Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de maio 2010

Descartada chance de neve na Serra

31 de maio de 2010 1

Se alguém esperava ver neve ao longo desta segunda-feira na Serra Catarinense, vai ter que esperar.

Alguns modelos chegaram a apontar uma pequena condição, mas Leandro Puchalski, da Central RBS de Meteorologia, descarta esta possibilidade, já que não haverá frio em altitude suficiente para a ocorrência do fenômeno.

Assim, principalmente quem vai curtir a 22ª Festa Nacional do Pinhão, em Lages, vai ter que se contentar apenas com o frio.

Um ciclone extratropical em alto mar, entre o Rio Grande do Sul e o Uruguai, apesar de estar bem distante, é tão forte que consegue jogar umidade sobre Santa Catarina, fazendo com que a segunda-feira tenha predomínio de nebulosidade, com algum chuvisco e intercalada com aberturas de sol, no Oeste, Serra e Sul.

Nas demais regiões do Estado, nebulosidade com aberturas de sol. Puchalski alerta para a possibilidade de ressaca hoje e amanhã no Litoral Sul e Florianópolis, com as ondas podendo chegar a três metros de altura na praia da Armação, no Sul da Ilha, onde o avanço do mar destruiu casas na semana passada.

Já as temperaturas começam a cair gradativamente ao longo da segunda-feira, quando o tempo fica mais aberto e seco, chegando ao ápice na terça em toda Santa Catarina, quando ficarão próximas de 0ºC na Serra, inclusive com possibilidade de geada forte em vários municípios.

Pablo Gomes, Lages

Crack, nem pensar

Bookmark and Share

22ª Festa Nacional do Pinhão já tem o maior público acumulado da história

30 de maio de 2010 3

Luan Santana atraiu 52.991 pessoas ao parque na noite de sábado. Foi o segundo maior público da história da Festa do Pinhão. Fotos: Alvarélio Kurossu

Por pouco, mas bem pouco, o jovem cantor de sertanejo universitário Luan Santana não conseguiu quebrar o recorde de público da história da Festa Nacional do Pinhão.

Mas no acumulado dos quatro primeiros dias, a 22ª edição já superou todas as outras e, com a previsão de forte frio para esta semana e mais sete noites de festa, a expectativa é a melhor possível.

No sábado, Luan Santana, de 19 anos e natural de Campo Grande (MS), carregou exatas 52.991 pessoas ao Parque de Exposições Conta Dinheiro.

Seria o mesmo que juntar todos os moradores dos municípios de São Joaquim, Correia Pinto, São José do Cerrito e Painel e colocá-los dentro do parque de uma vez só.

O público só foi menor que o do show dos irmãos Victor e Léo que, em 2008, atraíram pouco mais de 53 mil.

No entanto, o público acumulado só entre quinta-feira e sábado, período em que ocorreram ainda os shows de Sérgio Reis e Maria Cecília e Rodolfo, era de 103 mil pessoas.

Com as 30 mil esperadas para ontem, quando a entrada foi gratuita e iniciou a 18ª Sapecada da Canção Nativa, o total deveria passar das 130 mil, número bem superior aos anos anteriores, quando os quatro primeiros dias registravam um acumulado de 60 a 80 mil pessoas.

O próximo show a atrair grande público será o do grupo mineiro Skank, que deve levar algo em torno de 45 mil pessoas ao parque.

A multidão que foi à festa no sábado pôde ser vista em toda a cidade de Lages.

Muita gente de várias partes do país lotou os hotéis e foi ao Centro da cidade durante o dia para aproveitar as opções do comércio e as atrações do Recanto do Pinhão, que neste ano terá um total de 60 apresentações com média de cinco mil pessoas por dia.

À noite, no parque, não foi diferente. Mais de 200 ônibus de excursão chegaram a Lages vindos de diversos lugares.

_ Independente dos shows, todo ano eu venho a Lages para a Festa do Pinhão. O frio, a multidão, a curtição, tudo isso me atrai _, elogiou o estudante Robson Marques, 19 anos, de Curitiba (PR).

Nesta segunda-feira, a entrada também será gratuita no Parque de Exposições.

Na noite dedicada ao público religioso, a banda lageana de pop rock gospel It’s Ok vai gravar o seu primeiro DVD, com a participação especial da cantora Nívea Soares, e fará o lançamento do CD “Sou teu desejo”.

O show está previsto para as 20h, no Palco Nacional do parque.

