Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Brasileirão"

O gol mal anulado do Fluminense e a expulsão de Falcão

07 de agosto de 2016 6

O erro grave da arbitragem no jogo desse domingo (7), no Beira-Rio, foi o gol mal anulado do Fluminense. Gum tinha posição legal. Ele toca na bola após a cobrança de falta de Gustavo Scarpa. Embora corra na direção da bola, Cícero não participa ativamente do jogo. De acordo com a regra do impedimento, ele só poderia ter sido punido se interferisse claramente no campo visual do goleiro Marcelo Lomba, do Inter. Não foi o caso. O impedimento também poderia ter sido marcado se Cícero tocasse na bola ou disputasse com algum adversário. Da mesma forma, não foi o que aconteceu. Por isso, o assistente Fifa Bruno Boschilia errou ao sinalizar a infração para o árbitro Rafael Traci.

Falcão foi expulso ainda no 1º tempo do jogo. FOTO: Bruno Alencastro/Agencia RBS

Falcão foi expulso ainda no 1º tempo do jogo. FOTO: Bruno Alencastro/Agencia RBS

Já na etapa final, Seijas correu risco de ser expulso. Fez uma falta forte em Wellington. Carrinho lateral, com o pé alto do chão, atingindo o adversário na canela com as travas da chuteira. Um lance perigoso. No mínimo para amarelo. O árbitro estava perto e nem falta marcou.

Sobre a expulsão de Falcão, o que chama atenção foi que a manifestação do treinador foi na direção do assistente. Não se trata de um desabafo na direção do campo ou virado para o banco de reservas. O técnico colorado se desloca quatro ou cinco passos, deixa a área técnica e vai na direção do bandeira para fazer a reclamação. Não tenho dúvidas de que isso foi um agravante que teve impacto na decisão do árbitro paranaense.

languirulogo

Dupla Gre-Nal foi beneficiada pela arbitragem no meio de semana do Brasileirão

14 de agosto de 2015 27

Os árbitros dos jogos da dupla Gre-Nal cometeram erros que favoreceram os gaúchos na 17ª rodada do Brasileirão, nesse meio de semana.

Na quarta-feira, o Inter escapou de ter o meia Alex expulso. O jogador já tinha amarelo e deu um carrinho violento no volante Pierre, do Fluminense, que deveria ter até resultado em vermelho direto. O árbitro paulista Flávio Rodrigues Guerra ignorou a gravidade da infração. O lance foi aos 11 minutos da etapa inicial (assista clicando aqui), quando o jogo estava 0 x 0.

Flu divulgou foto da perna de Pierre após entrada de Alex. FOTO: Fluminense/Divulgação

Flu divulgou foto da perna de Pierre após entrada de Alex. FOTO: Fluminense/Divulgação

Já na quinta-feira, o árbitro paraense Dewson Fernando Freitas da Silva deixou de marcar um pênalti claro contra o Grêmio na etapa inicial do confronto contra o Atlético-MG. Aos 13 minutos, o zagueiro Erazo interceptou com o braço uma finalização de Leonardo Silva. O jogador gremista assumiu o risco da infração e ampliou o raio de ação com o braço. O jogo também estava 0 x 0 e o lance foi ignorado pelo juiz (assista clicando aqui).

Erazo faz bloqueio com o braço. FOTO: reprodução/GloboTV

Erazo faz bloqueio com o braço na finalização de Leonardo Silva. FOTO: reprodução/GloboTV

É fácil reclamar da arbitragem quando ela erra em favor dos adversário. Quando o contrário ocorre, o silêncio prevalece. Esses lances são bons exemplos de que a banca paga e, mais cedo ou mais tarde, recebe de volta.

languirulogo

Após protestos, árbitros decidem entrar em estado de greve por 30 dias

14 de agosto de 2015 27

Após um meio de semana marcado por protestos no Brasileirão, uma nova medida foi adotada pela arbitragem na noite dessa quinta-feira (13). Em assembleia realizada no Rio de Janeiro, os homens do apito decidiram entrar em estado de greve pelos próximos 30 dias.

Em entrevista ao programa Balanço Final, da Rádio Gaúcha, o presidente da Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (Anaf), Marco Antônio Martins, explicou que esse é um movimento inicial para uma atitude mais drástica. Na prática, significa dizer que os árbitros estão fazendo um alerta. Caso o pedido deles não seja atendido nos próximos 30 dias, uma nova assembleia será convocada para que a possibilidade de greve seja colocada em pauta.

