Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

O critério é não ter critério

01 de janeiro de 2017 0

A lista dos árbitros brasileiros que farão parte do quadro da Fifa em 2017 foi divulgada com mudanças. Basta olharmos quem sai, quem entra e quem fica para termos a certeza de que não há como entender os critérios adotados pela CBF nas alterações. Uma coisa ficou clara. As decisões não levaram em conta o aspecto técnico como fator principal.

Dos três árbitros que entram no quadro internacional o mais preparado é o carioca Wagner Magalhães, de 37 anos. Ele demonstrou muita regularidade na temporada 2016 e parece estar pronto para assumir a condição.

A promoção do paranaense Rodolpho Toski Marques, de 29 anos, não surpreende. O que chama atenção é o momento em que ocorre. Qual o grande jogo ou a grande decisão que ele tem na carreira? Estamos falando de um árbitro recém promovido ao quadro de aspirantes Fifa e que não tem 20 jogos de Série A na carreira. Vejo muito potencial em Rodolpho Marques, mas entendo que poderia continuar amadurecendo para ser lançado nos próximos anos.

A escolha que não se justifica de forma alguma é a de Wagner Reway, do Mato Grosso. O juiz de 35 anos não pode estar em uma lista que deveria ter os 10 melhores árbitros do país. É simples de explicar. Ele está longe dessa condição. É um árbitro inseguro e, por vezes, confuso dentro de campo. Não considero que esteja em um nível técnico aceitável para ser cogitado para o quadro da Fifa. Havia outras opções melhores, como o árbitro catarinense Bráulio da Silva Machado ou até a manutenção de quem já estava.

Não discuto a saída de Héber Roberto Lopes, que está no último ano da carreira. Se o objetivo era a renovação, ele era o árbitro perfeito para deixar o quadro. É o que está mais perto de largar o apito.

Vuaden está de saída do quadro da Fifa. FOTO: Guilherme Becker/Agência RBS

Vuaden está de saída do quadro da Fifa. FOTO: Guilherme Becker/Agência RBS

Entretanto, observando quem entra, fica mais difícil entender a saída do gaúcho Leandro Vuaden. Aos 41 anos, teria a possibilidade de seguir atuando até os 45 anos no quadro internacional. O mesmo vale para o carioca Péricles Cortez, que tem a mesma idade.

Realmente o critério para as escolhas não foi técnico, mas espero que as trocas feitas pela CBF representem melhoria na qualidade da arbitragem. Olhando nome por nome, o plantel do apito piorou.

Só um representante do Rio Grande do Sul

Com a saída de Leandro Vuaden, Anderson Daronco passa a ser o único representante gaúcho no quadro da Fifa. Entre os assistentes, o estado não teve nenhuma indicação. A única mudança foi a saída de Eduardo Gonçalves da Cruz para o ingresso de Danilo Ricardo Simon Manis.

LISTA DE ÁRBITROS FIFA PARA 2017:
01 — Anderson Daronco (RS)
02 — Raphael Claus (SP)
03 — Dewson Freitas (PA)
04 — Ricardo Marques (MG)
05 — Sandro Meira Ricci (SC)
06 — Wagner Magalhães (RJ)
07 — Luiz Flávio de Oliveira (SP)
08 — Wilton Sampaio (GO)
09 — Wagner Reway (MT)
10 — Rodolpho Toski (PR)

LISTA DE ÁRBITROS ASSISTENTES FIFA PARA 2017:
01 – Alessandro Rocha de Matos (BA)
02 – Émerson Augusto de Carvalho (SP)
03 – Bruno Boschilia (PR)
04 – Marcelo Van Gasse (SP)
05 – Guilherme Dias Camilo (MG)
06 – Rodrigo Henrique Correa (RJ)
07 – Kléber Lúcio Gil (SC)
08 – Bruno Raphael Pires (GO)
09 – Danilo Ricardo Simon Manis (SP)
10 – Fabrício Vilarinho da Silva (GO)

languirulogo

Envie seu Comentário