Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Mulher joga dois fetos em terreno baldio

28 de julho de 2010 0

Policiais militares apontam o local onde foram encontrados os fetos. Foto: Alvarélio Kurossu

A polícia de Curitibanos, na Serra Catarinense, está à procura da mulher que jogou dois fetos em um terreno baldio no Centro da cidade.

O episódio ocorreu no início da tarde desta quarta-feira e chamou a atenção por se tratar provavelmente de gêmeos, que já estavam mortos quando foram encontrados.

Por volta das 14h15min, um catador de lixo viu uma mulher morena, alta, com calça branca e camisa preta, deixando algo em um terreno baldio na Rua Santa Catarina, perto da agência central da Caixa Econômica Federal. A mulher seguiu caminhando e o homem foi até o local ver o que ela havia jogado.

Quando viu que eram dois fetos enrolados em uma toalha, o homem não avistou mais a mulher e chamou outra que passava pela rua para ajudá-lo.

Os dois colocaram os corpos dentro de um saco plástico para evitar que fossem comidos por um cachorro que os lambia.

A Polícia Militar foi acionada e, ao chegar ao terreno, constatou que os fetos, um masculino e um feminino, já estavam sem vida. A placenta da mãe dos bebês foi encontrada ao lado dos corpos.

Os policiais estimam que os fetos tinham entre cinco e seis meses de vida, pois já estavam bem formados, inclusive com unhas nos dedos.

Os corpos foram levados ao Instituto Médico Legal (IML) de Curitibanos e em seguida ao IML de Lages, onde serão periciados para que sejam apuradas as causas do aborto, se foi espontâneo ou provocado.

Na calçada que passa ao lado do terreno podiam ser vistas manchas de sangue que se estendiam por pelo menos 30 metros, o que leva a crer que a mãe dos fetos havia dado à luz pouco antes, estava debilitada e precisava de atendimento médico com urgência.

Assim, a Polícia Militar informou a todos os hospitais e equipes de resgate da região que, se atendessem alguém com as características da mulher vista pelo catador de lixo, avisassem os policiais imediatamente. Até o início da noite, a mulher não havia sido localizada.

Na Polícia Civil, o caso será conduzido pela Delegacia da Mulher e do Menor de Curitibanos.

A delegada Roxane Fávero não estava na delegacia ontem e não tinha muitas informações, mas pelo celular adiantou à reportagem do Diário Catarinense que vai esperar o laudo cadavérico do IML para analisar o caso.

Pablo Gomes, Curitibanos

Crack, nem pensar

Bookmark and Share

Envie seu Comentário