Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Mudamos de endereço

25 de abril de 2017 0

Alô, pessoal!

O Blog do Diori encerra sua participação neste formato. Estamos mudando de endereço. A partir de agora você encontra informações sobre arbitragem em radiogaucha.com.br ou zerohora.com.

Vem junto porque segue o jogo!

Diori Vasconcelos

Representante brasileiro em órgão responsável por regras do futebol sobre pênalti de Kannemann: "Fico com o árbitro"

08 de fevereiro de 2017 1

A polêmica do último final de semana no Gauchão ainda não se esgotou. Nos últimos dias, o debate tem sido muito grande em relação ao pênalti no lance envolvendo o zagueiro Kannemann na partida em que o Grêmio perdeu para o Caxias por 2 x 1. Afinal de contas, foi lance de mão na bola ou bola na mão?

Uma coisa é fato. A polêmica não se limitou aos torcedores, foi além das redes sociais, passou por programas de rádio, debates esportivos e agitou até o meio da arbitragem.

O pênalti de Kannemann gerou profundo debate entre árbitros, ex-árbitros, comentaristas e instrutores de arbitragem. Fiz contatos buscando discutir conceitualmente a jogada. Percebi uma divisão de opiniões. Alguns defendendo a marcação do pênalti; outros dizendo que a jogada foi acidental; e há até os que consideram a jogada como “cinzenta”, termo utilizado no meio da arbitragem para definir um lance que não é “preto” nem “branco”.

Decidi, então, consultar o representante sul-americano da IFAB (International Football Association Board), órgão que regulamenta as regras do futebol. Estou falando de Manoel Serapião Filho, ex-árbitro Fifa e atual diretor-presidente da Escola Nacional de Arbitragem da CBF. Ele ressaltou o caráter interpretativo do lance, que permite mais de uma leitura. Porém, disse que aprovou a decisão do juiz gaúcho Jean Pierre Lima.

“Vi o lance e é muito interessante, pois houve o primeiro toque no corpo do jogador, que, a princípio, criaria o elemento surpresa e que excluiria a falta. Todavia, a posição do braço do jogador em clara ação de bloqueio e sem qualquer cuidado, desde seu primeiro movimento, se constitui em elemento para a falta, pois teria sido a causa do toque. Bola dividida. Fico com o árbitro”, argumentou Manoel Serapião Filho.

É lógico que dentro das orientações da Fifa há uma observação que diz respeito ao desvio da bola. Isso em geral caracteriza o fator surpresa. Entendo, porém, que alguns cuidados são necessários por parte dos atletas. O que me chamou a atenção no lance de Kannemann foi a forma como ele saltou para interceptar a jogada. Dessa maneira, ao pular com os dois braços levantados, assume o risco de cometer a infração. Cada lance tem suas características e particularidades. Não compararia o lance de Kannemann com outras jogadas, como um carrinho em ação de bloqueio. Vejo diferenças.

Lance gerou reclamação do técnico Renato ao final do jogo. FOTO: Porthus Júnior/Agencia RBS

Lance gerou reclamação do técnico Renato ao final do jogo. FOTO: Porthus Júnior/Agencia RBS

Pessoalmente, gosto muito de jogadas como essa porque elas ajudam na compreensão de questões interpretativas das regras do futebol. Afinal, a regra não é clara coisa nenhuma.

E cabe dizer que não estou preocupado e não vou entrar em qualquer discussão ideológica ou política que a marcação do pênalti possa ter instigado.

O objetivo aqui é sempre pela análise técnica.

languirulogo

O primeiro pênalti polêmico do Gauchão 2017

05 de fevereiro de 2017 34

O árbitro Jean Pierre Lima acertou na marcação do pênalti que resultou no primeiro gol da vitória por 2 x 1 do Caxias sobre o Grêmio, nesse domingo (5), no estádio Centenário, pela 2ª rodada do Gauchão. Talvez ele tenha contado com o auxílio do assistente Leirson Peng Martins para tomar a decisão acertada.

Após cruzamento, a bola bate na perna e depois no braço direito do zagueiro Kannemann, antes de ir para a linha de fundo. O defensor salta para interceptar a bola com os dois braços levantados, ou seja, em movimento não-natural. Ao fazer a ação de bloqueio dessa forma, com os braços nessa posição, está assumindo o risco da infração. Por isso, o pênalti deve ser marcado. Essa é a orientação passada aos árbitros para esse tipo de lance. Isso não significa dizer que toda bola que bater no braço resultará em infração.