“A gente está avisando que quer negociar. Teremos agora o retorno do veto da presidente Dilma Rousseff para o Congresso Nacional e esperamos que seja derrubado lá”, disse Martins.

Árbitros protestaram nos 10 jogos da rodada. FOTO: Félix Zucco/Agência RBS

Árbitros protestaram nos 10 jogos da rodada. FOTO: Félix Zucco/Agência RBS

Nas partidas da 18ª rodada, os árbitros realizaram protestos. O motivo foi a contrariedade com o veto da presidente Dilma Rousseff ao item da Medida Provisória (MP) 671 que assegurava 0,5% do valor dos direitos de transmissão dos jogos à arbitragem. Por isso, antes de rolar a bola, eles fizeram um minuto de silêncio e levantaram placas com os números “0″ e “5″, em alusão aos 0,5%, e “671″, que é o número da MP do Futebol.

Na próxima semana, de acordo com Marco Antônio Martins, uma ação será protocolada na Justiça para pedir a proibição da veiculação da imagem dos árbitros na TV. A Anaf já tem uma procuração assinada por 74 juízes.

languirulogo

Placa com números 0 e 5 é vetada e arbitragem faz protesto diferente no Beira-Rio

13 de agosto de 2015 9

A 18ª rodada do Brasileirão foi marcada por protestos dos homens do apito. O veto ao item que concederia direito de arena aos árbitros na Medida Provisória 671, a MP do Futebol, motivou as manifestações nos jogos.

Em seis das sete partidas dessa quarta-feira, uma placa com os números 0 e 5 foi levantada pelos juízes antes de rolar a bola. O gesto faz alusão ao valor de 0,5% dos direitos de transmissão que seriam repassados para a arbitragem, caso o item não tivesse sido vetado pela presidente Dilma Rousseff.

Árbitros fizeram protesto em jogos da 18ª rodada. FOTO: reprodução GloboTV

Apenas no jogo entre Inter x Fluminense o protesto foi diferente. Em função da goleada do Gre-Nal, por 5 x 0, a Associação Nacional de Árbitros de Futebol (Anaf) pediu que os números 0 e 5 não fossem utilizados no Beira-Rio em respeito aos torcedores colorados. Com isso, arbitragem utilizou a placa com os números 671, que é o número da MP do Futebol.

Protesto no Beira-Rio foi diferente dos demais jogos. FOTO: Félix Zucco/Agência RBS

Nos sete jogos realizados até agora pela 18ª rodada, os árbitros também entraram com uma faixa preta no braço. Os protestos serão repetidos nos três jogos desta quinta-feira. Além disso, a possibilidade de realização de greve será colocada em discussão. Haverá uma reunião para debater o assunto nesta quinta. Novas manifestações para as próximas rodadas também estarão na pauta dos árbitros.

languirulogo

CBF inova e começa a divulgar vídeos analisando erros de arbitragem do Brasileirão

11 de agosto de 2015 4

A CBF passou a adotar uma prática, nessa segunda-feira (10), que vai causar muita polêmica. A partir de agora, erros e acertos dos árbitros nos jogos do Brasileirão serão analistados por um integrante da Comissão Nacional de Arbitragem. A avaliação é feita por meio de um vídeo divulgado no site da entidade.

Na primeira edição, o diretor técnico da Escola Nacional de Arbitragem de Futebol (Enaf), Manoel Serapião Filho, comentou o desempenho dos árbitros nos jogos entre Corinthians 1 x 1 São Paulo, Cruzeiro 2 x 1 Palmeiras e também no Gre-Nal 407.

Atuação da arbitragem do Gre-Nal foi elogiada pela CBF. FOTO: Fernando Gomes/Agência RBS

Árbitro do Gre-Nal 407 foi elogiada pela CBF. FOTO: Fernando Gomes/Agência RBS

Conforme a publicação, o ponto negativo da 17ª rodada foi o pênalti não marcado por Leandro Vuaden para o São Paulo no clássico paulista. O desempenho do paraense Dewson Fernando Freitas da Silva no Gre-Nal foi elogiado.

O objetivo da CBF, com isso, é “evitar erros, valorizar a atuação dos árbitros e contribuir para a melhoria da arbitragem nacional”. Por melhor que seja a iniciativa, entendo que ela pode acrescentar mais um ingrediente de pressão.

ASSISTA AO VÍDEO DA CBF SOBRE O DESEMPENHO DOS ÁRBITROS DA 17ª RODADA:

languirulogo

Luan é o jogador mais caçado do Brasileirão

06 de julho de 2015 0

O atacante Luan, do Grêmio, é o jogador que mais apanha no Brasileirão 2015. Em 11 rodadas da competição, ele sofreu 44 faltas.

