Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de abril 2009

Em busca do perdão

30 de abril de 2009 2

Leia a coluna de Klécio Santos, publicada em Zero Hora e Diário Catarinense


Na tentativa da almejada reconciliação com a opinião pública, Michel Temer colocou um freio na farra das passagens e demonstra disposição para rever os demais benefícios concedidos aos parlamentares. O pacote moralizante, contudo, abriga uma justificativa para algo que os deputados há muito tempo desejam: reajustar os próprios vencimentos. Ao eliminar alguns penduricalhos salariais, a Câmara teria pista livre para alcançar o teto do funcionalismo público: R$ 24,5 mil.
Sob o falso discurso da economia, está em curso uma iniciativa perdulária. Tudo porque os salários de deputados estaduais e vereadores são vinculados ao valor pago aos congressistas. Teríamos um efeito cascata em todos os parlamentos do país. Em vez de mexer nos contracheques, a comissão criada por Temer faria uma grande benefício à nação se deixasse claro que a verba indenizatória de R$ 15 mil mensais não pertence aos deputados.
As distorções são tantas que ninguém mais tem parâmetro ético. Até o deputado Edmar Moreira, dono de um castelo de R$ 20 milhões que foi flagrado apresentando notas de despesas contraídas junto às próprias empresas, ontem exigia anistia da Câmara. Ameaçado de cassação, ele argumenta que à época inexistia qualquer norma proibindo tal prática. Quer pegar carona no bloco dos deputados voadores, todos perdoados pela farra cometida com a cota aérea.

Postado por Sucursal Brasília

Férias frustradas

29 de abril de 2009 2

Leia a coluna de Klécio Santos publicada em Zero Hora e Diário Catarinense

Quando havia decidido dar um basta na farra das passagens, Michel Temer não imaginava o tamanho da milhagem gasta pelos colegas. Achava que se tratava de uma dúzia de perdulários. Os deputados-turistas, porém, representam mais da metade da Câmara. Isso só levando em conta os que viajaram para o Exterior com parentes ou financiaram o passeio de amigos. Há outros ainda mais encrencados, sob suspeita de envolvimento com uma máfia de desvio de bilhetes para operadoras de turismo.
Se àquela altura já era necessário dar uma satisfação rápida à opinião pública, imagine-se diante do gigantismo do escândalo. O problema é que a chiadeira do baixo clero e até de figurões como Ciro Gomes quase acabaram dobrando Temer. Felizmente, prevaleceu o bom senso, e a medida baixada ontem, restringindo o uso dos bilhetes apenas ao parlamentar e a assessores, sequer foi levada ao plenário. A resolução ainda proíbe voos para o Exterior e obriga a devolução do dinheiro gasto, uma regra que deveria estar em vigor há muito tempo. Como os parlamentares costumam confundir dinheiro público com patrimonialismo, foi preciso deixar isso claro. Com a atitude, Temer e os demais líderes esperam agora sair dessa espiral de escândalos e estancar as hostilidades nas ruas.
– Estávamos sendo cobrados até nos shopping centers – desabafa um dos colecionadores de milhas da Câmara.

Postado por Sucursal Brasília

Vieira da Cunha demite servidor

28 de abril de 2009 6

O deputado Vieira da Cunha (PDT) demitiu o servidor Francisco das Chagas Vieira, lotado em seu gabinete e citado na apuração do MPF como suspeito de envolvimento com a máfia das passagens. O deputado se reuniu hoje com a procuradora da República Anna Carolina de Azevedo Maia, integrante de um grupo de procuradores do Ministério Público Federal que apura os desvios na cotas de passagens aéreas da Câmara. Vieira se colocou à disposição para auxiliar nas investigações. Amanhã, Vieira pretende se reunir com o procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, para quem foram os relatórios das investigações sobre a máfia das passagens.

