Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Lula decidirá sobre pacote de bondades de R$ 1,9 bi

02 de junho de 2010 3

da Zero Hora

Além das decisões difíceis a tomar em torno do aumento dos aposentados e o fim do fator previdenciário, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva terá agora de analisar um pacote de bondades que altera pelo menos 25 carreiras do serviço público. A quatro meses das eleições, os senadores aprovaram ontem, em votação simbólica, as alterações.

O texto original do governo previa impacto de R$ 31,7 milhões aos cofres públicos anualmente com a aprovação do projeto. Mas a proposta sofreu alterações na Câmara dos Deputados e, da forma como foi aprovada, pode ter impacto de até R$ 1,9 bilhão por ano nas contas públicas. O líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), informou, no entanto, que o presidente Lula deve vetar parte do texto e o custo anual dos reajustes ficará em R$ 35 milhões. Jucá não informou quais partes serão vetadas.
Apesar de a votação ter sido simbólica, sem abertura do painel para votação individual, o senador Alvaro Dias (PR), vice-líder do PSDB, pediu que o voto dele fosse registrado como contra. Apenas uma das emendas, segundo apontou Dias, teria impacto de R$ 1,8 bilhão por ano. Esta emenda transfere os servidores analistas da Receita Previdenciária para a categoria de auditores da Receita Federal, mas deve ser vetada por Lula, segundo Jucá.
Além do Senado, a Câmara também aprovou ontem seu pacote de bondades. O da Câmara beneficia seus próprios servidores com aumento salarial, em média, de 15% para os concursados e de 33% para os sem concurso, e institui o pagamento de um adicional de especialização que poderá significar em torno de mais 30% de acréscimo salarial. O beneficio alcança 6.830 funcionários, 3,3 mil concursados, 1,3 mil nomeados sem concurso e 2.030 aposentados. De acordo com a direção da Câmara, o reajuste vai significar um aumento de R$ 400 milhões anuais mais R$ 100 milhões com as gratificações.

Comentários (3)

  • ATÉ QUANDO MEU DEUS!!!! diz: 2 de junho de 2010

    QUE CAMBADA,PRA ELES ,SERVIDORES FEDERAIS TUDO ,PROS ESTADUAIS O ARROCHO EM TUDO ,E MAIS OS CORTES DE HORAS,ESSE É O GOVERNO “POPULAR”,O GOVERNO QUE DISTRIBUI RENDA(MAS SÓ ENTRE ELES QUE MAIS GANHAM),QUE VENHA LOGO ESSAS ELEIÇÕES ,PRA MOSTRARMOS NOSSO CONTENTAMENTO….

  • Pedro diz: 2 de junho de 2010

    Vocês utilizam “pacote de bondades” com sentido pejorativo? Daí, teriam que explicar, o que o texto não faz. Quanto aos reajustes, queriam o quê, que o Governo Federal decidisse reajustes salariais para os servidores estaduais e municipais? Acho que está na hora de começarmos a separar as esferas, dando a cada uma o que é de cada uma. Ou queriam que o Governo Federal passasse a distribuir bônus aos cidadãos em geral?

  • Angela de Abreu Rodrigues diz: 6 de junho de 2010

    Bondade quem fez foi Yeda: comprou uma casa e não explicou de onde saiu o dinheiro, loteou o goerno, brigou com toda a base aliada e trocou de secretários umas setecentas vezes, ganhou R$ 10 mil para cada neto impedido de ir ao colégio, não passou go overno pro Feijó quando viajou aos States e tava na turma que ajeitou a ida da FORD para a Bahia, na maior mentira já inventada pela direita gaúcha, que culpou o Olívio por dez anos. Esse governo é que é bom, tanto que até agora ela não arrumou um vice para compor a chapa,né.

Envie seu Comentário