O segundo do ranking é Pablo, do Avaí, que foi parado pelos adversários 34 vezes, 10 a menos do que o gremista. Além de ser o mais caçado, Luan ainda sofreu um pênalti no jogo contra o Cruzeiro, pela 10ª rodada.

Luan foi parado mais de 40 vezes de forma irregular pelos adversários. FOTO: Ricardo Duarte/Agência RBS

Luan sofreu mais de 40 faltas na competição nacional. FOTO: Ricardo Duarte/Agência RBS

Outros números chamam atenção. Luan marcou dois gols e deu passe para outros quatro. É o vice-líder em assistências. Só perde para Patric, do Atlético-MG, que tem seis.

Luan também é o jogador que mais dribla no Brasileirão, segundo dados do Footstas, e provavelmente isso explique o número de faltas recebidas.

Não é por acaso, também,  que o Grêmio é o time que mais dribla e mais sofre faltas na competição.

languirulogo

Jogadores de Grêmio e Avaí invadem área e árbitro manda repetir pênalti

27 de junho de 2015 4

O jogo em que o Grêmio venceu o Avaí, por 2 x 1, nesse sábado, pela 9ª rodada do Brasileirão, teve uma decisão da arbitragem que sempre gera muita polêmica. Foi aos 11 minutos da etapa complementar. A partida estava 2 x 0 para o time gaúcho. O atacante Anderson Lopes, da equipe catarinense, chutou um pênalti na trave e o árbitro Marcelo de Lima Henrique mandou voltar a cobrança por ter ocorrido invasão da grande área por jogadores do Grêmio e do Avaí.

De acordo com a regra (confira no vídeo), quando a invasão é de ambos os times, a cobrança deve ser repetida sempre. Então, o juiz acertou ao mandar voltar. E deveria ter feito o mesmo se tivesse ocorrido o gol.

Na segunda cobrança, Anderson Lopes fez o gol e não houve invasão (confira no vídeo).

A grande discussão nesse tipo de lance é que não é sempre que os árbitros cumprem essa regra da invasão. Deveriam. Nem sempre fazem e estão errados quando deixam de fazer.

Confira a análise dos lances no vídeo:

languirulogo

Brasileirão terá nova experiência com árbitro local no fim de semana

12 de junho de 2015 1

A experiência de colocar árbitros dos estados dos clubes envolvidos nas partidas Brasileirão continua. O confronto entre Sport x Joinville, neste sábado, às 21h, pela 7ª rodada da competição, será mais um teste. Quem apita é Héber Roberto Lopes, que atua pela Federação Catarinense de Futebol desde 2013, embora seja paranaense. As bandeiras estarão divididas entre Santa Catarina e Pernambuco. Nadine Câmara Bastos (SC) e Clóvis Amaral da Silva (PE).

Héber apita Sport x Joinville. FOTO: Porthus Júnior/Agência RBS

Héber apita Sport x Joinville. FOTO: Porthus Júnior/Agência RBS

Já nos jogos da dupla Gre-Nal, os árbitros não serão locais. No sábado, às 16h30, na Arena Corinthians, Marcelo de Lima Henrique apita Corinthians x Inter. Ele é carioca, mas atua pela federação de Pernambuco. No jogo entre Grêmio x Atlético-PR, domingo, às 16h, na Arena do Grêmio, o juiz é Marcos André Gomes da Penha, do Espírito Santo.

CORINTHIANS X INTER – SÁBADO – 16H30 – ARENA CORINTHIANS:
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique – PE (ESP-1)
Assistente 1: Alessandro Rocha de Matos – BA (FIFA)
Assistente 2: Rodrigo Pereira Joia – RJ (ESP-1)
4º árbitro: Bruno Arleu de Araújo – RJ (CBF-2)

GRÊMIO X ATLÉTICO-PR – DOMINGO – 16H – ARENA DO GRÊMIO:
Árbitro: Marcos André Gomes da Penha – ES (CBF-1)
Assistente 1: Fabiano da Silva Ramires – ES (ESP-2)
Árbitro Assistente 2: Vanderson Antônio Zanotti – ES (CBF-1)
4º árbitro: Rodrigo Alonso Ferreira – SC (CBF-1)

languirulogo

Pênalti de Marcelo Oliveira não deveria ter sido marcado

07 de junho de 2015 25

Situações de mão na bola e bola na mão talvez sejam as que mais causam polêmica no futebol. Na vitória do São Paulo sobre o Grêmio, por 2 x 0, nesse sábado, no Morumbi, pela 6ª rodada do Brasileirão, esse tipo de jogada causou discussão outra vez.

