Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Estudo reconhecido nos Estados Unidos

30 de setembro de 2010 0

Professor Valfredo Schlemper: "a medicina caseira, associada à química, tem muito efeito". Foto: Alan Pedro

Comprovadas as propriedades medicinais da folha do cambará, os pesquisadores enviaram o estudo a revistas científicas especializadas em farmacologia de produtos naturais.

Um destes veículos, Research Journal of Medicinal Plant, dos Estados Unidos, aceitou o resultado e o publicará em sua edição de 2011.

As próximas etapas do estudo consistem em provocar asma farmacológica em camundongos vivos para analisar se o extrato de folha do cambará é tóxico ou não e, posteriormente, realizar os testes em humanos para saber quais são os efeitos colaterais.

Só que, apesar de os estudos continuarem, chegar a esta etapa pode levar muito tempo. Vai depender, lembra o professor Valfredo, de investimentos, incentivos e até políticas públicas, como o Plano Nacional de Fitoterápicos do Ministério da Saúde, que incentiva a pesquisa científica no Brasil e prevê que até 2015 pelo menos duas plantas de cada bioma brasileiro resultem em fitoterápicos reconhecidos.

_ O objetivo maior é que o possível futuro medicamento à base do extrato da folha do cambará seja aplicado nos humanos via oral. Mas até chegarmos a este ponto é necessário um trabalho que envolve uma equipe multidisciplinar, com médicos, farmacologistas e químicos _, diz Valfredo.

O professor de Farmacologia garante que os medicamentos à base de plantas são bastante eficazes, tanto que 40% do que existe atualmente nas farmácias vem de plantas.

Além da folha do cambará, Valfredo estuda desde 1996 as propriedades medicinais de outras plantas nativas da Serra Catarinense, como o pinheiro araucária que, além de fornecer o pinhão que comemos durante o inverno, pode também ser um importante anti-inflamatório, já que os povos antigos o utilizavam como cicatrizante.

_ Alguns medicamentos de plantas são insubstituíveis, pois a química nunca produziu nada melhor. A medicina caseira associada à química tem muito efeito _, conclui o professor.

Pablo Gomes, Lages

Bookmark and Share

Envie seu Comentário