Também nesta segunda-feira ocorre a segunda eliminatória da 18ª Sapecada da Canção Nativa, um dos maiores festivais do gênero na América Latina e cuja final será na terça-feira.

As apresentações começam às 21h, no Palco Nativista.

Pablo Gomes, Lages

Crack, nem pensar

22ª Festa Nacional do Pinhão

Bookmark and Share

Lages e a Festa do Pinhão são destaque no blog oficial do cantor Luan Santana

30 de maio de 2010 1

Ao acessar o site oficial do cantor de sertanejo universitário Luan Santana para saber um pouco mais sobre a sua vida, nos deparamos com algo bacana.

No próprio site, os fãs podem ter acesso ao blog do jovem.

E lá está, bem destacada, uma reportagem feita por nós para o Diário Catarinense sobre a expectativa da cidade de Lages com o show de Luan na 22ª Festa Nacional do Pinhão.

A matéria foi publicada na edição de sábado e reproduzida no blog oficial do jovem cantor, com um link para o site do DC.

Ou seja, qualquer uma das milhares de fãs do Luan Santana, em qualquer lugar do Brasil, ao acessar o blog do cantor, verá uma referência à nossa querida cidade de Lages.

Veja lá!

Pablo Gomes, Lages

Crack, nem pensar

22ª Festa Nacional do Pinhão

Bookmark and Share

Palco Nativista garante o caráter tradicionalista da Festa Nacional do Pinhão

29 de maio de 2010 2

Palco Nativista abriga as Sapecadas da Canção e os shows tradicionalistas. Fotos: Alvarélio Kurossu

A Festa do Pinhão conta com quatro palcos no Parque de Exposições Conta Dinheiro: o Nacional, para os grandes shows; o Alternativo, usado principalmente por bandas de pop e rock; o Cultural, para apresentações artísticas como teatro e dança; e o Nativista, onde ocorrem os shows tradicionalistas.

O Nativista é o mais frequentado durante toda a festa, já que o Nacional funciona apenas nos grandes shows.

São mais de 40 atrações, e em praticamente todas o público pode dançar à vontade até o fim da madrugada em uma grande estrutura coberta.

Assim, como a Festa Nacional do Pinhão cresce a cada ano e a diversidade de estilos musicais é necessária, o Palco Nativista se mantém firme e bem prestigiado para garantir o caráter tradicionalista do evento.

Boa festa!

Pablo Gomes, Lages

Crack, nem pensar

22ª Festa Nacional do Pinhão

Bookmark and Share

Sapecada da Canção Nativa: arte e emoção na Festa do Pinhão

29 de maio de 2010 1

Sapecada da Canção Nativa é um dos maiores festivais do gênero na América Latina. Foto: Alvarélio Kurossu (edição de 2009)

Começa neste domingo, em Lages, a 18ª edição de um dos maiores festivais de música nativista da América Latina.

Além de revelar, divulgar e premiar talentos do gênero, a Sapecada da Canção Nativa emociona o público pela fantástica qualidade das obras que falam da terra, da natureza, de amor e de família, e pela paixão demonstrada pelos artistas durante as interpretações.

Às 13h começam os ensaios da Sapecada e, às 21h30min, iniciam as eliminatórias, que continuam na segunda-feira e terminam na terça, com a grande final.

Mas antes mesmo da etapa nacional ocorreu a regional. A 10ª Sapecada da Serra Catarinense terminou no sábado e teve como campeã a música São as luzes dos seus olhos, com letra de Índio Ribeiro.

Neste ano, as Sapecadas receberam mais de 360 inscrições de todo o Sul do Brasil e até de outros países da América do Sul.

Destas, 32 integrarão o CD duplo que será vendido na terça-feira, quando o ingresso custará R$ 10, com direito ao CD.

Ao todo, serão distribuídos R$ 17 mil em prêmios às pessoas que cantam exatamente o que queremos e precisamos ouvir.

Pablo Gomes, Lages

Crack, nem pensar

22ª Festa Nacional do Pinhão


Bookmark and Share

Rainha e princesas da Festa do Pinhão são barradas na própria Festa do Pinhão

28 de maio de 2010 34

As três jovens ficaram 42 minutos à espera da boa vontade do cantor Sérgio Reis. Profissionalmente, o segurança cumpriu ordens e não permitiu que elas entrassem no camarim do cantor. Foto: Alvarélio Kurossu

Absoluta falta de respeito o que aconteceu com a rainha e as princesas da 22ª Festa Nacional do Pinhão logo na primeira noite, na quinta-feira.