Postado por Fábio Schaffner

Turismo de jegue

28 de abril de 2009 1

Leia a coluna de Klécio Santos, publicada em Zero Hora e Diário Catarinense


Diante da iminência de o plenário manter a farra das passagens, Michel Temer fez um recuo providencial. Em vez de submeter as restrições aos próprios beneficiados pelo esquema, o presidente da Câmara tentará obter o aval só dos líderes partidários. A principal resistência à resolução da Mesa parte do impedimento de que familiares viajem com passagens da cota parlamentar. Nos últimos dias, se ouviram dos nossos representantes as mais criativas justificativas para a manutenção do benefício. Teve deputado reclamando de supostas crises conjugais e até quem ameaçasse substituir as viagens de avião por jegues. Ninguém admitiu que estava errado em usar a verba para turismo.
Na visão dos deputados, a cota aérea é patrimônio pessoal. Nada mais óbvio do que esse raciocínio tortuoso levar a uma tentativa de afrouxar as limitações impostas por Temer, mesmo que isso signifique um novo desgaste por conta do voto nominal. Cada deputado pensa apenas no próprio bolso, na manutenção das benesses.
Temer, porém, está cansado de ser anteparo das reações iradas da opinião pública. Desde que assumiu o cargo, ele não faz outra coisa do que tentar explicar escândalos. Uma medida mais sensata, contudo, seria investigar a fundo a máfia que desvia passagens para operadoras de turismo. A sindicância instaurada tem 60 dias para apresentar resultados e até agora pretende analisar apenas cinco parlamentares.

Postado por Sucursal Brasília

Liberados R$ 8,6 milhões para SC

27 de abril de 2009 0

A edição desta segunda-feira do Diário Oficial da União traz publicada a liberação de R$ 8,6 milhões do Ministério da Integração Nacional para municípios de Santa Catarina. O dinheiro vai ajudar na reconstrução de casas de famílias das zonas rural e urbana atingidas pelas enchentes.
De acordo com a Portaria n.º 77, a transferência de recursos para ações emergenciais deverá ocorrer em até 180 dias. De acordo com boletim da Defesa Civil Estadual, até as 18h de sexta-feira, haviam sido contabilizados 3.333 desalojados e 206 desabrigados em dez municípios do litoral catarinense devido à chuva na região desde o último dia 21. As informações são da Agência Brasil.

Postado por Fábio Schaffner

Um mês lutando em silêncio

27 de abril de 2009 2

O tumor cancerígeno que acomete a mais poderosa ministra do Brasil, a pré-candidata à Presidência Dilma Rousseff, chegou ao conhecimento de Luiz Inácio Lula da Silva na sexta-feira. O presidente e a ministra se reuniram a sós pela manhã, no Planalto. Por volta das 16h, em Itumbiara, Goiás, Lula chamou a um canto o ministro da Comunicação Social, Franklin Martins, e revelou:
– Olha, a Dilma fez uma pequena cirurgia. Vamos nos reunir, eu, você e ela, para discutir como tratar o assunto.
À noite, os três se encontraram durante 10 minutos na base aérea de Brasília. Avisado de que Dilma faria exames em São Paulo na manhã de sábado e de que a imprensa já especulava sobre a saúde da ministra-chefe da Casa Civil, Lula foi enfático:
– Nesse caso, é melhor anunciar logo. Talvez seja melhor você levar o Franklin.