Primeiro, a bola bateu na mão de Marcelo Oliveira. Segundo, não concordo que o pênalti deveria ter sido marcado. Minha interpretação é de que houve erro do árbitro carioca Péricles Bassols Cortez.

O lance ocorreu na etapa complementar, aos oito minutos. No cruzamento de Wesley, o lateral-esquerdo recolhe os braços junto ao corpo e a bola atinge a mão direita do jogador gremista. A imagem congelada da transmissão do PFC mostra o momento do toque. Confira o vídeo clicando aqui.

Marcelo Oliveira recolhe braços e árbitro marca pênalti. FOTO: reprodução GloboTV

Marcelo Oliveira recolhe braços e árbitro marca pênalti. FOTO: reprodução GloboTV

Em outubro do ano passado, houve uma reunião na sede da CBF para explicar as novas orientações para os polêmicos lances de mão na bola e bola na mão. O encontro foi comandado pelo ex-árbitro Jorge Larrionda, que é instrutor da Fifa e da Conmebol. Um ponto destacado por ele foi de que os atletas devem agir preventivamente.

Larrionda disse que é fundamental que os jogadores tratem de “mostrar que não estão assumindo o risco de ampliação do volume do corpo ao disputar uma bola”. Ou seja, recolher os braços junto ao corpo, por exemplo. Desse modo, estarão deixando claro para o árbitro que tiveram uma atitude de precaução. Tentaram evitar esse “risco” e, a partir desse cuidado, não podem ser punidos. A infração não deverá ser marcada.

CONFIRA TAMBÉM:
Mão na bola: regra mudou sem mudar

Alô, CBF! Árbitros locais, não

31 de maio de 2015 58

Antes dos jogos da dupla Gre-Nal, pela 4ª rodada do Brasileirão, disse que a decisão da CBF de colocar árbitros dos estados dos clubes envolvidos nas partidas da competição era muito perigosa. Era o mesmo do que colocar uma bala no tambor, girar e puxar o gatilho. Poderia até dar certo, mas eu não gostaria de correr esse risco. Não estou aqui agora para dizer: eu avisei. Nada disso. Quero apenas para argumentar que para o bem de todos, principalmente dos árbitros, a CBF precisar abandonar essa ideia furada. Isso não vai levar a nada.

No empate entre Goiás x Grêmio, em 1 x 1, no Serra Dourada, entendo que houve um erro do gaúcho Anderson Daronco no lance do gol do time goiano. No cruzamento para a área, Wesley salta no corpo de Marcelo Grohe e comete a falta. A pergunta a ser feita na análise desse lance é a seguinte: o atacante tinha alguma chance de disputar a bola? Na minha opinião, não. Só tinha uma coisa a fazer na jogada. Ir no corpo do goleiro. Por isso, falta.

Daronco apitou Goiás x Grêmio. FOTO: Diego Vara/Agência RBS

Daronco apitou Goiás x Grêmio. FOTO: Diego Vara/Agência RBS

Esse é o típico lance em que temos o exemplo claro de potencialização da polêmica. Daronco não marcou a falta, o gol foi validado e todos os jogadores do Grêmio, que estavam perto, partiram para cima reclamando do juiz. Se não marcasse, seriam os atletas do Goiás que teriam a atitude incisiva. Nenhum árbitro vai admitir publicamente, mas é óbvio que esse fator de estar apitando o jogo de um time de seu estado de algum modo fica martelando na cabeça e atrapalha. E mesmo que não atrapalhe, as teorias da conspiração sempre aparecerão em caso de erros. Ou seja, é um fato que gera desgaste. É uma exposição desnecessária.

Tenho certeza de que Daronco e Leandro Vuaden, que comandou o confronto entre Inter x São Paulo, no Beira-Rio, trabalharam para tomar as decisões corretas. Em Porto Alegre, aliás, não houve alguma falha decisiva da arbitragem. O problema é que a partida se transforma em uma bomba-relógio. Tudo passa a ser questionado.

Vuaden comandou Inter x São Paulo no Beira-Rio. FOTO: Diego Vara/Agência RBS

Vuaden comandou Inter x São Paulo no Beira-Rio. FOTO: Diego Vara/Agência RBS

Quem apita já tem preocupação suficiente e não precisa levar mais esse elemento para o campo. A pressão sobre os árbitros é gigantesca. Mais cedo ou mais tarde, a entidade vai acabar com isso. Então, melhor que seja logo.