Não bastasse serem levadas às lágrimas quando a prefeitura anunciou a suspensão da festa, em março, após a Câmara de Vereadores cortar R$ 1,9 milhão dos R$ 3,9 milhões destinados ao evento, situação que foi revertida em menos de 24 horas, as belas passaram por uma nova humilhação.

O show de Sérgio Reis era para ter começado às 22h30min, mas como o camarim dos artistas atrás do Palco Nacional não ficou pronto a tempo, Sérgio Reis utilizaria uma sala no prédio da Comissão Central Organizadora (CCO) dentro do Parque de Exposições Conta Dinheiro.

Antes das 22h já havia uma certa movimentação de repórteres e fãs à espera de Sérgio Reis na porta da sala, que estava com a porta fechada.

Lá dentro, algumas autoridades municipais e a rainha Roberta Baggio, 20 anos; a primeira princesa Kellen Correa, 19; e a segunda princesa Aline Maciel, 18.

De repente, a produção de Sérgio Reis pediu para que todos saíssem da sala, inclusive as três jovens que representam a festa.

O cantor chegou, entrou e lá dentro ficou tranquilamente comendo e bebendo vinho, sob os olhares de quem estava fora da sala, cercada por vidros transparentes.

Como o tempo passava e não eram chamadas para dentro da sala, “protegida” por um segurança – que, profissionalmente, apenas cumpria ordens -, Roberta, Kellen e Aline começaram a ficar chateadas com aquilo, ainda que tentando manter o bom humor e o sorriso no rosto.

_ Não sabemos por que não podemos entrar, simplesmente nos mandaram sair. Não imaginávamos que seria assim, logo na primeira noite da festa. É ridículo _, reclamavam as garotas. E com toda razão.

Elas estavam tão inconformadas que cogitaram não esperar pela boa vontade de Sérgio Reis em recebê-las e iriam embora, mas lembraram que suas blusas estavam dentro da sala na qual não podiam entrar e, como estava frio, preferiram ficar ali mesmo.

Depois de longos 42 minutos, contados no relógio, Roberta, Kellen e Aline finalmente foram chamadas.

Mas mal cumprimentaram o cantor, e foram praticamente chutadas de dentro da sala.

As três pegaram suas blusas e, apenas dois minutos depois – isso mesmo, só dois minutos -, tiveram que sair.

Roberta, Kellen e Aline são inteligentes, bonitas, simpáticas e representam muito bem a Festa do Pinhão e a cidade de Lages.

Por isso, precisam ter livre acesso a tudo e a todos e, mais que isso, merecem respeito.

Não apenas elas, mas também o público, já que o show de Sérgio Reis começou com duas horas de atraso, sob vaias e quando muita gente já tinha ido embora.

Pablo Gomes, Lages

Crack, nem pensar

Bookmark and Share

A novela anual envolvendo a prefeitura de Lages, o governo do Estado e a Festa do Pinhão

28 de maio de 2010 4

Com cara de poucos amigos, Antonio Arruda, à esquerda, e o prefeito Renatinho, à direita, observam o governador Pavan na abertura da festa. Foto: Alvarélio Kurossu

Não é de hoje que a prefeitura de Lages reclama do governo do Estado quando o assunto é Festa Nacional do Pinhão.

Em 2008, o prefeito Renato Nunes de Oliveira (PP) chegou a recusar os R$ 150 mil oferecidos pelo então governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB), pois considerou a quantia “uma esmola”.

Em 2009, Luiz Henrique ofereceu R$ 300 mil, como compensação pelos R$ 150 mil devolvidos no ano anterior.

A prefeitura aceitou, mas deixou claro o seu descontentamento, visto que o custo total da festa girou em torno de R$ 3,5 milhões e a ajuda do Estado não chegou a 10% do total.

E, agora, em 2010, a prefeitura esperava receber pelo menos R$ 500 mil, já que o custo total da festa será de aproximadamente R$ 3,9 milhões. A expectativa permaneceu até a noite de quinta-feira.

Pouco antes da abertura oficial da 22ª edição do evento, no Parque de Exposições Conta Dinheiro, o governador Leonel Pavan (PSDB) anunciou que doaria R$ 250 mil, dos quais, R$ 150 mil para a festa em si e R$ 100 mil para a 18ª Sapecada da Canção Nativa, um dos maiores festivais do gênero na América Latina e que revela, divulga e premia talentos da música nativista.

