Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

100% natureza na virada

29 de dezembro de 2011 1

Friedel e Norma Ursula Schindler vieram aproveitar a tranquilidade da Serra.

Friedel e Norma Ursula Schindler vieram aproveitar a tranquilidade da Serra.

André Eduardo Sartorato, a esposa Francine Sartorat trouxeram a filha Valentina para curtir a natureza. FOTOS: VANI BOZA

André Eduardo Sartorato, a esposa Francine Sartorat trouxeram a filha Valentina para curtir a natureza. FOTOS: VANI BOZA

Há quem bata o pé para afirmar que não existe melhor révellion do que o que se passa na praia, com os pés descalços na areia, sentindo a brisa no mar e rodeado de amigos, parentes e, até mesmo de desconhecidos, todos olhando para os grandes e exuberantes fogos de artifício, enquanto brindam o ano novo que chega. Por outro lado, há também aqueles que cansados do mar, preferem a tranqüilidade de pousadas e hotéis fazenda. Diferente da badalação das praias, na virada do ano muita gente prefere curtir a calmaria e o contato com a natureza, num révellion bem relax.

Longe da correria, do barulho e da movimentação de turistas, a Serra Catarinense abre suas portas para quem decidiu trocar a agitação do litoral pelo sossego do campo. E ainda há vagas. A reportagem do Diário Catarinense entrou em contato com os seis maiores estabelecimentos do ramo de hotelaria rural e dois deles ainda têm vagas disponíveis para quem quer se hospedar na virada. No Rio do Rastro Eco Resort, em Bom Jardim da Serra, cerca de 50% das vagas ainda estão disponíveis, e na Pousada Água Santa, em São Joaquim, ainda restam cinco apartamentos.

No Hotel Fazenda Boqueirão, em Lages, e a Serra do Panelão Fazenda Hotel, que fica entre Bom Retiro e Urubici, não há mais vagas desde terça-feira. Os hotéis fazenda Pedras Brancas, de Lages, e Fazenda do Barreiro, de Urupema, não têm mais vagas para pernoite, mas quem quiser participar da ceia, ainda pode agendar.

Além de ser uma forma de se distanciar da movimentação que toma conta do litoral nessa época do ano, optar por um hotel fazenda é também escolher a natureza como companhia para receber o ano novo. Na Serra, todos os estabelecimentos contam com paisagens maravilhosas, que combinam lagos, mata, animais, tudo sempre combinado à tranquilidade do campo. A gastronomia também é especial, com pratos típicos e variados, para todos os tipos de gostos. As acomodações vão das mais simples àquelas que contam até com banheira de hidromassagem. E para quem não quer só descansar, ainda têm piscinas, cavalgadas, passeios a pé e de charrete, trilhas e muitas outras atividades. Tudo ao ar livre e tudo natural.

O casal de aposentados Friedel Schindler, de 77 anos e Norma Ursula Schindler, 74, decidiram fugir de Balneário Camboriú, onde moram, e aproveitar uma semana toda na tranquilidade da Fazenda Pedras Brancas. Os dois, que já conheciam a Serra, afirmam que vieram em busca do clima agradável, e permanecem até a virada.

_ Nossos filhos e netos não quiseram vir com a gente, então viemos e vamos ficar aqui, só nós dois. Assim podemos namorar bastante _, afirmou Friedel.

Norma disse que o que ela busca na Serra é tranquilidade, e que quer ficar só descansando a semana toda, já que em casa sempre está atarefada com serviços domésticos.

O médico André Eduardo Sartorato, de 36 anos, e a esposa, a farmacêutica Francine Sartorato, de Florianópolis, vieram com a filha Valentina, de quatro anos, curtir o révellion também na Fazenda Pedras Brancas.

Segundo André, durante a viagem se depararam com um fluxo muito grande de veículos que seguiam para o litoral, de onde eles estavam literalmente fugindo. Por conhecerem a Serra, e conviverem com o mar e a praia no dia-a-dia, a família resolveu optar pela calmaria na virada, e por isso, subiram a Serra.

_ Nossa filha fica encantada com os animais e as plantas, que ela quase nunca vê. É bom para ela ter esse contato com a natureza, e para nós, é uma oportunidade de descansar em meio às belas paisagens _, disse Francine.

Descansar, curtir, aproveitar, conhecer, não importa o que leva as pessoas a Serra, o importante é que elas vêm. Ainda há os que não trocam a praia por nada no mundo no réveillon, mas há sim, os que saem do litoral em busca de um cantinho tranqüilo e bonito, com cheiro de natureza para começar mais um ano. Dessa vez 2012!

Vani Boza, Lages

Bookmark and Share

Comentários (1)

  • Névio S. Fernandes Filho diz: 29 de dezembro de 2011

    Hoje se tornou uma obcessão passar a virada do ano no litoral, em parte pelo poder de persuazão da mídia e o grande sonho de estar entre os milionãrios que nesta época circulam no Estado. Esta modernidade atual com a venda de sonhos e o consequente preenchimento de bens materiais ao nosso vazio existencial faz com que tudo que não seja ligado a moda, estilo jovem. beleza ou relacionado com quem possua muito dinheiro não tenha interesse nenhum, principalmente aos jovens. Vemos ainda que pessoas dispreendidas destes fatores de aparência, principalmente os mais idosos vem passar a virada e o Natal em Lages, nas fazendas de turismo rural e continuam vindo por anos a fio, apesarem de morarem na Ilha da Magia perto de praias. Moro na Capital, cidade cara, povo avesso aos estrangeiros que não tenham dinheiro e adotando costumes corriqueiros das classes altas paulistas, apesar de não terem o podr aquisitivo dos mesmos. Valorizamos pouco a Serra e Lages, por isso nossa região não se desenvolve a contento, o lageano gasta o seu dinheiro fora da cidade e investe em outros lugares.No dia em que nossas belezas forem valorizadas estarem na moda haverá a constatação de que aqui é o melhor lugar para se viver e não as aparências frívolas de um litoral insensível que adora abrigar milionários e payboys sem qualquer bagagem cultural ou conteúdo que possa acrescentar valores a nosso Estado.

Envie seu Comentário