Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Lageanês"

Lageanês cria adesivos para homenagear Lages

29 de novembro de 2012 3

Três modelos serão lançados nos próximos dias e devem circular o mundo para mostrar que esta terra é amada por todos. Foto: Divulgação

Poucos dias após completar 246 anos de fundação, a querida Lages, na Serra Catarinense, ficará ainda mais em evidência com uma prova de carinho bem bacana feita por um ilustre morador da cidade.

O Lageanês, personagem que faz o maior sucesso no Facebook ao brincar com os trejeitos, costumes, lugares, pessoas e histórias locais, criou três modelos de adesivos que, tão logo sejam lançados, nos próximos dias, devem circular o mundo exaltando o amor que todos têm por esta terra.

Cada adesivo custa apenas R$ 3, e as encomendas devem ser feitas diretamente com o Lageanês, pelo e-mail lageanes@hotmail.com.

Neste primeiro momento foram confeccionadas 100 unidades de cada um dos três modelos, e novas encomendas serão feitas conforme a demanda.

Em tempo, vale destacar que o sucesso do Lageanês não para de crescer no Facebook (www.facebook.com/lageanes).

Na edição de 3 de novembro, o Diário Catarinense apresentou, em página inteira e com foto na contracapa, a história dessa figuraça e dos seus criadores, os jovens Rubens Silva e Matheus Camargo.

A reportagem pode ser vista também, com fotos, textos e vídeo, na categoria “Lageanês”, à direita do blog Diário da Serra. Se não encontrar, é só clicar aqui.

“Bombando” na internet há apenas dois meses, a página já conta com aproximadamente 600 mil visualizações em vários lugares do mundo. Seria o mesmo que cada um dos 156 mil moradores de Lages ter prestigiado o Lageanês quase quatro vezes em apenas 60 dias.

E se considerarmos a média de 300 mil visualizações por mês, é bem possível que o Lageanês termine o ano perto ou até além da casa de um milhão.

Assassinhóra, home do céu!

Pablo Gomes, Lages

Bookmark and Share

Assassinhóra, home do céu. Tamo granfo!

03 de novembro de 2012 3

Personagem Lageanês tem uma página no Facebook. Foto: Reprodução

“Creeendios pai. Assassinhóra, homi do céu. Cê já reparô naquele tróço que uns piá pançudo tão fazendo na internet? Mas credo, homi. Ficô bão que um pêro. Os tchô já tão mais conhecido que feijão preto. Já tem gente tipo bicho de tudo que é canto dando jóinha lá. Não viu ainda? Mas pare, homi. Largue mão, seu oreia seca. Viu lá agora? Mazáááá, piá véio atentado! Cê não é fraco, loco!”.

Não entendeu nada? Então é porque provavelmente você não conhece nenhum nativo ou morador ou nunca foi a uma das cidades mais queridas e antigas de Santa Catarina.

Prestes a completar 246 anos e com 160 mil habitantes, Lages, na Serra, destaca-se pela tradição política, pelo maior território do Estado (2,6 mil quilômetros quadrados), pelas belezas naturais, pelo turismo rural, pela cultura gauchesca e, principalmente, pelo jeito simples e simpático do seu povo se expressar.

O próprio lageano se diverte com os seus trejeitos e dizeres, e é comum ver e ouvir brincadeiras a respeito dessa peculiaridade.

E uma delas, lançada de bobeira e sem compromisso justamente onde a chance de repercutir com rapidez é muito maior, acabou se tornando um grande sucesso.

Continua…

Bookmark and Share

Página brinca com os jeitos e dizeres lageanos

03 de novembro de 2012 1

Aproximadamente 200 montagens já foram feitas com situações e características tipicamente lageanas. Foto: Reprodução

Faz um mês que uma figuraça que se identifica como Lageanês apareceu no Facebook, página de relacionamento na internet que virou mania mundial, produzindo sátiras sobre essa característica toda especial dos lageanos.

