Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Brasileirão"

O que esperar do desempenho de Chicão, o árbitro do Gre-Nal 411

22 de outubro de 2016 0

O sorteio de arbitragem indicou o alagoano Francisco Carlos do Nascimento para o apito do Gre-Nal 411, que será disputado na Arena do Grêmio, neste domingo, às 17h, pela 32ª rodada do Brasileirão.

Francisco Carlos do Nascimento, conhecido como Chicão em Alagoas, tem 39 anos e já fez parte do quadro da Fifa. Perdeu o escudo em 2014 por problemas técnicos. Hoje integra o quadro Master da CBF. O confronto de domingo será o primeiro Gre-Nal da carreira do juiz.

Chicão, de Alagoas, será o árbitro do Gre-Nal 411. Foto: Divulgação

Chicão, de Alagoas, será o árbitro do Gre-Nal 411. Foto: Divulgação

Antes de rolar a bola, entendo que a escala coloca um árbitro inadequado para a partida. Francisco Carlos do Nascimento não é o nome mais indicado e preparado para o jogo de domingo, que promete ser tenso, como são os Gre-Nais. Os problemas que acumulou na carreira, muitas vezes por falta de controle disciplinar, dão a perspectiva de que Chicão terá dificuldades de comandar o Gre-Nal.

Tudo isso, porém, está no campo da tendência. Espero e torço para que os jogadores ajudem e Francisco Carlos do Nascimento esteja em um dia inspirado para fazer uma grande arbitragem.

Vale ressaltar que Chicão foi um dos quatro árbitros que disputaram o sorteio do Gre-Nal 411. Os outros três postulantes eram do quadro da Fifa: Péricles Cortez (PE), Ricardo Marques Ribeiro (MG) e Dewson Freitas da Silva (PA). Ou seja, era um tambor de revólver com três câmaras vazias e uma bala. Agora é rezar para que a arma esteja com o gatilho quebrado.

CONFIRA A ANÁLISE SOBRE A ARBITRAGEM DO GRE-NAL NO VÍDEO:

languirulogo

Entenda o novo sistema de sorteio de arbitragem da CBF

19 de outubro de 2016 0

Não tinha como piorar, mas ficou mais confuso. A decisão de fazer um sorteio com 10 árbitros por partida nos jogos da Série A do Brasileirão não foi uma boa medida da CBF.

Desde a chegada do novo presidente da Comissão de Arbitragem, o Coronel Marinho, os critérios foram modificados.

O comandante atual determina uma lista de 15 árbitros titulares e outros cinco reservas.

Depois de definir a ordem das 10 partidas da rodada, um novo sorteio é feito para selecionar quatro opções de árbitros, que serão dispostos em quatro colunas.

Por fim, são colocadas quatro bolinhas em um globo numeradas de 1 a 4. A bola sorteada indica a coluna em que está no nome do árbitro que apitará o confronto.

Os três árbitros que sobram nas outras três colunas voltam para a disputa dos outros jogos. Esse procedimento é repetido para cada uma das 10 partidas.

A vantagem do novo sistema é que a quantidade de árbitros pré-definidos é menor. Com isso, em tese, a chance de termos árbitros mais qualificados concorrendo aos jogos é maior.

ASSISTA AO VÍDEO E ENTENDA O NOVO SISTEMA DE SORTEIO:

languirulogo

"O trabalho continua", diz Sérgio Corrêa após saída da presidência da Comissão de Arbitragem da CBF

27 de setembro de 2016 0

Sérgio Corrêa tenta esconder, mas parece aliviado depois do anúncio de sua saída da presidência da Comissão de Arbitragem da CBF. Essa foi a impressão que tive no contato feito após a oficialização da notícia.

As críticas ao trabalho de Sérgio Corrêa tinham aumentado recentemente por conta do novo sistema de sorteio das escalas de arbitragem, a partir da colocação de 10 opções de árbitros para cada partida das séries A e B. A mudança, que só aconteceu por sugestão dos clubes, acabou gerando mais problemas.

