de dezembro de 2009 0

Tá lá no item 6: ria com os amigos. Djoker conhece bem essa/Horacio Villalobos, EFE
De Lucas Lisboa*

Esta semana vi reportagens falando que as meninas lutam contra a falta de apoio no Brasil. Esse tema é pertinente, importante, constante, e por isso vou repeti-lo. O que nos resta é cobrar melhorias no calendário da Confederação Brasileira de Tênis (CBT) e buscar soluções.

Aqui vão dez dicas. Oito para as meninas e meninos para ter um bom ano no esporte e duas para a CBT.

Para os tenistas:

1 - Comecem o ano com dois meses de uma puxada pré-temporada, aperfeiçoem seus piores movimentos e façam muito trabalho físico. O tempo quente exigirá mais de vocês, e no inverno vão estar prontos para a maratona de torneios.

2 - Façam um bom calendário de torneios. No início do ano, já é importante ter seu calendário quase pronto, incluindo apenas alguns campeonatos de última hora. Procurem jogar torneios de idade e classes, para enfrentar bolas de pesos e velocidades diferentes.

3 - Procurem companheiros de treino que estejam com o mesmo objetivo que o seu e um treinador que entenda a proposta e seja dedicado.

4 - Assista a muitos jogos de tênis. Acompanhe estilos diferentes. A dica: Roger Federer (técnica e esquerda com uma mão), Rafael Nadal (movimentação), Max Mirny (saque), Leander Paes (voleio), Nikolay Davydenko (esquerda com duas mãos) e Novak Djokovic (garra).

5 - Molde sua técnica independente das dos outros. No tênis atual, cada um bate do seu jeito, desde que a bola ande. Ataque muito, quem passa bola tem, cada vez mais, dificuldade de jogar. A prova? É só olhar a técnica do Federer, do Nadal e do Djokovic: todos muito diferentes e jogam muito tênis.

6 - Descanse muito nas horas vagas, se divirta, saia com os amigos, ria. E não beba.

7 – Estude muito, a ideia de parar de estudar para jogar tênis atrofia a cabeça e a criatividade dentro da quadra. Fora isso, se acontecer alguma coisa e você tiver que parar de jogar, garanta o seu futuro.

8 - Leia o Quinto Set e acompanhe o blog Deixadinha (personal jabá).

Dicas para CBT:

1 - É necessário um esforço de cima para baixo para que o tênis se desenvolva no Brasil. Olha o exemplo do vôlei. Eles criaram uma perspectiva para a garotada e veja só onde o esporte foi parar.

2 - Criação de um grupo de elite com as melhores atletas do país e rodízio de juvenis. Bons treinadores, bancados pela CBT, treinando as melhores tenistas do país, para correr o circuito mundial, e os estados se dividem para mandar as melhores jogadoras para um mês de treinamento, onde as mais velhas ajudam as mais novas. Fica a ideia.

Espero que essas dicas ajudem quem está começando a fazer um bom planejamento e poder começar o ano com um winner e jogar muito em 2010.

Semana passada eu citei que, sem patrocínio, um tenista tem pouca perspectiva de futuro. Isso serve também para as competições.

O tênis mundial ganhou um presentão de Natal na última terça-feira. Como vocês já devem saber, o bilionário Larry Ellison, co-fundador e CEO da Oracle Corporation e apontado pela revista Forbes como um dos cinco homens mais ricos do mundo, comprou os direitos do tradicional Masters 1000 de Indian Wells, como informou a Associação dos Tenistas Profissionais (ATP).

O negócio garante a realização da 35ª edição do evento entre os dias 8 e 21 de março de 2010. Toquei no assunto para dar os parabéns ao empresário, o mundo ganha muito com investimentos no esporte.

* Ex-tenista juvenil, Lucas escreve aqui semanalmente

Postado por Lucas Lisboa

Bookmark and Share

Quinto set - seriedade atrai patrocínios

18 de dezembro de 2009 0

Seriedade, sempre um bom negócio/EFE
De Lucas Lisboa*

Hoje a coluna Quinto Set abre um espaço para discussões sobre o futuro do tênis. O papo é sério, por isso nesta semana não teremos piadinhas. Sem dinheiro, sem um bom patrocínio, é raro um tenista conseguir viajar o circuito e ter, portanto, bons resultados.

Na última segunda-feira, em uma cerimônia reservada para cerca de 20 pessoas no Hotel Palace, em Lausanne, o suíço Stanislas Wawrinka se casou com sua parceira de longa data, Ilham Vuilloud. O segundo principal tenista da suíça, tem comportamento próximo ao ídolo do país, Roger Federer. Ambos são sérios, não aparecem com várias mulheres, não são flagrados em baladas, e isso lhes garante os patrocínios.

