Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Grêmio"

Paraense Dewson Fernando Freitas da Silva será o árbitro do Gre-Nal

30 de junho de 2016 13

Quem gosta de árbitro de fora no Gre-Nal não poderia ter notícia melhor nesta quinta-feira (30). O juiz do clássico do próximo domingo (3) vem de muito longe. Quem apita é Dewson Fernando Freitas da Silva, do Pará.

Será o segundo Gre-Nal da carreira de Dewson da Silva. Ele também apitou o confronto vencido por 5 x 0 pelo Grêmio, em 2015, na Arena.

Dewson Freitas da Silva

Dewson da Silva vai para o segundo Gre-Nal da carreira. FOTO: Diego Vara/Agência RBS

O sorteio que definiu a arbitragem do clássico ocorreu na sede da CBF no Rio de Janeiro. O outro árbitro colocado na disputa foi Héber Roberto Lopes, que acabou de retornar da Copa América e apitou a decisão da competição nos Estados Unidos.

O Gre-Nal será disputado neste domingo, às 11h, no estádio Beira-Rio. A partida é válida pela 13ª rodada do Brasileirão 2016.

INTER X GRÊMIO – DOMINGO – 11H – BEIRA-RIO:
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva – PA (FIFA)
Assistente 1: Émerson Augusto de Carvalho – SP (FIFA)
Assistente 2: Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo – SP (FIFA)
4º Árbitro: Diego Almeida Real – RS (ASP-FIFA)

ASSISTA AO SORTEIO TRANSMITIDO PELA CBF TV:

languirulogo

Assistente salvou árbitro em marcação de pênalti contra o Grêmio

19 de junho de 2016 3

O trabalho em equipe funcionou e a arbitragem tomou uma decisão correta em função da participação de um assistente na decisão do árbitro na partida em que o Grêmio venceu o Cruzeiro por 2 x 0, nesse domingo (19), na Arena, pela 9ª rodada do Brasileirão 2016.

O árbitro Thiago Duarte Peixoto não viu um toque de mão irregular dentro da área do lateral-esquerdo Marcelo Oliveira e deixou o jogo seguir. Segundos depois, o assistente Marcelo Van Gasse informou ao juiz e a marcação foi realizada.

O pênalti acabou sendo perdido pelo meia De Arrascaeta e o Cruzeiro deixou Porto Alegre sem ter qualquer motivo para reclamar. Resultado legítimo na Arena.

Confira a análise no vídeo:

languirulogo

Arbitragem de Fluminense x Grêmio foi a pior do Brasileirão 2016

11 de junho de 2016 1

languirulogo

Dupla Gre-Nal esquece de reunião sobre mudanças nas regras do futebol

13 de maio de 2016 0

A ausência de representantes da dupla Gre-Nal foi a surpresa negativa da reunião sobre as mudanças das regras do futebol, realizada na sede da Federação Gaúcha de Futebol (FGF).

SAIBA MAIS:
CBF adota mudanças nas regras do futebol para começo do Brasileirão 2016

O encontro da manhã dessa quinta-feira (12) era direcionado exclusivamente para representantes do clubes, jogadores e profissionais da imprensa. Estive presente e lamento que nenhum representante ou jogador de Grêmio ou Inter tenha comparecido.

Árbitros começam a aplicar mudanças na 1ª rodada do Brasileirão. FOTO: Divulgação

Árbitros começam a aplicar mudanças na 1ª rodada do Brasileirão. FOTO: Divulgação

Imagino que a dupla Gre-Nal tenha esquecido que haveria a reunião. Certamente não deixou de ir por uma opção ou por entender que as mudanças não são importantes. Espero que os envolvidos busquem, de alguma maneira, informações sobre as alterações. Não tenho dúvidas de que isso vai ajudar, até para uma reclamação mais embasada depois.

