Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de dezembro 2012

Pela primeira vez, padre será prefeito na Serra

28 de dezembro de 2012 2

Padre Edilson (foto de cima) será o primeiro padre a assumir um cargo eletivo na Serra Catarine. Já Elizeu e Toni (foto abaixo) farão festa pública após a posse. Fotos: Divulgação

Em Campo Belo do Sul, na Serra Catarinense, o prefeito eleito Edilson José de Souza (PMDB) será empossado no dia 1º de janeiro de uma maneira jamais vista na região.

Depois de perder a eleição de 2008 por 55 votos, ele venceu a de 2012 com 602 votos e será o novo chefe do Executivo municipal.

Natural de Otacílio Costa e padre da Igreja Católica há 12 anos, Edilson receberá familiares, amigos e sacerdotes de todo o Brasil para uma missa na Paróquia Nossa Senhora do Patrocínio, às 9h.

É a primeira vez em 80 anos da Diocese de Lages que um padre ocupa um cargo eletivo.

Até o bispo de Lages, Dom Irineu Andreassa, foi convidado para a celebração, que será comandada pelo pároco local, Padre Antonio.

A posse ocorrerá às 10h, no Centro de Eventos. Na ocasião, Edilson vestirá clégima, roupa utilizada por padres, em vez do tradicional terno e gravata.

O prefeito continuará exercendo normalmente suas atividades de padre, e só deixará de ser pároco (comandante) da Paróquia São Francisco de Paula, em Cerro Negro.

Em tempo: Em Lages, o prefeito eleito Elizeu Mattos (PMDB) e o vice Toni Duarte (PPS) serão  empossados às 17h do dia 1º, no Cine Marrocos.

E a partir das 19h30min, praça da Catedral, ao lado da prefeitura, bem no Centro da cidade, será palco de um show pirotécnico e apresentações musicais de artistas lageanos, tudo aberto ao público.

Pablo Gomes, Campo Belo do Sul

Bookmark and Share

Vereador sai da cadeia e nega furto de gado

28 de dezembro de 2012 0

Cleber Miranda de Souza, de 36 anos, vereador eleito pelo Partido Progressista (PP) em Ponte Alta, na Serra Catarinense, e preso na última quarta-feira por suspeita de furto de gado, já saiu da cadeia. Ele foi liberado na quinta mediante pagamento de fiança e jura inocência.

Cleber e seu pai, proprietários de açougues em Ponte Alta e na vizinha Correia Pinto, foram presos pela Polícia Civil após investigações que apontaram os dois e um terceiro homem, morador de Otacílio Costa, como envolvidos em um suposto esquema de furto de aproximadamente 15 animais no início do mês, no interior de Ponte Alta.

A operação policial ocorreu na quarta-feira em parceria com a Vigilância Sanitária, que apreendeu 800 quilos de carne sem registro de procedência, carimbo de inspeção e acondicionados de maneira inadequada nos dois açougues.

Na ocasião, segundo o delegado Fabiano Henrique Schmitt, Cleber e seu pai foram presos em flagrante por crime contra as relações de consumo (artigo 7º da lei 8.137, de 27 de dezembro de 1990). O terceiro suspeito foi preso por posse ilegal de arma.

Sete animais foram recuperados em Rio do Sul, no Alto Vale do Itajaí, e os brincos de identificação foram reconhecidos pela Cidasc como sendo dos animais furtados.

Além dos crimes pelos quais foram presos, os três suspeitos, ainda segundo o delegado, responderão também a processo por abigeato, como é chamado o furto de gado (furto qualificado), com pena de dois a oito anos de reclusão.

Em entrevista concedida por telefone na tarde de quinta-feira ao Diário Catarinense, Fabiano Schmitt disse que os suspeitos estavam no Presídio Regional de Lages.

Na manhã desta sexta, Cleber e seu pai foram localizados pela equipe de reportagem da RBS TV Centro-Oeste em frente ao açougue de Correia Pinto.

Ambos admitiram que compraram a carne apreendida diretamente de produtores da região, daí a ausência de registro de procedência e carimbo de inspeção.

Com relação ao acondicionamento errado, os dois justificaram ter sido em função de uma queda de energia que deixou a região sem luz por quatro horas, o que provocou a deterioração da carne justamente quando ocorreu a operação da Polícia Civil e da Vigilância Sanitária.

