Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Ibama promete relatório sobre a Usina Hidrelétrica de Paiquerê

14 de abril de 2011 7

Um relatório completo sobre o histórico do processo de licenciamento da Usina Hidrelétrica de Paiquerê, em Lages, será apresentado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) até sexta-feira ao governo de Santa Catarina.

Com o documento, que será entregue ao secretário de Articulação Nacional, Acélio Casagrande, será possível esclarecer em que ponto se encontra o Estudo de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) e as pendências que impedem o início das obras.

_ Vamos apresentar um histórico com todos os passos até o momento e o que está faltando, para que se cobre dos responsáveis _, afirmou o presidente do Ibama, Curt Trennepohl, ao governador Raimundo Colombo em reunião realizada na última terça-feira, em Brasília.

Colombo ressaltou a importância da hidrelétrica para Lages, uma vez que poderá absorver a mão de obra remanescente das madeireiras.

_ A hidrelétrica ajudará muito a economia local, que atualmente está deprimida.

O governador enfatizou, ainda, as características favoráveis e de baixo impacto do empreendimento, que será construído no Rio Pelotas, na Coxilha Rica, em área de relevo não aproveitável para outros fins e precisará realocar apenas nove famílias.

Conforme dados apresentados pelo consórcio responsável pela Usina de Paiquerê, as solicitações complementares, requeridas pelo Ibama em janeiro, deverão ser apresentadas até agosto, prazo que pode ser encurtado, na visão do presidente do Instituto.

* Com informações da Secretaria de Estado da Articulação Nacional.

Bookmark and Share

Comentários (7)

  • andrey diz: 18 de abril de 2011

    ATÉ COM A COXILHA RICA QUEREM ACABAR??? É para gerar energia ou ficar dono da água????

  • Suellen diz: 8 de agosto de 2011

    Eu sou conta a usina pois ele vai acabar com a beleza de coxinha rica.

  • marcio diz: 15 de dezembro de 2011

    todo mundo é contra, até que não fiquem presos no elevador, ou sem eletrecidade para asistir a novelinha das 8, ou pai ou esposo fique desempregado. O!!!!!!! mais da para construir uma usina nuclear, os impactos ambiantais são muito menores… Tenho uma idéia melhor, vamos parar de ter filhos, dentro de 80, 100 anos não precisaremos de nenhuma energia, e todas as belezas naturais da terra estarão livre dos homens destruidores.

  • Luana diz: 9 de fevereiro de 2012

    A sociedade viveu durante anos SEM energia e muito bem por sinal, não está faltando energia é só econimizar, alias, existem outras tantas alternativas que não afetam tanto o nosso meio ambiente. Quero ver vocês vivendo sobre as catástrofes da natureza por pura ambição.

  • José Adário Klettenberg diz: 16 de fevereiro de 2012

    Boa Tarde,
    Mais uma hidrelétrica na região, e em Santa Catarina…
    será necessário mesmo tanta energia para um dos menores estados do Brasil?
    será que essa energia beneficiará mesmo a população da região serrana e do estado?
    Claro que a burguesia da cidade é a favor, muitos compraram terras, intencionalmente, na região nos últimos anos. Uns para ter direito a indenizações superfaturadas em cima das terras baratas que compraram dos camponeses da coxilha, outros pela supervalorização das terras que antes quase não valiam, mas que agora com o “progresso”, com estradas entre outros benefícios que a coxilha não precisa, haverá a valorização.
    será mesmo, esta “energia” que a região precisa?
    A construção vai gerar empregos? vai com certeza. Mas para quem? para os lageanos desempregados? ou para um multidão de fora que vai se instalar em lages para que no fim da construção se somam ao índice de desemprego da região? como a exemplo de outras barragens construídas pelo estado.
    Dia 29 haverá audiência pública sobre a construção, para ver o que o povo realmente acha desse “progresso”
    Espero encontrar todas que estão aqui defendendo essa proposta de “progresso e desenvolvimento” na audiência, argumentando suas defesas!

    José Adário Klettenberg
    Federação dos Estudantes de Agronomia do Brasil – FEAB

  • Cristiane diz: 9 de abril de 2012

    Sobre a hidrelétrica tem gente que diz que é contra mais deve ser mais urbano que nunca. Tipo deve viver no secador de cabelo, prancha, climatizadores, assistindo tv e assim vai. Onde sera que vem essa energia pra usar todas esses equipamentos??!!
    Sabemos que infelizmente a destruição sim com o meio ambiente mais sabemos tbm que as construtoras responsáveis tem a responsabilidade do reflorestamento no decorrer da obra e conta com profissionais responsáveis e capacitados para esse serviço. Minha pergunta é quem será que vai construir a hidrelétrica de Paikerê??

  • João da Silva diz: 28 de abril de 2012

    É Luana, vivemos tanto tempo sem energia, e viviamos não é. Hoje não vivemos sem energia e não é brincadeira, com a população atual sem energia não teremos alimentos ou forma de transportar o alimento. Pensou você sem poder comer? Máquinas no campo, caminhões ou trens pra transportar. Com certeza não. Sua comidinha sempre esteve na mesa, quentinha e farta. Bem, não defendo esta forma de energia, um contrassenso com que escrevi até agora pois sou muito mais radical. Na minha forma de pensar sobre o assunto de sustentabilidade as ações a serem tomadas seriam o controle efetivo de natalidade a extinção de veículos particulares o desperdícios de alimento principalmente o abuso na utilização de água potável. É muito pra vocês? Quando alguma destas situações lhes atingirem a conversa será outra, e talvez tarde. Eu já passei dos 50 e não deveria mas me preocupar com isto, pois não vivenciarei, mas como tenho filhos e logo netos tento conscientiza-los, e a vocês também. Voltar a idade média com uma super população não é algo que queira ver. Olhem, vejam, reflitam. Esta estampado que ira acontecer. Se tudo continuar como esta é inevitável. Vocês, jovens, podem mudar isto, com educação, ideias e empenho. Torço por vocês.

Envie seu Comentário