Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Ninguém gosta de levar tapa na cara, mas Fabrício precisa ter mais controle

19 de fevereiro de 2014 9

É indiscutível a maldade do zagueiro Diogo, do Juventude, no lance que causou a expulsão dele e do lateral-esquerdo Fabrício, do Inter. Aos 36 minutos do 1º tempo, ele cometeu falta, chutou o braço e, o pior, deu um tapa na cara do jogador colorado. É óbvio que ninguém gosta de ser agredido, mas Fabrício precisa ter mais controle. Ele revidou, teve uma reação também absurda. Empurrou e partiu para cima do zagueiro adversário. Foram os próprios jogadores do Juventude que tentaram segurar o lateral do Inter, que foi totalmente impulsivo. Justamente Fabrício, que há alguns dias fez uma autocrítica e prometeu que teria uma nova postura na temporada de 2014.

“Fiz bobagens, agora vou fechar a boca. Este ano espero mudar e não fazer as besteiras que fiz no ano passado”, disse Fabrício no último dia 15 de janeiro.

CONFUSÃO

Expulsões ocorreram aos 36 do 1º tempo. FOTO: Ricardo Duarte/Agência RBS

A decisão do árbitro Diego Almeida Real foi correta ao expulsar os dois jogadores, um por ter agredido e o outro por revidar. Essa, aliás, foi a segunda confusão do jogo. Na primeira, o juiz administrou no diálogo. Aos 15 minutos, Rafael Moura deixou o braço em uma disputa com um adversário e deu uma tesoura no zagueiro Diogo (o mesmo da segunda bronca). No chão, o defensor do Juventude chutou a perna de Alan Patrick. Diego Real deveria ter mostrado que essa conduta não seria admitida na sequência do jogo, mas preferiu somente a advertência verbal. Geralmente uma atitude mais enérgica nessas situações funciona como uma ação preventiva para que algo mais grave não ocorra.

Comentários (9)

  • Junior Brasília diz: 19 de fevereiro de 2014

    … me diga qual o jogo deles que não acaba em confusão e/ou bate-boca???? … parece que a necessidade de querer sempre provar alguma coisa para alguém esta pesando na cabeça desse monte de perna-de-paus que se dizem craques … ehehehh

  • Diego diz: 19 de fevereiro de 2014

    Exagero sugerir um divã para o Fabrício.

    Ninguém além de quem está no campo sabe o que acontece no jogo. Quem disse que além do chute e do tapa no rosto do Fabrício, o tal do Diogo não havia provocado anteriormente?

    Sabe quem está no divã? – Aquele que precisa de tratamento ou acompanhamento de especialista!

    Lógico que o jogador colorado agiu de forma incorreta, mas ao meu ver foi a primeira “pisada na bola” do Fabricio em 2014, e acho que alguma pressão de terceiros (alheios ao jogo) deve começar a ocorrer quando houver novas atitudes como está.

    É muito cedo para plantar idéias e jogar lenha na fogueira.

    As vezes os srs parecem mais jornalistas de programa da tarde de fofocas.

    GOSTARIA MUITO QUE TU PARECE DE OMITIR COMENTÁRIOS, JÁ QUE EXISTE ESTE ESPAÇO

  • Eduardo diz: 19 de fevereiro de 2014

    Uma coisa é certa e tem de ser reconhecida em Fabrício, ele veste a camisa do Inter e sempre demonstra vontade de Ganhar.
    A expulsão de ontem foi diferente da grande maioria das suas demais epulsões, ontem ele foi agredido, tomou um tapa na cara, o que convenhamos não é fácil de aceitar, e acabou reagindo. Quando um jogador está ligado na disputa, é muito dificil manter a inteligência emocional, ainda mais com um tapa na cara.
    Fabrício deve ser criticado pelas expulsões motivadas por reclamações, a de ontem, quem sabe, até ajudará o jogador a se auto controlar.
    O momento do time no campeonato permite eventual prejuizo aqui ou ali, e este evento acabará ajudando Fabrício no futuro principalmente por ser o primeiro com Abelão que ,como um ótimo gestor de grupo, conversará com o jogador, orientando-lhe a manter a vontade de vencer e tentar permanecer calmo em momentos como este.
    Quem critica Fabrício deveria fazer a experiência de imaginar-se esbofeteado num momento de discussão para imaginar o quão dificil é manter o auto controle neste momento.
    Este evento não é para crise e sim para aprendizado.

    Sorte Fabríciio, Sorte Inter

  • Marcelo diz: 19 de fevereiro de 2014

    Diori, bom dia, expulsoes corretas, mas a falta no inicio do lance do 1º gol, o que me diz??

  • Alberto diz: 19 de fevereiro de 2014

    Só não comentam que o Fabrício empurrou o Diogo ANTES de o Diogo dar o tapa…

  • tolocoentao diz: 19 de fevereiro de 2014

    Tu só podia ser árbitro mesmo para emitir esta opinião !
    Foi tudo na cara daquele bandeirinha de merda e o panaca não fez nada !! Ainda deu uma opinião de merda para o juiz q não viu nada !
    Depois tb chutaram o Dále no chão na entrada da área e o panaca deu cartão pro Dále !

  • Fernando Santos diz: 19 de fevereiro de 2014

    Sou colorado e acho que a expulsão foi correta. INDEPENDE da intensidade da agressão. Aliás, não importa nem se atingiu o adversário ou não, só o fato de tentar agredir já merece o cartão vermelho. Só uma correção. Se o jogador do Juventude tentou agredir (ou agrediu) o Alan Patrick antes (aos 15 min) ele deveria ter sido expulso. Na minha opinião obviamente.

  • Vilmar diz: 19 de fevereiro de 2014

    Não culpo o Fabrício… Quem leva um chute e um tapa na cara e fica quieto? Fosse comigo, não daria só um empurrãozinho….. Tem muito jogador por aí que passa o jogo inteiro somente provocando o adversário… talvez se, uma hora dessas, apanhar valendo, vira “sujeito homem” e passa a se preocupar somente com a bola!

  • 48 amarelos e 6 vermelhos: os números da 9ª rodada do Gauchão 2014 | Blog do Diori diz: 22 de fevereiro de 2014

    [...] CONFIRA TAMBÉM: Se tivesse expulsado Edinho, árbitro teria tido atuação nota 10 Ninguém gosta de levar tapa na cara, mas Fabrício precisa ter mais controle [...]

Envie seu Comentário