“Nada que fazemos é perdido. Aprendemos sempre”, avaliou Sérgio Corrêa.

Sérgio Corrêa deixou cargo de presidente da Comissão de Arbitragem. Foto: Rafael Ribeiro / CBF/Divulgação

Sérgio Corrêa deixou presidência da Comissão de Arbitragem da CBF. FOTO: Divulgação

O agora ex-presidente continuará trabalhando na Comissão de Arbitragem, mas em uma função bem mais tranquila. Terá dedicação exclusiva ao Projeto de Desenvolvimento e Implementação do Árbitro de Vídeo, atividade que, segundo ele, estava sendo prejudicada pela exigência imposta pelas tarefas da presidência.

“Atrapalhava muito. Agora terei mais tempo para me dedicar ao projeto Árbitro de Vídeo. A vida é feita de trabalho e o trabalho continua. Vida que segue”, disse o ex-presidente.

Sérgio Corrêa já atua no Projeto de Desenvolvimento e Implementação do Árbitro de Vídeo desde o ano passado e aposta todas as fichas de que o auxílio da tecnologia provocará uma revolução no futebol brasileiro, resolvendo grande parte dos erros de arbitragem. Ele quer colocar o projeto em prática já na temporada de 2017.

O escolhido para o lugar de Sérgio Corrêa no cargo de presidente da Comissão de Arbitragem foi Marcos Cabral Marinho de Moura, que comandou arbitragem da Federação Paulista de Futebol entre 2005 e 2016. Ele concede entrevista coletiva nesta quarta-feira (28), às 15h, no auditório da CBF.

languirulogo

CBF muda comando da Comissão de Arbitragem

27 de setembro de 2016 1

A Comissão de Arbitragem da CBF tem novo comando. Marcos Cabral Marinho de Moura assume a presidência no lugar de Sérgio Corrêa.

Coronel Marinho, como é conhecido, foi chefe da arbitragem da Federação Paulista de Futebol entre 2005 e 2016. Deixou o cargo depois de escalar o árbitro Flávio Rodrigues Guerra, que estava punido pelo STJD, em um jogo da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Depois disso, passou a atuar no comando do Departamento de Segurança e Prevenção da FPF.

Marinho assume Comissão de Arbitragem em momento conturbado. FOTO: Divulgação

Marinho assume Comissão de Arbitragem em momento conturbado. FOTO: Divulgação

Coronel Marinho é velho conhecido e homem de confiança de Marco Polo Del Nero, presidente da CBF.

Na composição anunciada pela entidade, Alício Pena Júnior será o vice-presidente. Cláudio Cerdeira e Ana Paula Oliveira também farão da Comissão.

Até então presidente, Sérgio Corrêa passará a se dedicar exclusivamente ao Projeto de Desenvolvimento e Implementação do Árbitro de Vídeo.

Já a Escola Nacional de Árbitros de Futebol (ENAF) passará a ser dirigida por Manoel Serapião Filho. O secretário da ENAF será Nilson de Souza Monção.

O novo presidente da Comissão de Arbitragem concede entrevista coletiva, nesta quarta-feira (28), às 15h, no auditório da CBF.

Alterar o comando e trocar algumas peças de lugar representará uma mudança efetiva no que não está andando bem na arbitragem brasileira? Essa é a grande questão que precisará ser respondida a partir de agora. Se o sistema de sorteio de escalas e alguns critérios não forem modificados, trocar nomes não resolverá o problema.

languirulogo

Árbitro de Inter x Santos será afastado pela CBF e passará por reciclagem

09 de setembro de 2016 128

O árbitro Rodrigo Raposo, do Distrito Federal, será punido pela CBF. A informação foi confirmada por um integrante da Comissão de Arbitragem da entidade.

Raposo passará por um processo de avaliação e treinamento com instrutores, uma espécie de reciclagem.

O entendimento de que o juiz teve conduta equivocada na expulsão do meia Lucas Lima, do Santos, é unanimidade na cúpula da arbitragem da CBF.

