Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de março 2011

O que aconteceu com Caroline Wozniacki?

28 de março de 2011 0


O que aconteceu com Caroline Wozniacki? A garota cometeu absurdos 52 erros não forçados. Algo fora dos padrões para qualquer tenista top mesmo que seja no feminino. Muito pior se a autora é a número um do mundo e a posição foi alcançada graças a sua regularidade.

A adversária, a alemã Andrea Petkovic, 23ª do ranking, também fez sua parte. Meteu 59 bolas na rede ou para fora. Compensou fazendo o dobro de winners que a dinamarquesa. Deve ser frustrante para o torcedor ver um jogo com nível técnico tão baixo quanto as expectativas eram as maiores possíveis.

E Wozniacki teve lá suas chances, mas desperdiçou todas. Muito fruto da direita descalibrada. Não dá para ficar  chorando sobre o leite derramado. É bola pra frente. Treinar e esquecer o que passou.

Falando dos caras. Federer fez o suficiente para levar um jogo duro contra Juan Monaco. Teve até tie break no primeiro set. Nadal fez o dele sobre Feliciano Lopez.

Totalmente fora do contexto, mas merecendo registro. O logo do Itaú espalhado pelas quadras de Miami chamou minha a atenção. O banco é patrocinador do torneio. Me sinto até meio imperialista vendo a marca de uma empresa brasileira buscando espaço num mercado estrangeiro.


Bookmark and Share

Não vi e não gostei

27 de março de 2011 0

Estava trabalhando e de uma hora para outra o placar ao vivo do site da ATP mostrava que uma possível virada no horizonte. James Blake disputava ponto a ponto com Bellucci. A partida foi para o tie break do terceiro set e o brasileiro foi para casa.

No twitter Bellucci escreveu que não conseguiu repetir em quadra o desempenho dos treinamentos. Fico aliviado e torcendo para ser verdade. Perder para um cara como o Blake não pode. Lesões e perda de qualidade são as palavras mais associadas ao americano.

Tem também quem o chame de ex-jogador em atividade. Pra complicar ainda mais a quadra está bem lenta em Miami, o que deveria facilitar a vida do brasileiro. Foi péssimo e tomara que Bellucci consiga se perdoar logo e não tenha a confiança abalada.

Veremos o que a temporada de saibro nos reserva. Como os pontos não vieram nos Estados Unidos Bellucci vai pressionado a obter bons resultados na superfície que é seu ganha pão.

Bookmark and Share

Djokovic alcança primeiro objetivo do ano

23 de março de 2011 0

Novak Djokovic deve ter riscado o primeiro objetivo do caderninho ao vencer a semi final contra Federer. Desde então é dele o segundo posto do ranking. No dia seguinte teve mais. Vitória de virada contra Rafael Nadal.

O triunfo sobre o espanhol é bastante significativo porque todos sabem que ele nunca entrega o osso. Conseguir virar numa final é algo para quem está jogando muito. Gente transbordando confiança e certa de que pode alcançar qualquer coisa. Desta maneira o sérvio segue invicto.
Logo logo, essas pessoas apaixonadas por estatísticas vão dizer qual é o recorde histórico de vitórias seguidas e quais nomes consagrados Djokovic deixou para trás com a série atual. Queria que eles levantassem em seus arquivos como eram as rodadas dos torneios duas décadas atrás. Fiquei impressionado com a quantidade de jogos fáceis nas primeiras rodadas.
Já faz tempo que ouvimos comentários de que os jogadores de posições intermediárias do ranking parecem não acreditar na vitória contra os tops. Além de entrarem derrotados, parecem que nem chegam a dar 100% em quadra. Em Indian Wells ficou parecendo aqueles campeonatos europeus de futebol. Uns times lá em cima brigando pelo título e o restante num limbo danado torcendo para perder de pouco.
Tomara que as coisas sejam diferente em Miami. O cenário é de um torneio a nível do mar e onde o piso tem ficado mais lento ano após ano. A princípio deve ser mais difícil para Federer e bom para Nadal. Nole parece estar voando em qualquer quadra.
Mas isso será colocado a prova na temporada de saibro. Poderemos ver se ele adquiriu regularidade para enfrentar Nadal nas intermináveis trocas de bola. Se conseguir, as chances dele virar número aumentam porque Nadal tem uma montanha de pontos a defender.
A vitória do sérvio também aliviou um pouco a barra do Federer. Ficou provado que é ele que tá jogando muito e que as três derrotas seguidas não representam que ele tá jogando menos.
Mas uma coisa que não entendo no suíço é porque aceitar o jogo imposto por Djokovic. Federer tem todos os golpes e sabe que o adversário vai explorar a esquerda. Fico imaginando porque raios ele não decide os pontos rápido. Nem que para isso seja preciso botar mais pressão subindo a rede com mais regularidade.
Falando do Bellucci, fez o que esperávamos. Ganhou do cara com ranking pior e perdeu para um top 10. Só achei ruim porque no confronto com Berdych ele fez bem menos que esperávamos.


Bookmark and Share

Volta as atividades

11 de março de 2011 0

Realizando o sonho de muitos, o Deixadinha entra em férias e só volta depois do carnaval. Com tanto tempo fora há um monte de assuntos para cometar.
Começo pelo desempenho de Thomaz Bellucci na temporada. Certamente as primeiras apresentações foram decepcionantes. Derrotas para adversários que um top 30 tem que ganhar. O confronto com o Chela na Bahia foi um banho de água fria.
Após campanhas abaixo das expectativas ele chegou ao ATP de Acapulco tendo um top 10 pela frente e venceu. Não embalou. Passou a duras penas por adversário com rankings inexpressivos e parou em Almagro. Mesmo assim não tem como negar que foi uma boa campanha.
A parte positiva foi que ele perdeu pro espanhol arriscando. Vocês devem recordar que o primeiro set foi pro tie-break e toda vez que a bola sobrou e ele meteu a mão. Errou mais que acertou é verdade. Mas a coragem de atacar, de querer vencer o ponto é elogiável. Mesmo assim não apaga a série de derrotas inesperadas.
Eu ainda não me convenci de que o ano será fácil. Houve evoluções principalmente na parte mental desde que o trabalho com o Larri começou. Antes parecia que se o jogo não deslanchava Bellucci perdia o rumo. Agora aguenta a pressão e ganha jogos na marra.
Vamos ver como ele joga na quadra dura dos Estados Unidos. Confesso que estou reticente.



Bookmark and Share