Questionado pelo Diário Catarinense sobre o motivo de dar apenas metade dos R$ 500 mil pedidos pela prefeitura, o que é suficiente para pagar somente um show, o de Luan Santana, neste sábado, que é o mais caro da festa e custará R$ 250 mil, o governador se irritou.

_ Você está muito enganado. A prefeitura não pediu R$ 500 mil, mas sim, R$ 300 mil. Legalmente, não podemos dar mais que R$ 150 mil para nenhuma festa, mas para essa, demos também R$ 100 mil para a Sapecada da Canção Nativa, num total de R$ 250 mil. Gostou? Tem gente falando muita bobagem por aí _, esbravejou Pavan, após consultar alguém sobre o nome do festival para o qual o Estado destinou R$ 100 mil.

A revelação do governador despertou a ira do presidente da Comissão Central Organizadora (CCO) da festa e secretário de Administração da prefeitura, Antonio Arruda, que queria, inclusive, desabafar logo em seguida ao utilizar o microfone na solenidade de abertura, mas foi contido pelo prefeito Renatinho.

Longe do microfone, porém, Arruda não se conteve e desmentiu Pavan, dizendo que a prefeitura pediu sim R$ 500 mil, e não apenas R$ 300 mil.

_ O pedido foi protocolado em 16 de dezembro do ano passado na Secretaria Regional de Lages. Vários outros eventos no Estado ganham muito mais dinheiro, mas quando chega a vez da Festa do Pinhão, sempre é uma mixaria. Lages é discriminada pelo governo do Estado. Não só por esta, mas por outras administrações.

Logo depois, durante a abertura, o prefeito Renatinho anunciou que o Ministério do Turismo destinará R$ 700 mil para a festa, através de emendas parlamentares do senador Raimundo Colombo (DEM) e dos deputados federais Ângela Amin (PP) e Cláudio Vignatti (PT), gerando um visível desconforto entre os tucanos, já que, além do governador Pavan, o vice-prefeito de Lages, Luiz Carlos Pinheiro, e o secretário regional de Lages, João Cardoso, são do PSDB.

Pablo Gomes, Lages

Crack, nem pensar

Bookmark and Share

Belas lições do mundo animal

27 de maio de 2010 1

De cima para baixo: cão e vaca se acariciam; vaca amamenta porcos e cão e gato brincam em paz. Fotos: Alvarélio Kurossu

Dizem que o cachorro é o melhor amigo do homem, e disso ninguém duvida.

Mas a natureza é tão surpreendente que, em um pequeno município da Serra Catarinense, o cachorro é também o melhor amigo… da vaca.

Mande fotos ou vídeos de amizades inusitadas entre animais

O inusitado ocorre na casa do agricultor Roberto Carlos De Bona, de 36 anos, morador do Reassentamento Nova Cachoeirinha, em Campo Belo do Sul.

Roberto e a mulher, Cleonice De Bona, 28, são naturais do Rio Grande do Sul e há seis anos precisaram se mudar para Campo Belo do Sul devido à construção de uma hidrelétrica e a consequente inundação da área onde moravam, no município gaúcho de Maximiliano de Almeida.

Já em território catarinense, tiveram uma filha, Carla, hoje com três anos e sete meses de vida.

Mas antes mesmo de Carla, uma outra figura já existia na vida do casal.

É o Urtiga, cachorro sem raça definida e cujo nome é uma referência ao município gaúcho de São João da Urtiga, onde o cão nasceu e onde os pais de Cleonice vivem atualmente.

Com o nascimento de Carla, Urtiga encontrou com quem brincar enquanto Roberto e Cleonice trabalham na produção de milho, soja, feijão, fumo e leite.

Mas há dois meses, uma nova companhia surgiu na vida de Urtiga. É a Joaninha, filha de uma das sete vacas leiteiras que ajudam a incrementar a renda da família.

Joaninha fica fechada em uma pequena mangueira no galpão, atrás da casa, mas recebe a visita constante de Urtiga.

Roberto e Cleonice contam que os dois animais se dão bem. A vaca não tem medo do cão, e vice-versa. Pelo contrário, parecem gostar bastante um do outro.