Decisão da arbitragem causou polêmica. FOTO: Carlos Macedo/Agência RBS

Decisão da arbitragem causou polêmica e protesto dos santistas. FOTO: Carlos Macedo/Agência RBS

Em uma decisão rigorosa e exagerada, o árbitro mostrou o segundo amarelo para o camisa 10 da equipe paulista por retardar uma cobrança de escanteio. O lance ocorreu aos 45 minutos do 1º tempo da vitória do Inter sobre o Santos, por 2 x 1, nessa quinta-feira, no Beira-Rio.

Para o próximo final de semana, a escala já estava definida previamente e Rodrigo Raposo era o escalado para ser juiz reserva de Ponte Preta x América-MG. No entanto, em função da punição aplicada, o árbitro foi substituído do confronto por Christiano Gayo Nascimento, também do Distrito Federal.

A CBF não confirma qual será o período de afastamento do árbitro. Com o jogo de Porto Alegre, Raposo acumula cinco partidas apitadas na Série A do Brasileirão 2016.

languirulogo

O gol mal anulado do Fluminense e a expulsão de Falcão

07 de agosto de 2016 6

O erro grave da arbitragem no jogo desse domingo (7), no Beira-Rio, foi o gol mal anulado do Fluminense. Gum tinha posição legal. Ele toca na bola após a cobrança de falta de Gustavo Scarpa. Embora corra na direção da bola, Cícero não participa ativamente do jogo. De acordo com a regra do impedimento, ele só poderia ter sido punido se interferisse claramente no campo visual do goleiro Marcelo Lomba, do Inter. Não foi o caso. O impedimento também poderia ter sido marcado se Cícero tocasse na bola ou disputasse com algum adversário. Da mesma forma, não foi o que aconteceu. Por isso, o assistente Fifa Bruno Boschilia errou ao sinalizar a infração para o árbitro Rafael Traci.

Falcão foi expulso ainda no 1º tempo do jogo. FOTO: Bruno Alencastro/Agencia RBS

Falcão foi expulso ainda no 1º tempo do jogo. FOTO: Bruno Alencastro/Agencia RBS

Já na etapa final, Seijas correu risco de ser expulso. Fez uma falta forte em Wellington. Carrinho lateral, com o pé alto do chão, atingindo o adversário na canela com as travas da chuteira. Um lance perigoso. No mínimo para amarelo. O árbitro estava perto e nem falta marcou.

Sobre a expulsão de Falcão, o que chama atenção foi que a manifestação do treinador foi na direção do assistente. Não se trata de um desabafo na direção do campo ou virado para o banco de reservas. O técnico colorado se desloca quatro ou cinco passos, deixa a área técnica e vai na direção do bandeira para fazer a reclamação. Não tenho dúvidas de que isso foi um agravante que teve impacto na decisão do árbitro paranaense.

languirulogo

Ponte Preta x Inter teve a pior arbitragem do Brasileirão 2016

24 de julho de 2016 10

Até a manhã e começo da tarde deste domingo (24), a pior arbitragem do Brasileirão 2016 tinha sido a do empate em 1 x 1 entra Fluminense x Grêmio. O desempenho péssimo de André Luiz de Freitas Castro foi superado no empate em 2 x 2 entre Ponte Preta x Inter. Leonardo Garcia Cavaleiro foi desastroso. Foram dois pênaltis não marcados, um gol não validado e um vermelho que quase deixou de ser aplicado. Independente do grau de dificuldade dos lances estamos falando de muitos problemas capitas para uma partida só. É inaceitável que tantos erros graves aconteçam em um jogo da principal competição do futebol brasileiro.