A foto do perfil (www.facebook.com/lageanes) é um meme, aqueles bichinhos simpáticos que simbolizam expressões humanas, e o texto de apresentação é, ao mesmo tempo, um aviso e um pedido: “Página criada com o intuito de entretenimento. Nada do que criamos e postamos tem outra intenção a não ser descontrair. Não levem a mal e nem nos processem, por favor”.

As postagens brincando com os lageanos passaram a ser diárias, várias vezes ao dia, e as curtidas, comentários e compartilhamentos só aumentam.

As quantidades impressionam. Até o momento, foram publicadas 200 imagens, nenhuma repetida. Quase 12 mil pessoas já curtiram a página e mais de 293 mil a visualizaram.

Seria o mesmo que cada um dos 160 mil moradores de Lages ter visto a página pelo menos uma vez e meia.

E isso tudo em um só mês. Prova de que falar “assassinhóra, home do céu” pode ser mais bacana e fazer mais sucesso do que se imagina.

Continua…

Bookmark and Share

Mas afinal, quem é o verdadeiro Lageanês?

03 de novembro de 2012 3

Os estudantes Rubens Silva, de 16 anos, e Matheus Camargo, 18, são os administradores da página que já recebeu mais de 293 mil visualizações em pouco mais de um mês e faz o maior sucesso. Foto: Vani Boza

Todo mundo curtindo a página e rindo das brincadeiras, mas uma coisa intriga muita gente.

Quem seria, na vida real, o tal Lageanês? Um garoto brincalhão? Um aposentado que sabe tudo da história local e resolveu passar o tempo? Um hacker? Um professor de informática? Quem?

O Diário Catarinense foi atrás, lançou um apelo na própria página do Lageanês e descobriu que o cara, na verdade, são dois.

Rubens Silva, de 16 anos, e Matheus Camargo, 18, são dois piás pançudos (jovens, no linguajar lageano) que administram a página que está dando o que falar.

Tudo começou em julho, quando Rubens estava em casa, no Bairro Beatriz, em férias, entediado e há 30 horas sem dormir.

Ele viu que muita gente tinha página no Facebook, e como já havia administrado um blog humorístico, resolveu criar a sua e definiu que iria brincar com os lageanos.

O primeiro post foi em 17 de julho e mostrava dois memes falando que iriam virar sapo de tanta chuva em Lages. Só dois amigos curtiram, e Rubens desanimou.

Continua…

Bookmark and Share

Frio de Getúlio Vargas é o início do sucesso

03 de novembro de 2012 3

Montagem da estátua de Getúlio Vargas com frio (primeira de cima para baixo) "bombou" a página. Fotos: Lageanês

Mas no fim de setembro, quando chegou a nevar na Serra Catarinense, postou uma montagem da estátua de Getúlio Vargas, em frente à Catedral, com um cachecol para se proteger do frio.

A página logo recebeu 50 curtidas e, antes de dormir, Rubens planejou que, se chegasse a 150, levaria a coisa a sério.

Para sua surpresa, o número chegou a 380 em poucas horas, e o Lageanês virou um sucesso, com 1,5 mil compartilhamentos.

Outras imagens que fizeram muito sucesso foram as relacionadas à novela Avenida Brasil e à lenda da serpente do Tanque.

Matheus, que não conhecia Rubens pessoalmente, já brincava com os lageanos em seu perfil pessoal.

Uma montagem de uma super lua sobre a Catedral rendeu mais de três mil compartilhamentos, e foi nessa rede que os dois se conheceram para “bombar” o Lageanês.

Com base no que eles próprios falam no dia a dia e ouvem em casa e na rua, sugestões de internautas e uma grande dose de criatividade, Rubens e Matheus conseguem arrancar gargalhadas de quem acompanha o Lageanês.

Rubens atualiza a página em casa. Matheus faz no trabalho, mas como o chefe é seu tio que, por sinal, dá o maior apoio, não encontra problemas.

Continua…

Bookmark and Share

Fim do anonimato exige mais responsabilidade

03 de novembro de 2012 0

Até a publicação desta reportagem, pouquíssimas pessoas sabiam que Rubens e Matheus eram o Lageanês. Ou vice-versa. Só os pais e alguns poucos amigos mais próximos.