A reportagem completa você lê aqui

Postado por Fábio Schaffner

A doença e a sucessão

27 de abril de 2009 1

Leia a coluna de Klécio Santos, publicada em Zero Hora e Diário Catarinense 


O primeiro reflexo da doença de Dilma Rousseff na corrida presidencial será uma humanização das campanhas. A reação da oposição à notícia que a ministra luta contra um câncer já foi um exemplo de fidalguia. Nesse aspecto, a sucessão de Lula pode se tornar emblemática. Principalmente se for levada em consideração a eleição de 2006, contaminada por baixarias.
Revestida de uma couraça, Dilma sempre foi avessa à exposição pública de sua vida pessoal. Mas ao revelar seu drama, coloca um ponto de interrogação nas articulações políticas para 2010. A avaliação do Planalto é de que, no primeiro teste, ela se saiu muito bem. Ministros também consideram que Dilma costuma se agigantar nas adversidades. Embora a campanha propriamente dita possa passar por uma desmobilização até o fim do tratamento, Lula estaria confiante de que isso não afetará a sucessão. Há no Planalto uma convicção de que Dilma está curada e de que a quimioterapia é apenas medida de segurança e precaução. O próprio PT não trabalha com candidaturas alternativas. As resistências a Dilma são insignificantes, e ninguém ousa contrariar uma vontade de Lula.
A preocupação emergencial é com a costura de alianças e com o PMDB. Um eventual enfraquecimento de Dilma pode alimentar ambições de aliados, hipótese que Lula tenta rechaçar. O PT não aceita ceder a cabeça de chapa, e Ciro Gomes e sua infatigável língua solta, por exemplo, são carta fora do baralho do Planalto. Isso sem falar que, na avaliação do PT, a superação de um câncer pode tornar Dilma uma candidata ainda mais carismática e popular aos olhos dos eleitores.

Postado por Sucursal Brasília

"Estou revoltado"

26 de abril de 2009 2


Presidente de Hospital Albert Einstein, um dos mais renomados complexos hospitalares do país, o oftalmologista Cláudio Lottenberg está inconformado com a inclusão de seu nome no escândalo da farra das passagens na Câmara. Há sete anos exercendo um cargo voluntário à frente da instituição, Lottenberg conversou com Zero Hora na sexta-feira à noite direto de Miami, onde participa de um curso avançado em transplantes de córneas.
Zero Hora – O senhor sabia que teve uma passagem emitida pelo gabinete do deputado Nelson Proença (PPS)?
Lottenberg – Fui informado pela imprensa. Tenho toda a documentação em mãos. A passagem que eu paguei é a minha passagem, não é de deputado nenhum. É uma passagem executiva, de ida e volta a Miami, que custou cerca de US$ 3 mil. Isso que está acontecendo é um absurdo, uma excrescência.
 
Zero Hora – Como o senhor se sente tendo o nome arrastado para esse escândalo?
Lottenberg – Absolutamente tranquilo quanto a minha situação nesse episódio, mas tenho uma preocupação de imagem. Se você colocar meu nome no Google verá que não sou uma pessoa com pouco tempo de carreira. A única relação que eu tenho com o Congresso é a cada quatro anos: exerço meu voto. Mais nada. Eu nem sabia que a AD Turismo prestava serviços à Câmara. Se eu soubesse, ela nem trabalharia conosco. Nós procuramos evitar prestadores de serviços que tenha relações com fontes governamentais. Já mandei suspender a nossa relação com essa empresa.
 
ZH – O senhor conhece o deputado Nelson Proença?
Lottenberg – Nunca ouvi falar nesse deputado. Vou esperar ele fazer uma declaração formal. O meu nome entrou nessa lista por responsabilidade dele. Até agora, ele nem me telefonou. É o mínimo que eu esperaria, até porque não sou tão difícil de achar. Se ele explicar convincentemente, talvez fique só numa notificação. Se por acaso houve má fé ou descontrole, eu pretendo mover juridicamente aquilo que for possível. Estou revoltado porque nada tenho a ver com isso. Sou médico, respeitado no Brasil e no Exterior, pago meus impostos e sou responsável por uma instituição que é a maior parceira da prefeitura de São Paulo na área de saúde.

Postado por Fábio Schaffner

A mulher que copiava

26 de abril de 2009 31

 Angela Amin (PP) parece ser fã de xerox. Em abril, a deputada gastou R$ 2.423 com fotocópias. O dinheiro é suficiente para se tirar nada menos do que 40.383 cópias de documentos, levando-se em conta o preço médio unitário de seis centavos.
A despesa foi paga pela Câmara, com a verba indenizatória da deputada, à Fotocopiadora Mendes Argenta Ltda, com sede em Florianópolis. As notas fiscais apresentadas por Angela para obter o reembolso são todas em sequência. Na prestação de contas da parlamentar, aparecem as notas nº 001221, 001222 e 001223, nos respectivos valores de R$ 460,20, R$ 1783,30 e R$ 179,50.