Jean Pierre foi o árbitro de Caxias x Grêmio. FOTO: Juan Barbosa/Agência RBS

Jean Pierre foi o árbitro de Caxias x Grêmio. FOTO: Juan Barbosa/Agência RBS

Para ilustrar a diferença, sugiro um exercício de imaginação. Se Kannemann estivesse parado, com o braço afastado do corpo e não estivesse fazendo uma ação de bloqueio, o lance teria outra natureza. Se uma bola fosse chutada e, após um desvio, batesse no braço do zagueiro, a jogada seria normal.

A Fifa recomenda que os atletas tenham ação preventiva, sobretudo quando tentam interceptar a bola. De que forma? Colocando os braços para trás ou junto ao corpo, os jogadores estarão mostrando que querem evitar o risco de cometer a infração.

languirulogo

Cartão amarelo para goleiro do Veranópolis após entrada em Diego ficou barato

30 de janeiro de 2017 0

languirulogo

O critério é não ter critério

01 de janeiro de 2017 0

A lista dos árbitros brasileiros que farão parte do quadro da Fifa em 2017 foi divulgada com mudanças. Basta olharmos quem sai, quem entra e quem fica para termos a certeza de que não há como entender os critérios adotados pela CBF nas alterações. Uma coisa ficou clara. As decisões não levaram em conta o aspecto técnico como fator principal.

Dos três árbitros que entram no quadro internacional o mais preparado é o carioca Wagner Magalhães, de 37 anos. Ele demonstrou muita regularidade na temporada 2016 e parece estar pronto para assumir a condição.

A promoção do paranaense Rodolpho Toski Marques, de 29 anos, não surpreende. O que chama atenção é o momento em que ocorre. Qual o grande jogo ou a grande decisão que ele tem na carreira? Estamos falando de um árbitro recém promovido ao quadro de aspirantes Fifa e que não tem 20 jogos de Série A na carreira. Vejo muito potencial em Rodolpho Marques, mas entendo que poderia continuar amadurecendo para ser lançado nos próximos anos.

A escolha que não se justifica de forma alguma é a de Wagner Reway, do Mato Grosso. O juiz de 35 anos não pode estar em uma lista que deveria ter os 10 melhores árbitros do país. É simples de explicar. Ele está longe dessa condição. É um árbitro inseguro e, por vezes, confuso dentro de campo. Não considero que esteja em um nível técnico aceitável para ser cogitado para o quadro da Fifa. Havia outras opções melhores, como o árbitro catarinense Bráulio da Silva Machado ou até a manutenção de quem já estava.

Não discuto a saída de Héber Roberto Lopes, que está no último ano da carreira. Se o objetivo era a renovação, ele era o árbitro perfeito para deixar o quadro. É o que está mais perto de largar o apito.

Vuaden está de saída do quadro da Fifa. FOTO: Guilherme Becker/Agência RBS

Vuaden está de saída do quadro da Fifa. FOTO: Guilherme Becker/Agência RBS

Entretanto, observando quem entra, fica mais difícil entender a saída do gaúcho Leandro Vuaden. Aos 41 anos, teria a possibilidade de seguir atuando até os 45 anos no quadro internacional. O mesmo vale para o carioca Péricles Cortez, que tem a mesma idade.

Realmente o critério para as escolhas não foi técnico, mas espero que as trocas feitas pela CBF representem melhoria na qualidade da arbitragem. Olhando nome por nome, o plantel do apito piorou.

Só um representante do Rio Grande do Sul

Com a saída de Leandro Vuaden, Anderson Daronco passa a ser o único representante gaúcho no quadro da Fifa. Entre os assistentes, o estado não teve nenhuma indicação. A única mudança foi a saída de Eduardo Gonçalves da Cruz para o ingresso de Danilo Ricardo Simon Manis.

