Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Consolidação em nova modalidade de turismo

25 de abril de 2013 0

Apaixonados pelo birdwatching viajam e investem em equipamentos por prazer. Foto: Dario Lins, Divulgação

Ainda não se sabe ao certo por que o Charão repousa em árvores exóticas, mas uma das hipóteses é que seja pelo fato de os reflorestamentos serem bastante fechados e oferecerem segurança às aves.

_ Procuramos não divulgar os lugares onde os papagaios dormem porque são como santuários. Existe uma grande preocupação, pois se acontecer algo com essas aves por aqui, pode ser gravíssimo, pois estarão em grande número, mas num âmbito geral, estão ameaçadas de extinção devido à ação do homem. O Charão é muito importante, pois mesmo sem querer, ao derrubar o pinhão enquanto come ou voa, ele acaba fazendo o papel da Gralha Azul no plantio das araucárias _, diz o biólogo Ari Fernando Raddatz, um dos organizadores do festival e que fez da sua pousada, na localidade de Rio dos Touros, em Urupema, um dos principais pontos de birdwatching no Brasil.

Quando a atividade iniciou, em maio de 2011, o Wikiaves, um dos maiores sites especializados em observação de aves no país, havia catalogado sete espécies em Urupema. Menos de dois anos depois, o número já chega a 166.

Em Santa Catarina, também se destacam Itapoá, no Norte, e a Serra do Tabuleiro, especialmente a região de Caldas da Imperatriz.

_ A motivação para viajar e ficar um bom tempo à espera de uma ave é o contato com a natureza e a possibilidade de ver espécies raras, porque os prêmios de fotografias são mais por reconhecimento, e não por dinheiro _, diz o fotógrafo Dario Lins, morador de Bom Retiro e premiado várias vezes com imagens de aves como a Gralha Azul e o próprio Papagaio Charão.

Continua…

Bookmark and Share

Envie seu Comentário