Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de novembro 2009

Caçada a quem atirou em policial e jornalista

30 de novembro de 2009 1

O policial Adão e a jornalista Pamela estão fora de perigo/Pablo Gomes

Continua a caçada a quem atirou contra uma embarcação da Polícia Ambiental de Lages, na tarde de sábado, ferindo o soldado Adão Rodrigues Mariano, de 35 anos, e a jornalista Pamela Marin, 26, repórter da RBS TV Centro-Oeste.

As duas vítimas passam bem e saíram do hospital poucas horas após o fato, mas as buscas aos responsáveis pelos disparos que quase resultaram em tragédia não param.

Desde o episódio, policiais militares vasculham o Rio Canoas e suas margens, na região da localidade de Passo do Souza, no município de Bocaina do Sul, na tentativa de identificar e localizar os atiradores.

A família de Pamela deve registrar Boletim de Ocorrência na Polícia Civil nesta segunda-feira.

Pamela e o cinegrafista Fabiano Souza produziam uma reportagem sobre uma fiscalização da Polícia Ambiental contra a pesca predatória.

Por volta das 15h30min de sábado, acompanhavam três policiais, entre eles, Adão, numa embarcação de alumínio quando passaram a ouvir tiros feitos do meio da mata às margens do rio.

Os disparos eram feitos em direção ao grupo, e um deles atingiu a panturrilha esquerda de Pamela e outro a coxa esquerda de Adão.

Os cinco ocupantes se abaixaram, mas como a embarcação é de alumínio, ficou com várias perfurações e começou a encher de água.

Mesmo abaixados e sem ver de onde partiam os disparos, os policiais revidaram, ainda que sem destino certo, a fim de intimidar os atiradores.

Com o fim do tiroteio, o barco foi encostado em um ponto mais seguro, e Pamela e Adão levados imediatamente à emergência do Hospital Nossa Senhora dos Prazeres, em Lages.

Pamela levou alguns pontos na panturrilha esquerda e foi medicada contra a dor, e os primeiros exames apontaram que não houve danos aos nervos e ossos.

Ela foi liberada do hospital ainda no fim da tarde de sábado. Adão também foi atendido e saiu, inclusive, caminhando do hospital, pouco antes de Pamela.

_ Era uma matéria como outra qualquer, e você nunca imagina que algo de ruim vai acontecer contigo, principalmente durante o trabalho. Quando ouvi o primeiro barulho, senti uma dor na perna e vi que estava sangrando _, lembra Pamela.

A repórter conta que se abaixou dentro do barco e protegeu a cabeça com as mãos, até que um dos tiros passou bem pertinho do seu rosto.

_ O barco ficou furado e começou a encher de água, e naquele momento achei que iria morrer. Agora está tudo bem, mas no momento foi apavorante _, conta a jornalista, formada pela Universidade do Vale do Itajaí (Univali) em 2006 e há um ano e meio na RBS TV, em Lages.

Postado por Pablo Gomes, Lages

Bookmark and Share

Situação incomum para a Polícia Ambiental

30 de novembro de 2009 1

Os policiais ambientais não escondem a surpresa ao serem atacados a tiros durante um trabalho de rotina e que não resultaria, a princípio, na prisão de ninguém, a não ser na apreensão de quatro redes de pesca, que foi, na verdade, o que aconteceu.

_ A repórter dizia que eram tiros para nos assustar, mas infelizmente, eram para nos acertar, pois foram vários disparos em nossa direção _, lembra o soldado Adão. 

_ Era um patrulhamento preventivo contra a pesca predatória, e não tínhamos nenhuma suspeita de flagrar ninguém. Os tiros certamente foram disparados contra a embarcação, e isso é algo muito grave que precisa ser esclarecido. Foi um fato nada comum, principalmente em se tratando de Polícia Ambiental, cujo trabalho, teoricamente, é mais tranquilo _, diz o comandante da Polícia Ambiental de Lages, tenente Frederick Rambush.

_ Ninguém atira do nada contra policiais, e não é todo dia que isso acontece. Queremos saber quem e por que fez isso. Também talvez seja hora de revermos nossos conceitos sobre proteção aos policiais _, diz o tenente-coronel Zinder José Cardoso, da Polícia Militar de Lages.

