Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 17 agosto 2010

Destaques do Diário Gaúcho de quarta-feira

17 de agosto de 2010 0

O Diário Gaúcho de quarta-feira chega cedinho nas bandas destacando o aumento do preço do pão e os 4 mil cursos gratuitos na área de petróleo no Estado.

Clique abaixo e ouça na íntegra

O sucesso de Regina Lima na revista

17 de agosto de 2010 0
Apresentadora comando o Teledomingo ao lado de Túlio Milman – Foto: Cynthia Vanzella
A jornalista Regina Lima conquistou as leitoras da revista Diário Gaúcho TV+Novelas.
Responsável pela coluna Papo Cabeça, Regina, que também é âncora do programa Teledomingo da RBS TV, estreou logo após o lançamento da públicação, a partir de abril deste ano.
A cada tema abordado, a jornalista recebe muitos e-mails. O retorno foi grande na coluna sobre o sequestro de um cachorro, publicada na edição de 13 de agosto.
Maria Neli Bueno lamentou o caso e destacou que os larápios descobriram mais uma forma de arrancar dinheiro das pessoas quando sequestram os animais de estimação.
Na próxima edição, Regina Lima vai tratar sobre os artistas que interpretam vilões ou mocinhos nas novelas.

Promoção relâmpago: concorra a ingressos para o show de Luan Santana

17 de agosto de 2010 3


Divulgação – Lucas & Felipe, de Novo Hamburgo, vão abrir o show do sertanejo Luan Santana

Quer assistir ao show do Luan Santana de graça e ainda conferir as apresentações de abertura da dupla Lucas & Felipe (foto)? Então CLIQUE AQUI, preencha o formulário e responda a pergunta: “Por que você acha que o sertanejo universitário é o som do momento?”. A resposta mais criativa leva um par de ingressos!

*** Para concorrer, é preciso mandar a frase através da página da promoção. Você pode acessá-la clicando aqui! As respostas postadas nos comentários do blog não serão computadas.

A vencedora da promoção sobre Luan Santana

17 de agosto de 2010 1

O Diário Gaúcho prepara uma cobertura especial para o show de Luan Santana, sucesso da nova geração de sertanejos no Brasil.

Desde o dia 29 de julho, os internautas enviaram frases para concorrer a um par de ingressos para o show marcado para este domingo, dia 22.

O concurso cultural terminou nesta segunda com mais de 700 frases participantes. A vencedora é Giane Santos da Rosa.

A frase foi a seguinte:

Para ver o Luan Santana de perto, eu colocaria uma peruca da Lady Gaga, uma melancia na cabeça e um farol pisca-pisca pra ele me enxergar dentro do Gigantinho e ficar curioso para me conhecer.

Além da cobertura no jornal impresso, o site do Diário Gaúcho prepara uma entrevista especial em vídeo para mostrar a preparação do cantor para o show em Porto Alegre.

Luan Santana começou a cantar aos três anos em sua cidade natal, Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Naquela época, já chamava atenção de toda a família, soltando a voz em clássicos como Muda de Vida, Chico Mineiro e Cabocla Tereza.

Percebendo o seu talento, o pai deu a Luan um violão, que virou o seu amigo inseparável!

No show que fará na Capital gaúcha, o guri apresentará o álbum Luan Santana ao Vivo, gravado em Campo Grande, que traz o grande hit do momento: Meteoro!

A dupla sertaneja Lucas & Felipe e os DJs Finna e Cabeção, da FatDuo, são as atrações que vão fazer a abertura do show de Luan Santana no Gigantinho.

As apresentações vão acontecer das 17h às 20h, antes da entrada de Luan no palco.

O evento é uma promoção do Diário Gaúcho e da Rádio Cidade FM.

Carmen, a voz do Tchê Barbaridade

17 de agosto de 2010 0

Loira traz toque feminino ao TchêFoto: Cynthia Vanzella

A repórter Cristiane Bazilio conta, na próxima edição da revista Diário Gaúcho TV+Novelas, como uma mulher passou a fazer parte do grupo Tchê Barbaridade e se transformou em um marco na história da banda gaúcha.

A cantora Carmen entrou no Tchê Barbaridade quando eles foram gravar a música Você Não Vale Nada, bem antes de ela estourar nas paradas na voz do Calcinha Preta e na tela da Globo graças as aventuras da fogosa Norminha, interpretada por Dira Paes, em Caminho das Índias.

- O sucesso foi imenso. Éramos chamados para participar de vários programas, mas todos queriam aquela moça que cantava – conta o vocalista Marcelo Noms.

A revista chega aos principais pontos de venda na próxima sexta-feira.

Cid Martins no Papo do Mês do DG

17 de agosto de 2010 1

Jornalista palestrou no Congresso Brasileiro de Jornalismo Investigativo, em São Paulo
– Foto: Andréa Graiz

Todos os meses um convidado especial participa do Papo do Mês, na Redação do Diário Gaúcho.

O último participante foi o repórter Cid Martins, da Rádio Gaúcha, e o relato abaixo foi produzido pela editora de Produção Rozanne Adamy.

O Papo do Mês com Cid Martins
O jornalista Cid Martins vem se destacando pelo trabalho que realiza na Rádio Gaúcha. Além da cobertura do dia a dia, tem se dedicado a matérias especiais. Recentemente, foi painelista na quinta edição do Congresso Brasileiro de Jornalismo Investigativo, em São Paulo.

Cid começou contando a causa de sua escolha profissional. O gosto por História e por escrever determinaram o curso, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Trabalhar em rádio tem uma razão muito particular. O pai do repórter é cego. Pai e filho estão sempre em contato. O pai é crítico atento do trabalho do filho. Este, por sua vez, procura fazer matérias de forma que o ouvinte “enxergue” o que está sendo descrito.
Quando dava os primeiros passos no rádio, o repórter ficava além do horário. A motivação era buscar outros assuntos, que não os da pauta do dia. A dedicação resultou no trabalho diferenciado e no direito de propor pautas.
Premiado em concursos regionais e nacionais, ele esclarece que não faz matéria para ganhar prêmios. Quando eles acontecem é resultado do trabalho, é reconhecimento.
Cid reproduziu parte de sua conferência em São Paulo. O assunto: banco de dados, como recurso essencial para o jornalismo investigativo. O repórter explicou que o cuidado em fazer suas próprias estatísticas resulta em pautas diferenciadas. O cruzamento de dados permite novos enfoques, possibilita falar no mesmo assunto de maneira inusitada. Permite complicar o factual.
Um desafio lembrado e, segundo o repórter, bem resolvido pelo Diário Gaúcho: fazer jornalismo popular investigativo.
Para Cid, uma pauta deve ser pensada e organizada considerando o encadeamento de várias etapas. O repórter sempre deve se perguntar o que pretende com determinada informação, para não correr o risco de perder tempo e dispersar. É necessário estabelecer uma linha de pensamento e segui-la.
Recado final
Antes de encerrar a conversa, Cid lançou algumas ideias: o bom repórter deve sempre buscar um diferencial, deve conhecer o meio no qual trabalha, ter memória e ter extremo cuidado com o texto e a edição do material. Disse, ainda, que o bom repórter tem ética e cuida de sua segurança e da equipe, além de ter o dom de interpretar (situações onde precisa fingir, “fazer teatro”, para conseguir informações).