Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 4 fevereiro 2010

Agenda presidencial no RS

04 de fevereiro de 2010 1

8h – Embarque em Brasília

10h30 – Chegada ao Aeroporto Salgado Filho
           – Deslocamento de helicóptero para São Leopoldo e sobrevôo de 604 casas populares construídas com recursos federais e obras da ampliação do Trensurb

11h – Cerimônia de inauguração da estação de tratamento de esgoto do bairro Feitoria

15h – Inauguração da fábrica de semicondutores da Ceitec

17h – Retorno a Brasília

Mitos

04 de fevereiro de 2010 0

Klécio Santos

De jaleco da Petrobras, Dilma Rousseff reapareceu ao lado de Lula na inauguração de mais uma obra do governo. A ministra aproveitou para afagar Ciro Gomes, dizendo que gostaria de subir em palanques ao lado do socialista. Por mais que o governo negue, a campanha está nas ruas.
E a tarefa prioritária do Planalto a partir de agora é tirar Ciro da disputa, dando à eleição o caráter plebiscitário que Lula tanto deseja. Por enquanto, as pesquisas dão a falsa ideia de que a presença do candidato favorece Dilma, já que haveria segundo turno e que, sem Ciro, José Serra dispara. Mas não é essa a conta que o governo faz.
O Planalto trabalha com um crescimento cada vez maior de Dilma nas pesquisas, ainda mais fechando a aliança com o PMDB e com latifúndio na propaganda eleitoral. Para o PT, Dilma tem plenas condições de vencer a eleição no primeiro turno, ainda mais agora que já beira os 30% de intenções de voto, um índice projetado para ser alcançado apenas em março. Uma vitória rápida evitaria um segundo turno, no qual Serra poderia agregar não só os votos de Ciro, como os de Marina Silva.
Além disso, com a saída de Antonio Palocci do páreo em São Paulo, Dilma não tem um palanque forte no maior colégio eleitoral do país. O problema é que a resistência de Ciro a concorrer a governador de São Paulo, a julgar por suas costumeiras ironias – agora disse que não vê Lula como um mito –, parece não ter fim. E mais, o socialista anda com um discurso cada vez mais refratário ao governo, criticando não só a aliança PT-PMDB, mas também José Dirceu, o homem que, nos bastidores, vem fazendo costuras nos Estados em favor de Dilma.