Com relação ao trabalho da Comissão de Arbitragem da CBF vale um elogio pela forma como tem buscado a difusão de informações para a comunidade do futebol sobre a reestruturação nas regras do futebol, realizada pelo International Football Association Board (IFAB).

No vídeo abaixo, o instrutor da CBF Manoel Serapião Filho comenta as mudanças:

languirulogo

CBF adota mudanças nas regras do futebol para começo do Brasileirão 2016

12 de maio de 2016 20

A CBF decidiu adotar as alterações nas regras do futebol para o começo do Brasileirão 2016. As mudanças, definidas pela International Football Association Board (IFAB), são consideradas as mais abrangentes em toda a história de 130 anos da entidade.

Em resumo, o livro de regras foi reorganizado e atualizado para facilitar a leitura e o entendimento pelos árbitros e por toda a comunidade do futebol. Para se ter uma ideia, cerca de 10 mil palavras foram retiradas para que o texto ficasse mais claro e objetivo.

Mesmo que em caráter simples, houve mudanças em 16 das 17 regras. A única regra que não sofreu alteração foi a de número 2 (que fala sobre a bola).

Na manhã dessa quinta-feira (12), na sede da Federação Gaúcha de Futebol, houve uma palestra com Milton Otaviano, instrutor da CBF e ex-assistente Fifa, para esclarecer o que muda a partir do próximo final de semana no Brasileirão. As mudanças nas regra também serão válidas a partir da terceira fase da Copa do Brasil, Copa América e outras competições nacionais e internacionais.

Elaborei uma lista com as alterações que considero a mais significativas. Quem tiver interesse, no final deste post, é possível visualizar o PDF com o detalhamento de todas as mudanças regras, material que foi elaborado pela CBF.

REGRA 1 – O CAMPO DE JOGO
- O importante aqui é que as entidades poderão estabelecer o tamanho dos campos para suas competições, dentro dos limites da regra. A CBF anunciou que vai adotar a dimensão de 105 metros de comprimento por 68 metros de largura. Com isso, os campos do Brasileirão terão tamanho padrão.

REGRA 3 – OS JOGADORES
- O árbitro poderá expulsar um jogador antes do começo do jogo. Desde o momento em que o juiz entra em campo para a inspeção no gramado, passa a ter esse poder.
- Caso um jogador reserva, substituído ou até um integrante da comissão técnica cause interferência no jogo, um tiro livre direto será marcado e haverá a expulsão do infrator. Exemplo: uma bola está entrando no gol e um jogador reserva que estava aquecendo na linha de fundo invade o campo e impede o gol. O árbitro marcará pênalti e aplicará cartão vermelho. Caso um gandula ou um torcedor ou um elemento externo ao jogo cometa a mesma infração, a partida seguirá sendo reiniciada com bola ao chão. Porém, se um gandula tenta evitar um gol e toca na bola, mas não consegue impedir que a bola entre, o gol será validado.

REGRA 4 – EQUIPAMENTO DOS JOGADORES
- O jogador pode voltar com o jogo em andamento após trocar/corrigir o equipamento, que deve ser checado (pelo árbitro, 4ºárbitro ou árbitro assistente) e o árbitro autorizar. Anteriormente, o jogo precisava estar parado, pois a verificação deveria ser feita somente pelo árbitro.

REGRA 5 – O ÁRBITRO
- Se ocorrer mais de uma infração ao mesmo tempo, a mais grave será a punida. Ordem de gravidade: sanção disciplinar (vermelho mais grave do que amarelo, etc…); tiro livre direto é mais grave do que tiro livre indireto; infração física (contato) é mais grave do que a não física (mão na bola, impedimento); Impacto tático.

REGRA 6 – OUTROS ÁRBITROS DA PARTIDA
- Principal mudança foi o nome. Antes, tratava do árbitro assistente. Atualmente, com presença de árbitros reservas e adicionais, o nome da regra foi alterado.