Postado por Klécio Santos

As vítimas da máfia das passagens

25 de abril de 2009 0

Cláudio e Evandra Garbi pagaram, mas a viagem foi incluída na cota do deputado Vieira da Cunha

Quando conseguiu um desconto de 20% na compra de duas passagens de ida e volta para Buenos Aires, o empresário Cláudio Garbi, 35 anos, acreditou que estava fechando um excelente negócio. Garbi descobriu agora ter sido tragado pelo escândalo do mercado paralelo de venda de passagens na Câmara.
A viagem do casal à capital argentina, negociada com uma agência de turismo de Brasília, foi incluída na cota aérea do deputado Vieira da Cunha (PDT). Casos semelhantes envolveram os gabinetes dos deputados Afonso Hamm (PP), Nelson Proença (PPS), Paulo Roberto (PTB) e Ruy Pauletti (PSDB). Eles negam envolvimento em irregularidades.

Leia a reportagem completa aqui

Postado por Fábio Schaffner

Exposta máfia das passagens na Câmara

25 de abril de 2009 8

Documentos e relatos obtidos por Zero Hora revelam a existência de um mercado paralelo de venda de passagens aéreas pagas pela Câmara.
Os casos envolvem os gabinetes de pelo menos cinco deputados gaúchos: Afonso Hamm (PP), Nelson Proença (PPS), Paulo Roberto (PTB), Ruy Pauletti (PSDB) e Vieira da Cunha (PDT). Hamm não foi localizado ontem para falar sobre o assunto. Proença, Paulo Roberto, Pauletti e Vieira negaram participação no caso.

A reportagem completa você lê aqui

Postado por Fábio Schaffner

Concertos para a juventude

25 de abril de 2009 0

Nesse período sombrio em Brasília, com máfias agindo em conluio com deputados, pelo menos temos a voz de Cat Power, aqui em The Greatest

Postado por Fábio Schaffner

Supremo bate-boca

24 de abril de 2009 4

Leia a coluna de Klécio Santos publicada hoje em Zero Hora e Diário Catarinense


Ao romper com a sóbria liturgia do Supremo para vociferar contra o presidente da Corte, Joaquim Barbosa comprou uma briga azeda. A primeira consequência será o isolamento. Barbosa coleciona desafetos entre os colegas de toga. Já bateu boca com Marco Aurélio Mello, Eros Grau e o próprio Gilmar Mendes. Sua postura contundente está escudada no sentimento de que se tornou um herói aos olhos da opinião pública. A imagem foi construída no julgamento do mensalão quando levou ao banco dos réus os 40 personagens do escândalo. À época, Barbosa era aplaudido em pé em voos comerciais e foi alçado à condição de candidato a presidência da República. Vem daí a sua primeira provocação: a de conclamar Mendes a sair às ruas. Barbosa sabe que Mendes é visto como aliado de Daniel Dantas desde que livrou o banqueiro da cadeia por duas vezes consecutivas.
O Supremo, porém, é um clube seleto, onde pesa mais o instinto de autopreservação. O erro de Barbosa foi ter exposto as diferenças internas da corte. Pelo menos dois ministros chegaram a defender a divulgação de uma nota de censura pública a Barbosa, iniciativa logo descartada. A virulência de Barbosa, contudo, não será digerida tão cedo, já que ele colocou em dúvida a honestidade do presidente da corte.
– Se ele diz que o Gilmar Mendes tem capangas, ele o está acusando indiretamente de um crime. Quem tem capangas, tem quadrilha – revela um dos mais experientes juristas com atuação no STF.