Leonardo Cavaleiro cometeu erros graves no jogo. FOTO: Divulgação/FERJ

Leonardo Cavaleiro cometeu erros graves no jogo. FOTO: Divulgação/FERJ

Ficou claro também no jogo que os problemas ocorridos no primeiro tempo afetaram e acabaram desestabilizando o juiz no segundo. Ele dava mostras de estar perdido em campo. O primeiro erro do jogo foi um pênalti não marcado aos 16 minutos da etapa inicial. Anselmo teve tempo para perceber que o jogador da Ponte Preta faria o arremate. Dentro da área, o volante colorado salta na direção da bola para interceptar a jogada. Alcança esse objetivo com o braço esquerdo, que acaba abrindo. Como diz a regra, Anselmo assumiu o risco de cometer a infração. Depois, no final do primeiro tempo, houve um gol não validado da Ponte Preta. Lance muito difícil, o que não tira a importância. Chute de fora da área, a bola bate no travessão e no chão, dentro do gol. Cruzou completamente a linha. A arbitragem mandou o jogo seguir. Reforço aqui o que disse na jornada. Essa jogada é a clara manifestação de que a arbitragem precisa da tecnologia para algumas decisões. Na etapa final, ocorreu o lance mais claro do jogo. O pênalti não marcado de Paulão em Rhayner. O zagueiro do Inter tenta por duas vezes dar o bote na bola, mas erra e atinge o joelho do adversário. Leonardo Cavaleiro estava bem posicionado e cometeu um errou claro. Por fim, o maior sinal de um árbitro perdido em campo. Fernando Bob acerta uma cotovelada no nariz de Wendell. Cavaleiro nem falta marcou. Não fosse o trabalho em equipe, a atitude seria ignorada. Acabou sendo salvo pelo auxiliar. Mostrou segundo amarelo para o volante colorado. Entendo que era até um lance para expulsão direta, pois houve conduta violenta. O vermelho por duas advertências acaba tendo o mesmo efeito dentro do campo. Porém, a distância entre sequer marcar uma falta e a necessidade de expulsão imediata é muito grande. Ao que tudo indica, depois dos problemas no calor das 11 da manhã, Leonardo Garcia Cavaleiro passará algum tempo no frio da geladeira.

languirulogo

Quatro polêmicas da arbitragem no Gre-Nal 410

03 de julho de 2016 17

É praticamente impossível um Gre-Nal sem polêmicas envolvendo a arbitragem. Sempre haverá discussão por melhor que seja a atuação do juiz.

Nesse domingo (03), não foi diferente. Alguns lances geraram discussão, embora Dewson Fernando Freitas da Silva tenha tido uma atuação muito segura e tranquila no clássico 410.

Preparo físico e bom posicionamento são virtudes de Dewson. FOTO: Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação

Preparo físico e bom posicionamento são virtudes de Dewson. FOTO: Lucas Uebel/Divulgação

No aspecto técnico, o juiz da Fifa deu show. Teve atuação impecável. No disciplinar, andou perto disso, mas teve um erro importante. Falei sobre isso após o jogo. Daria nota 10 para as decisões técnicas e nota 6 para as questões disciplinares. Na média, nota oito para arbitragem.

19/1ºT – Foi falta no Sasha?
Não foi falta. Após o gol do Grêmio, os jogadores do Inter reclamaram de uma infração na origem da jogada. Sasha adiantou demais a bola, tentou escapar de Giuliano e perdeu o equilíbrio. Caiu sozinho no gramado. Não há sequer contato entre os dois jogadores. Lance claro. Acertou a arbitragem.

31/1ºT – Foi pênalti no Gustavo Ferrareis?
Não foi pênalti. Houve uma disputa normal entre Jaílson e Gustavo Ferrareis. Existiu contato entre eles, mas não passou de um choque de jogo. O posicionamento do árbitro ajudou muito para que ele tomasse a decisão certa.

9/2ºT – Rafael Thyere deveria ter sido expulso?
O amarelo ficou barato. Com as travas da chuteira, o zagueiro Rafael Thyere atingiu as costas do meia Seijas. Lance forte. O jogador gremista escapou de levar o vermelho.

