Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Congresso em dia de flauta e bolão

16 de junho de 2010 1

Da Zero Hora

Quatro décadas depois de presentear cada um dos campeões da Copa de 1970 com um fusca, comprados com dinheiro público, o deputado Paulo Maluf (PP-SP) embolsou ontem R$ 400 por conta dos gols da Seleção. O ex-prefeito de São Paulo foi um dos vencedores dos bolões organizados por um grupo de parlamentares que optou por assistir à estreia do Brasil na antessala do plenário da Câmara.

A brincadeira foi organizada pelo deputado Jovair Arantes (PTB-GO). O objetivo era entreter os raros parlamentares presentes nos corredores vazios do Congresso, à espera do início de uma sessão extraordinária convocada pela direção da Casa. O bolão arrecadou R$ 900 em duas modalidades. Em cada aposta, os deputados investiram R$ 50.
Em uma das disputas, conhecida como “bolão de linha”, os parlamentares sorteavam um papel com o número da camiseta dos titulares da Seleção. Se o jogador sorteado fizesse o primeiro gol, o deputado que o retirou levava a bolada. Minutos antes do início do jogo, um dos parlamentares questionou o que fariam se o jogo acabasse em 0 a 0. O autor da brincadeira então sugeriu:
– Vamos dividir entre os funcionários da copa da Casa.
Maluf não titubeou na resposta.
– Nada disso. Se não sair gol, devolve o dinheiro, né – reclamou.
Com menos de um minuto de partida, os parlamentares que acompanhavam o jogo no cafezinho do plenário foram à loucura quando Robinho deu três pedaladas diante do defensor da Coreia do Norte. Com o passar do tempo e o jejum de gols, os deputados passaram a se exaltar, xingando o técnico Dunga a cada bola perdida.
– Se o Ronaldinho Gaúcho estivesse lá na África, eu tinha apostado 5 a 0 para o Brasil – reclamava o petista José Genoino (SP), que, nervoso, fumou cinco cigarros durante a partida.
Quando o lateral-direito Maicon chegou à linha de fundo e abriu o placar em Joanesburgo, Maluf, que estava mudo desde o início do jogo, saltou com um papel na mão.
– Ganhei o bolão – gritou.
Ao receber a bolada dos colegas, o ex-prefeito advertiu os companheiros:
– Quem tem sorte não precisa de mais nada.

Comentários (1)

  • FALA SÉRIO diz: 19 de junho de 2010

    ele que pegue a sorte dele e dá um “pulinhu”nos estados unidos,só pra ver se ela funciona por lá….espero sinceramente que o povo tenha a sorte que saia da gaveta a “ficha limpa”pra ver aonde vai parar as sortes deles…

Envie seu Comentário