Postado por Sucursal Brasília

Internautas indignados com a farra das passagens

23 de abril de 2009 3

Os internautas que participaram do chat com o jornalista Klécio Santos na tarde desta quinta-feira manifestaram suas indignações sobre o uso de passagens para o exterior pelos deputados catarinenses.
— Simplesmente uma vergonha. Enquanto a classe assalariada luta para pagar todos os impostos, do outro lado vê-se esse desperdício do dinheiro público, numa verdadeira farra quixotesca dos Deputados. Eita, Brasil… As viagens podem ser até legais, mas terrivelmente imorais — escreveu o internauta que se identificou como Leandro.
Klécio Santos, colunista de política e coordenador da sucursal dos jornais da RBS em Brasília, acredita que o problema é a certeza da impunidade.
— Se eles não tivessem a certeza de que não seriam punidos, nada disso teria acontecido. Acho também que os deputados deveriam ser submetidos a um processo de cassação de mandato. Mas são 261. Ia sobrar poucos, não?

Postado por Sucursal Brasília

Para o Exterior com verba pública

23 de abril de 2009 1

Nenhum deputado cogita devolver o dinheiro das passagens

Filhos, mulheres e assessores de parlamentares do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina viajaram para o Exterior com passagens aéreas emitidas pela Câmara.
Pelo menos 28 deputados e até mesmo um ex-deputado dos dois Estados autorizaram a liberação de 184 bilhetes com destino a outros países. Em apenas 31 ocasiões, os próprios políticos foram beneficiados com as viagens. Nos demais casos, as passagens acabaram nas mãos de terceiros.

Leia a reportagem completa sobre deputados gaúchos aqui

A reportagem sobre os deputados catarinenses, você lê aqui

Postado por Fábio Schaffner

Parlamentares voadores

23 de abril de 2009 1

Leia a coluna de Klécio Santos, publicada em Zero Hora e Diário Catarinense


A mais bondosa agência de turismo do país atende pelo nome de Câmara dos Deputados. Basta ser amigo ou parente de algum parlamentar para garantir passagens aéreas de graça para os mais badalados roteiros turísticos do mundo. Afonso Hamm (PP), por exemplo, é quase um filantropo. Doou 19 passagens para Londres, Nova York e Miami. Todos os bilhetes pagos com o nosso dinheiro, claro. Inclusive já se suspeita que os gastos dos deputados nas viagens ao Exterior tenham sido reembolsados com a verba indenizatória, uma vez que as notas fiscais apresentadas carecem de credibilidade.
Tentando por um fim à farra que também o arrastou, o presidente da Câmara, Michel Temer, colocou limites para os voos dos deputados, mas não anunciou medidas para punir o descontrole, como, por exemplo, a devolução da dinheirama gasta às custas do contribuinte. A partir de agora ficou mais difícil viajar para fora do país. Aliás, já devia ser assim. Afinal, as passagens se destinam ao cumprimento da atividade parlamentar, se resumindo a viagens de trabalho ou então aos deslocamentos entre Brasília e as bases eleitorais. Mas seria ingenuidade demais acreditar que essa verba não era desviada para outros fins, como bancar os passeios da família toda pela Europa. Até ex-marido viajou por conta do contribuinte.
Diante das proporções gigantescas do escândalo, Temer adiou a ambição de aumentar os salários dos parlamentares em troca da redução da verba indenizatória. Mas não fez isso por convicção, já que a maioria dos congressistas defende a engorda nos próprios vencimentos. Temer só decidiu deixar para depois essa discussão porque o reajuste salarial soaria como um prêmio aos deputados e revoltaria ainda mais a opinião pública.

Postado por Sucursal Brasília

Chat discute passagens usadas por deputados de SC

22 de abril de 2009 3

O colunista e coordenador da sucursal dos jornais da RBS em Brasília, Klécio Santos, irá participar na tarde desta quinta-feira de um chat sobre o uso de passagens para o exterior pelos deputados catarinenses.