Postado por Pablo Gomes, Lages

Bookmark and Share

Tragédia (de mentira) em Lages!

27 de novembro de 2009 2

Simulação chamou a atenção de muita gente na noite de quinta-feira na Uniplac/Pablo Gomes

Um Monza e um Fusca batem de frente. Sete pessoas estão gravemente feridas e presas às ferragens dos veículos. Outras duas estão mortas. O Fusca começa a pegar fogo, as equipes de resgate chegam logo depois e iniciam uma dramática operação de resgate das vítimas.

A área é isolada. Os curiosos, assustados, se aglomeram. A imprensa aparece com suas câmeras e microfones. O momento é delicado e vidas correm perigo.

Felizmente, toda a história não passou de uma simulação, feita por acadêmicos do quarto ano do curso de Medicina da Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac), de Lages, com a participação do Corpo de Bombeiros.

Como uma das atividades da 4ª Semana Acadêmica de Medicina e da 2ª Jornada Acadêmica de Medicina de Emergência, o treinamento ocorreu na noite de quinta-feira, em um dos estacionamentos da Uniplac, e durou cerca de uma hora.

O objetivo, além de preparar os estudantes para situações que certamente enfrentarão na vida real, foi chamar a atenção da comunidade para os acidentes de trânsito e mostrar como é feito o trabalho de salvar vidas.

Foi só uma simulação, mas muito real!

Postado por Pablo Gomes, Lages

Bookmark and Share

Comentário assim não rola...

26 de novembro de 2009 3

Desde que o Diário da Serra foi ao ar pela primeira vez, em fevereiro deste ano, procuramos publicar todos os comentários postados, inclusive as críticas ao blog.

Seria totalmente irresponsável de nossa parte aceitar apenas elogios e ideias favoráveis ao que postamos aqui.

Mas fomos obrigados, nesta semana, a recusar três comentários, feitos pela mesma pessoa.

Quem escreveu foi uma mulher de Lages, atacando diretamente uma das garotas eleitas no concurso que escolheu a rainha e as princesas da 22ª Festa Nacional do Pinhão, que ocorrerá de 27 de maio a 6 de junho do ano que vem, em Lages.

Os textos continham ofensas e acusações contra a jovem, e optamos por entrar em contato via e-mail com a autora, explicando que aquelas ideias não poderiam ser publicadas e pedindo que ela refizesse os comentários.

Mas o e-mail retornou, provavelmente pelo fato de o endereço eletrônico informado pela mulher ser inexistente. Assim, não publicamos e deletamos para sempre os três comentários maldosos.

Contamos isso aqui no Diário da Serra apenas para evitar que alguém possa pensar que passamos a adotar a política de publicar apenas o que nos é conveniente.

De forma alguma! Todos os comentários, com elogios ou críticas, continuarão sendo sempre publicados.

Mas desde que haja o bom senso de não ofender e acusar ninguém, principalmente sem prova alguma e, pior, com e-mail falso.

O Diário da Serra agradece a compreensão! 

Postado por Pablo Gomes, Lages

Bookmark and Share

Morte no pronto-socorro à espera de vaga na UTI

25 de novembro de 2009 1

Uma mulher de 62 anos morreu no Pronto Atendimento Municipal (PAM) de Lages enquanto aguardava por uma vaga nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) dos dois hospitais da cidade. Anita Andrade, de 62 anos, teve uma crise de pancreatite e não resistiu.

A paciente foi encaminhada para internação por um médico de Urupema, município onde morava, e na manhã de terça-feira foi a Lages.

No PAM, responsável por buscar vagas nos hospitais, ela chegou em quadro estável às 11h10min, foi medicada e submetida a exames.

Por volta das 17h30min, quando saiu o resultado dos exames e o estado de saúde de Anita começou a piorar rapidamente, os médicos do PAM constataram que o seu caso era de UTI, e não de internamento em leito clínico comum.

A gerente do PAM, Déborah Liz, garante que, imediatamente, os médicos do órgão entraram em contato com os médicos dos hospitais Nossa Senhora dos Prazeres e Tereza Ramos, mas não havia vagas na UTI em nenhuma das instituições.