_ É uma injustiça. Não temos nada a ver com o furto de gado, e serei empossado normalmente no dia 1º de janeiro _, garantiu Cleber.

Pablo Gomes, Ponte Alta

Bookmark and Share

Vereador é preso suspeito de furto de gado

27 de dezembro de 2012 0

Cléber Miranda de Souza (PP) foi um dos nove eleitos por Ponte Alta em 7 de outubro e diplomado no último dia 18. O açougue dele foi interditado por vender carne sem procedência. Foto: Divulgação

Um vereador eleito em Ponte Alta, município da Serra Catarinense com aproximadamente cinco mil habitantes e distante 45 quilômetros de Lages, foi preso por suspeita de participação em furtos de gado em fazendas da região.

Cleber Miranda de Souza (PP), de 36 anos, foi um dos nove vereadores de Ponte Alta eleitos em 7 de outubro e diplomados no último dia 18. Agora, ele está no Presídio Regional de Lages junto com o pai e outro homem, que teriam participação no esquema.

O delegado Fabiano Henrique Schmitt conta que o caso chegou ao conhecimento da Polícia Civil após o furto de 15 animais, no início deste mês, no interior de Ponte Alta.

As investigações apontaram para o suposto envolvimento de Cleber e do pai dele, ambos proprietários de um açougue em Ponte Alta e outro na cidade vizinha de Correia Pinto, e de um terceiro homem, morador de Otacílio Costa, também na Serra.

Mediante os indícios, dentre os quais, brincos de identificação de alguns animais furtados que foram localizados pela polícia e reconhecidos pela Cidasc, a Justiça expediu mandados de busca e apreensão, cumpridos na manhã de quarta-feira numa operação entre a Polícia Civil e a Vigilância Sanitária nas residências, propriedades rurais e açougues dos suspeitos.

Sete animais foram recuperados no interior de Rio do Sul, no Alto Vale do Itajaí. Os demais, segundo o delegado, provavelmente foram abatidos para comercialização da carne nos açougues de Cleber e seu pai.

Os dois foram presos em flagrante por crime contra as relações de consumo pelo fato de a carne apreendida nos açougues, num total de 800 quilos, não ter registro de procedência, carimbo de inspeção e sequer estar acondicionada de maneira adequada.

Os dois açougues foram temporariamente interditados. O outro homem foi preso em Otacílio Costa por posse ilegal de arma. Os três suspeitos estão à disposição da Justiça no Presídio Regional de Lages e, além dos crimes pelos quais foram presos em flagrante, serão processados por furto de gado, conhecido como abigeato e que prevê pena de dois a oito anos de cadeia.

Ao ser informada do caso na tarde desta quinta-feira pela Polícia Civil, a reportagem do Diário Catarinense tentou contato com algum representante de Cleber, mas o nome dele não consta na lista telefônica e ninguém foi localizado na Câmara de Vereadores de Ponte Alta.

Pablo Gomes, Ponte Alta

Bookmark and Share

Falta d'água volta a atormentar lageanos

27 de dezembro de 2012 0

Moradora do Bela Vista, a pensionista Ladi Aparecida Moreira Rosa sequer conseguiu lavar a louça da ceia de Natal. Foto: Vani Boza

Todo ano é a mesma coisa: basta o calor chegar, e moradores de uma das maiores cidades de Santa Catarina sofrem com a ausência de uma das principais necessidades humanas.

A falta d’água não é novidade em Lages, na Serra, mas desta vez a prefeitura admite a impossibilidade de solucionar o problema de maneira rápida e eficiente.

A última ocorrência mais abrangente havia sido registrada no verão passado, quando seis dos 69 bairros da cidade sofreram com o problema durante os três meses da estação.

Agora, o transtorno parece ser ainda maior, pois sete comunidades estavam afetadas até a tarde desta quarta-feira: Bela Vista, Novo Milênio, Penha, Pró Morar, Santa Clara, São Francisco e Tributo.

No Bela Vista, um dos maiores bairros de Lages, moradores enfrentam o problema há aproximadamente um mês.

A pensionista Ladi Aparecida Moreira Rosa, de 51 anos, diz que desde o início de dezembro falta água todos os dias em sua casa.

