Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Caçador"

Caçador é SC no Brasileiro de Futebol de Mesa

14 de novembro de 2012 0

Rodrigo, Alessandro e Kinal, do time de Caçador, estão entre os melhores jogadores de futebol de mesa do Brasil na atualidade. Foto: Divulgação

Entre esta quinta-feira e domingo, a cidade de Caçador, no Meio-Oeste de Santa Catarina, representará o Estado no Campeonato Brasileiro de Futebol de Mesa Individual.

O evento ocorre no Clube Curitibano, em Curitiba (PR), e reúne os melhores praticantes do esporte em 2012 conforme os rankings estaduais.

Ricardo Kinal, Alessandro Schneider e Rodrigo Ferreira, membros do Caçador Futmesa, disputarão a categoria mais acirrada (adulto), na qual estão inscritos 96 participantes.

O Campeonato Brasileiro reúnes jogadores de grandes clubes como Corinthians, Palmeiras, Flamengo, Vasco, Fluminense e Ceará.

Ao todo, 200 praticantes de todo o país estarão envolvidos nas categorias infantil, juvenil, adulto e master.

* Com informações de Alessandro Schneider, jornalista e membro do time de Caçador.

Bookmark and Share

Uma rápida e prazerosa visita a Caçador

28 de março de 2012 1
Com mais de 70 mil moradores, Caçador, no Meio-Oeste de Santa Catarina, é uma cidade bonita e em desenvolvimento. Foto: James Tavares, Banco de Imagens DC

Com mais de 70 mil moradores, Caçador, no Meio-Oeste de SC, é uma cidade bonita e em desenvolvimento. Foto: James Tavares, Banco de Imagens DC

Estive na cidade de Caçador, no Meio-Oeste de Santa Catarina, no último fim de semana, e voltei feliz.

Não sei como é ser morador, mas como visitante, gostei muito, apesar de ter ficado menos de 24 horas por lá.

Cidade bonita, com uma riquíssima história para contar, aparentemente bem desenvolvida, cara de gente grande e mais de 70 mil habitantes.

Não a trabalho, mas a passeio, fui com um propósito: rever o show da dupla Pouca Vocal, formada pelos músicos Humberto Gessinger e Duca Leindecker, líderes das bandas Engenheiros do Hawaii e Cidadão Quem, respectivamente.

A primeira vez havia sido no Clube Astréa, em São Joaquim, em julho de 2010, num pequeno tour que incluiu também o Clube Caça e Tiro, em Lages.

Continua…

Bookmark and Share

Pouca vogal e muita qualidade

28 de março de 2012 0
Duca Leindecker (E), da banda Cidadão Quem, e Humberto Gessinger (D), dos Engenheiros do Hawaii, formam dupla há dois anos e fizeram um show memorável no último sábado. Foto: Jorge Tadeu, Prefeitura de Caçador, Divulgação

Duca Leindecker (E), da banda Cidadão Quem, e Humberto Gessinger (D), dos Engenheiros do Hawaii, formam dupla há dois anos e fizeram um show memorável no sábado. Foto: Jorge Tadeu, Prefeitura de Caçador, Divulgação

Humberto e Duca estão juntos neste projeto há dois anos e formam a menor banda do rock gaúcho.

Aliás, o rock gaúcho é, para mim, o melhor do Brasil. Não tem igual. O da Bahia teve o inesquecível Raul Seixas. O de Pernambuco teve o “homem-caranguejo” Chico Science e sua fantástica Nação Zumbi.

O de Brasília também é muito bom, com músicas que falam de drogas, mazelas sociais, sociedade, política e corrupção.

Legião Urbana, Capital Inicial e Plebe Rude são alguns dos exemplos mais bem sucedidos da Geração Brasília que conquistou o país na década de 80.

Mas o rock gaúcho, além de tudo isso, fala também da gente, da vida, do cotidiano, daquilo que vemos e sentimos todos os dias e que os caras conseguem traduzir em música.

Não é “dança da motinha, eguinha pocotó ou lá lá lá lê lê lê que vai rolar não sei o quê”.

É material de qualidade, com inteligência, empolgação e emoção.

E era em busca disso que eu fui a Caçador.

Continua…

Bookmark and Share

Emoção, interatividade e troca de energia

28 de março de 2012 0
Público de Caçador lotou o Parque das Araucárias e prestigiou o show do Pouca Vogal. Foto: Jorge Tadeu, Prefeitura de Caçador, Divulgação

Público de Caçador lotou o Parque das Araucárias e prestigiou o show do Pouca Vogal. Foto: Jorge Tadeu, Prefeitura de Caçador, Divulgação

Bem organizada, a festa em comemoração aos 78 anos de Caçador ocorreu no Parque das Araucárias que, por sinal, merece aplausos por sua estrutura.

(Alô, organização, no próximo ano disponibilize cerveja sem álcool nos bares da festa para contemplar também aqueles que curtem tomar uma “gelada”, mas precisam dirigir em seguida).

O show do Pouca Vogal estava marcado para 22h de sábado e, ao contrário de muitos outros artistas que deixam os fãs esperando por até uma ou duas horas, Humberto Gessinger e Duca Leindecker subiram ao palco com apenas nove minutos de atraso.

Pontualidade que demonstra respeito ao público. Simpatia, interatividade e troca de energia marcaram a apresentação de uma hora e meia.