_ Mesmo havendo leitos comuns disponíveis no Tereza Ramos, a paciente precisava ir para a UTI, mas não havia vagas. Ela recebeu todo o tratamento necessário e adequado no PAM, mas o seu estado de saúde se agravou rapidamente e não tivemos tempo nem de procurar vagas em UTIs de outros hospitais da região _, diz Déborah.

Anita morreu às 19h30min, oito horas e 20 minutos após dar entrada no PAM. O seu corpo foi encaminhado a Urupema, distante cerca de 50 quilômetros de Lages, onde seria velado e sepultado.

Postado por Pablo Gomes, Urupema

Bookmark and Share

Criatividade e sinceridade para vender bem

24 de novembro de 2009 1

Simpática mensagem dentro do mercado cativa os clientes/Pablo Gomes

As cidades pequenas são um barato!

Os moradores se conhecem pelos nomes, dá para ir a pé de um bairro ao outro bem rapidinho e o comércio é movimentado.

E como a concorrência local pode ser tão grande quanto se imagina, nada melhor que oferecer boas opções e condições de compra e usar a criatividade e a sinceridade para atrair os clientes.

Foi o que fez um supermercado da bela São Martinho, município de pouco mais de três mil habitantes distante aproximadamente 45 quilômetros de Tubarão, no Sul de Santa Catarina.

A mensagem em uma faixa no setor de eletrodomésticos deixa bem clara a proposta da empresa, criando simpatia entre os velhos e novos clientes.

Alternativa simples, válida e rentável.

Boas vendas!

Postado por Pablo Gomes, São Martinho

Bookmark and Share

Festa do Pinhão tem novas representantes

23 de novembro de 2009 3

Da esquerda para a direita: Kellen, Karen e Roberta/Toninho Vieira / Prefeitura de Lages

A 22ª Festa Nacional do Pinhão, que ocorre de 27 de maio a 6 de junho de 2010, em Lages, já tem suas representantes oficiais.

A nova corte foi eleita na noite da última sexta-feira, no Teatro Marajoara, em evento que reuniu as 16 candidatas.

A rainha eleita por unanimidade entre os jurados é Karen Saldanha do Amaral, de 19 anos, moradora do Bairro Universitário e estudante do terceiro ano do ensino médio do Colégio Expressão.

A primeira princesa é Roberta Steffen Baggio (número 12), de 19 anos, moradora do Centro e acadêmica da primeira fase de Medicina Veterinária no Centro de Ciências Agroveterinárias (CAV) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc).

Já a segunda princesa é Kellen Cristina Corrêa (número 08), também de 19 anos, moradora do Centro de Lages e aluna da segunda fase do curso de Odontologia na Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac).

Parabéns às três garotas, e que venha logo a festa!

Postado por Pablo Gomes, Lages

Bookmark and Share

Natal em Libras

20 de novembro de 2009 2

Murais com mensagens natalinas em Libras chamam a atenção na Uniplac/Taina Borges/Uniplac, Divulgação

Alguns ambientes da Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac), em Lages, ganharam um toque natalino especial.

Os seis murais espalhados pelos corredores atraem as pessoas devido às “mãozinhas” que fazem alguns sinais, integrantes do alfabeto em Libras (Língua Brasileira de Sinais).

Os materiais utilizados para confecção dos murais vão de copos plásticos a luzes natalinas.

O objetivo do trabalho, feito pelos alunos das três turmas do curso de extensão em Libras, foi chamar atenção para este tipo de linguagem e transmitir uma mensagem de boas festas.

Muitos dos sinais não têm indicativo de que letra representa, justamente para aguçar a curiosidade de quem aprecia.

* Com informações da Assessoria de Comunicação da Uniplac

Postado por Pablo Gomes, Lages

Bookmark and Share

Louri, Ana e seus anjos anônimos

19 de novembro de 2009 1

Louri e Ana: duas histórias de vida recompensadas com a solidariedade anônima/Alvarélio Kurossu

Lembram da Ana Rute Bento, de 24 anos, aquela faxineira, moradora do Bairro Bom Jesus, em Lages, que encontrou um envelope com R$ 315 em um corredor da Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac) e devolveu tudo ao dono?

Pois a história dela encontra-se com a de um desconhecido, o desempregado Louri de Oliveira, de 38 anos, morador de um loteamento popular no Bairro Planalto Serrano, no município de Correia Pinto.