_ A gente só tem água de madrugada e fica o dia inteiro sem. Não conseguimos nem ter uma ceia de Natal decente. A louça está acumulando na pia da cozinha e não podemos sequer tomar banho. Isso é revoltante.

A poucos metros da casa de Ladi, o problema é ainda maior. Maria Inês Teixeira, coordenadora do Asilo Lar dos Idosos, considera a situação um descaso.

Na instituição vivem 32 idosos que precisam de água o dia inteiro, mas não podem contar com o precioso líquido.

_ A higiene pessoal e do asilo, a alimentação, tudo está comprometido porque precisamos controlar o pouco da água que temos. Temos idosos que precisam tomar três banhos por dia, mas não está sendo possível. No ano passado tivemos que chamar um caminhão-pipa para encher nosso reservatório, pois ficamos sem nada. Temos uma caixa de sete mil litros, mas não é o suficiente. A situação é bem crítica.

Continua…

Bookmark and Share

Prefeitura admite que não resolverá o problema

27 de dezembro de 2012 0

A Secretaria Municipal de Águas e Saneamento (Semasa) admite o problema e a dificuldade de solucioná-lo.

O secretário Jonas Alberto Ferreira garante que o órgão investiu bastante neste ano em obras para melhorar o abastecimento de água, mas salienta que no verão a demanda aumenta bastante por conta do calor, o que faz também crescer o desperdício.

Jonas destaca que a Semasa consegue produzir 570 litros de água potável por segundo, o equivalente a 50 milhões de litros por dia, para 47 mil ligações que atendem 156 mil moradores.

Porém, admite que este volume fica abaixo da demanda, e aumentar a capacidade é algo impossível no momento.

_ Temos três grandes reservatórios que não chegam a 50% durante a madrugada, quando deveriam chegar a 100%. Então lá pelas 14h ou 15h perdemos totalmente nossa autonomia, e o volume que entra vai direto para o consumo. Assim, cai a pressão e as partes altas da cidade ficam sem água.

O secretário da Semasa lembra que o problema não é por conta da estiagem, já que o Rio Caveiras, que abastece Lages, está com bastante água. O gargalo é justamente no tratamento.

_ Estamos no limite, e tratar mais que a nossa capacidade seria não garantir qualidade. Se o forte calor continuar, a demanda aumentará e vai faltar água. A saída agora é não desperdiçar.

Pablo Gomes, Lages

Bookmark and Share

Zezé: campeão e presidente do Inter de Lages

26 de dezembro de 2012 0

José Carlos Susin, o Zezé, conquistou o título estadual de 1965 e agora é o novo comandante do Colorado Lageano. Foto: PABLO GOMES

Ele nasceu em 15 de agosto de 1943, em Caxias do Sul, na Serra Gaúcha. Apesar de jogar bola desde criança, como a grande maioria dos garotos brasileiros, foi ali pelos 14 ou 15 anos que começou a jogar pensando mais alto.

Até que, aos 18, tornou-se profissional com a camisa do Flamengo, atual Caxias, e dava início à história de amor a um time e a uma cidade.
Mas esse time não é o Flamengo e a cidade não é Caxias do Sul, apesar de ele ter muito carinho e orgulho do seu passado.

Naquela época, a pouco mais de 200 quilômetros dali, do outro lado do Rio Pelotas, na Serra Catarinense, um clube se destacava pela paixão da torcida, pela força coletiva e pelos talentos individuais. Era o Inter de Lages, fundado em 13 de junho de 1949 e ainda nos primeiros anos de existência.

E entre as revelações do Colorado Lageano estava um certo Nininho, centroavante habilidoso, rápido e matador, que despertou o interesse do Flamengo gaúcho.

Assim, aquele guri nascido em Caxias do Sul e recém-profissionalizado pelo time local entrava como moeda de troca na transação com Nininho.

O jovem em questão era José Carlos Susin, de apelido Zezé, que chegava a Lages com o objetivo de ganhar experiência no Inter.

Só que o ano era 1965, e os envolvidos no negócio nem imaginavam o que estaria para acontecer. Já em seu primeiro ano no Inter, Zezé, cuja posição principal era ponta direita, foi campeão catarinense.