Klécio irá conversar com os internautas sobre a revelação que 
passagens para o exterior foram emitidas por nove deputados federais de Santa Catarina: Nelson Goetten (PR), Djalma Berger (PSB), João Matos (PMDB), Angela Amin (PP), Edinho Bez (PMDB), Paulo Bornhausen (DEM), Ivan Ranzolin (PP) e João Pizzolatti (PP), além de Fernando Coruja (PPS). Confira aqui a matéria.

Para participar da conversa, basta clicar no player abaixo, a partir das 14h:

 

Postado por Gabriel Rocha

Troca de favores

22 de abril de 2009 3

Leia a coluna de Klécio Santos publicada hoje em Zero Hora e Diário Catarinense


Se há um mal do qual os deputados não padecem é a falta de criatividade. A fórmula encontrada para estancar a farra com a cota de passagens aéreas será um reajuste salarial. Dos R$ 16 mil mensais, eles devem passar a receber R$ 24 mil, o teto do funcionalismo federal. Michel Temer quer aproveitar a onda de escândalos para fazer o que há muito tempo o Congresso deseja: engordar os salários. Com isso, se eliminaria a verba indenizatória de R$ 15 mil.
É a admissão de que o dinheiro público muitas vezes é utilizado para objetivos nada nobres. Graças ao baú de mordomias bancado pelo contribuinte, os parlamentares não gastam com telefone, transporte e sequer moradia. Flagrado levando familiares para uma esticada em Porto Seguro – tudo pago pela Câmara, claro –, Temer anuncia agora divulgação total e limitação nos gastos. É difícil imaginar cada parlamentar consumindo apenas o essencial para o exercício do mandato, sem embolsar as sobras dos recursos disponíveis. Tanto que, ao final do ano, os deputados sempre raspam tudo que não foi gasto nos meses anteriores. Do ponto de vista da transparência, é muito mais vantajoso para os congressistas incorporar a verba indenizatória aos vencimentos. Afinal, ninguém mais ficará sabendo de que forma o dinheiro será gasto.
A desfaçatez não tem limites. Até ministro do Tribunal de Contas da União, que deveria zelar pela moralidade com os gastos públicos, vem se beneficiando desses esquemas. O gaúcho Augusto Nardes usou uma cota do gabinete do deputado José Otávio Germano. Ambos alegam que não sabiam de nada e que tudo não passou de um acordo entre as secretárias dos seus gabinetes. Não deixa de ser curiosa, porém, essa “troca de favores”.

Postado por Sucursal Brasília

Eles voam para o Exterior, nós pagamos

22 de abril de 2009 102

Novo levantamento do site Congresso em Foco revela que nada menos do que 261 deputados usaram a cota de passagens aéreas pagas pela Câmara para viajar ao Exterior. Nessa lista estão 20 dos 31 deputados gaúchos e nove catarinenses. No RS, o campeão é Afonso Hamm (PP), deputado da região de Bagé e que cedeu 19 bilhetes aéreos para terceiros flanarem em terra estrangeira. Já em SC ninguém bate Fernando Coruja (PPS). O líder do PPS também emitiu 19 passagens aéreas para o Exterior. Vejam abaixo a lista dos parlamentares dos dois estados que viajaram ou emprestaram passagens para o Exterior.

 

Rio Grande do Sul

Afonso Hamm (PP) – 19
Ruy Pauletty (PSDB) – 15
Vieira da Cunha (PDT) – 14
Adão Pretto (PT) – 8
Darcísio Perondi (PMDB) – 7
Tarcísio Zimermmann (PT) – 7
Enio Bacci (PDT) – 6
Paulo Roberto (PTB) – 6
Cláudio Diaz (PSDB) – 5
Germano Bonow (DEM) – 4
José Otávio Germano (PP) – 4
Pompeo de Mattos (PDT) – 4
Luciana Genro (PSOL) – 3
Vilson Covatti (PP) – 3
Eliseu Padilha (PMDB) – 2
Luiz Carlos Busato (PTB) – 2
Nelson Proença (PPS) – 2
Renato Molling (PP) – 2
Luiz Carlos Heinze (PP) – 1
Beto Albuquerque (PSB) – 1