Louri sempre conviveu com a obesidade, e só engordou cada vez mais após a morte do seu filho, de apenas dois aninhos, ao ingerir veneno de rato na creche, há nove anos.

Pobre e sem trabalho há três anos, Louri mal consegue caminhar, e sonha desde 2002 com uma cirurgia de redução do estômago pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mas até agora não conseguiu.

Voltando à Ana Rute, publicamos sua história no Diário Catarinense de 29 de outubro deste ano. No mesmo dia, uma surpresa.

Abro meu e-mail e me deparo com a mensagem de um homem afirmando ter ficado emocionado com a honestidade de Ana Rute e, por isso, queria presenteá-la com uma certa quantia em dinheiro.

Soube, outro dia, que o cidadão depositou R$ 100 na conta bancária de uma colega de trabalho de Ana Rute, que lhe repassou o valor.

Já o drama de Louri foi publicado no DC do último domingo, 15 de novembro.

No mesmo dia, uma mulher me enviou um e-mail afirmando também ter se emocionado com a história e pedindo os contatos de Louri, pois ela e um grupo de amigos pretendem fazer uma “vaquinha” para pagar a cirurgia do homem ainda este ano.

Tanto o homem que depositou o dinheiro para Ana Rute como a mulher que quer pagar a cirurgia para Louri pediram para permanecer no anonimato, sem a menor divulgação.

Fizeram o que fizeram apenas pelo prazer de ajudar, sem nenhuma publicidade.

E por isso mesmo vale a pena ser honesto, como a Ana Rute, e dedicado, como o Louri, que mesmo com uma renda familiar inferior a R$ 500 por mês, cria um filho biológico, uma filha adotiva e três sobrinhos.

Quem precisa e merece, sempre acaba recompensado de alguma forma. Parabéns à Ana, ao Louri e aos seus anjos anônimos.

Postado por Pablo Gomes, Lages

Bookmark and Share

Falta comunicação e ambulância!

18 de novembro de 2009 3

Grave acidente entre dois caminhões formou grande congestionamento na SC-438, entre Bom Jardim da Serra e São Joaquim/Pablo Gomes

No dia 30 de julho deste ano, comentamos aqui no Diário da Serra sobre quatro acidentes de trânsito simultâneos que ocorreram na região e movimentaram todas as equipes de resgate existentes em Lages.

Por conta desta inesperada movimentação, acabou faltando socorristas para atender a um destes acidentes, no Centro da cidade, cuja vítima ficou vários minutos à espera de uma ambulância, ainda que, felizmente, sem gravidade.

Eis que a história se repete. Na tarde da última segunda-feira, eu subia a Serra do Rio do Rastro em direção a Lages e parei no posto da Polícia Militar Rodoviária para cumprimentar um amigo.

Ele não estava, mas um colega seu, um sargento, estava “maluco” com tantos telefonemas ao mesmo tempo.

Perguntou-me se eu iria até Lages, respondi que sim, então me informou sobre um grave acidente com dois caminhões que acabara de ocorrer na SC-438, entre Bom Jardim da Serra e São Joaquim.

E me pediu para avisar aos policiais que estavam no local da ocorrência, a cerca de 30 quilômetros dali, que, se precisassem de uma viatura avançada do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para atender aos feridos graves, precisariam acionar a unidade de Lages, a 100 quilômetros de distância, pois a ambulância de São Joaquim, a pouco mais de 20 quilômetros, estava estragada.

Pior que isso foi o sargento ser obrigado a me pedir tal favor porque não conseguia contato com os outros policiais, pois o sistema de comunicação é falho.

Cheguei ao local do acidente meia hora depois, e deparo-me com uma fila gigante na rodovia.

Percorri a pé cerca de um quilômetro e, ao encontrar os policiais, fui informado que, felizmente, os feridos haviam sido resgatados a tempo pelo Corpo de Bombeiros de São Joaquim, pois, de fato, a viatura do Samu estava quebrada.

Apesar da força do impacto, que chegou a arrancar a cabine de um dos caminhões, ninguém morreu. Que maravilha!

Mas se alguma das vítimas estivesse em situação um pouco mais grave, precisaria mais do que nunca da ajuda divina…

Postado por Pablo Gomes, Bom Jardim da Serra

Bookmark and Share