Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "us open"

Resultados do terceiro dia no US Open

29 de agosto de 2013 0

A quarta-feira teve muita chuva em Nova York, e por isso não teve post na tarde de ontem aqui no Deixadinha.

2ª Rodada – Feminino

Agnieszka Radwanska (POL) 2×0 Maria-Teresa Torro-Flor (ESP) – 6-0 7-5
Na Li (CHN) 2×0 Sofia Arvidsson (SUE) – 6-2 6-2
Sloane Stephens (EUA) 2×0 Urszula Radwanska (POL) – 6-1 6-1
Carla Suarez Navarro (ESP) 2×0 Coco Vandeweghe (EUA) – 6-3 6-4
Jamie Hampton (EUA) 2×0 Kristina Mladenovic (FRA) – 7-5 6-4
Laura Robson (GBR) 2×0 Caroline Garcia (FRA) – 6-4 7-6 (7-5)
Anastasia Pavlyuchenkova (RUS) 2×0 Ashleigh Barty (AUS) – 6-4 6-0
Jie Zheng (CHN) 2×1 Venus Williams (EUA) – 6-3 2-6 7-6 (7-5)

1ª Rodada – Masculino

Andy Murray (GBR) 3×0 Michael Llodra (FRA) – 6-2 6-4 6-3
Juan Martin Del Potro (ARG) 3×1 Guillermo Garcia-Lopez (ESP) – 6-3 6-7 (5) 64 7-6 (7)
Stanislas Wawrinka (SUI) 3×0 Radek Stepanek (CZE) – 7-6 (2) 6-3 6-2
Rajeev Ram (EUA) 3×0 Fabio Fognini (ITA) – 6-1 6-2 6-2
Kevin Anderson (AFS) 3×1 Daniel Brands (ALE) – 7-5 4-6 6-2 6-3
Andreas Seppi (ITA) 3×1 Xavier Malisse (BEL) – 6-3 3-6 7-5 7-5
Mikhail Youzhny (RUS) 3×0 Nicolas Mahut (FRA) – 6-4 6-4 7-6 (4)
Ivo Karlovic (CRO) 3×2 James Blake (EUA) – 6-7 (2) 3-6 6-4 7-6 (2) 7-6 (2)
Alex Bogomolov Jr. (RUS) 3×2 Benoit Paire (FRA) – 7-5 2-6 6-4 5-7 7-6 (5)
Evgeny Donskoy (RUS) 3×0 Jurgen Melzer (AUT) – 7-5 6-3 7-6 (3)
Alexandr Dolgopolov (UCR) 3×0 David Goffin (BEL) – 6-2 6-4 6-4
Lleyton Hewitt (AUS) 3×1 Brian Baker (EUA) 6-3 4-6 6-3 6-4
Peter Gojowczyk (ALE) 3×1 Igor Sijsling (HOL) – 7-6 (7) 2-6 6-4 6-1
Marcel Granollers (ESP) 3×2 Jurgen Zopp (EST) – 6-1 3-6 1-6 6-3 6-4
Leonardo Mayer (ARG) 3×1 Victor Hanescu (ROM) – 7-6 (4) 6-4 3-6 7-6 (4)
Tim Smyczek (EUA) 3×1 James Duckworth (AUS) – 3-6 6-2 6-4 6-1
Somdev Devvarman (IND) 3×2 Lukas Lacko (SVK) – 4-6 6-1 6-2 4-6 6-4
Marcos Baghdatis (CYP) 3×0 Go Soeda (JAP) – 6-4 6-3 6-1

Bookmark and Share

Jogão nesta terça-feira à noite

16 de agosto de 2011 0

As vezes os sorteios são ingratos com alguns favoritos e colocam verdadeiras pedreiras na primeira rodada. Do ponto de vista do desafiante também dá para dizer que faltou sorte porque o cara tinha chance de ir longe, mas logo de cara pega um dos candidatos ao título.

Este é o cenário do jogo entre Roger Federer e Juan Martin Del Potro nesta terça-feira. Não dá para não lembrar da final do US Open de 2009. A partida está prevista para às 21h30min. Acredito que o suíço vença porque o argentino ainda não retornou ao nível de 2009.