REGRA 7 – A DURAÇÃO DA PARTIDA
- Apenas o detalhamento de mais motivos para tempo de acréscimo. Exemplo: pardas médicas, hidratação, etc…)

REGRA 8 – O INÍCIO E REINÍCIO DE JOGO
- Entendo que a principal mudança seja o fato de que a bola poderá ser chutada em qualquer direção no pontapé inicial de um jogo. Anteriormente, a bola obrigatoriamente deveria ser chutada para frente. Então, era comum a presença de dois jogadores no tiro de saída. Um deles dava um toque curto para frente e o outro dava o passe para trás. Agora, o toque para frente não é mais necessário.

REGRA 9 – A BOLA DENTRO E FORA DE JOGO
- Apenas o esclarecimento de que a bola continua em jogo se, ainda dentro dos limites do campo, bater em qualquer um dos árbitros. Isso inclui árbitros assistentes adicionais. Essas mudanças decorrem do ingresso da figura do árbitro assistente adicional, popularmente conhecido como árbitro de gol.

REGRA 10 – DETERMINANDO O RESULTADO DA PARTIDA
- Quando um jogo for decidido nos pênaltis, o árbitro realizará dois sorteios antes das cobranças. O primeiro para definir o lado e o segundo para definir quem começa batendo.

REGRA 11 – IMPEDIMENTO
- Houve a colocação de alguns pontos que não ficavam claros pelo texto anterior. Destaco três:
1) A linha que divide o gramado é neutra para o impedimento. Um jogador pisando na linha, portanto, é considerado como no próprio campo e não será punido com impedimento.
2) Ao julgar uma posição de impedimento não serão levados em conta os braços dos jogadores, INCLUSIVE DOS GOLEIROS. A parte referente aos goleiros não estava clara.
3) Posição de impedimento não é infração. Só será no momento em que o jogador estiver envolvido em jogo ativo.

REGRA 12 – FALTAS E INCORREÇÕES
- Quando a falta envolver contato físico será sempre tiro livre direto.
- Tentativa de conduta violenta é cartão vermelho, mesmo sem haver contato.
- Nem todo lance de mão na bola é motivo de cartão amarelo. A punição está vinculada ao contexto da infração. Se impede ataque promissor, amarelo. Se impede chance clara e imediata de gol, vermelho.
- Infração com contato físico contra o árbitro, oficial da equipe, jogadores substituídos, passa a ser punida com tiro livre direto. Exemplo: com o jogo em andamento (lógico), o defensor atinge o árbitro com um soco dentro da área. O zagueiro será expulso e o árbitro marcará pênalti para o time adversário.
- Falta fora de campo passa a ser tiro livre direto sobre a linha no ponto mais próximo de onde ocorreu a infração. Exemplo: se um jogador, que está nos limites laterais da grande área, mas está fora de campo, ou seja, além da linha de fundo, é atingido por um adversário, o árbitro marcará pênalti. No texto anterior, não haveria falta com o jogador fora de campo.
- E o mais importante: Quando um jogador impedir um gol ou uma clara oportunidade de gol da equipe adversária com falta de mão deliberada, o jogador deve ser expulso onde quer que a falta ocorra. Quando um jogador cometer uma falta contra um adversário, dentro da própria área penal, que impedir um gol ou uma clara oportunidade de gol do adversário e o árbitro conceder um tiro penal, o jogador infrator será advertido com cartão amarelo, salvo se: a falta for de segurar, puxar ou empurrar; o jogador infrator não tentar jogar a bola, ou quando não houver possibilidade de jogar a bola; a falta for punível só com cartão vermelho, independente da parte do campo em que ocorra (exemplo: falta grave, conduta violenta, etc…). Nesses casos, o jogador será expulso. Então, quando não será? Um exemplo: um jogador atacante ingressa na área, toca a bola para o lado para fazer o drible e o goleiro, visando a bola, tenta interceptar a jogada e acaba cometendo o pênalti, o árbitro marcará a infração, mas aplicará o cartão amarelo e não mais o vermelho.