Na final, realizada em 27 de março de 1966, no Estádio Municipal Vidal Ramos Junior, em Lages, cruzou da direita para Anacleto, aos 14 minutos do segundo tempo, fazer o segundo gol dele e do Inter na decisão contra o poderoso e temido Metropol, de Criciúma.

O jogo acabou em 2 a 1 para o Inter, que conquistava o seu primeiro e único título estadual da primeira divisão até hoje.

E quanto a Nininho, contratado como o grande craque que levaria o Flamengo de Caxias do Sul ao título gaúcho, acabou rebaixado para a segunda divisão do Rio Grande do Sul no mesmo ano.

Deméritos dele? De forma alguma. Afinal, era um baita jogador.

Mas quis o destino que, naquele ano, Zezé fosse mais feliz. Tanto que, na mesma época, casou com uma lageana com quem tem três filhos e nunca mais saiu de Lages, onde vive há quase meio século, é corretor de seguros e acaba de assumir, aos 69 anos, pelos próximos dois, um dos maiores e mais prazerosos desafios da vida: ser presidente do time do coração.

A seguir, confira entrevista de Zezé ao Diário Catarinense.

Continua…

Bookmark and Share

"Em 2015 temos que estar na elite estadual"

26 de dezembro de 2012 0

Zezé quer resgatar a mística do Inter forte e vencedor e que leva muitos torcedores aos seus jogos. Foto: PABLO GOMES

* DC: Como o senhor chegou à presidência do Inter de Lages e por que aceitou o desafio?

* ZEZÉ: Em função do convite irrecusável do Mauricio Neves de Jesus (advogado e autor do livro “Aquelas Camisas Vermelhas”, que conta a história do Inter de Lages) e do Patrick Cruz (jornalista lageano que vive em Brasília e é torcedor fanático do time). Eles criaram o Movimento Leão Colorado para assumir o Inter e queriam que eu encabeçasse o grupo. Nunca havia me passado pela cabeça, mas após a convocação do Mauricio e do Patrick, cheguei a sonhar com isso e felizmente conseguimos concretizar. A eleição foi no último dia 5, e o projeto está com uma aceitação inacreditável em Lages. Tudo conspira a favor, e isso me deixa bastante surpreso e otimista.

* DC: Além do senhor, quem compõe a nova diretoria?

* ZEZÉ: Anacleto Oliboni (autor dos dois gols do título de 1965) como vice-presidente; Armindo Araldi (fundador do Inter, em 1949) como presidente do Conselho Deliberativo; Mauricio Neves de Jesus como vice-presidente do Conselho Deliberativo e Rodrigo Silva (médico, vereador e ex-diretor do Inter) como primeiro titular do Conselho Fiscal.

* DC: O que o senhor ganha ou perde sendo presidente do Inter?

* ZEZÉ: Não perco nada, pois tenho o apoio da minha família e dos meus amigos, e ganho a satisfação de poder ajudar a reerguer o clube que me deu tantas alegrias e amizades.

* DC: O que o senhor pretende manter ou mudar em relação à diretoria anterior?

* ZEZÉ: Fica a paixão pelo Inter. O resto será tudo novo. Os pensamentos, os objetivos, a relação com a Federação Catarinense de Futebol. Tudo mudará. E a grande mudança será o resgate da mística do Inter grande e forte, que disputava títulos, e da vontade da torcida lageana.

* DC: Sendo o próximo prefeito de Lages, Elizeu Mattos, um entusiasta do Inter, e o governador do Estado, Raimundo Colombo, um lageano torcedor do clube, qual será a relação entre o Inter e o poder público?

* ZEZÉ: Elizeu e Colombo só têm a ganhar com o Inter forte, pois trará dividendos para a cidade, com torcidas, imprensa, movimentação nos hotéis e nas lojas. Queremos o prestígio deles como grandes homens públicos, ajudando a conquistar parceiros, mas não queremos o dinheiro deles.

* DC: Como o Inter vai conseguir dinheiro para se manter e ser um time forte?

* ZEZÉ: O primeiro passo foi fazer 100 camisas especiais para vender a R$ 1 mil cada. Criaremos categorias de sócios para que todos possam ajudar e contamos com o apoio de empresários. Muitos já estão se oferecendo a colocar placas no estádio e teremos uma reunião com uma multinacional para tratar de patrocínio. Também venderemos materiais esportivos do clube e teremos metade da renda do livro “Aquelas Camisas Vermelhas”.

