Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Escolas em situação precária

23 de fevereiro de 2011 0

Paredes pichadas, banheiros sem água, alunos reclamam da falta de estrutura. Foto: Vani Boza

A situação das escolas estaduais Aristiliano Ramos e Flodoardo Cabral, em Lages não é das melhores. Paredes deixam à mostra pichações, infiltrações e sujeira. Banheiros estão sem água, não há bebedouros no pátio. Os alunos reclamam, a direção se explica e a gerencia garante reparos.

A gerente Regional de Educação, Fátima Ogliari fala que cuidar de uma escola não é fácil. Ao alunos não colaboram, picham as paredes, quebram vidros e não contribuem com a limpeza. Tudo isso vai deteriorando o patrimônio.

Ela garante que as escolas precisam de reformas, mas que não é possível faze-las todas de uma vez. Todo ano são feitos vários reparos nas escolas e cada questão é estudada e resolvida pela gerência assim que notificada pela direção.

Segundo Fátima, os bebedouros já foram orçados e devem ser instalados no decorrer do ano em todas as escolas, os banheiros e as paredes devem ser pintados e reformados, porém, tudo exige tempo e verba, é preciso ter paciência e colaborar para com a manutenção.

Desentendimento

No Aristiliano Ramos, os problemas vão além da infraestrutura. A direção sofre com um grupo de professores que se opõem à sua autoridade. Para mostrarem sua oposição, não respeitam horários, instigam alunos a se oporem à direção e provocam alvoroço, gritando nos corredores e desrespeitando o ambiente escolar.

A Diretora Márcia Helena Pinheiro Rocha diz que tenta amenizar a situação ignorando as provocações, mas que se preocupa com o andamento e aproveitamento dos alunos, afinal, essa revolta dos professores contra ela acaba prejudicando o ensino.

Vani Boza, Lages.

Bookmark and Share

Envie seu Comentário