Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 14 abril 2006

Quem perde é o país

14 de abril de 2006 0

O cabo-de-guerra entre governo e oposição nos bastidores do Orçamento forçou o Planalto ao atalho das medidas provisórias. Considerando o gesto autoritário, a oposição promete brigar agora contra as medidas que liberam R$ 26,2 bilhões para o presidente Lula, em campanha pela reeleição, azeitar a máquina. A ânsia do Planalto pela votação se explica pela necessidade de dinheiro para obras eleitorais. Mas soa como deboche a insinuação do prefeito do Rio, Cesar Maia, que sugere impedimento do presidente, alegando crime de responsabilidade por conta da edição das MPs. Foi a oposição quem primeiro articulou bloquear a votação, ano passado, para cortar a provisão de recursos para investimentos em ano eleitoral. Acabou dando um tiro no próprio pé ao prejudicar Estados comandados por correligionários, muitos deles candidatos à reeleição, que também tiveram de apertar a cinta.É de olho no apoio desses governantes que o governo recuou, aumentando o repasse pelas perdas de receita com a Lei Kandir. Em troca, espera ver o Orçamento votado terça-feira e sepulta as despóticas MPs. Eis aí um bom teste para o novo ministro da Coordenação Política, Tarso Genro. Íntegra da coluna de sábado de Klécio Santos em Zero Hora

Postado por Klécio Santos

Dinheiro para agricultura

14 de abril de 2006 1

As medidas provisórias que o governo está editando para assegurar recursos de investimento garantem um pouco de alívio para o Ministério da Agricultura. A pasta deverá receber R$ 680 milhões dos R$ 24 bilhões previstos na MP, enquanto o Congresso não aprova a proposta de Orçamento para este ano. A boa notícia, especialmente para os pecuaristas do Rio Grande do Sul, é que um dos programas a serem beneficiados é de combate à febre aftosa. Com essa liberação, os Estados podem começar a cobrar o repasse.

Postado por Carolina Bahia

O encontro de Tarso e Rigotto

14 de abril de 2006 1

Domingo passado, no final da tarde, sem jornalistas por perto, o ministro Tarso Genro e o governador Germano Rigotto conversaram durante duas horas no Palácio Piratini. Na terça-feira, Tarso se empenhou, pessoalmente, no fechamento do acordo com os governadores e na votação do Orçamento porque, como admitiu a esta coluna, entre os Estados credores da Lei Kandir, %22a situação financeira gaúcha é a mais complicada%22. Essa conversa não se limitou a parcerias para a governabilidade, nos dois níveis da federação. Em debate, também, a governabilidade futura.

- Leia a coluna completa de Ana Amélia Lemos no jornal Zero Hora

Postado por Sucursal Brasília