LISTA DE ÁRBITROS FIFA PARA 2017:
01 — Anderson Daronco (RS)
02 — Raphael Claus (SP)
03 — Dewson Freitas (PA)
04 — Ricardo Marques (MG)
05 — Sandro Meira Ricci (SC)
06 — Wagner Magalhães (RJ)
07 — Luiz Flávio de Oliveira (SP)
08 — Wilton Sampaio (GO)
09 — Wagner Reway (MT)
10 — Rodolpho Toski (PR)

LISTA DE ÁRBITROS ASSISTENTES FIFA PARA 2017:
01 – Alessandro Rocha de Matos (BA)
02 – Émerson Augusto de Carvalho (SP)
03 – Bruno Boschilia (PR)
04 – Marcelo Van Gasse (SP)
05 – Guilherme Dias Camilo (MG)
06 – Rodrigo Henrique Correa (RJ)
07 – Kléber Lúcio Gil (SC)
08 – Bruno Raphael Pires (GO)
09 – Danilo Ricardo Simon Manis (SP)
10 – Fabrício Vilarinho da Silva (GO)

languirulogo

A solução virou problema

14 de dezembro de 2016 0

Quem pensava que o uso da tecnologia na arbitragem poderia acabar com os erros e tiraria a graça do futebol estava enganado. A ação do árbitro de vídeo no jogo entre Nacional de Medellín x Kashima Antlers mostrou que a polêmica está só começando.

Um pênalti equivocado foi o cartão de visitas da atração. Em posição adiantada, o atleta japonês interfere no adversário do Nacional e o impede de jogar. Isso precede a penalidade que, portanto, não deveria ter sido marcada quando o jogo estava 0 x 0.

Árbitro Viktor Kassai contou com auxílio do vídeo para tomar decisão. FOTO: Conmebol/Divulgação

Árbitro Viktor Kassai contou com auxílio do vídeo para tomar decisão. FOTO: Conmebol/Divulgação

Não estamos falando de algo simples de ser implementado. Talvez seja a mudança mais radical na história das regras do futebol. É natural que apareçam problemas e que a partir disso ocorra o aprimoramento. Por outro lado, o equívoco não precisava ter sido tão grande. Afinal, a novidade que chegou para ser solução começou a ser vista pelo público como problema logo na estreia.

A pressa e a ansiedade geraram o erro e colocaram em dúvida o uso da tecnologia na arbitragem. Agora, a tarefa da Fifa será ainda mais difícil. Em meio ao processo de descoberta do modo ideal de como operar um sistema complexo, será preciso driblar a rejeição e convencer o público.

languirulogo

Jogos de volta da fase semifinal da Copa do Brasil não terão árbitros Fifa

02 de novembro de 2016 0

Os dois árbitros sorteados para os jogos de volta da fase semifinal da Copa do Brasil 2016 não fazem parte do quadro da Fifa.

O duelo entre Grêmio x Cruzeiro, às 21h45, na Arena, em Porto Alegre, será comandado por Thiago Duarte Peixoto, aspirante Fifa do estado de São Paulo.

Já o jogo entre Atlético-MG x Inter, às 21h45, no Independência, em Belo Horizonte, terá no apito o baiano Jaílson Macedo Freitas, que está no último ano da carreira e faz parte do quadro Especial da CBF.

Os representantes da Fifa estarão correndo nas laterais do campo. Na partida do Rio Grande do Sul, Thiago Peixoto terá Tatiane Camargo (Fifa-SP) e Danilo Manis (Asp. Fifa-SP) como auxiliares. O árbitro reserva será o gaúcho Francisco Silva Neto.

Em Minas Gerais, Jaílson Freitas será auxiliado por Alessandro Rocha de Matos (Fifa-BA) e Bruno Raphael Pires (Fifa-GO). O mineiro Renato da Conceição será o juiz reserva.

CONFIRA A PROJEÇÃO DA ARBITRAGEM PARA GRÊMIO X CRUZEIRO:

CONFIRA A PROJEÇÃO DA ARBITRAGEM PARA ATLÉTICO-MG X INTER:

languirulogo

Árbitros experientes apitam jogos da dupla Gre-Nal pela semifinal da Copa do Brasil

26 de outubro de 2016 0

Dois árbitros experientes apitam os jogos de ida da fase semifinal da Copa do Brasil, nesta quarta-feira, às 21h45.

O duelo entre Inter x Atlético-MG será comandado por Marcelo de Lima Henrique (confira a análise no primeiro vídeo abaixo). Ele é carioca, mas atua pela Federação Pernambucana de Futebol. Deixou de integrar o quadro da Fifa há duas temporadas. Está no último ano da carreira.

Já o confronto entre Cruzeiro x Grêmio será apitado por Péricles Bassols Cortez (confira a análise no segundo vídeo abaixo), árbitro Fifa. Ele também é carioca, mas está vinculado ao estado de Pernambuco.