* DC: O Inter fará algum pedido especial à prefeitura com relação ao estádio municipal?

* ZEZÉ: Pediremos uma reforma, a mudança do gramado e uma estrutura que beneficie o Inter e a comunidade lageana.

* DC: Qual é o modelo a ser seguido pelo Inter na sua administração?

* ZEZÉ: As administrações de clubes de futebol dependem muito da coletividade. O modelo ideal é ser correto, honesto e transparente. Vamos publicar um balanço do Inter a cada três meses na imprensa. É com parceiros fortes que nasce a estrutura de um grande clube. Grandes exemplos são a Chapecoense, que disputará a Série B do Brasileiro, e o Criciúma, na elite nacional.

* DC: E o time para 2013, como será formado?

* ZEZÉ: O Zé Melo e o Bin (ex-craques do Inter) cuidarão das categorias de base e também serão olheiros dos talentos locais. Estamos praticamente fechando com o Nasareno Silva, técnico campeão da segunda divisão em 1990 com o Inter, para ser o treinador. Ele é um profundo conhecedor dos jogadores e vai montar o time. Também teremos indicações do Luiz Eduardo, que já jogou no Inter de Lages e hoje cuida das categorias de base do Grêmio, em Porto Alegre.

* DC: E qual é a meta do Inter?

* ZEZÉ: Nosso projeto é a médio e longo prazo, e o objetivo principal é cada vez mais galgar postos no futebol brasileiro. Mas independente da competição, entraremos para ganhar. Chega de patinar na terceira divisão. Em 2015 temos que estar na primeira, brigando de igual para igual com os grandes times do Estado, e não vamos mais cair. Lages exige e merece isso.

Pablo Gomes, Lages

Bookmark and Share

Homem admite morte do pai com 16 facadas

21 de dezembro de 2012 0

Paulo Henrique Paim, de 33 anos, disse ao delegado Márcio Schütz, da DIC, que o pai planejava matar toda a família. Foto: PABLO GOMES

Apenas oito dias após um adolescente de 16 anos confessar a morte do próprio pai, de 39, com uma pedrada na cabeça por motivos fúteis, outro assassinato em família foi descoberto pela Polícia Civil em Lages, na Serra Catarinense, por uma causa banal. Desta vez, a solução do caso foi mais demorada e complexa, uma vez que o crime ocorreu há quase um mês.

Era início da tarde de 22 de novembro quando o comerciante Antonio Paim, de 71 anos e proprietário de uma lanchonete no Centro da cidade, foi encontrado morto em sua casa, também no Centro, com 16 facadas.

Num primeiro momento cogitou-se suicídio, uma vez que Antonio estava doente, mas a quantidade de golpes no pescoço e no tórax e os ferimentos nas mãos, caracterizando que ele tentou se defender das agressões, levaram a polícia a descartar a hipótese de suicídio e considerar um assassinato.

Foram ouvidas 15 pessoas entre vizinhos e familiares, mas segundo o delegado Márcio Schütz, da Divisão de Investigação Criminal (DIC), os depoimentos apresentavam muitas contradições, o que dificultava chegar ao verdadeiro assassino.

Até que, com o auxílio de imagens de câmeras de monitoramento da rua onde ocorreu o crime, a DIC chegou à conclusão de que o filho da vítima, Paulo Henrique Paim, de 33 anos, era o culpado.

Segundo o delegado, a família tinha uma relação bastante conturbada, com brigas e ameaças, e Paulo, que trabalhava com o pai na lanchonete, teria dito em seu depoimento que decidiu praticar o crime depois de ter sido convidado por Antonio a pôr em prática um plano de assassinar a mulher, de quem estava separado há uns 20 anos, a filha e o neto, deixando somente para Paulo todos os seus bens.

_ O ambiente entre eles nunca foi muito bom, e a família vivia de brigas. Diz o Paulo que o pai dele tinha um plano para matar toda a família, e como o Paulo sempre teve problemas com álcool e drogas, acabou cometendo o crime _, diz o delegado.

A faca utilizada no assassinato não foi encontrada. Paulo foi preso na manhã desta quinta-feira, enquanto saía de casa, por conta de um mandado de prisão temporária.