Cantar em voz alta, de olhos fechados e com lágrimas nos olhos os maravilhosos “hinos” dos Engenheiros do Hawaii foi simplesmente demais!

Continua…

Bookmark and Share

Valeu, Humberto e Duca. Venham e voltem sempre!

28 de março de 2012 0
Pouca Vogal fez um pequeno tour por Lages e São Joaquim em julho de 2007. E tomara que volte logo! Foto: Alvarélio Kurossu, julho de 2007

Pouca Vogal fez um pequeno tour por Lages e São Joaquim em julho de 2010. E tomara que volte logo! Foto: Alvarélio Kurossu, julho de 2010

Parabéns, Caçador! Valeu, Humberto e Duca!

Fico na torcida para que, em breve, o Pouca Vogal retorne a Caçador e desembarque também em outras cidades da região para encantar quem gosta e entende de boa música.

O show é maravilhoso, de incalculáveis lucros emocionais e culturais, e o custo deve ser relativamente baixo. Tanto que, na festa de Caçador, o acesso ao público foi totalmente gratuito!

Não sei o preço, mas garanto que é bem menor que muita “dança da motinha, eguinha pocotó e lá lá lá lê lê lê que vai rolar não sei o quê”.

Venha, Pouca Vocal, e volte sempre que quiser. Inclusive a Lages. Afinal, por aqui também tem festa grande à altura de vocês!

Pablo Gomes, Lages

Bookmark and Share

O Diário da Serra errou novamente!

27 de abril de 2010 2

É impressionante como uma única palavrinha tem o poder de mudar muita coisa!

Pois senti isso na pele ao trocar, sem querer, a palavra “normal” por “mar” na legenda da foto sobre os alagamentos em Caçador.

Em vez de escrever que o Rio do Peixe, que corta a cidade, chegou a 4,38 metros acima do nível NORMAL, errei e escrevi acima do nível do MAR.

Mas errei não por não saber que Caçador está a quase mil metros acima do nível do mar e que 4,38 metros é altitude típica de município litorâneo.

Errei porque, na correria, troquei, infelizmente, passou batido, mesmo lendo e revisando tudo duas ou quatro vezes, os dedos teclaram “mar” quando deveriam digitar “normal”.

No texto, a informação saiu correta. O erro foi só na legenda da foto. Mas foi um erro, e isso, para muitos, é inadmissível.

Ainda mais quando quem errou foi um jornalista, que tem o dever de escrever e informar com perfeição.

E está certo, tem que cobrar mesmo. Mas com respeito…

Peço perdão a todos e agradeço aos amigos que compreenderam e deixaram seus comentários com a correção.

Grande abraço e sucesso!

Pablo Gomes, Caçador

Crack, nem pensar

Bookmark and Share

Chuvarada castiga municípios da região

23 de abril de 2010 6

Rio do Peixe, que corta a cidade de Caçador, chegou a 4,38 metros acima do nível normal. Foto: Murilo Rosso, Divulgação

Pelo menos seis municípios do Meio-Oeste de Santa Catarina estão em situação de emergência por conta das chuvas que caíram com força entre a noite de terça-feira e a tarde desta sexta-feira em grande parte do Estado.

Caçador, Lebon Régis, Matos Costa, Rio das Antas, Timbó Grande e Videira foram as cidades mais afetadas na região. A situação mais grave é justamente na maior delas.

A Defesa Civil calcula que cerca de 25 mil dos 70 mil moradores de Caçador, ou 35% da população total, foram afetados pela chuva, desde quem teve a casa inundada até os estudantes que tiveram as aulas suspensas.

Sete bairros foram diretamente atingidos pela água, num total de 400 famílias. Até o fim da tarde desta sexta, cerca de 700 pessoas estavam desalojadas e outras 90 desabrigadas.

O Rio do Peixe, que corta a cidade, chegou a 4,38m acima do nível normal às 4h30min de ontem. Exatamente 12 horas depois, a água havia baixado um pouco, mas ainda estava a 3,5m. O nível crítico, quando o rio começa a transbordar em alguns pontos, é de 2,7m.

A Defesa Civil acredita que o rio voltará ao seu leito apenas na segunda-feira. Isso se não chover no fim de semana.

Em Videira, a segunda maior destas cidades, com 47 mil moradores, o mesmo Rio do Peixe transbordou e chegou a 3,9m acima do nível normal à 1h de ontem.

O Rio das Pedras, outro que corta a cidade, também transbordou, o que provocou 13 pontos de alagamento em 11 bairros.

Entre casas e estabelecimentos comerciais, 60 imóveis foram prejudicados, e duas residências foram carregadas pela correnteza do Rio do Peixe na localidade de Farroupilha. Ninguém se feriu.

No fim da tarde, ainda havia dois pontos de alagamento e 300 pessoas desalojadas ou desabrigadas.

Em Lebon Régis, a terceira maior destas cidades, com 13 mil habitantes, o Rio Trombudo transbordou e chegou a 2,5m acima do nível normal, invadindo várias casas no Centro da cidade. No interior do município, outros rios também transbordaram e causaram alguns problemas.

Quando o Trombudo voltou ao normal pela manhã de ontem, os moradores iniciaram um intenso trabalho de limpeza de suas casas.

Segundo a prefeitura, muitos tiveram prejuízos materiais e, até o fim da tarde, 160 pessoas continuavam desalojadas ou desabrigadas.

Pablo Gomes, Caçador

Crack, nem pensar

Bookmark and Share