Santa Catarina
Fernando Coruja (PPS) – 19
Nelson Goetten (PR) – 14
Djalma Berger (PSB) – 8
João Matos (PMDB) – 8
Ângela Amin (PP) – 6
Edinho Bez (PMDB) – 4
Paulo Bornhausen (DEM) – 4
Ivan Ranzolin (PP) – 2
João Pizolati (PP) – 1

Postado por Fábio Schaffner

Deputados querem compensações em troca da verba

20 de abril de 2009 5

Mergulhada em uma séria de denúncias, a Câmara conclui na próxima quarta-feira uma proposta de readequação dos gastos dos deputados. Ainda em estudo, as mudanças poderão passar pelo fim da verba indenizatória e pelo estabelecimento de itens obrigatórios de pagamento, que contarão com um teto de despesas. No momento, os integrantes da Mesa da Câmara trabalham em um levantamento sobre os gastos totais de cada deputado e das despesas consideradas essenciais para o mandato. A ideia é que essas despesas sejam pagas diretamente pela Câmara, sem que o dinheiro passe pelo gabinete do parlamentar. Como compensação, o estudo propõe a equiparação do salário do deputado ao dos integrantes do Supremo. Corregedor da Câmara, o deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (DEM-BA) participa neste momento do Fórum de Empresários, em Comandatuba (BA), mas está em contato direto com a 1 secretaria da Mesa, que desenha essas ações. Depois de concluída, a proposta ainda precisa ser negocada com os líderes dos partidos. Na última segunda-feira, empresários participantes do fórum cobraram dos parlamentares um maior controle sobre o uso da verba pública.

Postado por Carolina Bahia

Nova York é bom, Paris é demais

20 de abril de 2009 4

Leia a coluna de Klécio Santos publicada hoje em Zero Hora e Diário Catarinense


Não é surpresa a inutilidade das viagens de parlamentares para congressos inócuos mundo afora. Desconhecida era a dimensão dessa disneylândia que financia a viagem de parentes de políticos ao Exterior. É uma nova modalidade de turismo familiar, financiada com dinheiro do contribuinte. Até líderes e presidentes de partido, que deveriam dar exemplo de retidão, aparecem entre os grandes beneficiados pelo uso indiscriminado de emissão de bilhetes aéreos. Na maioria dos casos, o destino das viagens é Nova York, Paris e Miami.
A farra transcende bandeiras partidárias e ideológicas, atingindo tanto o presidente do PT, Ricardo Berzoini (SP), quanto o do DEM, Rodrigo Maia (RJ). Na falta de argumentos plausíveis, o vice-líder do DEM, José Carlos Aleluia (BA), que foi a Londres via Paris, teve o desplante de pregar igualdade com o Executivo, dizendo que a primeira-dama Marisa Letícia sempre viaja com o presidente Lula. Pela distorcida visão ética de Aleluia, a sociedade tem de financiar as viagens de suas excelentíssimas. E, se ninguém chiar, entra também na fatura filhos, genros, sogras e namoradas dos parlamentares.
Não é preciso manter parentesco com políticos para se aproveitar da gandaia. Até mesmo o paladino da luta contra a corrupção, delegado Protógenes Queiroz, se valeu de passagens do gabinete de Luciana Genro (PSOL) para pregar seu discurso em Porto Alegre. Todos têm na ponta da língua a explicação: o regimento da Casa não proíbe a prática. Ou seja, a badalação turística com a família está liberada. Desde que a conta seja enviada para o eleitor.

Postado por Sucursal Brasília

Concertos para a juventude

18 de abril de 2009 0

Numa apresentação arrebatadora no Hollywood Bowl, Van Morrison tocou na íntegra o clássico disco de 1968 Astral Weeks. Na segunda edição de Concertos para a juventude, o blog oferece Sweet Thing, um clássico com Morrison largando o violão no finalzinho para arrepiar na harmônica.