Segundo o delegado, o suspeito confessou o crime aos policiais da DIC. Ele foi conduzido ao Presídio Regional de Lages, onde ficará à disposição da Justiça.

Pablo Gomes, Lages

Bookmark and Share

Pedágio na BR-116 aumenta nesta quarta-feira

18 de dezembro de 2012 0

Em 310 quilômetros, a BR-116 tem três praças de cobrança em SC: Correia Pinto, Santa Cecília e Monte Castelo. Foto: Charles Guerra, Agência RBS

Entra em vigor à 0h desta quarta-feira, dia 19, o novo preço do pedágio da BR-116, em Santa Catarina.

Dos atuais R$ 3,30, a tarifa básica passará para R$ 3,60, um aumento de 9,09% pela variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Nos 310 quilômetros do trecho catarinense, entre Capão Alto, na divisa com o Rio Grande do Sul, e Mafra, na divisa com o Paraná, num total de 11 municípios, a BR-116 conta com três praças de cobrança, em Correia Pinto, Santa Cecília e Monte Castelo.

O reajuste da tarifa é anual e está previsto no contrato de concessão assinado em fevereiro de 2008 entre a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a Autopista Planalto Sul, concessionária que vai administrar a BR-116 entre Capão Alto e Curitiba (PR), num total de 412,7 quilômetros, até o ano de 2033. A tarifa praticada no primeiro ano de concessão foi de R$ 2,70.

Confira os novos valores por categoria de veículo

* Automóvel, caminhonete e furgão / dois eixos / rodagem simples: R$ 3,60

* Motocicletas, motonetas e bicicletas a motor / dois eixos / rodagem simples: R$ 1,80

* Caminhão leve, ônibus, caminhão-trator e furgão / dois eixos / rodagem dupla: R$ 7,20

* Automóvel com semi-reboque e caminhoneta com semi-reboque / três eixos / rodagem simples: R$ 5,40

* Caminhão, caminhão-trator, caminhão-trator com semi-reboque e ônibus / três eixos / rodagem dupla: R$ 10,80

* Automóvel com reboque e caminhoneta com reboque / quatro eixos / rodagem simples: R$ 7,20

* Caminhão com reboque e caminhão-trator com semi-reboque / quatro eixos / rodagem dupla: R$ 14,40

* Caminhão com reboque e caminhão-trator com semi-reboque / cinco eixos / rodagem dupla: R$ 18,00

* Caminhão com reboque e caminhão-trator com semi-reboque / seis eixos / rodagem dupla: R$ 21,60

Pablo Gomes, Correia Pinto

Bookmark and Share

Torcida do Corinthians comemora em Lages

16 de dezembro de 2012 1

Bando de loucos foi para a frente da Catedral, tradicional ponto de comemoração de torcidas, no Centro de Lages. Fotos: PABLO GOMES

Foram 90 minutos de sofrimento, unhas roídas e lágrimas nos olhos. Mas no fim, tudo acabou do jeito que eles queriam. A torcida do Corinthians comemorou efusivamente o título mundial conquistado na manhã deste domingo, contra o Chelsea, da Inglaterra.

E em Lages, na Serra Catarinense, a 20 mil quilômetros de Yokohama, onde ocorreu o jogo, não foi diferente.

Aproximadamente 200 pessoas compareceram ao Ginásio de Esportes Champion, sede da torcida organizada Coringão Lages, para acompanhar o jogo.

O nervosismo era explícito no rosto de todos a cada ataque do Chelsea, e o alívio vinha em seguida com a defesa do time brasileiro.

O milagre do goleiro Cássio, aos 40 minutos do primeiro tempo, foi comemorado como um gol e deu a entender que a etapa final da partida seria de mais festa.

Dito e feito. O gol de Paolo Guerrero foi o motivo maior da bagunça que, após o apito final do árbitro, seguiu em carreata até a praça da Catedral, tradicional ponto de comemoração de torcidas, no Centro da cidade.

_ Acabou o discurso definitivamente. Agora somos campões da América e do mundo _, gritava, emocionado, o professor universitário Luiz Antonio Zarelli Martinez, de 61 anos.

Pablo Gomes, Lages

Bookmark and Share