REGRA 14 – O TIRO PENAL
- Detalhamento de quando será aplicado amarelo e em quais casos o árbitro mandará repetir um pênalti ou quando concederá um tiro livre indireto para a equipe defensora por alguma infração cometida pela equipe atacante. Exemplo 1: caso um jogador chute um pênalti para trás, a cobrança não será mais repetida. O árbitro marcará tiro livre indireto para a equipe defensora. Exemplo 2: outro caso importante é que quando o goleiro se adiantar para uma defesa e o árbitro mandar voltar a cobrança, o goleiro deverá ser advertido com cartão amarelo.

* OBSERVAÇÃO: Regras 13, 15, 16 e 17 não tiveram mudanças significativas. 

Confira a íntegra do material produzido pela CBF com todas as alterações das regras do futebol:

Assista ao vídeo em que o instrutor Fifa e membro da Comissão de Arbitragem da Conmebol, Wilson Seneme, fala sobre esse novo momento das regras do futebol:

languirulogo

Vuaden foi o melhor árbitro do Gauchão 2016

12 de maio de 2016 0

A eleição feita pela equipe do Futebol da Gaúcha definiu Leandro Vuaden como melhor árbitro do Gauchão 2016. Foi o retrato do que aconteceu dentro de campo. O juiz da Fifa foi o mais regular e fechou a disputa com 7,4 de média, a partir de notas que foram dadas ao longo dos jogos de toda competição.

Vuaden apitou a primeira partida da decisão do Gauchão. FOTO: Diogo Sallaberry/Agência RBS

Vuaden apitou a primeira partida da decisão do Gauchão. FOTO: Diogo Sallaberry/Agência RBS

O segundo melhor foi Diego Real com média 7,2. Anderson Daronco foi o terceiro (7,1). Jean Pierre Lima, eleito melhor árbitro na festa de encerramento do Brasileirão, dividiu a quarta posição com a mesma média de Márcio Coruja e Daniel Bins (6,8).

Já é tradicional a votação feita pela equipe de esportes da Rádio Gaúcha nos últimos anos. Ainda não havia compartilhado o resultado aqui no blog. Então, faço esse importante registro sobre quem foram os melhores do ranking da competição estadual.

1º – Leandro Vuaden – 7,4
2º – Diego Real – 7,2
3º – Anderson Daronco  – 7,1
4º – Jean Pierre – 6,8 / Márcio Coruja – 6,8 / Daniel Bins – 6,8

languirulogo

Árbitro Francisco Neto: "Ia aos jogos no Olímpico com meu pai e sonhava em correr naquele gramado"

29 de abril de 2016 47

O árbitro Francisco de Paula dos Santos Silva Neto foi o entrevistado do programa Esporte e Cia na madrugada dessa sexta-feira (29). Durante a entrevista, de aproximadamente uma hora, comandada pelo apresentador Rafael Colling, o juiz gaúcho falou sobre a carreira de mais de 20 anos na arbitragem.

Lembrou da infância e a aproximação com o futebol. Foi ao lado do pai, gremista, falecido no ano passado, que Francisco Neto começou a frequentar o estádio e alimentar o sonho de ser jogador de futebol.

“Ali começou a minha paixão pelo futebol. Ia aos jogos no Olímpico com meu pai e sonhava em correr naquele gramado. Depois acabei correndo várias vezes no Olímpico, no Beira-Rio, todos os campos do Rio Grande do Sul e muitos pelo Brasil. Não como jogador, mas como árbitro”, disse Francisco Neto, que avançou dizendo o seguinte: “Joguei nas escolinhas do Grêmio quando eu era pequeno. Meu pai foi um dos maiores gremistas que eu vi, era fanático. Estive em vários jogos. Por exemplo, o jogo contra o Peñarol. Quando o Grêmio ganhou a primeira Libertadores, eu estava lá. Estádio lotado. Mal tinha espaço para sentar. Tem muito gremista que está me xingando e que não estava nesse jogo”, lembrou o árbitro que também revelou ter jogado nas escolinhas de futebol do Grêmio.