O QUE ESPERAR DA ARBITRAGEM DE INTER X ATLÉTICO-MG? CONFIRA A ANÁLISE:

O QUE ESPERAR DA ARBITRAGEM DE CRUZEIRO X GRÊMIO? CONFIRA A ANÁLISE:

languirulogo

Lambanças previsíveis da arbitragem no Gre-Nal 411

23 de outubro de 2016 85

Já esperava um protagonismo da arbitragem no Gre-Nal 411. Considerava quase impossível que Francisco Carlos do Nascimento tivesse condições para um bom desempenho técnico e, principalmente, para controlar disciplinarmente o clássico.

Houve dois momentos mais tensos no Gre-Nal, um em cada etapa. Se o árbitro tivesse tido uma decisão mais firme no 1º tempo, aplicando amarelos para William e Bolaños, provavelmente teria evitado a confusão do 2º.

Francisco Carlos do Nascimento teve dificuldades no Gre-Nal. Foto: Divulgação

Francisco Carlos do Nascimento teve dificuldades no Gre-Nal. Foto: Divulgação

A consequência do tumulto da etapa complementar gerou dois absurdos. O primeiro foi a atitude lamentável de Edílson. Por mais de uma oportunidade, o lateral tentou acertar Rodrigo Dourado. Na última, atingiu o volante com um soco no rosto. O vermelho de Edílson foi o fato mais indiscutível do Gre-Nal. O outro absurdo foi a expulsão injusta de Rodrigo Dourado, que ocorreu após muita conversa e muita demora. Edílson foi expulso aos 17 e Dourado recebeu vermelho aos 21 minutos.

Entendo que Vitinho também deveria ter sido expulso. No começo da confusão, após uma falta mal marcada em Valdívia, o zagueiro Kannemann se joga no gramado para agarrar a bola, que está no chão. O atacante colorado, na tentativa de arrancar a bola do defensor, acaba golpeando o argentino por trás. Todo o tumulto acontece depois disso.

Francisco Carlos do Nascimento nunca foi um grande árbitro. Sempre demonstrou dificuldades em jogos mais disputados e tensos. A falta de imposição e de convicção nas decisões do juiz dentro de campo era raridade até mesmo quando ele esteve no quadro da Fifa, posição que deixou de ocupar em 2014. O que aconteceu no empate em 0 x 0 no Gre-Nal 411, nesse domingo (23), na Arena, não foi novidade alguma.

languirulogo

O que esperar do desempenho de Chicão, o árbitro do Gre-Nal 411

22 de outubro de 2016 0

O sorteio de arbitragem indicou o alagoano Francisco Carlos do Nascimento para o apito do Gre-Nal 411, que será disputado na Arena do Grêmio, neste domingo, às 17h, pela 32ª rodada do Brasileirão.

Francisco Carlos do Nascimento, conhecido como Chicão em Alagoas, tem 39 anos e já fez parte do quadro da Fifa. Perdeu o escudo em 2014 por problemas técnicos. Hoje integra o quadro Master da CBF. O confronto de domingo será o primeiro Gre-Nal da carreira do juiz.

Chicão, de Alagoas, será o árbitro do Gre-Nal 411. Foto: Divulgação

Chicão, de Alagoas, será o árbitro do Gre-Nal 411. Foto: Divulgação

Antes de rolar a bola, entendo que a escala coloca um árbitro inadequado para a partida. Francisco Carlos do Nascimento não é o nome mais indicado e preparado para o jogo de domingo, que promete ser tenso, como são os Gre-Nais. Os problemas que acumulou na carreira, muitas vezes por falta de controle disciplinar, dão a perspectiva de que Chicão terá dificuldades de comandar o Gre-Nal.

Tudo isso, porém, está no campo da tendência. Espero e torço para que os jogadores ajudem e Francisco Carlos do Nascimento esteja em um dia inspirado para fazer uma grande arbitragem.

Vale ressaltar que Chicão foi um dos quatro árbitros que disputaram o sorteio do Gre-Nal 411. Os outros três postulantes eram do quadro da Fifa: Péricles Cortez (PE), Ricardo Marques Ribeiro (MG) e Dewson Freitas da Silva (PA). Ou seja, era um tambor de revólver com três câmaras vazias e uma bala. Agora é rezar para que a arma esteja com o gatilho quebrado.

CONFIRA A ANÁLISE SOBRE A ARBITRAGEM DO GRE-NAL NO VÍDEO:

languirulogo