Bookmark and Share

É hora de venerar Rafael Nadal - US Open #usopen

14 de setembro de 2010 4

Vai lá, monte aí seu jogador perfeito. Vamos brincar. Coloca a devolução do Nalbandian ou do Agassi, a variação do saque do Federer, mas com a potência do Roddick, a direita chapada do Soderling, quem sabe, o spin do Nadal e a esquerda do Guga… Pode ser por aí, não pode?

Mas vamos deixar esse jogo mais simples. Por que não só unir Roger Federer e Rafael Nadal? Fãs dos dois lados da força se enfurecem só de pensar. “O quê? O suíço virado em uma montanha de músculos correndo de um lado para o outro?” Ou “o Rafa, aparentemente sem paixão, irregular dentro de uma partida? Nem pensar!”.

Até que poderia pintar alguém que juntasse todas essas qualidades. Imagina só, um dominador. Imagina. Que droga, não é? Eu quero a diferença. Eu quero o Federer voleando com displiscência e errando, para depois acertar o “smash-lob”. Eu quero o Nadal sendo obrigado a dar balão para depois caprichar na passada.

Eu quero Nadal mordendo o calcanhar do Federer, quero o suíço instigado a roubar o trono do espanhol. Quero títulos, finais, troféus, grand slam. Embate, duelo, raça, técnica. Quero tentar imitar um e outro na quadra – e, invariavelmente, isolar a bolinha.

Quero o que aconteceu na final do US Open. Celebrar o tapa na cara de quem não reconhece Nadal, dono de nove slams. Venerar a humildade, sua maior virtude. Qualidade daqueles que mostram na perna a vontade, que ficam só devolvendo quando precisam, mas que sabem que precisam melhorar. E melhoram, mais e mais, superam-se.

E abrem um sorriso, daqueles de travar as bochechas, quando atingem o sonho. Levantam o troféu, mordem, têm fome. Nadal é o ídolo daqueles que têm gana, que correm – em todos os sentidos – atrás e conseguem passar à frente.

Se, no tênis atual, Federer é deus, Nadal é certamente o mais capaz dos humanos.

Parabéns, rapaz, pelo career golden slam.

Bookmark and Share

Azarenka passa mal e desmaia durante o US Open

01 de setembro de 2010 0

Victoria Azarenka, 21 anos, era uma das favoritas ao título do Grand Slam americano. Nos torneios preparatórios, ela conquistou nove vitórias e apenas duas derrotas.

No quarto game quem viu o jogo já sentia que alguma coisa estava errado. A bielorrusa parecia descocentrada e sem potência nos golpes. Então ela pediu atendimento médico e voltou para quadra. Porém logo perdeu um saque, e apresentou sinais de tontura.

Durante o sétimo game, quando perdia por 5 a 1 ela não resistiu e deitou-se no fundo de quadra, sem conseguir levantar.

A número 11 do mundo foi retirada da quadra de cadeira de rodas e não voltou. A argentina Gisela Dulko (41 do mundo) avançou à terceira fase do torneio.

A equipe do Deixadinha torce para que a bielorrussa não tenha sofrido nada de grave e que isso não volte a acontecer.

Bookmark and Share

Sharapova, Wozniacki, jogão: beleza de dia no US Open

01 de setembro de 2010 0

Certamente, eu poderia parar o post nas imagens, concordam? Bom, o dia teve um pouco mais que as belas (em vários sentidos) vitórias de Caroline Wozniacki e Maria Sharapova. À tarde, Novak Djokovic implorou para perder para Viktor Troicki, mas conseguiu vencer um adversário esgotado no final.

David Nalbandian também passou por apuros contra o sul-africano Rik de Voest, mas avançou. Julien Benneteau chegou a vomitar em quadra antes de derrotar Radek Stepanek. Marcelo Melo e Bruno Soares venceram, mas Julinho Silva ficou pelo caminho.

Destaque do dia para o jogão entre Rafael Nadal e Teymuraz Gabashvili, que teve tiebreaks nos dois primeitos sets e apenas duas quebras de saque, ambas a favor do espanhol. O russo fez uma bela partida, com golpes precisos e potentes para cravar 49 winners contra 30 de Nadal.