Por que puxei esse assunto? Na semana passada falei sobre o argentino Guido Pella, dizendo que ele é um menino sério, profissional e dedicado. Entrei em contato com algumas fontes e descobri que ele tem patrocínio desde os 12 anos. Por isso, sempre teve uma boa equipe de treino e pode jogar os maiores torneios do mundo, ganhando experiência e fazendo contatos.

Esta semana vi fotos no orkut de tenistas juvenis de alto nível, que correm os melhores torneios e tem seus respectivos patrocínios, bêbados com várias mulheres e garrafas na mão. Se eu sou o patrocinador, corto o dinheiro, ainda mais pelo tenista ser apenas uma aposta, que ainda pode vir a ser um profissional de sucesso, mas que no momento não rende lucros ao patrocinador.

Juvenis brasileiros, técnicos e todos que leem este blog devem saber que correr atrás de um bom patrocínio requer, além de bons resultados, serviço à empresa que financia o seu talento. Federer, Nadal, Wawrinka, Djokovic e até os brasileiros Thomaz Bellucci e o Ricardo Mello são exemplos disso.

Ah! Em relação à pergunta da semana passada, o tenista que sofreu aqueles trotes como juvenil era o Thomaz Bellucci. Obrigado para quem palpitou. Nas próximas semanas temos mais histórias.

* Ex-tenista juvenil, Lucas escreve aqui semanalmente.

Adicione o Deixadinha: Bookmark and Share

Postado por Lucas Lisboa

Bookmark and Share

Sharapova e Kournikova, as mais belas da década

17 de dezembro de 2009 3

Sharapova... Kournikova.../Reprodução GQ Spain e Divulgação K-Swiss
Listas, listas, listas. Tão polêmicas quanto oportunas no final do ano. E quando envolve a década toda, nem se fala. Poisintão: o site americano Bleacher Report, que adora uma lista, bolou uma relação das 40 atletas mais bonitas da década.

Entre as eleitas, estão sete tenistas: Serena Williams, Ashley Harkleroad, Maria Kirilenko, Daniela Hantuchova, Ana Ivanovic e as duas atletas que lideram a lista, Anna Kournikova e Maria Sharapova.

A lista completa está aqui. Acham que é justo? Sentiram falta de alguma atleta, tenista? Comentários abertos!

Deixadinha: As únicas brasileiras da lista são as gêmeas do nado sincronizado, Bia e Branca Feres. Não podiam ficar de fora mesmo…

Adicione o Deixadinha: Bookmark and Share

Postado por Rodrigo

Bookmark and Share

Quinto set - juvenis e seus trotes

10 de dezembro de 2009 1

Clezar, promessa brasileira/Cristiano Andujar, Andujar Press, Divulgação
De Lucas Lisboa*

Nesta semana, o tênis brasileiro bateu seu recorde e botou 86 atletas do ranking mundial. Ponto para a CBT, que correu atrás de futures no país, dando chance para a gurizada marcar pontos. Falando de juvenis, quero citar dois meninos e contar uma história de outro excelente tenista.

O primeiro é Guido Pella. O cara é futuro número 1 do mundo, e tenho dito. Um argentino de 19 anos, rápido, forte, inteligente e bem treinado. Único juvenil que eu não vi “curtir” as possibilidades de diversão que o circuito oferece. Seriedade e profissionalismo levaram-no a ser muito melhor que os outros de sua idade. Aos 17 anos já era top 500 e a cada dia se aproxima do top 100.

Não posso deixar de citar o ótimo ano de Guilherme Clezar, premiado na última segunda-feira, em São Paulo, no Prêmio Tênis – Os Melhores de 2009 na categoria Melhor Tenista Juvenil. Clezar é um dos boa-praças do tênis juvenil. Amigo de todos, de ótimo caráter, é um cara adorado e humilde, que deve daqui a uns cinco anos se aproximar dos melhores do país. Vaaaai, Gui!!!

Agora, a história. Em seu primeiro torneio juvenil fora de casa, um tenista brasileiro de destaque teve de passar por algumas provas por ser o mais novo da equipe e calouro.

Segundo as más línguas, no primeiro dia, um laxante foi colocado no seu suco matinal. Foi um dia inteiro de rei — da cama para o trono, do trono para a cama. No segundo dia, ele teve de fazer o “passa-papel”, onde o novato é obrigado a pegar três papéis — um de cada vez — e transportar de um quarto para o outro. O detalhes: o papel tem que ser levado no meio das nádegas…

Antes da final, todas as suas raquetes simplesmente sumiram. Mas, mesmo desesperado, chorando e jogando com uma raquete emprestada, foi campeão.