Quando Roberto ou Cleonice dão de mamar a Joaninha em uma mamadeira improvisada em uma garrafa pet, Urtiga fica por ali esperando um pouco de leite.

Durante nossa visita ao local para uma reportagem sobre reforma agrária, Urtiga e Joaninha protagonizaram uma cena interessante.

Demonstrando carinho um pelo outro, os dois animais aproximaram os rostos, se acariciaram com os focinhos e se lamberam como um beijo na boca.

Curiosamente, não é o primeiro caso inusitado de relação afetiva entre animais de diferentes espécies em Campo Belo do Sul.

Dois anos atrás, publicamos a história de uma vaca que todas as manhãs amamentava sete porquinhos de dois meses de vida cada em um sítio próximo ao Centro da cidade.

Detalhe: a porca-mãe não estava morta e muitos menos havia parado de produzir leite.

E em março do ano passado, ali na mesma região, só que no município vizinho de Cerro Negro, flagramos uma amigável relação entre um cachorro e um gato.

Os dois brincavam, deitavam, rolavam, o cachorro mordia o rabo do gato, que passava a pata na cabeça do cachorro. Uma festa só, sem nenhum desentendimento.

A relação dos porquinhos com a vaca “mãezona”, do cachorro Urtiga com a vaquinha Joaninha e do gato e com o cachorro: agradáveis surpresas e belas lições do mundo animal.

Pablo Gomes, Campo Belo do Sul

Crack, nem pensar

Bookmark and Share

A inspiração de um desconhecido...

26 de maio de 2010 1

Homem estava sentado sozinho, com um violão, no alto de um morro no Bairro Jardim Panorâmico. Foto: Alvarélio Kurossu

Compor poesias e músicas, escrever livros ou reportagens, fazer um emocionante discurso ou uma declaração de amor. Tudo isso depende de muita inspiração.

E, para muitos, nada melhor que o silêncio, a solidão, o contato com a natureza e uma bela paisagem para organizar as ideias na cabeça e colocá-las no papel.

Pois certamente era isso que buscava um cidadão que não sabemos quem e de onde é, mas que protagonizou uma cena no mínimo curiosa no fim da tarde do último domingo, em Lages.

No alto de um morro a cerca de 100 metros da Avenida Edesio Caon, no Bairro Jardim Panorâmico, estava um homem, sozinho, sentado na grama e segurando um violão.

Isolado do mundo e com uma bela vista panorâmica da cidade, nosso amigo desconhecido tocava para ele próprio, sem ninguém para assisti-lo ou aplaudi-lo.

Quem é este cidadão? Estava compondo alguma música ou apenas cantando alguma já existente? Por que escolheu aquele lugar, no mínimo, curioso?

Se você é o próprio ou o conhece, por favor, entre em contato para contar a sua história.

Pablo Gomes, Lages

Crack, nem pensar

Bookmark and Share

Quem dera fosse sempre assim...

25 de maio de 2010 1

Até mesmo após a \"promoção\" havia filas no posto. Foto: Alvarélio Kurossu

Em Lages, a procura foi tão grande pela gasolina a R$ 1,478 o litro que o Posto Raid, único da cidade a participar do Dia da Liberdade de Impostos, nesta terça-feira, vendeu em menos de três horas o que geralmente é consumido num dia inteiro.

O que muitos clientes consideraram uma promoção, mas que na verdade era um protesto, começou às 9h e acabou pouco antes do meio-dia no estabelecimento, localizado na rótula das avenidas Dom Pedro II e Marechal Floriano, no Bairro Santa Rita.

Mas ainda de madrugada, às 4h30min, já havia gente na fila, num total de aproximadamente 400 veículos.

Mas nem todos tiveram a chance de aproveitar a gasolina livre de imposto. Só os primeiros 160 carros (máximo de 15 litros cada) e 30 motos (limite de cinco litros cada) tiveram acesso aos 2,5 mil litros disponibilizados pelo posto, cujo proprietário, José Antonio Neves, estima um prejuízo de R$ 2 mil, dividido ao meio com a CDL Jovem.

_ Perdi R$ 1 mil, mas de certa forma, fiz propaganda para o meu posto, que recebeu uma clientela gigantesca, e cumpri meu dever de cidadão, protestando contra os altos impostos dos quais ninguém está livre. Seja pobre ou rico, todo mundo paga, basta ter um veículo.

Pablo Gomes, Lages

Crack, nem pensar

Bookmark and Share