Francisco Neto

A carreira com a bola no pé não vingou. E a opção pela arbitragem veio pelo paixão com o esporte. Fez o curso da Federação Gaúcha de Futebol e começou a trabalhar muito cedo. Também é formado em educação física e hoje trabalha numa escola de Porto Alegre. Francisco Neto relembrou o episódio em que foi chamado de “Chico Colorado” por Felipão, então técnico do Grêmio, em 2015, e lamentou o ocorrido.

“Felipão era meu ídolo. Foi campeão do mundo de 2002. Não deixou de ser, mas é uma pena que as pessoas não pensam o que falam. O que quero é que apontem um lance em que prejudiquei time A ou B. Erros todos cometem, mas qual é o lance em que fiz algo propositalmente? Isso é que me deixa triste. Vale meu nome. Não é Grêmio nem Inter que pagam meu salário”, afirmou o árbitro.

Em 2016, Francisco de Paula dos Santos Silva Neto completa 45 anos, idade limite na arbitragem nacional. Disse que vai levar muitas coisas boas da carreira e deixou um recado aos que fazem críticas desleais ao seu trabalho.

“Para a pessoa criticar de uma maneira forte deveria pegar um apito e apitar um jogo. Vai ver que é muito difícil”, completou.

OUÇA A ENTREVISTA COM O ÁRBITRO FRANCISCO NETO:

languirulogo

Definida arbitragem das finais do Gauchão

28 de abril de 2016 1

Em sorteio realizado na sede da Federação Gaúcha de Futebol (FGF), nesta quinta-feira (28), foram definidos os árbitros das duas finais do Gauchão 2016 entre Inter x Juventude.

Árbitros da Fifa foram colocados no sorteio. FOTOS: Agência RBS

Árbitros da Fifa foram colocados no sorteio. FOTOS: Agência RBS

Leandro Vuaden apita o primeiro jogo, neste domingo (1), no estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul. Ele será auxiliado por José Javel Silveira e Lúcio Flor. Roger Goular será o 4º e Marcelo Oliveira e Silva o 5º árbitro.

A grande decisão no dia 8 de maio, no Beira-Rio, em Porto Alegre, será comandada por Anderson Daronco. Os assistentes serão Rafael da Silva Alves e Júlio César dos Santos. Márcio Coruja será o 4º árbitro e Carlos Selbach o 5º.

JUVENTUDE X INTER – DOMINGO (1) – ALFREDO JACONI:
Árbitro: Leandro Vuaden
Assistente 1: José Javel Silveira
Assistente 2: Lúcio Flor
4º árbitro: Roger Goulart
5º árbitro: Marcelo Oliveira e Silva

INTER X JUVENTUDE – DOMINGO (8) – BEIRA-RIO:
Árbitro: Anderson Daronco
Assistente 1: Rafael Alves
Assistente 2: Júlio César dos Santos
4º árbitro: Márcio Coruja
5º árbitro: Carlos Selbach

SAIBA COMO FOI O SORTEIO

Apenas os dois árbitros da Fifa participaram da disputa. O sorteio definiu a ordem da escala e funcionou da seguinte forma. Dentro de um saco foram colocadas três bolas com o número 1 e três bolas com o número 2. Se a bola 1 fosse sorteada, o resultado seria Vuaden no primeiro jogo e Daronco no segundo. No caso da bola 2, a ordem seria invertida. A bola sorteada foi a de número 1.

BOLA 1 – Leandro Vuaden = IDA / Anderson Daronco = VOLTA
BOLA 2 – Anderson Daronco = IDA / Leandro Vuaden = VOLTA

A curiosidade (confira no vídeo abaixo) foi o fato de que o sorteio também definiu a arbitragem das finais do Campeonato Baiano. Anderson Daronco e Leandro Vuaden foram solicitados pela Federação Baiana de Futebol. Com isso, o que fosse colocado no primeiro jogo do RS seria automaticamente colocado no segundo do baiano e vice-versa.