Nesta quarta tem Andy Murray, Andy Roddick, Kim Clijsters, entre outros. Programação aqui.

Bookmark and Share

O que é Roger Federer?

31 de agosto de 2010 4

Nem vem, Fedex. A gente sabe que você não gasta um pingo de suou para fazer essas coisas

A segunda-feira no Aberto dos Estados Unidos (US Open) já caminhava para terminar muito bem, principalmente para os brasileiros. Vá lá, houve algumas surpresas, como a derrota de Lleyton Hewitt para Paul Henri Mathieu, o fato de Robin Soderling precisar de cinco sets para despachar o desconhecido Andreas Haider Maurer e Ana Ivanovic ter vencido.

Aí pinta Roger Federer. Sacando muito. Atacando muito. Poucas vezes vi o cara tão agressivo quanto durante a partida da noite desta segunda contra o argentino Brian Dabul. Loucura. Dominou a partida, colocou a bola em todos os pontos da quadra, fez 18 aces. Monstro.

E então Federer dá um voleio, Dabul alcança e devolve com um lob. A bolinha passa sobre a cabeça de Federer, e ele resolve correr. Quem assistiu a este lance no ano passado, pensou: “ah, não… ele não pode… não vai consegu… ele fez. De novo.”

Dê o play abaixo e babe. O resumo da obra está na cara do Dabul.

“Fazer o quê?”

Bookmark and Share

US Open: 100% Brasil

30 de agosto de 2010 0

Salve salve internautas que têm bom gosto e leem o Deixadinha. Que dia para tênis brasileiro na primeira rodada do US Open, hein!?

Primeiro, o Ricardinho Mello enfrentou um cara muito parecido com ele e mostrou que a experiência faz a diferença. O alemão Bjorn Phau é baixinho, rápido, passador e tem um saque bem do meia boca. O cara é o Mello alemão.

Então já que a coisa tava meio igual, eu sou mais o nosso tenista. O campineiro jogou demais, correu muito(pra variar) e trocou bola com Phau durante 3h12min até vencer por 3 sets a 1, parciais de 6/4, 7/5, 4/6 e 7/6 (7/4).

A vitória deve valer pro Ricardinho uma vaga no Top 70.

Agora na segunda rodada, ele enfrenta o espanhol Juan Carlos Ferrero.

Desculpem o pessimismo, mas agora complicou a coisa toda. Mesmo sendo comentarista, não consigo me abster do fato de ser torcedor e por isso acho que Mello tem alguma chance com o ex-número 1 do mundo Ferrero. Mas, se tivesse que apostar meu misero salário, jamais apostaria no brasileiro. Me resta apenas torcer.

Horas depois foi a vez de Thomaz Bellucci confirmar o favoritismo e vencer o convidado Tim Smyczek, número 184 do mundo, por 6/3, 7/5 e 7/6 (8/6).

Bellucci é a grande esperança brasileira. Cabeça de chave número 26, muitos apostam em uma grande campanha do paulista que o leve para perto do Top 10. Eu sou um desses que acredita.

Ele não fez uma grande partida, errou muito e perdeu o foco algumas vezes. Mas mostrou que os golpes que ele tinha dificuldade estão melhores, como o voleio e a deixadinha, segundo este, com o qual ele maltratou o americano.

Agora ele pega o perigoso sul-africano Kevin Anderson. Podem apostar, vai ser dureza! O cara joga muito nas quadras rápidas e, se o Bellucci não jogar melhor do que jogou hoje, não vai vencer.

Amanhã ainda temos o Júlio Silva. Perto do meio-dia ele enfrenta o uruguaio Pablo Cuevas na quadra 17.

O Cuevas é uma revelação estilo Del Potro. Bate firme e gosta de comandar os pontos. Mas não tem experiência nenhuma. Pra mim o Julinho tem boas chances e eu até arrisco apostar nele.

Vou torcer não só porque ele é brasileiro, mas também porque ele merece todo o sucesso do mundo. Humildade é virtude de poucos!!

Bookmark and Share