Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Marcelo Cavalcante devia R$ 300 mil

10 de março de 2009 9

Cercada de mistério há quase um mês, a morte do ex-chefe da representação do Rio Grande do Sul Marcelo Cavalcante não para de produzir surpresas. A última, revelada por fontes da Polícia Civil do Distrito Federal, mostra que Cavalcante, encontrado morto no dia 17 de fevereiro, tinha uma dívida de R$ 300 mil com bancos e outros credores.
Segundo apuração preliminar, somente em um empréstimo junto ao Banco do Brasil, descontado em folha de pagamento, o ex-assessor do governo Yeda devia R$ 100 mil. Para a Caixa Econômica Federal eram mais R$ 30 mil. O restante do débito não teve a origem divulgada. A polícia acredita que a briga de Cavalcante com a mulher, Magda Koenigkan, na sexta-feira, antevéspera da morte, teria ocorrido por conta dessas dívidas.

Postado por Fábio Schaffner

Comentários (9)

  • Sergio diz: 10 de março de 2009

    Não há nada que um bom roteirista de Hollywood não decifre…

  • Ary diz: 12 de março de 2009

    Sim, Murilo: Elvino contratou o Raul para fazer o serviço. Tonto!

  • murilo pontes diz: 10 de março de 2009

    A testemunha chave contra o Raul Pont e o Elvino Bon Gass no caso do repasse de salários na assembléia morreu assassinada e você não escreveu uma só linha sobre o assunto, por que Dona Rosane?

  • jorge pereira diz: 10 de março de 2009

    A essa e boa o MORTO eo mordomo definitivamente para o onibus que eu quero descer.

  • Miquelângelo diz: 10 de março de 2009

    Não desvia o foco.

  • Roberto Kraemer Derosa diz: 10 de março de 2009

    Mais uma morte onde o culpado é quem morreu.
    Quem tem um emprego e relações como este Sr., não se mata por estar devendo. Um cara que chegou onde chegou, com as relações que tinha . . . Muito suspeito

  • luiz pereira diz: 10 de março de 2009

    Tem gente viajando ai, coitada da Rosane pagou o pato pela notícia, esta blog não é dela, hhehehe, tem que aperta a Amásia dele que o coelho salta da cartola, ela sabe de mais coisas.

  • Alex diz: 10 de março de 2009

    Só faltou concluir que ele suicidou-se por que estava vivo….

  • Marcele Bittencourt diz: 10 de março de 2009

    Vamos ver se entendi:
    Ele possuia empréstimos no BB e na CEF, provavelmente financiamento habitacional e de veículo, no montante total de R$ 300.000,00, cujas parcelas estavam sendo devidamente honradas. E daí???? Normal.

Envie seu Comentário