Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Esparadrapo

27 de maio de 2008 2

Leia a coluna de Klécio Santos, hoje em Zero Hora e Diário Catarinense

Se é verdade que o fim da CPMF não baixou os preços dos produtos, como provocou ontem Lula, também é honesto dizer que o país não quebrou sem o imposto. Por trás dos argumentos do governo e da oposição, permanece camuflada a desastrada gestão da saúde no país. De passagem pelo Rio, Lula disse ainda que, sem a dinheirama arrecadada pela CPMF, quem mais perdeu foi o PAC da Saúde. O curioso é que o governo só lançou o programa no final de 2007, às vésperas da extinção do imposto. Ou seja, quando os recursos entravam, ninguém pensou em fortalecer as políticas de saúde. Quando a oposição anunciou a intenção de terminar com a cobrança, lá veio um PAC específico para o setor. Ou seja, com ou sem o imposto do cheque, a saúde continua um caos. E o alegado rombo no orçamento acaba sendo minimizado por conta dos recordes de arrecadação que o governo acumula a cada mês. Isso tudo dá fôlego para a oposição tentar impedir o retorno do imposto.

Diante das dificuldades, a base governista já pensa em adiar a votação para a próxima semana. A estratégia a ser adotada será discutida hoje, em reunião na casa do líder do PTB, Jovair Arantes. O problema do governo se concentra na regulamentação da Emenda 29, mecanismo que eleva os gastos com saúde. E o Planalto vem sendo claro: sem uma nova fonte de receita, o presidente Lula irá vetar a Emenda 29. Só que o ambiente no Congresso agora é ainda mais hostil do que no final de 2007, quando a CPMF naufragou. De olho nas eleições municipais, os deputados não querem bancar um novo imposto. Até mesmo a bancada da Saúde é contra a medida, mas os governistas acreditam que podem reverter esse sentimento argumentando que a causa é nobre.

Postado por Sucursal Brasília

Comentários (2)

  • Godofredo Antunes diz: 27 de maio de 2008

    Hehehe… Deputado só pensa mesmo numa coisa: a próxima eleição. O resto pouco importa. Quem sabe elegemos os deputados só para ficarem batendo boca, e escolhemos pessoas mais sérias para fazer leis…

  • REALIZEM diz: 6 de junho de 2008

    NÃO PARECE QUE A SAÚDE ESTÁ UM CAOS,TAMBÉM NÃO PARECE QUE OS HOSPITAIS ESTÃO ABARROTADOS DE DOENTES Á ESPERA DE ATENDIMENTO,NEM PARECE QUE ALGUNS INCLUSIVE ATÉ ESTÃO MORRENDO POR FALTA DE ATENDIMENTO,POIS UM PARLAMENTAR ¨SIMPATIZANTE ¨CONSEGUIU APROVAR UM ABSURDO PROJETO ÁS CUSTAS DO SUS,O DE TROCA DE SEXO ,SÓ NÃO SE SURPREENDAM EM UM DIA QUE PRECISAREM DE ATENDIMENTO,NÃO ENCONTRAREM OS CORREDORES LOTADOS DE ¨SIMPATIZANTES¨Á ESPERA DA TROCA….

Envie seu Comentário