Amarelo para Edílson após o jogo
Depois de encerrado Gre-Nal, o lateral-direito Edílson arrancou a bandeira de escanteio e a levou para o fundo do campo para comemorar a vitória perto da torcida. O árbitro deu amarelo para Edílson por conta da atitude. A regra diz que um jogador que, na opinião do árbitro, fizer gestos provocadores, debochados ou exaltados, deverá receber cartão amarelo. O árbitro tem poder de advertir um jogador antes, durante ou depois da partida. Por isso, a decisão da arbitragem foi correta.

languirulogo

Árbitro do Gre-Nal tem totais condições de "passar o trator" no domingo

01 de julho de 2016 1

Dewson Fernando Freitas da Silva não vive os melhores dias da carreira. Sua melhor fase foi em 2014, quando ainda era aspirante Fifa. Foi o grande destaque da arbitragem daquela temporada. Discreto, mas com personalidade. Tranquilo em campo, mas com decisões firmes. O preparo físico exemplar permitia que deixasse o jogo acelerar sem ficar distante das jogadas.

Apesar de ter feito um Gre-Nal irreparável, aquele dos 5 x 0, o juiz da Fifa já não repetiu em 2015 a regularidade do ano anterior.

Arbitragem ficou em segundo plano no Gre-Nal dos 5 x 0. FOTO: Diego Vara/Agência RBS

Arbitragem ficou em segundo plano no Gre-Nal dos 5 x 0. FOTO: Diego Vara/Agência RBS

Em 2016, a instabilidade é maior. Dewson Fernando Freitas da Silva tem oscilado bastante e cometido erros que não estão à altura de um Fifa.

É um bom árbitro precisando de um grande jogo para retomar a melhor fase. Para usar uma expressão da moda, o árbitro do Gre-Nal 410 tem totais condições de “passar o trator” no domingo. Porém, para que tenha essa imposição disciplinar e técnica em campo precisará, acima de tudo, relembrar os bons momentos de 2014.

languirulogo

Jogadores da dupla têm grande oportunidade para liderar um Gre-Nal de paz

30 de junho de 2016 2

O último Gre-Nal, realizado no Gauchão 2016, não traz boas lembranças. As consequências do campo acabaram sendo um simples reflexo do que aconteceu fora dele. O jogo foi muito nervoso, tenso, violento e, por vezes, parecia que os jogadores estavam deixando de lado o mais importante: jogar futebol. O Gre-Nal 409 foi muito carregado.

Gre-Nal 409 teve muita polêmica e pouco futebol. FOTO: Lauro Alves/Agência RBS

Gre-Nal 409 teve muita polêmica e pouco futebol. FOTO: Lauro Alves/Agência RBS

Para que tenhamos um cenário diferente desta vez, considero que os jogadores da dupla têm uma grande oportunidade para liderar um Gre-Nal de paz.

Independente de qualquer coisa, acredito que seja fundamental que os atletas não entrem em campo pilhados por fatores externos ou declarações fora do lugar.

Sei que é um jogo tradicional. Sei que o Gre-Nal tem histórico de ser muito disputado. Porém, um jogo pegado é diferente de um jogo violento. Ao mesmo tempo em que precisam fazer de tudo para defender suas cores, os jogadores precisam ter a noção da responsabilidade que têm diante dos torcedores.

Espero que Inter e Grêmio entrem em campo preocupados em jogar futebol no Beira-Rio. Os jogadores não podem esquecer que o que vai acontecer domingo, às 11h, é uma partida de FUTEBOL!

Seria lindo se fosse um jogo disputado, com as características tradicionais que um Gre-Nal sempre teve, mas com futebol de qualidade. Um jogo pegado, mas limpo.

É claro que a arbitragem tem grande responsabilidade no processo e precisará estar focada ao extremo para contribuir com um jogo assim.

Embora Dewson Fernando Freitas da Silva não viva o melhor momento da carreira, é possível dizer que a arbitragem brasileira como um todo passa por uma fase turbulenta dentro de campo. Entretanto, trata-se de um árbitro Fifa e, por aquilo que já demonstrou, Dewson tem totais condições de fazer um grande jogo.

Gosto da escolha de um árbitro de fora para o Gre-Nal 410. Se os jogadores entrarem em campo querendo jogar bola e colaborar ajudará muito para quem vai apitar. Do contrário, podem trazer um árbitro de Marte que não vai resolver.

Boa sorte a todos os envolvidos e que seja um Gre-Nal de paz.

languirulogo