Você sabe qual o tenista que sofreu com os trotes? Se souber ou quer chutar, deixa um comentário.

* Ex-tenista juvenil, Lucas escreve aqui às quintas.

Adicione o Deixadinha: Bookmark and Share 

Postado por Lucas Lisboa

Bookmark and Share

Fatos de 2009 - os maus momentos

07 de dezembro de 2009 1

Serena dizendo poucas e péssimas para a juíza de linha no US Open/John Mabanglo, EFE
Notícia ruim que é notícia ruim corre rápido, chega primeiro. Aqui não vai ser diferente. Neste momento tradicional de enumerar os fatos marcantes do ano, comecemos por aqueles que lembramos com aquele pensamento de “hum, isso foi desnecessário”.

Este é meu top 5 (os momentos bons serão 10). Os comentários estão abertos para vocês.

1 – A metralhadora de revelações de Andre Agassi

E então Andre Agassi resolve falar que sua carreira não foi bem assim… Jogada de marketing ou não, poucos dias antes do lançamento de sua biografia, Open, o jornal britânico The Times publica a confissão do ex-tenista, que afirma ter usado drogas no período em que estava no circuito. Agassi teria usado metanfetamina em 1997, período em que sua carreira estava em baixa. Quando caiu no doping, disse à ATP que ingeriu a bebida de outra pessoa, um amigo que tinha problemas com drogas. E a ATP perdoou, assim, fácil. Estava criada a polêmica. Protestos de jogadores, suspeitas que voltaram à tona e desculpas de tudo quanto é lado. Depois de uns dias, o americano ainda teve fôlego para falar sobre o que pensava de outros tenistas. Coisas não sempre boas sobre Michael Chang, Pete Sampras e outros. Agassi demorou para jogar essa mancha em sua carreira, mas, segundo ele, sentia que precisava falar. Só sei de uma coisa: eu quero ler este livro.

Leia o post aqui

2 – A boca suja de Serena Williams

A irmã Williams mais nova sempre foi uma contestadora. Se puxarmos pela cabeça rapidinho, dá para lembrar alguns momentos em que Serena desafiou a direção da WTA com indiretas (e diretas) em entrevistas, posts no twitter e em seu site oficial. A versão contrariada da americana apareceu com força dentro de quadra na semifinal do Aberto dos Estados Unidos. Depois de perder o primeiro set para Kim Clijsters, Serena sacava em 5/6, 15/30, quando a juíza de linha marcou um foot fault no segundo serviço. Aí, Serena nunca foi tão pouco serena nas palavras que cuspiu na cara da pobre juíza. Resultado: advertência e desqualificação. Mais tarde, uma bela multa de mais de US$ 80 mil.

Assista aqui

3 – A lesão de Nadal

Provavelmente, o momento que definiu a guinada que o circuito deu no segundo semestre. Após a inesperada derrota em Roland Garros para Robin Soderling, Nadal ficou longe dos torneios por dois meses e meio. Os anunciados problemas no joelho finalmente deram as caras para valer. Isso não é uma comemoração, bem longe disso, mas estava claro que uma hora ou outra a coisa se agravaria. Sem o espanhol, Roger Federer faturou Roland Garros, Wimbledon e retornou ao topo do ranking. Não dá para dizer se Federer conquistaria tudo isso com Nadal em ótimas condições. O “se” não existe. Mas tudo ficou mais fácil, certamente. No retorno às quadras, o espanhol, que chegou a cair para a terceira posição da lista, apresentou um tênis um degrau abaixo do que pode jogar. A lesão, definitivamente, entortou o ano promissor que Nadal vislumbrava após o título do Aberto da Austrália. Que 2010 seja diferente.

Leia o post aqui

4 – A decepção do Brasil na Davis

Eu fui até Porto Alegre. Foi triste. A melhor chance que o Brasil teve nos últimos anos para voltar à elite da Copa Davis foi desperdiçada. Contra o Equador, o grupo rendeu menos do que poderia. E ainda encarou um inspirado Nicolas Lapentti. O ponto perdido nas duplas foi decisivo, afinal, éramos favoritos e, mesmo que Marcos Daniel perdesse o quarto jogo para Nicolas, dificilmente Thomaz Bellucci cairia diante de Giovanni Lapentti. Mas a história foi diferente. Ficamos para trás, de novo.