ASSISTA AO VÍDEO ABAIXO:

languirulogo

Diego Real, Daniel Bins, Jean Pierre e Francisco Neto nas semifinais do Gauchão

14 de abril de 2016 1

A arbitragem dos jogos da fase semifinal do Gauchão 2016 ficou definida em sorteio realizado nesta quinta-feira (14) na sede da Federação Gaúcha de Futebol (FGF).

FOTO

Juventude x Grêmio terá arbitragem de Diego Real. Já o jogo entre Inter x São José terá comando de Daniel Bins.

Para as partidas de volta, os designados foram Jean Pierre Lima para Grêmio x Juventude e Francisco Silva Neto para São José x Inter.

Confira a escala completa divulgada no site da FGF:

Escalalanguirulogo

Anderson Daronco não pode ser culpado por lance da lesão de Bolaños

07 de março de 2016 24

O Gre-Nal 409 foi um jogo para ser esquecido, mas ao mesmo tempo para deixar algumas lições. O futebol foi colocado em segundo plano pelos jogadores e a arbitragem deveria ter colocado um limite em determinadas situações para controlar melhor a partida.

O lance mais forte foi o da lesão de Bolaños. Embora considere que William deveria ter recebido o cartão vermelho, entendo que o árbitro Anderson Daronco não pode ser culpado por essa jogada.

Grande parte das pessoas que estavam assistindo ao Gre-Nal não percebeu a gravidade da disputa no momento em que aconteceu, com pouco mais de um minuto de bola rolando. Bolaños só foi substituído no intervalo. Não posso condenar o árbitro por um lance que eu mesmo não percebi em tempo real. Foi no momento em que veio a notícia da lesão grave de Bolanõs, quando a TV começou a repetir exaustivamente, que pude perceber que se tratava de uma jogada para cartão vermelho.

É lógico que se Daronco tivesse percebido a ação de William teria expulsado o jogador. O lateral colorado não visa a bola. Além disso, o braço esquerdo na altura da cabeça tira a naturalidade da ação. William assumiu o risco de atingir o adversário, não mediu a força e acabou tendo uma conduta agressiva.

Gre-Nal foi tenso e nervoso do começo ao fim. FOTO: Lauro Alves/Agência RBS

Gre-Nal foi tenso e nervoso do começo ao fim. FOTO: Lauro Alves/Agência RBS

O jogo começou e terminou mal. Com 15 segundos Wesley deu um empurrão em Artur fora de campo. Era a senha para um Gre-Nal nervoso e perigoso. O amarelo já deveria ter saído do bolso. Ainda na etapa inicial, Maicon poderia ter sido outro expulso por entrada forte em Rodrigo Dourado. Tanto no 1º quanto no 2º tempo, houve muitos momentos de confusão, de empurra-empurra, de bolinho de jogadores. Nos 45 minutos finais, para citar um exemplo, William (mais uma vez ele) e Marcelo Oliveira se estranharam. O lateral colorado, que parecia um tanto quanto acelerado, levantou o braço e acabou atingindo o jogador gremista na nuca, quase um cascudo. Marcelo Oliveira revidou partindo para cima de William e a confusão estava estabelecida. Os dois já tinham amarelo. No contexto tenso do Gre-Nal, não era um lance para administrar.

No tempo de acréscimo, houve a justa expulsão de Paulão. A falta foi de Henrique, um carrinho. Porém, já caído no gramado, Paulão deixou o pé na coxa do atacante.

A arbitragem deveria ter sido mais rigorosa do início ao fim de um Gre-Nal em que os jogadores pareciam não estar tão preocupados em jogar futebol. O resultado de 0 x 0 resumiu o pouco interesse.

languirulogo