Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Decisões em férias

21 de fevereiro de 2007 0

Dificilmente o presidente Lula tomará alguma decisão sobre a reforma ministerial esta semana. Tudo por conta das férias de Dilma Rousseff e do ministro das Cidades, Marcio Fortes. Dilma é a principal consultora do presidente. Já Fortes é o inquilino da pasta mais cobiçada da Esplanada.
Com as ausências, de concreto resta apenas a conversa hoje com PSB e PC do B, ambos interessados em manter seus espaços. O grande problema de Lula é acomodar os interesses de PT e PMDB. É quase certo que o PSB perde a pasta da Integração Nacional para o PMDB, já reservada para Geddel Vieira Lima. Lula não tem nada mais atrativo para ofertar à legenda, que sonhava com Transportes, mas esta vai voltar para o PR do ex-ministro Alfredo Nascimento. O PMDB quer ocupar pastas contempladas com investimentos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). É essa mesma linha de pensamento que faz o PP fincar o pé e querer manter Márcio Fortes nas Cidades, já que o PAC prevê uma injeção nas áreas de saneamento e habitação. É por isso também que PT quer Cidades para Marta Suplicy, pressionando Lula a deslocar Fortes para Agricultura. O PP, porém, não quer nem ouvir falar nisso. Na agenda de Lula ontem, estava uma reunião com Fortes, mas este preferiu não interromper as férias. Sabe que permanecerá no primeiro escalão e deixa a briga pela pasta das Cidades para o partido.
- Não tem sentido ficarmos com a Agricultura. O partido tem que deixar de ter um discurso restrito para o campo e se voltar para as cidades. É lá que está o voto – resume um figurão do PP.

 

Íntegra da coluna de quinta-feira de Klécio Santos em Zero Hora

Postado por Klécio Santos

Envie seu Comentário