Leia a cobertura aqui

5 – O desânimo que o tênis feminino dá

Castigo para criança malvada. Assistir ao tênis feminino, com mil duplas faltas por partida, falta de variação, só pancadaria e movimentação deficiente foi um programa de índio em boa parte de 2009. Poucas partidas se salvaram. Delas, certamente, não participaram Dinara Safina e Ana Ivanovic. A russa sei lá como conseguiu se manter no topo do ranking por um bom tempo. Demonstrou um desequilíbrio mental impressionante. Do mesmo mal e da falta de confiança sofre a sérvia Ivanovic, que já no final do ano passado demonstrava que 2009 seria um complicado. Lesões, problemas de saúde, dificuldade até mesmo em acertar um toss (ato de jogar a bolinha para cima no saque). Após o Aberto dos Estados Unidos, queria dar um tempo. Algo não permitiu que fizesse isso, um patrocinador, talvez. A perspectiva de salvação do tênis feminino veio no final do ano, com o retorno e o título nos Estados Unidos de Clijsters e o anúncio da volta de Justine Henin. Pena ver que a esperança para o futuro depende do brilhantismo do passado.

Leia sobre Safina aqui
Leia sobre Ivanovic aqui

Bonus track
A despedida de Safin e Santoro

O circuito vai sentir falta desses dois, que, além de craques, eram únicos em suas atitudes. O russo Marat Safin, ex-número 1 do mundo (disputou o topo com Guga em 2000), era daqueles dos quais todos esperavam algum feito grandioso a qualquer momento, como eliminar um tenista top. Talentoso, forte, tem no currículo dois títulos de Grand Slam (Estados Unidos 2000 e Austrália 2005). Fora de quadra, tinha fama de festeiro, amigão. Dentro, era uma bomba de impaciência consigo mesmo. Tanto descontrole deve ter cansado o rapaz. Nos últimos anos, já não aguentava mais o circuito. Vai, Safin, vai fazer o que você melhor sabe fazer, ao lado de jogar tênis: aproveitar a vida. Leia mais sobre Safin

Santoro era do tipo mais controlado. O `Mágico`, como era conhecido, tinha o raro estilo de bater com as duas mãos nos dois lados e o talento de poucos. Bem humorado, dava para sentir o prazer dele em jogar tênis e em fazer o público levantar com jogadas incríveis. O tênis perde dois atrativos excelentes. Leia mais sobre Santoro

Em breve, a lista positiva.

Adicione o Deixadinha: Bookmark and Share

 

Postado por Rodrigo

Bookmark and Share

Quinto Set - Bastidores do tênis

03 de dezembro de 2009 1

Agora é diferente, né?/Flávio Neves
A partir de hoje, toda quinta-feira o Deixadinha terá uma coluna com bastidores e informações de fora da quadra do tênis mundial. Quem vai dar os pitacos é o Lucas Vieira Lisboa, que já escreveu algumas coisas aqui. Espero que gostem!

E aí, galera, meu nome é Lucas Vieira Lisboa, sou ex-tenista juvenil e daí?, estudante de Jornalismo e auxiliar de redação do Diário Catarinense. Vou escrever toda quinta-feira histórias de bastidores, contando para vocês algumas histórias sacanagens de tenistas profissionais só os tops e brasileiros, porque o resto não interessa, juvenis e amadores com quem convivi, não só como tenista juvenil, mas também como espectador. Aqui você encontrará curiosidades sobre o estilo de vida de feras do tênis de um modo divertido ridículo.

Para abrir a série, nada melhor que o mais novo campeão do circuito, Nikolay Vladimirovitch será que é assim? Davydenko. O homem de gelo dentro da quadra, porque fora é uma flor declarou logo após o final do ATP World Tour Finals que saiu por Londres e não deu nenhum autógrafo, o que é lamentável porque ele é um gênio dentro da quadra.

Pegando um gancho no assunto, lembro de uma história que aconteceu com o nosso ilustre Gustavo Kuerten em 1997, uma semana antes de vencer Roland Garros. Guga treinava com seu amigo Marcelo Rebelo (Cascata) nas quadra do Lagoa Iate Clube, em Florianópolis, quando os dois decidiram jogar uma partida inteira. Cascata venceu na negra.

Ao saírem da quadra, alguns meninos que estavam no Clube correram para pedir autógrafo, e Guga guardou as coisas se preparando para assinar as camisetas. Os juvenis passaram direto pelo futuro número 1 do mundo ah! se eles soubessem e foram pedir o autógrafo de Marcelo, que, surpreso, assinou as camisas deles.

Os dois tenistas foram embora rindo, e Guga teve que ouvir uma série de brincadeiras do amigo…

Bom pessoal, vou procurar sempre contar histórias como essa, de um modo diferente, relacionadas com algo atual. Espero que tenham gostado, porque quinta-feira que vem tem mais.

Postado por Rodrigo e Lucas

Bookmark and Share