Na página, muitos seguidores praticamente imploram para que a identidade seja revelada. Já outros pedem que o personagem se mantenha anônimo. Mas o mistério foi revelado, e agora o compromisso aumenta.

_ Agora que o Lageanês não é mais anônimo podemos ter mais divulgação ou perder seguidores. Tem os dois lados. Mas é certo que precisaremos ter mais cuidado com as brincadeiras. Recebemos comentários de muita gente que fala sobre o orgulho de ser lageano ou da saudade que sente da cidade. Também já vimos pessoas se reencontrando pela página _, diz Matheus.

Os dois amigos procuram fazer montagens grosseiras justamente para que a brincadeira fique explícita, a fim de evitar que, por exemplo, a famosa lenda da serpente do Tanque, conhecido parque no Centro de Lages, ou a super lua em cima da Catedral sejam levadas a sério.

_ Pesquisamos sobre a história e a cultura de Lages para termos argumentos e não falar besteira. E quando parece que a ideia acaba, vem mais. E ainda tem Natal, Festa do Pinhão e um monte de coisa pela frente_, conclui Rubens.

Continua…

Bookmark and Share

Algumas pérolas do dicionário lageanês

03 de novembro de 2012 2

Coisas que Matheus, Rubens e qualquer lageano fala todo dia. Contribua você também e envie um comentário com as suas pérolas. Foto: Vani Boza

* Home do céu: falando com alguém

* Assassinhóra, home do céu: expressão de surpresa

* Deuzulivre: Deus me livre

* Jack vai: onde é que vai?

* John Jack veio: de onde é que veio?

* Se bandiemo: vamos embora

* Bão que um pêro: algo muito bom

* Camassada de pau: surra

* Creendios pai: exclamação

* Incebar: enrolar, fazer cera

* Ingrupi: enganar

* Intuiado: cheio

* Invaretado: nervoso

* Jóssa: coisa

* Pescociá: olhar para os lados

* Pestiado: doente

* Pexada: batida, acidente

* Prosiá: conversar

* Resbalão: escorregão

* Sinalêro: semáforo

* Vortiada: passeio

* Lagartiá: passear, tomar sol

* Pinchar: jogar fora

* Beudo: bêbado

* De vereda: rapidamente

* Esgualepado: cansado

* Tastaviar: caminhar “bambo”

* Moquear: esconder

* Tempos do Ari Pistola: equivalente a algo muito antigo

* Uh, aleijada: mulher bonita e de bons atributos físicos

* Mas credo: resposta a uma fronta

* Não me aleije: usado em várias situações, como quando você é comparado com alguém de quem não gosta

* O tipo do jeito: quando se estranha a atitude de alguém

* Desacorçoado: tristonho, sujeito perdido, lerdo

* Me repuna: desprezo por alguém

* Piá de bosta: minimizar alguém

* Piá pançudo: menino novo, de pouca idade

* Balão, home: quando você queria dizer que alguma coisa era mentira ou não tinha nada a ver com o contexto

* Minhazarma: o mesmo que “meu Deus do céu”

* Venha vindo: advertência para prestar mais atenção

* É só lavá: o mesmo que “ninguém merece”

* Mas porquiéra: por que?

* Quiéramais: o que mais você quer?

* Uh moscão: quando alguém faz algo errado ou está distraído, desastrado

* Piriga: algo que vai acontecer, por exemplo, “piriga chover”

* É de sartá butiá do bolso: quando alguma coisa é muito boa

* Vamo trechá? convite para ir embora

* Assassinhóra, home do céu: expressão de surpresa

* Se apinche daí, home: mandar sair do local

* Me pule: chamando para a briga

* Trákifora: jogue fora

* Carque ficha: executar algo

* Quedelhe: onde está?

* Mas não se astreva: não se atreva

* Não te mataro ainda, home: quando do reencontro de velhos amigos

Pablo Gomes, Lages

Bookmark and Share