Postado por Fábio Schaffner

De orelha em pé

17 de abril de 2009 1

Leia a coluna de Klécio Santos, publicada hoje em Zero Hora e Diário Catarinense


Daniel Dantas deixou seu bunker no Rio, mas nada acrescentou ao cipoal de dúvidas que permeiam a Satiagraha. Seu depoimento somente demonstra a inutilidade da CPI dos Grampos para iluminar os subterrâneos da operação. Reprisando a estratégia de desqualificar as investigações sob o comando do delegado Protógenes Queiroz, Dantas posa de vítima. Condenado por subornar um delegado da Polícia Federal, o banqueiro recorreu a um laudo pericial na tentativa de comprovar que as acusações são falsas. Irônico, Dantas disse que temia ser julgado por juízes supostamente corruptos. Sem citar nomes, se limitou a dizer que as suspeitas chegaram aos seus ouvidos pelos advogados e algumas fontes.
Para os deputados, o manancial de informações privilegiadas controladas por Dantas mostra o grau de bisbilhotagem do banqueiro. Até mesmo o presidente da comissão, Marcelo Itagiba (PMDB-RJ) – que recebeu doações eleitorais de um sócio do Opportunity –, defendeu o indiciamento de Dantas.
Apesar dos desencontros da CPI, ainda há quem queira prorrogar os trabalhos. Porta-voz da oposição, Raul Jungmann (PPS-PE) quer estender as investigações por mais 60 dias. Até lá, a PF pretende já ter concluído o inquérito da Satiagraha, cujas investigações estão passando por um pente fino desde que vieram à tona as irregularidades cometidas por Protógenes. O delegado, aliás, tem aproveitado o gancho que levou da PF para divulgar sua plataforma eleitoral, se valendo do papel de perseguido para ocupar espaços na imprensa.

Postado por Sucursal Brasília

O voo da borboleta

16 de abril de 2009 2

Leia a coluna de Klécio Santos, publicada hoje em Zero Hora e Diário Catarinense


Nada mais sintomático que o destino do deputado Fábio Faria (PMN-RN) e sua trupe de celebridades tenha sido um Carnaval fora de época. Seja verão ou inverno, a Câmara vive em eterna folia com o dinheiro público. O despudor do deputado-galã é tanto que ele não devolveu o dinheiro referente às passagens da borboleta Adriane Galisteu para os Estados Unidos. Faria justificou que Adriane era sua companheira à época. O regulamento da Câmara, porém, determina que os bilhetes aéreos devem ser usados exclusivamente na atividade parlamentar. E não para impressionar a gatinha de plantão do ilustre deputado.
A descoberta do bloco burlesco de Fábio Faria pelo menos serviu para descortinar uma prática corriqueira no Congresso. Só agora se fala em criar mecanismos disciplinando o uso das passagens, mas nem mesmo a Mesa Diretora sabe como agir. Farra semelhante já tinha chamuscado o Senado, quando o tucano Tasso Jereissati (CE) foi flagrado usando sua cota pessoal para fretar jatinhos.
As distorções são tantas que até ministros licenciados do mandato têm se aproveitado das brechas para custear suas viagens. Mesmo tendo direito a jatinhos da FAB, José Múcio (Relações Institucionais), Geddel Vieira Lima (Integração Nacional), Reinhold Stephanes (Agricultura) usaram bilhetes pagos pela Câmara pelo menos 64 vezes após se transferirem para a Esplanada.

Postado por Sucursal Brasília

Cazarré com livro novo na praça

15 de abril de 2009 0


O escritor gaúcho Lourenço Cazarré lança daqui a pouco em Brasilía seu mais novo livro. A Longa Migração do Temível Tubarao Branco narra as desventuras de Dante Verga, um jornalista de economia que revisa a própria vida após sofrer um enfarte em plena Esplanada dos Ministérios. Autor de mais de 40 livros, Cazarré estará recebendo amigos e convivas no restaurante Carpe Diem,  na Superquadra 104 sul, a partir das 18h30min.

Postado por Fábio Schaffner